Críticas   sábado, 20 de dezembro de 2014

O Abutre (2014): um retrato assustador do jornalismo noturno

Jake Gyllenhaal dá vida a um caçador de notícias inteligente e sem limites. O resultado é um filmaço que mostra facetas possíveis (e questionáveis) do jornalismo sensacionalista.

Uma das características mais interessantes de filmes que tratam de um assunto tão próximo da nossa realidade, é quando você para pra pensar: “Será que isso acontece na vida real?”. Não só isso, quando você se questiona: “E se isso acontece mesmo?”. “O Abutre” (Nightcrawler) tem esse poder por se tratar, basicamente, sobre o jornalismo sensacionalista que estamos tão acostumados. Sabe aqueles programas que mostram apenas acidentes, desgraças, incêndios, assassinatos, sequestros e etc? Pois é, o filme traz um retrato cru, real e sensacionalista (em todos os sentidos) de uma profissão que poucos veem trabalhando, mas que acabamos todos vendo o resultado desse trabalho, casualmente, na TV ou internet.

Na trama, ao presenciar um grave acidente de carro, em que a vítima ferida ficou presa nas ferragens, Louis (Jake Gyllenhaal) descobre que esse tipo de situação é um prato cheio para repórteres freelancers, que chegam com suas câmeras junto com a polícia e os bombeiros, às vezes até antes deles. O resultado daquela filmagem é vendido para telejornais do gênero “desgraça” por um excelente cachê, variado entre US$ 200 a US$ 10.000 por vídeo (dependendo do grau da situação e da exclusividade). Louis é um homem solitário, de quem não se sabe o passado e cujas relações humanas são inexistentes – a Internet é sua única fonte de informação – e que descobre ali uma espécie de vocação. Antes, sofre para descobrir do que precisa, já que veteranos como Joe Loder (Bill Paxton) não estão a fim de entregar o ouro a nenhum concorrente em potencial.

O mérito desse filme se deve, exclusivamente, a dois nomes: o diretor iniciante Dan Gilroy (e toda sua equipe técnica) e o ator Jake Gyllenhaal. Gilroy tem larga experiência como roteirista. Já escreveu os scripts de filmes como “Gigantes de Aço” e “O Legado Bourne”. Ele também é o roteirista de “O Abutre” e aqui ele demonstra uma larga experiência com o linguajar cinematográfico, sabendo exatamente o que mostrar para o público. Muitas vezes vemos uma ousadia vinda de sua parte, principalmente quando existem cenas em alta velocidade. Como o personagem Louis precisa chegar numa cena do crime antes de todo mundo, muitas vezes vemos cenas de carro extremamente velozes. Em um determinado momento, o diretor ousa e faz um plano inacreditável com uma câmera flutuante, onde o carro se move extremamente rápido e a câmera sai do para-brisa e se move para a traseira do carro, passeando pela lataria até se distanciar e mostrar a solidão de uma Los Angeles noturna (e tudo isso sem cortes). Mérito para o diretor, que é irmão do também cineasta Tony Gilroy (roteirista da franquia Bourne e desempenhando o papel de produtor aqui) e o montador John Gilroy (que assina a edição do filme). Até mesmo a excelente fotografia de Robert Elswit (parceiro costumeiro do diretor Paul Thomas Anderson) tem papel importante aqui, principalmente porque 95% do filme ele se passa a noite.

O diretor demonstra muita segurança em seus planos, criando tensão quando necessário e fazendo – absurdamente – você gostar do Louis, mesmo sabendo que muitas de suas ações são extremamente questionáveis. Aliás, na maioria das vezes, o personagem age como um grande vilão, mas ele usa de argumentos tão fortes para convencer outras pessoas que ele tem que fazer aquilo, que até você embarca nessa onda. Mérito do roteiro, mas, principalmente, de Jake Gyllenhaal. O ator se dedicou visivelmente na construção do personagem, já de cara o vemos com 15 quilos a menos e o rosto afinado em que destacam os olhos esbugalhados. Esse aspecto visual parece ser o retrato do desespero de um habitante dos becos de Los Angeles, onde procura, aflito, nervoso, algum meio de sobrevivência no desemprego. Ele mesmo, antes de entrar nessa onda dos jornalismo, sobrevivia por meio de pequenos furtos. Seu personagem é tão forte que lembra, em muitos aspectos, Robert De Niro em “Taxi Driver”.

Imagine uma situação: você chega num acidente antes de todo mundo, tem oportunidade de filmar o impacto desse desastre antes de todos, mas o ângulo não está bom. Você seria capaz de modificar uma cena do crime para conseguir a melhor imagem para o jornal? O grande questionamento do filme é esse: “Até onde você seria capaz de ir para conseguir atingir os seus objetivos?”. A personagem Nina Romina (Rene Russo), veterana editora de uma emissora de TV de segunda linha, faz extremamente bem esse papel de alguém que precisa de imagens mais sangrentas e impactantes para garantir audiência, consequentemente, o seu emprego. Daí você consegue imaginar a relação entre um rastreador de news nortuno e uma produtora sanguinolenta. A combinação é um resultado sem nenhum escrúpulo, onde o único objetivo é satisfazer um público voraz pelo sangue alheio. Afinal, desgraça atrai atenção. E você, leitor, sabe disso.

Resumindo, é uma excelente discussão; um filme que vai te deixar preso na poltrona; um personagem principal assustador, convicente, perturbado, sociopata e interpretado por um ator que vai estar presente em muitas premiação. Você sai do filme com um novo olhar sobre as matérias jornalísticas que vemos costumeiramente. Vale assistir. Um filmaço!

Jurandir Filho
@jurandirfilho

Compartilhe

O Abutre (2014)

Nightcrawler - Dan Gilroy

Enfrentando dificuldades para conseguir um emprego formal, o jovem Louis Bloom (Jake Gyllenhaal) decide entrar no agitado submundo do jornalismo criminal independente de Los Angeles. A fórmula é correr atrás de crimes e acidentes chocantes, registrar tudo e vender a história para veículos interessados.

Roteiro: Dan Gilroy

Elenco: Jake Gyllenhaal, Rene Russo, Riz Ahmed, Bill Paxton, Kevin Rahm, Michael Hyatt, Ann Cusack, Kathleen York, Carolyn Gilroy, Price Carson, Michael Papajohn, Kent Shocknek, Marco Rodríguez, James Huang, Sharon Tay, Rick Garcia, Bill Seward, Rick Chambers, Jonny Coyne, Kevin Dunigan

Compartilhe


  • jalisson

    O Abutre estreou em apenas 5 salas aqui em Belo Horizonte 🙁

    Vai ser difícil de assistir no cinema por causa dos horários.

  • Matheus

    Quero muito ver, a critica mundial esta amando este filme e principalmente a atuação de Jake Gyllenhaal, que a proposito, sera que este ano vem a tão sonhada estatueta do Oscar para Jake??

  • Mdmzacao SatanicoKomunistaSI9

    É tipo gone girl com um ator melhor ?
    Ou que pelo menos tenta
    Vou procurar ver

  • Diose

    Jake Gyllenhaal é daqueles que chegaram como galã, mas se destacam mesmo pelo talento. Na minha opinião um dos melhores atores da atualidade em Hollywood. Os Suspeitos ta ai pra provar isso.

  • Luciano Valério

    Muito bom o filme… Daquels tensos e que te prendem à história!
    Achei o Jake bem sombrio nesse filme, tanto pelo cabelo, quanto pelo rosto magro e também pela atuação excelente dele! Tem muita coisa chegando ainda, mas ele já é um bom candidato ao Oscar!

  • Diego Nascimento

    Olá
    galera! Meu canal está lançado uma série de PODCAST, onde nela iremos
    falar sobre diversos assuntos de tudo. Então se você curte o Nerdcast e
    outros, acho que vocês tb vão curtir muito o 8BitCast Deem uma olhadinha lá!!!
    https://www.youtube.com/watch?v=8drj1PVyIyY

  • Davi Araujo Serpa

    Apenas discordo com um ponto, eu não consegui “gostar” do Louis. A atuação do Jake Gyllenhaal foi perturbadora, assustadoramente ótima. Fazendo eu querer entender e ver até aonde ele iria .Senti uma mistura de sentimentos que só se sente quando o filme é bom.

  • Patricia Melo

    Acabei se assistir o filme, motivada justamente por essa crítica do Juras e assino embaixo. O filme é foda e o Jake arregaça. Muito bom, obrigada Jurandir!!

  • Aires Jone

    Puta filme

  • Rafael Pereira

    Algumas vezes durante esse filme eu pensava “Ei, esse cara poderia ser um bom Coringa”

  • Isaias

    Só tem uma palavra para definir este Filme. Alias duas palavras PODREEEEE, LIXOOOOOO .. Só perdi meu tempo assistindo esta merda

  • SOARES

    Na minha humilde opinião quanto a atuação de Jake Gyllenhaal, o mesmo deveria ganhar o Oscar de melhor ator por este filme. E Olha que assisti todos os filmes indicados ao Oscar. É como a crítica acima disse, nós torcemos e destorcermos, se vibramos ou odiamos a conduta de Louis. Para mim uma injustiça nem ter sido indicado como melhor ator, sacanagem. Repito não tinha que ser apenas indicado, mais ganhar o Oscar como melhor ator em O ABUTRE.

  • JuniorOnline

    Não curti muito esse filme