Críticas   domingo, 10 de agosto de 2014

O Samba (2014): a Vila não quer abafar ninguém, só quer mostrar que faz samba também

Documentário mostra a vida, o samba e a Vila de Martinho.

O SambaDuas palavras vêm à mente quando se pensa no Brasil, especialmente no exterior: samba e futebol. E quando se fala em samba, um de seus principais redutos no Rio de Janeiro é o bairro de Vila Isabel, berço de grandes nomes da música brasileira, como Noel Rosa e Moreira da Silva. Com isso em mente, o diretor francês Georges Gachot usou o desfile de Escolas de Samba do carnaval do Rio de 2013, com ênfase na escola Unidos de Vila Isabel, para contar um pouco da história de outro personagem-símbolo da região carioca: Martinho da Vila, um dos maiores expoentes do samba nos últimos quarenta anos.

O filme tem início com os ensaios da bateria da escola, para depois passar por todas as fases da construção do desfile: desenho e montagem das alegorias nos barracões, ensaios na quadra e o apoio da comunidade, além da relação entre os membros de agremiações de outros bairros e morros. Porém, com o desenrolar da narrativa, o diretor acrescenta outros elementos importantes, como a identificação que os moradores do bairro têm com o samba, especialmente com sua escola de coração.

A partir daí, entra em cena Martinho da Vila. Ele assume a posição de guia do público. À medida que conta suas estórias, o cantor dá uma verdadeira aula sobre o samba, desde sua origem (tanto da palavra quanto da música) até um exemplo prático da versatilidade do ritmo, ao tocar em um pandeiro três de suas variações.

Nesse contato com o artista, podemos perceber, além de seu talento e gigantesco carisma, sua simplicidade. A felicidade estampada em seu rosto ao explicar o seu imenso sucesso, nacional e internacional, é a mesma com que conta como conseguiu que pequenas mudas de pitomba (fruta originária do Nordeste do Brasil) se tornassem grandes árvores em seu sítio no interior do Rio e Janeiro.

Ainda que o foco principal seja o samba e a escola, tal premissa se mistura com o próprio Martinho, que carrega em seu nome artístico o nome de seu bairro (em certo momento um morador do bairro explica que, apesar de não ser nascido lá, Martinho foi “adotado” pela Vila). O momento em que ele explica como criou o samba-enredo campeão do carnaval de 1988 é um dos mais tocantes da fita.

Enquanto vai relatando outros momentos da carreira de Martinho, o filme costura tais relatos com imagens e outros personagens marcantes da música brasileira, como Mart’Nália (filha de Martinho), Leci Brandão e Ney Matogrosso, que participam de um arrebatador show em sua homenagem.

Dessa forma, “O Samba” é um documentário que mistura, de forma orgânica e sensível, coisas inseparáveis: Visa Isabel, Martinho da Vila e o samba. E nada melhor para ilustrar isso do que a moça que dança sozinha, ao amanhecer, depois do fim do desfile de Carnaval vencido pela sua escola.

Esse filme fez parte da programação da Mostra Imovision 25 anos.

David Arrais
@davidarrais

Compartilhe

Saiba mais sobre

O Samba (2014)

Oba Oba Samba House - Ao vivo no Rio -

Roteiro:

Elenco:

Compartilhe