Colunas   quinta-feira, 11 de Janeiro de 2018

Segunda Guerra nos cinemas: 10 filmes que retratam o conflito

Veja nossa lista de filmes que retratam esse momento marcante da história da humanidade.

Quando se fala em guerra, não é difícil imaginar que a primeira imagem formada na mente seja a de soldados tomando parte em batalhas épicas para defender aquilo em que acreditam. Todavia, a Segunda Guerra Mundial, um dos eventos mais catastróficos da história da humanidade, não foi marcada apenas por batalhas homéricas, mas também por representar do modo mais explícito o que há de pior no ser humano: o ódio por seus semelhantes, um ódio absurdo fundamentado em uma não aceitação às diferenças étnicas, culturais, sexuais e de credo. Por mais horrível que esse evento tenha sido, esquecê-lo seria um desserviço aos que perderam suas vidas ensinando uma grande lição ao mundo: a necessidade de respeitar o próximo, independente das diferenças.

Aproveitando a estreia do filme “O Destino de Uma Nação“, o Cinema Com Rapadura preparou uma seleção de filmes que levaram para as telonas todas as facetas da Segunda Guerra Mundial, mostrando não apenas os horrores do conflito, mas também as atitudes heroicas daqueles que se revoltaram e se posicionaram contra os atos hediondos que presenciaram. E, de modo ainda mais surpreendente, muitos longas mostram que, mesmo diante de tamanha barbárie, o mais belo dos sentimentos é capaz de florescer: o amor, a verdadeira antítese do ódio.

Então prepare a pipoca e se emocione com essas verdadeiras obras-primas da sétima arte!

“O Menino do Pijama Listrado” (2008)

O filme conta a história do garoto Bruno (Asa Butterfield, de “O Espaço Entre Nós”) que, com apenas 8 anos, vê sua família se mudar da esplendorosa Berlim para residir em uma casa situada próxima à um campo de concentração, do qual o pai do garoto se tornou comandante. Em meio a solidão e sem compreender a realidade que o cerca, quis o destino que Bruno acabasse fazendo amizade com Shmuel (Jack Scanlon), um menino judeu que vive no campo de concentração.

A adaptação da obra literária de John Boyne, levada aos cinemas pelas mãos do diretor e roteirista Mark Herman (“Hope Springs – Um Lugar Para Sonhar“), tem o grande mérito de nos permitir vivenciar esse conflito através do olhar inocente da infância, demonstrando que, mesmo diante de tantas atrocidades, é possível que uma bela amizade entre duas crianças, uma das mais puras formas de amor, possa ganhar vida.

O filme está disponível na Netflix. Assista ao trailer abaixo:

“Patton – Rebelde ou Herói?” (1970)

Possivelmente uma das figuras mais complexas e polêmicas a tomar parte do conflito, o General estadunidense George S. Patton teve sua história levada para as telonas graças aos esforços combinados do diretor Franklin J. Schaffner (“Planeta dos Macacos”), dos roteiristas Francis Ford Coppola (“O Poderoso Chefão”) e Edmund H. North (“O Dia em que a Terra Parou”), e, é claro, do desempenho brilhante de George C. Scott (“Dr. Fantástico”), que acabou vencendo o Oscar de Melhor Ator de 1971.

O longa narra as ações do general durante a Segunda Guerra Mundial, mostrando como seu brilhantismo estratégico se mostrou uma peça fundamental para que os Aliados conquistassem importantes vitórias contra o Eixo em territórios europeu e africano. Ao mesmo tempo, o filme mostra como o temperamento explosivo de Patton e seu rigor excessivo acabaram prejudicando sua carreira no exército.

Nesse sentido, o filme não apenas retrata momentos decisivos do conflito, como também demonstra que seus participantes, mesmo aqueles que se encontravam em posições de liderança, eram apenas seres humanos como tantos outros, sendo assim sujeitos a falhas e erros de julgamento, por mais brilhantes que fossem.

O filme está disponível na Netflix. Aproveite e assista ao trailer abaixo:

“O Jogo da Imitação” (2014)

No auge da Segunda Guerra Mundial, o estudante Alan Turing (Benedict Cumberbatch, de “Doutor Estranho“), da Universidade de Cambridge, foi recrutado pelo MI6 para a missão de decifrar códigos nazistas, incluindo aqueles da infame máquina “Enigma”, tidos como impossíveis de solucionar por inúmeros especialistas. Considerado um herói por seu trabalho, Turing vê seu mundo se transformar em um verdadeiro pesadelo quando detalhes sobre sua vida privada vem à tona.

A cinebiografia de Turing, dirigida por Morten Tyldum (“Passageiros”), conta a história de um homem cujos feitos contribuíram para salvar milhões de vidas, mas que acabou sendo execrado em virtude de sua sexualidade, tornando-se uma vítima do mesmo tipo de ódio impulsivo e desprezo pelas diferenças que ajudou a combater durante a Segunda Guerra.

Aproveite e veja o trailer do longa abaixo, disponível na Netflix:

“A Vida É Bela” (1997)

Guido Orefice (Roberto Benigni, de “Para Roma, com Amor “) é um judeu humilde cujas peripécias e bom humor o levam a conquistar o amor da professora Dora (Nicoletta Braschi, de “O Tigre e a Neve“), mesmo diante da desaprovação da família da jovem mulher. Quando a Segunda Guerra Mundial enfim eclode, Guido e seu pequeno filho, Giosuè (Giorgio Cantarini, de “Gladiador”), acabam mandados para um campo de concentração. Buscando preservar a inocência do garoto, Guido consegue fazer com que o menino acredite que eles estão apenas participando de um  grande jogo, evitando que a criança se dê conta dos horrores que os cercam.

Estrelado, escrito e dirigido por Benigni, que levou para casa a estatueta de Melhor Ator, este é um verdadeiro clássico do cinema italiano, mostrando que, mesmo em um ambiente tomado pelo desespero, o amor de um pai por seu filho não tem limites. O filme está disponível na Netflix.

Assista ao trailer abaixo:

“Bastardos Inglórios” (2009)

Durante a Segunda Guerra Mundial, o Primeiro tenente Aldo Raine (Brad Pitt, de“Aliados”) é encarregado de montar uma equipe de judeus americanos para disseminar o terror entre os soldados do exército nazista. Eventualmente, o grupo, que acaba recebendo a alcunha de “Bastardos”, elabora um plano para assassinar as lideranças políticas da Alemanha Nazista. Simultaneamente, Shosanna (Mélanie Laurent, de “Truque de Mestre”), uma jovem judia que teve sua família executada pelas ordens do Coronel Hans Landa (Christoph Waltz, de “Pequena Grande Vida”), planeja sua própria vingança contra os nazistas.

O longa, escrito e dirigido por Quentin Tarantino (“Django Livre”), conta com todos os traços característicos do cineasta, que entrega um filme violento, desenfreado e ousado, reunindo todos os ingredientes possíveis para agradar e entreter os apreciadores do seu estilo peculiar. Como a cereja do bolo, a atuação brilhante de Christoph Waltz, que acabou consagrado com o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante de 2010.

O filme está disponível na Netflix. Assista ao trailer abaixo:

“O Resgate do Soldado Ryan” (1998)

Ao desembarcar na Normandia no fatídico Dia D, o Capitão John H. Miller (Tom Hanks, de “The Post: A Guerra Secreta”) e sua equipe de combatentes tomam parte no famoso confronto da Praia de Omaha. Com o término da batalha, o grupo é encarregado de resgatar o soldado James Francis Ryan (Matt Damon, de “Suburbicon: Bem-Vindos ao Paraíso“), membro de um pelotão de paraquedistas e caçula de quatro irmãos, dentre os quais três perderam a vida em combate. A equipe coloca suas próprias vidas em risco para assegurar que o jovem Ryan seja encontrado e possa retornar em segurança para casa.

Contando com a direção do mestre Steven Spielberg (“O Bom Gigante Amigo”), que acabou faturando o seu segundo Oscar de Melhor Diretor, este verdadeiro épico se notabilizou por retratar de modo intenso o ataque costeiro na Praia de Omaha, que marca o início do longa. Abordando as grandes batalhas de modo realista, o longa acabou redefinindo o gênero dos filmes de guerra como um todo.

Assista ao trailer abaixo:

“Cartas de Iwo Jima” (2006)

Em 2005, um grupo de arqueólogos japoneses explora os túneis de Iwo Jima, encontrando cartas antigas que contam as histórias de soldados japoneses durante a batalha da ilha de Iwo Jima, a qual, com 40 dias de duração, é considerada um dos maiores conflitos da Segunda Guerra Mundial. Mesmo tendo consciência de que as chances de vitória e sobrevivência eram mínimas, o Tenente-general Tadamichi Kuribayashi (Ken Watanabe, de “Godzilla”), empregou todas as suas forças e se valeu de estratégias inventivas para que ele e seus homens contivessem o avanço das tropas norte-americanas pelo maior tempo possível.

Dirigido por Clint Eastwood (“Sully – O Herói do Rio Hudson“), o longa funciona como uma espécie de complemento do filme “A Conquista da Honra” (2006), do próprio Eastwood, mas voltado para a perspectiva dos japoneses à respeito da batalha de Iwo Jima. Esta atitude mostra que o diretor não aderiu ao maniqueísmo comum e optou por retratar os dois lados do conflito com sinceridade, humanizando a figura dos soldados japoneses que eram vendidos para o povo norte-americano como sendo o mal encarnado, mas que na realidade eram apenas pessoas dotadas de sonhos e desejos como quaisquer outras.

Aproveite e assista ao trailer abaixo:

“A Um Passo da Eternidade” (1953)

O Cabo Prewitt (Montgomery Clift, de “Um Lugar ao Sol”) é um soldado solitário e ex-boxeador que vira alvo de perseguição por parte de seu superior e de seus próprios colegas depois de se recusar a entrar na equipe de boxe do pelotão devido a um trauma de seu passado nos ringues. Seu amigo, o soldado Angelo Maggio (Frank Sinatra, de “Alta Sociedade”) tenta ajudá-lo, mas acaba tendo que lidar com seus próprios problemas ao ser preso por insubordinação. Enquanto isso, o Sargento Warden (Burt Lancaster, de “Os Profissionais”) vive um romance proibido com Karen Holmes (Deborah Kerr, de “Tarde Demais para Esquecer”), a esposa do Capitão. Mas a vida de todos acaba sendo afetada pelo ataque japonês à Pearl Harbor. 

Adaptado do romance de James Jones e dirigido por Fred Zinnemann (“Matar ou Morrer”), o longa se sagrou como um dos grandes vencedores do Oscar, levando 8 estatuetas, incluindo a de Melhor Filme. Reverenciado como um dos grandes clássicos do cinema estadunidense, o filme, que narra os momentos que antecederam ao trágico ataque à Pearl Harbor, conta com uma das grandes atuações da carreira de Montgomery Clift, contribuindo para que o astro seja visto por muitos como um dos responsáveis por revolucionar o método de interpretação nos filmes hollywoodianos, ao lado de outros ícones do cinema como James Dean (“Juventude Transviada”) e Marlon Brando (“O Poderoso Chefão”).

Veja o trailer abaixo:

“A Queda: As Últimas Horas de Hitler” (2004)

Em 1942, a jovem Traudl Junge (Alexandra Maria Lara, de “Rush – No Limite da Emoção“) é escolhida pessoalmente por Adolf Hitler (Bruno Ganz, de “O Leitor”) para se tornar uma de suas secretárias particulares. Três anos depois, a Segunda Guerra Mundial está perto do fim, e Hitler cada vez mais próximo da derrota. O outrora imponente império nazista se esfacelou, restando apenas um abrigo subterrâneo de onde Junge narra os últimos dias de vida do ditador.

Dirigido por Oliver Hirschbiegel (“13 Minutos”), o longa retrata os últimos momentos de uma das figuras mais desprezíveis da história da humanidade, um indivíduo que acabou mobilizando toda uma nação a perseguir sua ideia abominável de uma raça superior, dizimando todos aqueles que não se adequavam aos padrões da mesma. No final das contas, esse homem preferiu a morte do que ter que encarar as consequências por seus atos hediondos. É uma pena que seus ideais não tenham desaparecido com ele.

Assista ao trailer abaixo:

“A Lista de Schindler” (1993)

O empresário alemão Oskar Schindler (Liam Neeson, de “Silencio”), membro do partido nazista, vale-se de sua influência no partido para conseguir contratos e adquirir uma fábrica em que milhares de judeus são utilizados como mão de obra barata, levando-o a conseguir uma fortuna considerável. Todavia, Schindler acabou sendo tocado profundamente pelos horrores cometidos contra o povo judeu, de modo que acabou abrindo mão de sua riqueza para ajudar seus trabalhadores, salvando a vida de mais de 1.100 judeus.

Considerado um dos filmes mais significativos de todos os tempos, a obra conquistou 7 Oscars, incluindo os de Melhor Filme e de Melhor Diretor (para o já citado Steven Spielberg). A trajetória de Oskar Schindler é fascinante e surpreendente, culminando em uma das maiores demonstrações de amor à vida já presenciadas até hoje, deixando a importante lição de que sempre podemos optar por fazer a escolha certa em nossas vidas.

Assista ao trailer abaixo:

E assim chegamos ao final da nossa pequena viagem pela Segunda Guerra Mundial. Com tantas obras retratando o conflito, é evidente que muitos filmes de qualidade acabaram ficando de fora, e é justamente por isso que a sua opinião é muito importante. Qual dos filmes listados é o seu favorito? E quais dos que ficaram de fora você acredita que mereçam um destaque especial? Deixe um comentário para nós!

João Antônio
@rapadura

Compartilhe


Conteúdos Relacionados