Cinema com Rapadura

Notícias   quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Vários filmes da Fox são cancelados pela Disney; futuro de Novos Mutantes ainda é incerto

Mau desempenho nas bilheterias da Fox fez com que Bob Iger, CEO da Disney, tomasse medidas mais drásticas; e executivos da Disney "não se impressionaram" com longa de terror dos mutantes.

Vários filmes da Fox são cancelados pela Disney; futuro de Novos Mutantes ainda é incerto

Após Bob Iger, CEO da Disney, anunciar que haverá uma reestruturação nos futuros projetos da Fox por conta de um prejuízo de de US$ 170 milhões no terceiro trimestre fiscal do estúdio, é possível que mais filmes que já tinham sido anunciados serão cancelados ou passarão por grandes mudanças para que recebam sinal verde da Disney, agora dona da Fox.

De acordo com o Digital Spy, o remake de “Flash Gordon”, com direção de Taika Waititi, conhecido por seu trabalho em “Thor: Ragnarok”, foi um dos projetos cancelados. Outro roteiro descartado foi o da história real de um um ex-policial que supostamente operava uma rede criminosa para fraudar os sorteios anuais do McDonald’s do Monopoly. O filme seria dirigido por Ben Affleck, além de atuado por ele e Matt Damon. E uma adaptação do conto “The Boogeyman”, de Stephen King, também foi cancelada.

Outros títulos que foram interrompidos foram a sequência do clássico de terror trash “Palhaços Assassinos do Espaço Sideral”, “Assassin’s Creed 2”; um reboot só com mulheres de “A Liga Extraordinária”; uma versão live-action do quadrinho feminino “Lumberjanes”, da animadora Noelle Stevenson; dois prequels que estavam em desenvolvimento, um de “Duro de Matar” e outro de “Pinóquio”, intitulados “McClane” e “The Three Misfortunes of Geppetto”, respectivamente; um prequel de “Se Brincar o Bicho Morde” ainda sem título; e Greg Berlanti não vai mais dirigir “The Editor”, drama sobre Jacqueline Kennedy – mas ele ainda está escalado para produzi-lo, juntamente com o musical “Be More Chill”.

Também circula pela internet a imagem abaixo, mostrando que mais longas podem estar indefinidos – a informação não foi confirmada por nenhum estúdio ou veículo de informação:

A medida drástica foi tomada após Iger afirmar a acionistas durante reunião para divulgação de rendimentos trimestrais da Disney que “um dos maiores problemas foi o desempenho do estúdio Fox, que estava bem abaixo da meta deles e bem abaixo do que esperávamos quando fizemos a aquisição”. De acordo com a Variety, várias fontes internas da Disney afirmam que o chefe de criação e co-presidente da Walt Disney Studios, Alan Horn, e o co-presidente Alan Bergman têm se incomodado com o fraco desempenho nas bilheterias e a viabilidade de vários projetos em vários estágios de desenvolvimento.

Dos primeiros filmes da Fox que a Disney recebeu para distribuir este ano, apenas um, “Superação: O Milagre da Fé”, lançado em abril nos Estados Unidos e no Brasil, foi lucrativo. O filme gospel arrecadou US$ 50 milhões em todo o mundo com um orçamento de US$ 14 milhões, e foi produzido pela DeVon Franklin – cujo acordo global de produção com a Fox se desfez na fusão.

Mas a maior decepção do estúdio, e culpada por parte do fracasso e do prejuízo da Fox, foi “X-Men: Fênix Negra”, filme que a Disney ignorou completamente à época do lançamento e não fez questão de se envolver no marketing. O resultado foi desastroso: o longa que custou US$ 200 milhões para ser feito só arrecadou US$ 65 milhões no mercado norte-americano (no mundo todo, a bilheteria foi de US$ 251 milhões).

Com isso, a estratégia de Iger é focar nas produções da Fox que têm maior potencial de bilheteria, seja por ser um nome ou franquia de sucesso, como no caso das sequências de “Avatar” e “Planeta dos Macacos”, ou porque possuem um elenco de estrelas, como “The Last Duel”, que marcará o reencontro de Affleck e Damon nas telas, com Ridley Scott na direção.

Com as ordens de Iger, o futuro de filmes como “Os Novos Mutantes” fica incerto. Apesar de ter sido anunciado o lançamento para 3 de abril de 2020, fontes da Variety afirmam que executivos da Disney “não estão impressionados” com o filme e acreditam que o potencial de bilheteria é limitado.

Também não se sabe qual será a visão que a Disney terá de “Deadpool”, título apropriado para maiores da Fox que, agora, faz parte do catálogo Marvel juntamente com “X-Men” e “Quarteto Fantástico”. Aparentemente, Iger, ao lado de Kevin Feige, o presidente do Marvel Studios, estaria analisando uma forma de criar uma transição entre filmes solo para maiores do personagem e projetos PG-13 do estúdio.

A única “luz no fim do túnel” para a Fox parece ser a Fox Searchlight, “queridinha” do mundo do cinema independente, e que está em processo de exibições teste de “Jojo Rabbit”, sátira de Adolf Hitler dirigida por Taika Waititi. Espera-se que o filme seja um grande candidato durante a temporada de premiações, mas o reporte da Variety indica que um dos executivos da Disney que assistiu a uma exibição teste ficou visivelmente desconfortável, gerando preocupação com a possibilidade de que o material alienasse os fãs da Disney. Dificilmente, no entanto, isso resulte em algum corte ou censura por parte do estúdio, visto que o filme já tem uma data de estreia, irá estrear no Fantastic Fest, premiação na qual Waititi será homenageado.

Jacqueline Elise
@jacquelinelise

Compartilhe

Saiba mais sobre


Notícias Relacionadas