Críticas   terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Star Wars: Os Últimos Jedi (2017): o equilíbrio da força

Com personagens e situações muito cativantes, o longa do diretor Rian Johnson é uma obra corajosa e bem humorada que aposta em na nova maneira de ver o mundo.

Muito se falou, na época do lançamento, que o filme “Star Wars: O Despertar da Força” de 2015, era uma obra apoiada em demasia na estrutura do primeiro longa da franquia, “Star Wars: Uma nova Esperança” de 1978. Se por um lado recebíamos um sopro de frescor com os novos personagens Finn e Rey, por outro as situações e confrontos pelos quais eles passavam eram um tanto previsíveis e acabaram desanimando aqueles que esperavam absoluta originalidade no novo episódio da célebre saga espacial, que voltava após um hiato de dez anos. Com o absoluto sucesso do longa, muitos se perguntavam se a fórmula seria seguida à risca em “Star Wars: Os Últimos Jedi”, o segundo longa desta nova trilogia, que poderia tornar-se uma espécie de repaginação do sombrio “O Império Contra-Ataca” de 1980. Felizmente, o novo longa quebra o próprio estigma e pode ser mimetizado com tranquilidade em apenas uma palavra: surpreendente.

A trama continua exatamente do ponto onde nos despedimos dos personagens no longa anterior. Rey (Daisy Ridley, de “Assassinato no Expresso do Oriente”) encontra Luke Skywalker (Mark Hamill) em uma ilha isolada e lhe implora para que ele a acompanhe e ajude a aliança rebelde na guerra. Ao mesmo tempo, a Nova Ordem – o equivalente ao império na nova trilogia – comandada pelo General Hux (Domhnall Gleeson, de “Mãe”), que por sua vez é controlado pelo Líder Supremo Snoke (Andy Serkis, por captura de atuação), descobre a localização da última base rebelde, coordenada pela General Organa (Carrie Fisher) e parte para destruí-la. Logo no começo, em uma das melhores cenas de batalha espacial de toda a franquia – que emula os intensos bombardeios da segunda guerra mundial – os pilotos rebeldes liderados pelo comandante Poe Dameron (Oscar Isaac, de “X-Men: Apocalipse”)  atacam uma enorme nave de batalha da Nova Ordem, porém logo em seguida precisam fugir e são perseguidos de perto pela esquadra inimiga. Para tentar desvencilhar a caravana espacial deste perigo, Finn (John Boyega, de “Detroit em Rebelião”)  e uma nova protagonista, a dedicada funcionária de manutenção Rose (Kelly Marie Tran, de “XOXO”), partem para um novo planeta em busca de um enigmático homem que pode ajudá-los a destruir o equipamento de rastreamento que a Ordem está utilizando para segui-los. Enquanto isso, Ben Solo (Adam Driver, de “Silêncio”), o impiedoso Kylo Ren, ainda se recupera dos ferimentos sofridos na batalha anterior com Rey e passa a sentir e interagir com uma presença inesperada em seu dia a dia.

Mesmo que seja clichê, é preciso dizer que é muito difícil falar de “Os Últimos Jedi” sem entregar um único spoiler da trama. Apesar de ser o filme mais longo da franquia, com duas horas e meia de projeção, o ótimo roteiro do também diretor do longa Rian Johnson (“Looper: Assassinos do Futuro”) faz questão de guardar aqui e ali, por toda a sua duração, surpresas e easter eggs que movimentam e direcionam a história para cursos absolutamente inesperados.

Como quase todo longa que possui um grande elenco de personagens, é na divisão de protagonismo que percebemos os parcos reveses da obra. Alguns personagens ganham mais foco e desenvolvimento neste capitulo, em detrimento de outros que acabaram sendo relegados à arcos sem muita relevância para o enredo principal. Inclusive, é neste mesmo segmento que está inserido o maior problema de ritmo e função no filme, algo quase sem propósito que envolve até uma dispensável corrida de cavalos alienígenas.

Daisy Ridley continua sendo uma verdadeira força da natureza. Seu carisma é tão excepcional, que já de antemão tornam clássicas as cenas em que divide a tela com Mark Hamill e Adam Driver. Hamill, por sua vez,  descarrega com fúria os quarenta anos de franquia que carregou nas costas e apresenta o melhor Luke Skywalker da história. Suas cenas vão de muito engraçadas para extremamente emocionantes em um piscar de sabres e assim o personagem ganha contornos ambivalentes e inquestionáveis nessa fabulosa abordagem. Já Driver, mostra porque foi contratado e expõe abertamente na tela, através de pequenos gestos e nuances, o conflito e a força dissonante de seu controverso personagem. A saudosa Carrie Fisher, que faleceu no fim do ano passado, recebe a maior homenagem que um filme poderia fazer por sua estrela, tornando o caminho da personagem Leia Organa no longa:  único, inspirador e extraordinário. Laura Dern e Benicio Del Toro estreiam bem na franquia e ambos vivem personagens ambíguos e misteriosos. E, por fim, o piloto Dameron, interpretado com paixão por Oscar Isaac, ganha protagonismo e é bem desenvolvido na trama, transformando o personagem totalmente heroico do longa anterior em um homem de carne e osso.

A trilha sonora, mais uma vez a cargo de John Willians, é mais uma prova de sua maestria. Utilizando temas novos – alguns que curiosamente lembram o tema de Neo em “Matrix” – misturados com as músicas antigas, são bastante superiores ao seu último trabalho na cinessérie.

Rian Johnson coloca na tela todos os motivos que o levaram a ser contratado para comandar criativamente uma nova trilogia depois do episódio 9. De uma beleza plástica incomparável – as cenas no planeta de sal são inacreditavelmente lindas e até poéticas – já que o vermelho se sobrepondo ao branco é uma bela metáfora visual para a sanguinolência da guerra -, muito bom humor, criatividade e apuro técnico invejável, o diretor acertou a mão em praticamente todos os elementos do longa. Ao apostar no verdadeiro equilíbrio da força, mostrando todas as facetas possíveis de personagens que até então poderiam ser categorizados apenas como bons ou maus, ele demonstra uma confiança e coragem pouco vista no “cinemão” pipoca americano. A fotografia ajuda muito nessa divisão entre luz e escuridão, apontando toda a dualidade visível no semblante dos personagens. Como bônus,  Johnson nos proporciona duas ou três cenas incríveis em câmera lenta, importantíssimas para o filme, que farão o cineasta Zack Snider (“Liga da Justiça”) sentir-se feliz e orgulhoso na poltrona do cinema!

Em “Star Wars: Os Últimos Jedi” perguntas importantes são respondidas, ao mesmo tempo que novas e interessantes questões são colocadas para o capitulo final da trilogia. Equilíbrio, humor, harmonia e um final pra lá de inspirador são as características que alçam o longa à um dos melhores de toda a franquia. E agora, que a força esteja com J.J. Abrams (“O Despertar da Força”) , que têm a responsabilidade empírica de continuar e finalizar essa incalculável história.

Rogério Montanare
@rmontanare

Compartilhe

Star Wars: Os Últimos Jedi (2017)

Star Wars: The Last Jedi - Rian Johnson

Após encontrar o mítico e recluso Luke Skywalker em uma ilha isolada, a jovem Rey busca entender o balanço da Força a partir dos ensinamentos do mestre jedi. Paralelamente, o Primeiro Império de Kylo Ren se reorganiza para enfrentar a Aliança Rebelde.

Roteiro: Rian Johnson

Elenco: Mark Hamill, Carrie Fisher, Adam Driver, Daisy Ridley, John Boyega, Oscar Isaac, Andy Serkis, Lupita Nyong'o, Domhnall Gleeson, Anthony Daniels, Gwendoline Christie, Kelly Marie Tran, Laura Dern, Benicio del Toro, Frank Oz, Joonas Suotamo, Peter Mayhew, Billie Lourd, Mike Quinn, Tim Rose

Compartilhe


  • PsicoHélder Soúlima

    Depois ler essa maravilhosa e ótima crítica, estou pensando em madrugar no cinema para ver esse filme ainda essa semana.

  • Betotruco

    Olha… Por compromisso só vou inverter a ordem mas já comprei pro sábado assistir dublado com minha filha de 11 anos e legendado no Imax Bourbon na próxima 2@!
    Já vi que é pouco assistir esse filme só uma vez! Como aliás, todos os outros…

  • Ricardo Rocha

    Que gosto de ler sua crítica. Parabéns!

  • kk outra porcaria clishê americanizada de uma franquia super chata que mts bobocas idolatram hauhauhauh e só pra avisar, a terra é plana.

    • paulo nascimento

      Com esse nome, e esse cérebro, vou encerrar aqui meu comentário.

    • A Mãe dos Lamentáveis

      E um feliz Natal pra você, meu alegrife.

  • Gu Couto

    Eu não lembro de ter saído de uma sessão tão empolgado! O filme é fantástico, mesmo as cenas que foram mencionadas como dispensáveis (e eu concordo) são maravilhosas. Simplesmente não queria que o filme acabasse e sem sombra de dúvidas irei em todos os fins de semana que estiver em cartaz kkk. Parabéns pela crítica.

  • Alexandre de Paula

    Excelente crítica, parabéns Rogério!

    Gostei demais do filme, achei muito surpreendente e expandiu muito o conceito da Força e abriu novos horizontes a serem explorados pela saga no cinema.
    O único ponto que realmente foi fraco foi a aventura do Finn e Rose. Achei “chatinho” e no fim das contas, não levou a nada.
    Sai do cinema com uma nota 9, e quero rever várias vezes, pois sei que o filme tem mais a se absorver.

    • Bruno Marques Monteiro

      Eu tive a mesma sensação durante o filme, o ritmo caía demais quando ia pro núcleo do Finn e da Rose, dava pra ser mais trabalhado.

    • Jhonathan Francioli

      Digo o mesmo, foi inútil aquele arco do Finn e da Rose, me corrijam se eu estiver errado, mas não lembro de ter agregado em nada a história principal…

      • Rodolfo Malheiros

        Sobre o arco de Finn: o filme constroi sua narrativa sobre os acertos e erros dos personagens, a todo tempo temos uma mistura de vitoria e derrotas. Isso fica claro logo no inicio, quando conseguem destruir um
        Encouraçado e todos festejam a vitoria e pra Leia foi uma derrota, por ter tido tantas mortes. No caso a conclusão da aventura de Finn foi o fracasso. Graças a esse erro o general Hux descobre que os rebeldes estavam indo ao planeta de sal. E por isso o filme não termina ali. A batalha continua freneticamnete. Além de fazer o filme prosseguir, as cenas de Finn e Rose nos mostram as consequências do domínio da Primeira Ordem, vemos a opressão sobre as criaturas e crianças, vemos o lucro e luxo que a guerra proporciona ali, vemos o ladrão explicando que as armas de ambos os lados da guerra tinha uma origem só. Temos ainda os dois personagens que sofreram desde a infancia em decorrencia das ações da Primeira Ordem, ganhando força e motivação para seguir na luta. E no fim do filme de forma belissima temos a aparição da criança, que tem sua esperança renovada na Resistência depois da visita deles.

    • Leandro Rocha

      A grande aventura do Finn e da Rose tem um propósito: abrir espaço pra nova trilogia (X, XI e XII?). Não que eu tenha gostado dessa inserção.

      • Bruno Francesco Soares

        Eu sinto um leve tempero de Rogue one neste arco, o realismo em como as coisas não saem como a gente espera, a falta de linearidade, eu achei um tesão! a única ressalva que faço para este arco, é que ele foi muito lento.

        OBS: serviu para implantar uma sementinha revolucionária nas crianças daquele local e apresentar este planeta dos grandes corruptos da galáxia (talvez possa ser útil no futuro da saga), além de apresentar o personagem ambíguo do Del Toro.

    • Bruno Francesco Soares

      Isso que achei engraçado, a gente espera que sempre uma investida e missão tem que “dar certo” e ele apresenta a frustração de não dar nada certo! É frustrante para nós enquanto espectadores, mas é a realidade, nem tudo da certo! hahahaha

  • Leandro Rocha

    O excesso de piadinhas no filme me deixou até irritado, e vejo poucas pessoas falando disso como algo ruim. Sei lá, já não basta esse tanto de filme pré-fabricado da Marvel todo ano, agora até Star Wars tem que se render ao enredo engraçacinho? SW possui personagens próprios pra alívio cômico, mas não foi isso que aconteceu no episódio VIII.

    Apesar disso e um ou outro detalhe que não citarei pra não dar spoilers, o resto do vídeo é muito bom.

    • Lucas Freire

      Concordo integralmente com você. Achei o filme excelente, mas me incomodei demais com o excesso de piadinhas, especialmente nas cenas do Luke.

    • Raffael

      Você assistiu a trilogia clássica é claro! Eu lembro de muitas piadas infantais e bobas nos filmes clássicos, piadas iguais ao SW que vi ontem, nunca reclamei das piadas dos clássicos e nem me incomoda desses novos filmes

      • Leandro Rocha

        Como eu falei, Star Wars possui personagens próprios pra alívio cômico. O Han Solo com suas tiradas, C3PO e R2D2 fazendo besteira por aí e piadinhas próprias de um robô que não entende as nuances humanas em alguns casos, o Yoda com sua personalidade meio piadista também.

        Mas aí que tá: nos outros filmes isso ia de acordo com a personalidade de cada personagem. No filme 8 isso não acontece, há piadas MÁ COLOCADAS mesmo, piadas que não serviam pra X contexto pois é feita por personagens que NÃO SÃO de fazer piadas assim, muito menos em momentos de seriedade como são alguns.

        Não reclamo das piadas do Finn, do Chewbacca com os passarinhos, do Yoda, por exemplo. Não posso ficar elaborando muito porque senão dou alguns spoiler e alguém que ainda não viu pode acabar lendo.

    • David Pinheiro

      Não assista a Uma nova Esperança, ou o Império contra ataca então; tem mais piadinhas que esse.
      E o ep. I então, parece trapalhões, agora piadas ruins mesmo foi no ataque dos Clones ep. II aquele sim irrita qualquer um.

      • Leandro Rocha

        Não tem não. Os da trilogia original tem personagens feitos para alívio cômico. C3PO, R2D2, a personalidade do Han Solo e do Lando, o jeito do Yoda e por aí vai. Há piadas sim, mas são todas dentro de um contexto específico por personagens que tem personalidade condizente com elas.

        Não é preciso nem pensar muito pra ver o tanto de piada fora de hora e feita por personagem que não é piadista no filme. Se for o Finn e o Poe fazendo piada, tudo bem pois faz parte da personalidade do personagem. Agora Luke fazendo piadinha em momento sério é de chorar.

  • Um bom filme de guerra espacial e um péssimo filme de Star Wars. Luke deu no saco… Que figura deprimente!

    • Victor Moraes

      cara, pra mim a melhor coisa do filme (e eu gostei de muitas coisas) foi o arco do Luke, e a forma como fecharam ele. Sensacional

    • Rodolfo Malheiros

      Sem dúvida o melhor Luke de todos os Star Wars

      • Rodrigo Cherigatto

        tB achei!a Rey tb ta bem melhor nesse longa,impecavel ela fara muitos filmes bons fora de Star wars!!escutem o que to te dizendo!

  • Mariana Freitas

    Eu adorei o filme! PODE CONTER SPOILERS A PARTIR DE AGORA: pronto, pra não falar que não avisei KKK Eu gostei do fato do Finn e da Rey não se verem praticamente o filme todo, mas uma menção um ao outro eles fizeram pelo menos, e quando eles se encontram no final, se abraçando, é muito lindo e legal, porque pelo menos não é forçado! Um beijo deles no segundo episódio dessa nova trilogia seria mesmo muito rápido e “””sem graça””” e quando você pensa que a Rey nem está pensando nele, ela vai lá e fala pro Chewie pra ele contar tal coisa (que a gente não fica sabendo o que é) pro Finn, e ela quer vê-lo, e saber como ele está! E ele também, o tempo todo preocupado! Quero saber aonde isso vai dar, porque eles têm algo, mas quero ver esse desenvolvimento! Não sei direito ainda o que pensar sobre a parte da história com a Rose e o Finn, ao mesmo tempo que fez sentido, ficou um pouco sem rumo, direção. Mas tirando isso, do meio do filme até o final, é mais do que sensacional! Desejo um bom filme para todos aqueles que virão! Vale MUITO a pena! E eu AMO Disney, mas bem que todos estão falando mesmo, e eu penso que concordo…parece que o filme ta com veia cômica em excesso, em qualquer parte há uma piadinha, acho que não é necessário toda hora algo para dar risada.

  • Rodrigo Inacio

    O primeiro ato é morno, o segundo é quente e o terceiro, ferve.

    • Rodrigo Cherigatto

      cONCORDO!

  • NapoliThanos

    O Rian Johnson descartou quase tudo do primeiro filme que prometia um grande desenvolvimento: Snoke, Cavaleiros de Ren, Finn, o mistério dos pais da rey, Capitã Phasma… acabou que as terorias dos fãs eram bem mais empolgantes do que realmente aconteceu. Esperava mais desse filme

    • Rogério Ferreira Segundo

      Tinha tudo pra ser mega empolgante…
      Frustação total, único jeito de salvar a franquia é Luke não ter morrido, Kylo se tornar um mega vilão foda, e Kylo ter mentido sobre os pais dela e eles serem parentes

      • David Pinheiro

        Por que raios a força tem de ser exclusividade da família Skywalker agora?

    • Gilnei Fraga

      Com certeza! Diretorzinho de merda, prepotente e arrogante, quis abraçar roteiro e direção só pra fazer essa merda. Podia ter dividido o roteiro com o Lawrence Kasdan que teria sido um Star Wars de respeito, no mínimo. Tantas teorias interessantes, para o filme ser medíocre. Perdi a vontade de acompanhar os novos filmes e dessa trilogia que estão entregando para ele produzir quero passar longe.

  • Pedro H. Rocha

    Eu achei o filme regular. Não achei que o Luke morreu em paz e com propósito. Achei muito bizarra a morte, morreu sem nenhum fundamento e propósito, pois estavam todos salvos.
    A mudança dos caminhos do personagem Finn foi estranha.

    • Roberto Jr. Gilnei

      Será que morreu memo? Eu acho que tu foi “dibrado” igual o Kylo. hehehe Aguarde os próximos filmes.

    • Sauro

      O cara que falou que o filme foi feito p frustar acertou:
      – Awe o Luke não morre cortado pelo sabre do Kyko
      – Mds era só um holograma UOW (herói triunfando)
      – Só q na vdd ele morre sim

      Cara se era p ele morrer, que fosse lá na batalha então DISNEY SEUS FDP

  • Lord Mike

    The Last Jedi é um filme feito para frustrar. Toda cena tem uma expectativa seguida de frustração.

    Examplos:

    1)
    Expectativa: Luke finalmente segura seu sabre de luz azul novamente. A
    grande cena de o Despertar da Força foi Rey oferecendo à ele o sabre de
    luz. Dois anos esperando para ver o que Luke iria fazer.

    Frustração: Luke joga o sabre de luz fora por cima dos ombros de uma forma que beira a comédia.

    2) Expectativa: Almirante Holdo era uma traidora?

    Frustração:
    Aparentemente não, ela apenas queria esconder o seu plano (de Salvar a
    Resistência) de todo mundo sem qualquer razão criando um conflito
    forçado a troco de nada

    3) Expectativa: Finalmente conhecemos o Snoke, o novo e mais poderoso vilão da galáxia. O que ele é?

    Frustração: Ele não é ninguém e é morto da forma mais ridícula possível, e isso acontece no meio do filme!!!

    4) Expectativa: Rey finalmente consegue a resposta de quem ela e seus pais são.

    Frustração:
    Ela não é ninguém. Seus pais cachaceiros a venderam para Unkar Plutt
    quando ela ainda era uma criança. Então eles morreram e foram enterrados
    em alguma cova rasa em Jakku.

    5) Expectativa: É construído ao
    longo do filme todo um clima para a batalha de Crait. Luke caminha pra
    cima dos algozes da Primeira Ordem. A música constrói todo o clima e
    todo mundo já se prepara para uma porradaria Jedi.

    Frustração:
    Luke estava usando uma projeção de si mesmo, nem lá o cara estava
    estava! Ele fazia aquilo para que a Resistência tivesse tempo de escapar
    e isso drenou toda a sua energia e o matou aparentemente.

    The
    Last Jedi é como se vc fosse fazer amor com a pessoa dos seus sonhos, e
    ao final de tudo ela te empurra e diz pra você ir embora sem razão
    aparente. E você ali parado sem entender pensando: “Como assim?”

    The
    Last Jedi tem uma Princesa Leia Superwoman voando no espaço… Atores
    consagrados como Benicio Del Toro fazendo pequenos papéis. Finn e a Japa
    em um romance totalmente sem sentido na história. Então começa a
    batalha de Crait e todos fogem. Assistir The Last Jedi foi uma
    experiência estranha para mim e muitos fãs de Star Wars.

    • Sauro

      Caramba, que bom que não fui só eu que vi a merda que foi esse filme.

    • Rodolfo Malheiros

      O filme constroe sua ação em cimas de momentos tensos que terminam em vitorias e derrotas. A idéia é fazer o espectador não saber o que vem pela frente, e deveria causar surpresa e curiosidade. Para mim funcionou muito bem. É um ponto que a crítica “especializada” tem elogiado muito. Normalmente nos filmes de aventura, ja sabemos cada momento de êxito e os momentos de sofrimento que no fim leva a vitória do protagonista. Aqui o diretor embaralha um pouco as coisas.
      A princesa Leia sempre sentiu a força, aqui vemos ela usando (ótimo)
      O personagem de Del Toro acrescenta muito ao filme em suas poucas falas (ótimo)
      Finn e a Japa em um romance sutil, onde o plano de fundo é o sofrimento proporcionado a eles pela Primeira Ordem, com uma excelente visao de “luta por uma causa” resumida na frase de Rose sobre vencer a guerra salvando quem amamos. (Ótimo)
      Batalha de Crait onde temos uma fotografia fantástica de guerra, com umas das melhores cenas de duelo que ja foi feita na historia do cinema. (Otimo)

    • Sauro

      Tem mais cara, eu vou lembrando e vai piorando:

      Os Jedis tem que acabar
      Em seguida: Mas se não quiser não precisa

      Jedis são muito mais do que levitar pedras
      Mais a frente: Só que no final Jedi foi só sabre de luz e levitar pedra, sim.

      Os livros não são importantes, pode queimar
      Mais a frente: Os livros tão na nave

      Só faltou fechar com a música de Star Trek essa merda

    • Gilnei Fraga

      Verdade! The Last Jedi em uma palavra só: FRUSTRANTE!

    • Luiz Victor

      Você achou frustrante o Luke estar só como projeção na luta contra o Kyle? Na seção que eu fui, todo mundo aplaudiu quando isso foi revelado.

      • Rafael MS

        kkkkkkkkkkk na boa eu ficaria com vergonha alheia se tivesse acontecido isso no cinema.

        • Luiz Victor

          Eu segui a onda e aplaudi também. Essa cena é foda demais, mereceu os aplausos.

          • Sauro

            eu também aplaudi, eu achei legal, só que daí, acontece isso e ele morre de esforço do msm jeito? Então do q adiantou?

            E se ele morre de esforço, me parece q a força é física e pertence a ele, na boa né…

          • Luiz Victor

            A minha interpretação é que ele escolheu morrer, da mesma forma que o Yoda e Obi-Wan. Ele seguiu adiante, se unindo à força, de forma pacífica.

          • Sauro

            Parece que foi isso mesmo, mas a Rey sem um mestre vai ser no mínimo estranho.

  • Patrick Francioni

    Cara não gostei dessa nova fase de Star Wars, nova ordem na mão de dois bostas , partes cômicas totalmente desnecessárias e SEM GRAÇA, contudo, Tb tem seus acertos como algumas poucas cenas que eles entregam , trilha sonora impecável, fotografia muito boa

  • Sauro

    Que filme ruim minha nossa, a última vez que um filme de Star Wars tinha sido tão descartável, foi no Episódio II, e mesmo assim, ao menos a música do John Williams “Across The Stars” realmente ficou muito boa, e pode ser ouvida até hoje, ao menos eu sentia que estava vendo Star Wars, decadente, mas Star Wars.

    Rogue One, foi muito mais filme, Despertar da Força mesmo sendo um remake, foi muito mais filme.
    Ninguém se empolgou com os trailers, e isso tinha um motivo, no fundo percebemos que ia ser ruim

    O que eles fizeram com o Finn? Ele deu um balão na história, o roteiro inteiro se move sem ele, cada personagem fazendo o seu, que filme horroroso

    Eu fiquei consternado com o fato do episódio 3, ser muito mais filme… Especialmente a sequência de início, era aquele Anakin bosta, mas eu tava engajado com a ação, nesse filme não dava p sentir isso, pq hahaha piadinhas….
    E o piloto que gostávamos tanto, foi TOTALMENTE diminuido, em favor de uma desconhecida, QUE JÁ MATARAM
    PUTA MERDAAA

    AAAA

    • Matheus Fay

      Achei que estava sozinho nessa! Agora ninguém pode expressar sua própria opinião sem ser silenciado. Parabéns, tamo junto!

    • Rodolfo Malheiros

      Sobre o arco de Finn: o filme constroi sua narrativa sobre os acertos e erros dos personagens, a todo tempo temos uma mistura de vitoria e derrotas. Isso fica claro logo no inicio, quando conseguem destruir um
      Encouraçado e todos festejam a vitoria e pra Leia foi uma derrota, por ter tido tantas mortes. No caso a conclusão da aventura de Finn foi o fracasso. Graças a esse erro o general Hux descobre que os rebeldes estavam indo ao planeta de sal. E por isso o filme não termina ali. A batalha continua freneticamnete. Além de fazer o filme prosseguir as cenas de Finn e Rose nos mostram as consequências do domínio da Primeira Ordem, vemos a opressão sobre as criaturas e crianças, vemos o lucro e luxo que a guerra proporciona ali, vemos o ladrão explicando que as armas de ambos os lados da guerra tinha uma origem só. Temos ainda os dois personagens que sofreram desde a infancia em decorrencia das ações da Primeira Ordem, ganhando força e motivação para seguir na luta. E no fim do filme de forma belissima temos a aparição da criança, que tem sua esperança renovada na Resistência depois da visita deles. Cada personagem tem sua na trajetoria que o filme constrói.

      Sobre a trajetória de Poe: no ep 7 temos a informação que ele é o melhor piloto da Resistencia e vemos ele em apensas dois momentos de ação. Agora nesse filme temos a demonstração que ele é realmente o melhor. Ele não só é apresentado como piloto, mas temos toda uma trajetoria dele se tornando o lider que a Resistência precisa. E as lideres viram isso nele, ambas tinham afeição por ele, mas queriam desenvolve-lo, porque não bastava ser o melhor piloto. Outro ponto interessante foi ver que dentro da Resistência tem conflitos, divergências (estilo Rogue One). A personalidade de Poe foi aprofundada nesse filme, assim como sua importância. Não é atoa que temos muito dele no filme.

    • Rafael MS

      ufa! pensava que eu era o único a pensar o mesmo. O que eu não entendo até agora são duas coisas:

      1) Pq que a galera está gostando desse filme bosta?
      2) De onde saiu finalmente o Snoke? eh o vilao mais bosta que eu vi num filme “serio” na minha vida e não tem a origem revelada.

      #RIPSW

      • Sauro

        A galera tá gostando pelo amor incondicional a Star Wars, basicamente é isso cara, eles também amaram as prequels quando saiu, hoje sentem vergonha desses filmes.

        Eu mesmo gostei demais do episódio VII, e depois fui abrindo a mente para o fato de que ok, o filme é ótimo de vdd, mas ele é uma cópia do EPI IV…

        Aqui vai acontecer o mesmo, daqui uns anos quando eles verem que perderam o Luke p nada, verem que vai fazer falta um mestre p Kylo, verem que a Léia vai morrer entre filmes, pq não tiveram coragem de matar agora, verem que o plot de depender do Luke já tava no EPI 7, verem que eh muito babaca um piloto de caça enfrentar um porta-aviões sozinho e ganhar tempo com piadinhas sem ficar nervoso, verem que o Poe virou um idiota, verem que o Chewie e a MIllenium Falcom não são Uber da Rey, ai eles não vão curtir mais.

        • Raul Luzetti

          Perderam o Luke pra nada? Sério mesmo? A mulecada estava esperando um Jedi derrubando uma Star Destroyer com a Força, não é mesmo? Aliás, o Yoda é um ícone graças as batalhas que ele travou no Episódio 5, né? Lembra daquela cena que ele move um planeta com a Força? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          Um verdadeiro Mestre Jedi não precisa explodir AT ATs, não precisa derrotar um exército inteiro, um verdadeiro MESTRE deve representar a Luz para a Galáxia. Rian, no desenvolvimento do Luke, utilizou a quebra do arquétipo “mestre”, o apresentando com um personagem em dúvida, assombrado pelos seus próprios erros para depois remontá-lo (causando a volta do arquétipo) e nos dando um Mestre Absoluto que conseguiu renascer “a fagulha de esperança na Galáxia”. E o que mais me espanta é a clareza da mensagem, totalmente explícita.

          Me dói dizer, mas a mulecada mesmo sem conhecer o efeito narrativo a lá Joseph Campbell imposto em Star Wars, estão o tratando como religião. Eu me tornei físico graças ao episódio 5, primeiro filme da saga que assista e que abriu HORIZONTES ABSOLUTOS em minha vida, expandindo tudo o que a criança da época conhecia. Porém, o que eu vejo hoje são críticas retrógradas como: “MEU PERSONAGEM” É UM SER PERFEITO, AUSENTE DE DÚVIDAS, NÃO PODE ERRAR… Tal qual como as religiões implicam em suas divindades. TRISTE

          • Raul Luzetti

            Só mais um adendo. Vamos lá: o Darth Sidious é vilão mais bem desenvolvido na trilogia original; a Falcon nunca foi a Uber dos Rebeldes (no episódio 4, o Obiwan contratou um taxi na verdade, não um Uber); a trilogia clássica mostrou todo o treinamento do Vader durante os eps 4, 5 e 6 (e foi árduo demais, em?). Agora falando sério, o público original soube identificar o que Star Wars queria apresentar desde o EP4, soube que não se trata de um filme de ficção científica, não se trata de um filme fisicamente (científico) totalmente válido, trata-se da criação do mononito, uma batalha clássica entre o bem e o mal. Todos os argumentos utilizados pela maioria das pessoas que estão criticando o EP8, foram apresentados durante a trilogia clássica (retirando do argumento a quebra do arquétipo). E sabe o por que de Star Wars ser Star Wars mesmo assim? Porque conseguiu criar um Universo absolutamente fantástico, personagens fantásticos e ainda colocou um Q de filosofia no meio (coisa que o EP8 também apresentou). 98% das críticas negativas, pra mim, se fossemos aceitá-las desde o início, Star Wars não seria Star Wars.

          • Edcarlos Marinho

            Raul, não sei se vc assistiu a série animada de Star Wars, da mesma forma que nas duas trilogias do cinema, só ouvimos falar de Darth Vader e do quanto ele era cruel, assim como o Darth Sidius, o Yoda também é tratado da mesma forma, contudo, só conseguimos ver o quanto eles eram realmente os FODÕES na série animada produzida, existe um episódio que o Yoda derrota praticamente sozinho uma orda de Clones, não lembro bem qual episódio e temporada, mas é em um planeta que está sendo atacado pelo clones e é de extrema importância estratégica a tomada desse corpo celeste para o império.

          • Raul Luzetti

            Se for citar o universo expandido o Luke já deu porrada em muita gente tbn. O Yoda se tornou o Yoda pelo ep5 carregando uma bengala, não precisou e nem sabíamos do Clone Wars.

          • Rafael Poggi

            “O poder de destruir um planeta é insignificante perto do poder da Força!”.

            Vader disse isso em 1977! De lá para cá esperamos realmente ver o que essa tal Força é capaz de fazer. Luke deu uma palhinha. Mas fugiu ao chamado. Acovardou. Ficou feio.

      • Raul Luzetti

        Você começou a gostar de Star Wars quando? Trilogia do meio? Por que se compararmos com a trilogia clássica, o Darth Sidious foi altamente desenvolvido também? Aliás, sabe o porquê o citado não teve desenvolvimento apropriado? Porque o Vader era a própria antítese do monomito, não necessitando de um vilão acima dele assim como vimos com o Kylo. Então, por favor, pare birra e comece a “xingar” com argumentos válidos, please.

        • Sauro

          Tu escreveu 3 respostas bem longas, e não tem como dialogar ponto a ponto desse jeito, e nem chegar a um entendimento.

          Você assumiu um monte de coisas sobre mim, e sobre todos que não gostaram do filme, calma, apenas lembrando que eu sou só um cara que não gostou desse filme especificamente, você tá muito exaltado com as críticas, em um momento de mais calma ficaria legal construir um diálogo, um abraço e boas festas, vou reler o que você falou p ver se entendo teu ponto.

        • BuffyDawn Summers

          Palpatine era uma presença malévola, aliás como Thanos no MCU. Quem é o Thanos do MCU? Ninguém realmente sabe. Vader derrotar Palpatine para salvar o filho da morte certa é o que dá consistência à sua presença ao longo de 3 episódios e sua morte teve mais impacto (em que pese as eternas modificações de GL).

          Não explicar Snoke é seguir o mesmo padrão usado para Palpatine, mas a Disney/Lucas estão nos dizendo que querem fazer “algo novo”. Tá bom.

          Snoke deveria ser a mesma presença malévola. E funcionou! Tanto é assim que todo mundo ficou perguntando.
          Tinha que morrer. Sim. Mas do jeito que foi, no melhor estilo Joss Whedon de piada? Ninguém pode me derro… oh waitt! Me cortaram ao meio.

          A única razão de matarem Snoke é para manter o mito de que o padawan mata o mestre e mais uma vez estabelecer que Kylo Von Richthofen é irrecuperável. Não funcionou porque a forma que ele morreu é literalmente uma piada. Em ROTJ, tanto Palpatine quanto Vader previram, e Vader agiu, para impedir o ataque de Luke a Palpatine. Snoke é esse ser poderoso, que botou o império de pé de novo, que morre porque não percebeu que o sabre se movia ou não sentiu pela força o que seu padawan faria até pq ele ligou a mente do padawan com ChataRey?

          Mas também isso é irrelevante porque ChataRey acha que tem algo de bom no mimizento e teremos um Retorno de Jedi 2.0 no Episódio IX ou um romancinho água com açúcar.

      • BuffyDawn Summers

        Eu quero saber como o Império se reconstruiu dessa forma tão poderosa depois de ROTJ, quando foi derrotado e a República reerguida no fim desse episódio. Você quer dizer que a Nova República não cassou o resto das células do império parai impedir que as mesmas se reorganizassem e se tornassem perigosas de novo? Esse é o grande buraco narrativo nessa trilogia.

    • dilds

      O EPISODIO III TEM VARIAS PIADINHAS ESTUPIDAS NO COMEÇO COM R2 D2, mas CONVENIENTEMENTE VOCÊ ESQUECE SÓ PRA PODER FALAR MAL DO QUE EH NOVO

      SO FALTA LAMBER AS BOLAS DO JAR JAR BINKS

      • Sauro

        Amigo teu caps lock tá aparecendo

        • dilds

          Sim, meu capslock ta aparecendo, ja a logica nas suas reclamações não.

          E nem argumentos pra rebater.

    • BuffyDawn Summers

      O filme é tão porcaria que não teve uma luta de sabre de luz decente, mas aí o diretor escritor queria “fazer algo diferente”. Fez.

  • Joshua Hellman

    Lixo de filme, como alguém pode conceber uma cena de Luke Skywalker ORDENHANDO um alienígena e bebendo o leite verde!

    • Sauro

      Num filme melhor, não daria nada, o Ep. VI tem aquele sapão cantando, e todo mundo finge que nem aconteceu, porque o filme é tão bom.

      • dilds

        kkk se O Retorno de Jedi fosse lançado hoje voces iam descascar esse filme.

        Palpatine jogando feito um saco de batatas no reator da Estrela da Morte mesmo podendo usar a força pra arremessar o Vader longe – ou prever os passos dele.

        Ewoks

        Leia vestida qnem uma tiazona hippie so pq ta na floresta com os ursinhos carinhosos

        Ewoks

        Boba Fett, o tao hypado personagem, morrendo e virando uma piada de arroto no poço de Sarlaak

        Ewoks derrotando o império com pedras e gravetos, parece um filme dos trapalhões

        A revelação da fraternidade entre Luke e Leia, posta como uma conversinha que você teria com um amigo numa mesa de bar. De maneira totalmente anti-climática e sem proposito.

        Um clímax construído sobre uma repetição do primeiro filme – Estrela da Morte II, aliança rebelde invadindo as trincheiras e explodindo seu núcleo, a unica coisa q muda eh que agora a batalha eh mais grandiosa pois tinham mais orçamento.

        “o filme e tao bom”

        KKKKKKKKKKKKKKKKKK

        • Sauro

          Ah realmente era como eu tinha pensado, p gostar muito desse filme, tem que ter odiado Star Wars original desde o princípio né

          • dilds

            Nossa amigo, você consegue rebater algo que eu digo com um argumento valido sem precisar sair pela tangente?

            Sao apenas fatos. Return of the Jedi eh o mais criticado da trilogia original. Muita gente releva, pq ne…crassico.

  • Sauro

    Poe Dameron era um herói, agora ele é um idiota…
    O que vocês esperam do próximo filme? Eu não espero nada…

    Se as pessoas podiam sair da nave condenada, como o Finn e a Mary (personagem para tentar cativar o público Chinês dessa vez), porque não saiu todo mundo logo?

    Que bacana que tinha aquela base rebelde logo ali né…

    Se o pulo para o hiperespaço é um objeto se movendo na velocidade da luz, sem criar um túnel… então não precisa mais de laser, de sabre de luz, de nada, jogando uma nave qualquer de ferro velho como a Millenium Falcon na estrela da morte, ou nos cruzadores, o efeito seria o mesmo, iam destruir a porra toda. Eu sei que a cena foi linda, mas foi besta.

    É o mesmo que dizer que um fusca, poderia destruir um porta-aviões, foda.
    Pessoas respirando no espaço…

    Não vemos o Luke Skywalker a décadas, e ele não aprendeu nada? Não teve família, no mínimo triste.

    E o que era aquele plano da Maz Kanata? Aliás o que ela estava fazendo? Quem estava filmando-a?

    Mark Hammil teve a melhor atuação, & o melhor personagem do filme, mas mataram… E todo mundo ficou… de boa? Não era para a morte do herói da saga, ser ao menos sentida como uma perda?

    • Reinaldo A. C. Rauch

      > Poe Dameron era um herói, agora ele é um idiota…

      Como assim cara? Ninguém acerta 100% das vezes, nem mesmo os Jedi. O filme só evidenciou isso.

      > Se as pessoas podiam sair da nave condenada, como o Finn e a Mary (personagem para tentar cativar o público Chinês dessa vez), porque não saiu todo mundo logo?

      Realmente, mas provavelmente no começo não tinha espaço suficiente pra todos, além de que até o momento do sacrifício da Almirante Hodo, eles ainda poderiam ser detectados se pulassem para FTL.

      > Se o pulo para o hiperespaço é um objeto se movendo na velocidade da luz, sem criar um túnel… então não precisa mais de laser, de sabre de luz, de nada, jogando uma nave qualquer de ferro velho como a Millenium Falcon na estrela da morte, ou nos cruzadores, o efeito seria o mesmo, iam destruir a porra toda. Eu sei que a cena foi linda, mas foi besta.

      Isso foi uma cena de SACRIFÍCIO, um dos MUITOS que a Resistência teve durante o filme. Era a única ação que a Hodo poderia tomar para ajudar o resto do pessoal que estava fugindo. E não tinha garantia nenhuma que funcionaria.

      > É o mesmo que dizer que um fusca, poderia destruir um porta-aviões, foda.

      Já ouviu o conceito de railgun?

      > Pessoas respirando no espaço…

      Quem tava respirando no espaço? Não vi ninguém. Só a Leia se salvou.

      > Não vemos o Luke Skywalker a décadas, e ele não aprendeu nada? Não teve família, no mínimo triste.

      Como fucking ele não aprendeu nada? Foi por ele ter aprendido alguma coisa que ele decidiu ficar na ilha pra morrer kct, isso ficou bem claro.

      > E o que era aquele plano da Maz Kanata? Aliás o que ela estava fazendo? Quem estava filmando-a?

      Qual o problema com isso? Como todos os hologramas são gravados? Ela disse que estava no meio de uma disputa de sindicatos. O plano era encontrar um slicer que conseguisse transpassar a segurança da nave do Snoke.

      > Mark Hammil teve a melhor atuação, & o melhor personagem do filme, mas mataram… E todo mundo ficou… de boa?

      O foco de star wars nunca foi só o Luke. Esse filme só transferiu mais ainda o foco para história sendo contada na galáxia: a história da força (em minha visão), de que maneira ela influencia e manipula os acontecimentos envolvendo os sensitivos da força.

      > Não era para a morte do herói da saga, ser ao menos sentida como uma perda?

      Mas não foi uma perda necessariamente. Todos os SW trazem essa mensagem de que as pessoas que amamos não desaparecem com sua morte. E o próprio Yoda voltou como espectro como o Obi Wan e ele mesmo voltou para o Luke no ep VI.

      Eu gostei do filme, tirando a qualidade técnica, pela renovada que esse filme traz para a franquia, em vez de ficar estendendo a história do luke (o que não é ruim, mas que pode ser abordada em outras mídias). Os filmes funcionam ao meu ver como uma flecha, que expandem o universo cronologicamente, e o EU o detalha ao contar histórias que não tem tempo de serem contadas somente nos filmes.

    • David Pinheiro

      Amigo, eu consigo destruir pior que a Estrela da morte destrói um planetoide, a “coerência” das trilogia inicial (ep. IV, V, VI) que você tanto ama, se eu olhar pra ela com 50% da má vontade que você foi assistir a esse filme.
      Achar furos de roteiro é muito simples até em filmes que são considerados referencias do Cinema mundial, que dirá em Blcokbuster como é caso dos filmes de Star Wars!

      • Sauro

        Sim é fácil achar furos, Star Wars tinha seus buracos, que ficaram lá parados por um grande punhado de filmes sem aumentar, agora esse filme sozinho fez vários novos, e se isso for aumentando com o tempo, qualquer coisa vai ser possível, o universo perdeu suas regras.

      • BuffyDawn Summers

        Last Jedi não tem roteiro. Aliás, essa trilogia está sendo feita a la DC. Vamos fazendo uns filmes aí e jogando no mercado para pegar o dinheiro dos fâs. Deu super certo né? Liga da Justiça agradece. Quero ver o povo dizendo que Solo é uma maravilha.

        • David Pinheiro

          Quem assistiu SW a partir do ep. IV (77), assistiu os ep.V (80), e VI (83), teve que esperar até 1999 (16 anos) pro episódio I pra saber que o Anakin não tinha pai, antes se especulava quem seria.
          E depois teve que esperar mais 3 anos pra saber de onde veio o Palpatine, ou seja as pessoas reclamam que o Snoke não teve história, que veio e foi sem explicação, mas o George Lucas demorou 25 anos pra explicar a origem do Darth Sidios (!).
          O Luke fugiu? Yoda também.
          Não me venha com essa de que ele tinha um plano, esperar um nenê crescer pra resolver o que eu não pude não é um plano. É sacanagem.
          E o que o Obi-Wan Kenobi fazia enquanto o Império varria a galáxia com a Estrela da Morte? Era a Babá do Luke? Porque ele não foi lá com um sabre na mão e peitou o Império todo sozinho igual vocês queriam que o Luke fizesse?

    • Filipe

      Acho que ainda veremos o Luke no próximo filme, aí sim, a perda será brutalmente sentida.
      Sobre a Maz, acredito que ela estava usando algum tipo de transmissor/comunicador.
      E a Kelly Marie Tran é vietnamita.

    • dilds

      O Poe nao eh um idiota. A missão dele simplesmente da errado. Acontece. Eh a vida.

      Você nunca fez nada na vida que de errado?

      Sabe o que fez os fãs odiarem tanto esse filme? Ver seus heróis falharem, ele quebrou a sua fantasia de que aqueles personagens são todos belos perfeitos e infalíveis.

      • Sauro

        Cara fã de Star Wars é um negócio estranho…

        Em todos os filmes os personagens falham, inclusive Star Wars… O Luke fez certo entrando naquela caverna do Yoda? Não, ele tirou a nave debaixo da água? Não, ele salvou os tios? Não…

        Cara não só eles erram, como esse erro já aconteceu, e é exatamente o mesmo erro do Obi-Wan meus anjo, esse filme não tem nada de diferente, as pessoas não gostaram da execução mesmo, o resto é igual a todo Star Wars.

        Quer ver um filme sobre erros? Vê Manchester A Beira Mar
        Aquilo é um filme sobre erros, não essa palhaçadinha aí

        • dilds

          Falou, falou, falou e n disse nada.

          Mais uma vez, o plano do Poe dar errado não torna ele um idiota.
          E nem a trama dele inútil.

      • BuffyDawn Summers

        Claro que Poe foi retratado como um idiota inocmpetente. Admiral BItch não contou pra ele o plano q tinha, q por sua vez não faz sentido. A Millenium Falcon tem piloto automático, vai dizer q não tem na nave lá que ela usou? Sem contar q se era pra matar alguém pilotando a bagaça, tinha que ser o Ackbar.

        A Admiral Bitch teve um ataque de desconfiança sem o menor cabimento, considerando que Poe destruiu sozinho uma nave no começo do filme e ainda deu o tiro para destruir a Estrela da Morte 3.0. Se você não consegue confiar nos seus comandados mais próximos, miga, desocupa o cargo!

  • Sauro

    O problema desse filme é que tudo foi diminuído, Poe Dameron, Snoke, Jedis, Siths, Luke, Finn, Rey, Hux, Kylo…

    STAR WARS NÃO É FILME PEQUENO,
    STAR WARS É GIGANTE,
    STAR WARS É ÉPICO

    A única personagem que não foi diminuída foi a Léia, que eu acho o mínimo depois da perda que tivemos.

    • Reinaldo A. C. Rauch

      WTF CARA, que filme que vc viu? pq não foi o The last Jedi

      • Sauro

        Fico feliz que tenha gente que gostou, afinal, sei lá.

        Mas o fato é que todos esses personagens falharam em suas intenções…
        Poe Dameron: Falha o plano dele
        Snoke: Falha o plano dele
        Luke: Falha no treinamento do Kylo
        Finn: Falha em resgatar a Rey
        Rey: Falha em regastar o Kylo
        Hux: Falha em tomar o exército, na verdade ele só falha
        Kylo: Falha em aliciar a Rey

        etc

        • João

          Mas o filme fala justamente disso, aprender com as falhas! Não prestou atenção no que o Yoda falou ?

          • Sauro

            Tá esse é o único assunto do filme inteiro? Não bastava desenvolver a culpa do Luke, todo mundo dos dois lados, tem que falhar o filme inteiro, p passar a mensagem? Pode ser que essa seja a mensagem, mas o cara tá gritando ela como um bebê chora p mamar.

        • André C.

          Mas o filme é sobre isso!

          Sobre como aprender com seus erros. Yoda fala isso para Luke, mas se reflete em todos os personagens.

          Todos falham durante o filme inteiro o que leva a quase extinção da Resistencia, para que no terceiro filme ela renasça mais forte.

          • Sauro

            A única falha que teve “aprender com seus erros” foi a do Luke, e foi uma falha que nem faz sentido ele cometer com tudo que ele deveria ter aprendido desde o EPI VI. E essa falha já foi explorada com o Obi-Wan nas outras trilogias por ter treinado o Anakin, e ninguém fala que as prequels são boas.

            E sinceramente, eu fui buscando ver Star Wars, e não ver um filme qualquer, e depois ter que interpretar ele como conselho de terapeuta p sair com um sorriso na cara. E assim eu não sou mente fechada, eu já vi vários filmes que frustraram minhas expectativas e eu gostei, tipo A Chegada, ou Distrito 9, ou Moonlight…

            A diferença é que esses filmes não tem 7 filme atrás, e não resolvem com uma mão só, reescrever tudo o que vários diretores e roteiristas fizeram, e mudar todo o juízo de valor sobre as coisas, para entrar na visão específica do que esse diretor acha.

          • BuffyDawn Summers

            Renasça de onde se praticamente não sobrou ninguém?

        • BuffyDawn Summers

          Mas o roteiro é falho. Ahahahahahahahahaha. Na verdade o filme quer diminuir tudo, matar todos, para iniciar a Disney Wars.

    • David Pinheiro

      Eu já achei o filme um pouco longo demais, podia ser mais enxuto. Mas gostei.

  • Leonardo Lourenço Tavares

    Achei o filme excelente, apenas retirando as piadinhas do começo do filme que me fizeram rezar pro filme não ser um filme da Marvel com sabre de luz. Felizmente elas diminuem e o que sobra é um filme que desenvolve e muito seus personagens e cria um antagonismo muito mais palpável entre Rey e Kylo pra uma conclusão no próximo filme

    • David Pinheiro

      Concordo, apesar que piadas sempre houveram desde os filmes de 80, Uma nova esperança Ep.IV o mais engraçadinhos de todos.

  • Calebe Sagaz do Spoilerzando

    Achei DE LONGE o Star Wars mais ousado de todos. Vemos uma constante tensão do início ao fim do filme, talvez por isso tenham comparado com Empire Strikes Back, mas fora isso não vi semelhança alguma com o Episódio V. Além disso, fui pensando que veria algo e fui pego totalmente de surpresa – e admito que amei isso. Os Últimos Jedi é um filme ousado que avança muito com os personagens, e também mostrou-se corajoso ao não ter piedade com os personagens. A evolução de Kylo Ren e Rey, diga-se de passagem, é uma das coisas mais lindas do filme. Mas o final do filme… o final é simplesmente emocionante. Para quem se interessar, fiz uma crítica (porém com spoilers) sobre tudo que gostei – e o que não gostei tanto – de Os Últimos Jedi: https://www.youtube.com/watch?v=EIAr-LvF4UM&t=1s

  • Sauro

    Esse vídeo é muito engraçado (tá em inglês, mas a legenda automática ajuda)
    https://www.youtube.com/watch?v=i0biqMZrxJ0

  • Gilnei Fraga

    Filme decepcionante! Tinham tudo pra fazer um filme excelente, mas esse Rian Johnson falhou miseravelmente. Falhou nas origens de Rey e Snoke, falhou no desenvolvimento de Kylo Ren, falhou com o roteiro, falhou em fazer um filme que pudesse ser chamado de Star Wars, É uma pena! Eu havia gostado bastante de O Despertar da Força, o JJ Abrams é muito mais diretor, tomara que ele consiga amenizar com o episódio 9, antes tivessem entregue toda a trilogia nas mãos dele, seria muito melhor.

    • roberto

      perfeita avaliação. O filme é uma porcaria

    • Rafael MS

      finalmente um comentário decente. Cara to decepcionado com o filme, fui assistir agora a tarde e voltei pra casa quase deprimido.

    • dilds

      Falhou nas origens da Rey? Eu amei a origem dela. Anakin Skywalker era filho de alguem f*da pra ser o escolhido da força?

      Seria uma b*sta incalculável se revelassem que ela era uma Kenobi, Skywalker ou etc

      Me desculpem, mas todas as teorias que vocês fãs imaginaram pra esse filme eram patéticas, risíveis e sem cabimento, felizmente o RJ ignorou todas elas.

  • Marcia

    O filme me encantou.
    Spoilers, spoilers…

    Quebra com muitas das expectativas dos fãs e das teorias criadas após o despertar da força, mas naquilo que é o coração de Star Wars (pelo menos, para mim), o sentimento de esperança, ele glorifica e enaltece como nenhum outro filme o fez. Não é perfeito em roteiro (até parece que algum star wars o é), mas é emocionante. Toma decisões corajosas, e nem estou falando da morte do Luke, que foi retratada com muita sensibilidade, licença poética e o respeito que um sábio mestre merece, falo mesmo das muitas expectativas criadas para serem abandonadas. O fato do filme tratar da questão do fracasso, de como as coisas nem sempre dão certo, só por que você quer, acredita e, literalmente, dá a sua vida por isso, é mais audaciosa na minha opinião. Especialmente por que as sociedades modernas tem essa praga de ideologia do sucesso como a grande medida de moral e validade das vidas humanas, ver um Star Wars contar que tá tudo bem você não realizar todos os seus sonhos ao longo da sua vida, a jornada vai valer mesmo assim, é extraordinário. Amei muito, e pesando agora, esse com certeza será o meu Stars Wars favorito de todos, mesmo com os muitos pontos falhos de roteiro, construção de personagens e tal.
    Ansiosa pelo próximo!

    • Danilo José D’Ambros Junior

      Linda sua interpretação dessa parte! Eu tenho minhas ressalvas quanto ao filme em determinados trechos da narrativa, mas isso que vc falou tem um significado muito legal mesmo! E acho que casa muito bem com a cena do Yoda e o quanto o diretor quer que o universo SW se expanda.

    • Marcos Cavalcanti

      Márcia, com certeza você nunca viu “O Império Contra-Ataca”. Praticamente você cometeu uma blasfêmia velada, no final do seu texto. Pra um bom entendedor, “esse com certeza será o meu Stars Wars favorito de todos, mesmo com os muitos pontos falhos de roteiro, construção de personagens e tal.” aqui você diminuiu o valor histórico da maior saga do Cinema.

      • Marcia

        Mas é isso que a saga é, Império contra-ataca não é uma obra de arte, é, no máximo, um pipocao mais inovador. Contudo, fiquei curiosa: prove que eu não vi. Voce pode? Ou essa é apenas a desculpa preguiçosa de quem não tem bom senso o suficiente para admitir que ninguém precisa concordar com você? Pergunta retórica, tá querido?

        • Marcos Cavalcanti

          Márcia… desculpe-me! Realmente pareci anti-democrático. Você não tem a obrigação de ser crítica de Cinema, mas tem o legítimo direito à opinião amadora sobre os filmes a que assiste. “O Império…” é, sim, uma obra-de-arte para os que realmente entendem de Cinema (com “C” maiúsculo) assim como também o são “O Poderoso Chefão 1 & 2”, “2001…” e outros que “nos” fazem dormir. Na verdade, mesmo respeitando a sua livre e legítima opinião, eu insisto na minha primeira resposta, ok? (E não, não a estou ofendendo nem desvalorizando). Ah!, um conselho: provavelmente os que sabem do significado “religioso” do “O Império…” poderão ligar os sabres e detonarem seus argumentos com toda a… FORÇA!

          • Marcia

            Você não pareceu, você é autoritário. Chamar a minha opinião de leiga, enquanto você só enumera, sem citar quem, o que disse, por quê você concorda, como prova irrefutável de melhores razões, é o típico argumento vazio. É bom por que falaram… Todavia, claro… a ignorância é dos outros, que não são críticos profissionais. Isso sim é indício de alguém que não entendeu bulhufas do que Star Wars trata. Deusas pagãs me livrem de ‘qualificar’ minha opinião nesses termos, cruzes.

          • Marcos Cavalcanti

            Sua opinião sobre “O Império” é um direito de uma simples espectadora, pois quem entende de Cinema jamais diminuiria o valor da obra. Se bobear, você vai chamar o primeiro Blade Runner de enfadonho. Mas você tem a obrigação de ser crítica? Pelo que entendi, referindo-se à pipoca, você vê filmes apenas por diversão.

          • Marcia

            Minha opinião sobre império é só uma desculpa que você arrumou para não refutar os outros argumentos sobre o filme VIII. Sua visão autoritária sobre opinião ‘leiga’ e da ‘crítica’ diz muito mais sobre a sua incapacidade de rebater argumentos que não concorda, do que sobre o meu gosto de cinema. Típico de troll machista.

          • Marcos Cavalcanti

            Machismo e feminismo são duas porcarias que segregam os sexos. Sobre o VIII: eu gostei de um filme ruim. Quanto ao episódio II… sim, você está errada em diminuir um dos melhores filmes já produzidos. Sinto muito!

      • dilds

        “Praticamente você cometeu uma blasfêmia velada”

        Meu deus como voce eh chato

        • Marcos Cavalcanti

          Meu Deus… Como você é chata!

      • BuffyDawn Summers

        “esse com certeza será o meu Stars Wars favorito de todos, mesmo com os muitos pontos falhos de roteiro, construção de personagens e tal.” Como alguém escreve que o filme´e uma porcaria, mas vai ser o melhor da sua vida?

    • BuffyDawn Summers

      Ackbar: Morto
      Lea: Morta off screen (Carrie faleceu) e ainda Mary Poppins
      Luke: Morto (morte estúpida imperdoável. Tinha que morrer, mas depois de uma luta com sabre de luz)
      Holdo: morreu (mas tb só existiu pra isso. Era melhor dar essa morte heróica para o Ackbar, mas não deixiaram ele vivo para que ele não avisasse a gente que “It’s a crap”)
      Yoda: um morto pirotécnico. Pelo menos, não precisa mais ter luta de sabre. Basta baixar o Thor 3 (outra bosta) e matar o inimigo com um raio
      Rebelião: morta
      Rose: viva (vontade de socar a cara da infeliz com aquela fala ridícula antes de assediar sexualmente o Finn copm um beijo não solicitado kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk)
      Personagens transformados em idiotas. Uma batalha final ridícula para um fim ridículo. Porque a Admiral Gender Studies não usou o plano dela logo de uma vez. Não teríamos aguentado 2h30min de um roteiro sem noção. Como assim que não dá pra alcançar a aeronave da rebelião? Ninguém pensou em entrar no hiperespaço e sair mas na frente para destrui-la de uma vez. Como a pessoa pode ver esperança nesse filme?
      Fracasso é o roteiro mal escrito do tal Rian Johnson.

      • Marcia

        Discordo completamente! Para mim, a sobrevivência da Leia (morte só para os senhoresmachistas de masculinidade mais frágil do que calcinha de renda chinesa) é poética. Que bom que lembra Mary Poppins, a esperança é conhecida por ser um dos primeiros sentimentos que as crianças expressam, e aquela cena é brega e maravilhosa, como devia ser. E Star Wars nunca teve vergonha de fazer histórias infantis, e nem precisa. A morte do Luke foi fabulosa! Respeitosa, condizente com a jornada errante dele, e aquela projeção na batalha para salvar a resistência foi ótima. É típico do pensamento machista achar que a força só se prova na vontade de derrotar incondicionalmente o adversário, coisa que o Luke se recusou a fazer no final da primeira trilogia exatamente para salvar o pai (o maior assassino que a Galáxia conheceu). Esse Luke é o meu, eu cresci com esse herói que tinha que resolver esse conflito: preciso lutar com violência para resistir, preciso encontrar paz e sabedoria para redimir. E isso o roteiro providenciou com as mais belas cenas que já vi em Star Wars, a mim satisfaz completamente. Esse filme é para nova geração, e pode espernear o quanto quiser, as mulheres não vão mais se importar com o tradicional mimimi de machista inseguro: ai como o mundo tá cruel, minha ‘irmã’ gosta das mesmas coisas que eu, será que meu pau vai cair por isso? Se cair, você já sabe onde enfia, de nada, esse conselho foi grátis. A Holdo não explicou o plano por que ela estava no comando e não deve explicação para ninguém, muito menos para oficial rebaixado por que ainda não aprendeu a liderar. Aliás, nunca se discutiu a linha de comando em Star Wars antes, mas basta uma mulher estar lá, fazendo algo importante, que logo ‘se torna um problema’, para mim, certamente não é. Filmão, vou ter orgulho de mostrar para sobrinhas, sem sombras de dúvidas.

  • Marçal Martins

    Após assistir Starwars 8 por 2 vezes, resumo o filme a uma palavra:
    E S P E T A C U L A R !!!!!

    Antes de escrever este texto, visitei vários sites e observei as críticas feitas ao filme, tanto pelos especialistas, como pelos internautas em geral e, na minha opinião, percebo que as mesmas se baseiam mais em frustrações de expectativas particulares do que erros reais que o filme possua.
    O episódio 7( O Despertar da Força), injustamente criticado, fez algo de uma ousadia absurda, que passou despercebida pela maioria das pessoas e que causou um impacto relevante no episódio 8: A República foi destruída.
    Não é simplesmente o desaparecimento de 3 ou 4 planetas, mas sim a aniquilação de todo o suporte humano e tecnológico que a Resistência possuía, inclusive quanto às questões de relações exteriores com outros sistemas. É muita coisa para quem já sofria para fazer frente à 1ª Ordem.
    Neste episódio 8, a Rebelião tem pouquíssimas naves( situação que será agravada por um erro de estratégia e um ataque da 1ª Ordem), além de algo em torno de 400 pessoas( incluindo pilotos e equipe operacional).
    Em resumo, o filme sempre passa a mensagem de urgência, pois a Resistência está sendo implacavelmente perseguida pela 1ª Ordem e não pode mais se dar ao luxo de contar com os outros sistemas( como fica claro no final do filme), tampouco com os X-Wings, que foram aniquilados.
    Quanto aos personagens:
    Snoke: onde estava escrito que o Snoke era “essa coca-cola toda” e que ele precisava, necessariamente, ter uma explicação de suas origens? Como dito acima, isso era o que algumas pessoas gostariam que acontecesse, mas que em nada prejudica o enredo do filme.
    Kylo Ren e Rey: Simplesmente, eles levam o conceito da Força para um outro nível( como também é explicado pelo Luke), ou seja, ninguém é totalmente bom ou mau. O segredo é o equilíbrio ou, como se diz no filme, the balance. Além disso, os dois consolidam suas posições dentro da saga, no final do filme.
    Finn: As críticas a ele são tão hilárias quanto a própria essência do personagem. Ele é e sempre será um dos alívios cômicos do filme, mesmo quando se empenha em ajudar os rebeldes em suas missões, ou seja, ele é o que deve ser e não aquilo que alguns desejam.
    Luke: Entre outras coisas, faz uma das revelações mais importantes sobre a Força: Ela não é propriedade de ninguém, nem dos Jedi, nem dos Sith, ou seja, ela está à disposição daqueles que forem sensíveis a ela. Isso explica o fracasso anterior dos Jedi, inclusive o dele, pois foram dominados pela soberba, prepotência, orgulho e vaidade, no tocante à suposta propriedade sobre a Força.
    Quanto à luta final: nunca, nenhum outro Jedi, nem mesmo o Mestre Yoda, realizou o feito épico de Luke. Essa é uma das cenas mais icônicas da história de todo o cinema, inclusive pelo cenário, onde o solo tingido de vermelho simboliza todo o sangue derramado em anos e anos de guerras.
    Rose: Muitos meteram o pau na personagem, esquecendo-se que ela abriu nossos olhos para uma triste realidade de nossos dias: a vida nababesca que alguns poucos desfrutam depende da destruição de países e escravização/exploração de pessoas( inclusive crianças) e animais. De outra parte, foi protagonista de uma das cenas mais lindas da saga Starwars onde, com um gesto e poucas palavras, expressou o que significa, de fato, amar alguém, ao contrário daquele romancezinho patético da Padmé com o Anakin.
    Poe Dameron: piloto fantástico e estrategista desastroso.

    Em resumo, vá assistir o filme, mas deixe de lado duas coisas:
    a) teorias nerds: não prestam para nada, a não ser para render “likes” para seus autores.
    b) expectativa que o filme seja como você quer: tenha em mente que, se dependesse de nós, o filme teria “trocentos” enredos diferentes, pois cada um tem suas preferências e gostos pessoais, ou seja, nunca teríamos um filme. O importante é que a obra seja fiel à saga e isso o filme faz com excelência.
    Não se esqueça que Starwars é, antes de tudo, fantasia.
    Permita-se voltar a ser criança e apenas curtir o filme.

  • Juliano

    É Primeira Ordem, não Nova Ordem.

  • Washi Castro

    “A trilha sonora, mais uma vez a cargo de John Willians, é mais uma prova de sua maestria. “.
    Não tem um único tema marcante nesse filme.

    • Nilsen Miotto

      teve música nesse filme?

    • gandralf

      Para dizer a verdade, a trilha me incomodou. Sabe aqueles clickbaits que dizem o que você vai sentir ao clicar num link?
      Pois é. Ao invés de criar um clima, senti que a música dizia o que eu devo sentir neste momento. A diferença é sutil. A primeira te leva, a segunda grita. E senti exatamente a mesma coisa no VII também.

  • Sauro

    E aquele filme que o Sith de preto convida para governar a galáxia a mocinha inocente, que veste branco, que vinha aparecendo na mente dele em forma de premonições, e quando ela se nega ele tem uma atitude violenta sobre ela q é interrompida de forma abrupta, e ela vai embora numa nave?

    Isso mesmo, Star Wars EPI. 3
    “NOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO”

    • BuffyDawn Summers

      Uma sessão de Skype que o Snoke assumiu como dele, mas que permaneceu mesmo depois que ele morreu. Não posso.

  • Fernando Rebouças

    Poh eu achei o filme legalzinho mas 9,5?????? Celoko acho que vi outro filme!

  • Renan

    Filme simplesmente decepcionante. Funciona bem como entretenimento. Tem ação e uma bela produção. E só. Está cheio de personagens inúteis, reviravoltas infantis, e zoeira prejudicial. Seria um filme OK se não fosse star Wars. Mas sendo, considerando o passado da franquia, posso dizer que o filme é uma merda.

  • Marcos Cavalcanti

    Uau! Será que essa nota de 9,5 será uma mancha no currículo do crítico? Nota 8, pois aquele filme que faz com que não durmamos em tão longa projeção merece uma nota assim. A história do longa é sobre o que, mesmo?

  • Marcos Cavalcanti

    A criatura mais poderosa de toda a galáxia morreu “de um tapa” imprevisível para quem previa tudo, na mente de Kylo!

    • Edcarlos Marinho

      Rapaz, pensei que só eu que tinha achado isso, na verdade, para a grandiosidade do mundo Star Wars, eu achei o filme bem mediano, nunca que eu daria 9.5 a esse filme. Muito enchimento de linguiça, muita cena desnecessárias, sem contar que as cenas que envolvem FINN e a Rose são muito ruins, com exceção da cena que FINN está para se chocar com o canhão, acho que nesse ponto, se perdeu uma oportunidade única de tornar a cena memorável, mas enfim. Não se pode esquecer da cena ridícula da princesa Leia vagando no espaço e sobrevivendo de maneira ilógica sem proteção alguma ao espaço…kkkkkkkkkkk…ao meu ver a maior cagada do filme é essa, ao lado da morte de Snoke.

  • Alan Bitencourt

    Ano que vem eu vou assisti esse filme.

  • gandralf
  • Erik Wilhamis Jr.

    9,5???NOVE E MEIO??? HAHAHAHAH

    Os motivos que fazem de ‘Star Wars – Os Últimos Jedis’ uma bosta completa (COM SPOILERS):

    – Em “O Retorno de Jedi”, Luke Skywalker vence o medo, vai enfrentar SOZINHO Darth Vader e Palpatine, se recusa a matar o próprio pai por acreditar na REDENÇÃO dele, se torna um Jedi completo por isso e seu sacrifício ajuda Vader a voltar pro lado da luz. Sim, Luke acreditou na redenção de Vader, o VILÃO do filme, que até então já tinha cortado sua mão, torturado sua irmã, explodido um planeta e matado crianças na academia Jedi. Esse mesmo Luke em ‘Os Últimos Jedis’, se aterroriza e pensa em matar seu próprio sobrinho, dormindo indefeso e desarmado, PELAS COSTAS. Sim, seu sobrinho, que até então não tinha feito nada, filho de Leia e Han, que ele viu crescer e por isso tinha mais ligação do que com seu pai. SÉRIO ISSO?

    – Sem contar ter transformado o Luke num mentiroso, já que o mesmo em determinado momento diz pra Rey: “só vi essa escuridão antes em Ben Solo, não me assustou antes, agora assusta.” – O QUÊ? VC LIGOU O SABRE DE LUZ E PENSOU EM MATAR O BEN PELAS COSTAS, CARA!

    – Poe Dameron, um dos melhores personagens do filme anterior, nesse se rebela, gera motim, faz um plano de merda que quase oblitera a resistência, leva os outros pra morte certa e…NÃO HÁ NENHUMA CONSEQUÊNCIA PRA ELE. No máximo um puxão de orelhas da Leia;

    – Nós vemos o General Akbar, lendário na saga Star Wars, morrer de forma tosca. Pra em seguida nos apresentarem uma porra de uma mulher de cabelo roxo, que absolutamente NINGUÉM se importa, pra ela sim morrer de forma épica;

    – Toda a trama do Finn e da japinha é a coisa mais dispensável de todo o filme. Desperdiçaram o personagem mais carismático do filme anterior só pra mostrar uma ‘lacração’ naquele planeta cassino. Sem contar o paradoxo que é o diretor querer fazer uma crítica ao capitalismo num filme que custou milhões de dólares e pretende lucrar bilhões. Tudo nesse planeta é inútil, desde uma corrida sem sentido de cavalos com cara de gente, até todo o discurso piegas da insuportável japinha, que nem lembro o nome da personagem. Star Wars sempre fez críticas sociais, mas nunca de forma panfletária e jogada na cara sem nenhuma sutileza. Passou muito do ponto;

    – Não bastasse a general de cabelo roxo e a japinha piegas, também vemos tempo desperdiçado pra apresentar mais um personagem inútil, o pior deles. O personagem do Benicio del Toro é a coisa mais ridícula de Star Wars desde Jar Jar Binks;

    Não para por aí. Rian Johnson, o idealizador desse lixo que nem deveria se chamar Star Wars, também conseguiu a proeza de estragar o ótimo ‘Despertar da força’, o filme anterior:

    – Somos apresentados aos Cavaleiros de Ren em ‘Despertar’ – Nem são mencionados em ‘Últimos Jedis’;

    – Snoke era o grande vilão que tinha levado Ben pro lado negro e era uma grande ameaça em ‘Despertar’ – Snoke morre e vemos que Ben Solo só virou Kylo Ren por conta de um mal entendido com Luke em ‘Últimos Jedis’;

    – Os pais de Rey tem algum propósito e tomam bastante tempo de tela com a personagem querendo saber mais deles em ‘Despertar’ – Esquece, são nada e que se dane em ‘Últimos Jedis’;

    – Luke se exilou mas deixou um mapa pra ser encontrado caso desse merda em “Despertar da Força’ – Esquece isso, em ‘Últimos Jedis’ o Luke nem quer ser encontrado, tá pouco se lixando pra tudo e faz algo impensável pro personagem: Recusar um chamado;

    – A cena mais bonita de ‘Despertar da Força’ é Rey chegando na ilha e apontando o sabre para o Luke no final – Esquece isso, Luke pega o sabre e joga fora, pq o maior herói da história do cinema tá cagando pra tudo em “Últimos Jedis”.

    Como todo fã da saga, saí eufórico do cinema. Percebi os problemas; mas não liguei, afinal, é Star Wars e eu sobrevivi à trilogia de ‘Ameaça Fantasma’. Mas não deu, cada vez que penso melhor sobre o filme, ele piora.

    Rian Johnson tinha que ser linchado em Praça pública.

    • dilds

      “Os motivos que fazem de ‘Star Wars – Os Últimos Jedis’ uma bosta completa ”

      Fonte: você

      • Erik Wilhamis Jr.

        valeu capitão óbvio.

      • Erik Wilhamis Jr.

        esse espaço é justamente para opiniões pessoais, não? Capitão Óbvio.

    • Marlon Bachmann

      Sim!!!!! O arco da mulher de cabelo roxo encaixaria perfeitamente para o Ackbar! Que a força o tenha. 🙁

  • dilds

    A melhor coisa que o Rian Jhonson poderia ter feito era cagar pras teorias imbecis que os fãs criaram a respeito da origem da Rey, e matar aquele lixo de vilão estupido de CGI e wannabe de Palpatine que o J.J Abrahams criou.

    Anakin era filho de ninguém e mesmo assim nasceu overpower com a força. E ai, disso ninguém reclama?

    Entendo as criticas ao Luke, porem. Mas não acho uma ma construção de personagem mostrarem que mesmo depois de virar lenda na galaxia, ele vacila. Ele não eh Jesus Cristo, mas os fãs acham que eh.

    E basicamente botaram todos os heróis da Resistência numa missão que deu COMPLETAMENTE ERRADO. E isso eh bem interessante. Quantas vezes na nossa vida não investimos tempo e dedicação em algo que falha?

    Voces queriam outro filme do Star Wars onde o plano dos mocinhos da certo.

    Voces não estavam preparados pra verem seus heróis falharem. E isso não torna o filme ruim, só mostra que vocês queriam mais uma historia bobinha e previsível de bem x mal (o que eh engraçado, pq segundo alguns de vocês, o filme eh infantiloide).

    Infelizmente, graças as fazoquinhas chatas esperneando, o J.J Abrahams vai voltar pra um terceiro episodio tentando amenizar tudo, fazendo exatamente o que os fás esperam, então já podemos esperar um capitulo conclusivo tao MEDÍOCRE e FALHO quanto O Retorno de Jedi ( de longe o filme mais fraco da trilogia original, superestimado pelos fas apenas por ser “clássico” , com sequencias que genuinamente remetem aos Trapalhões).

    Defeitos e furos de roteiro realmente relevantes – como a Resistência tinha tao facilmente um mapa da nave do Snoke?- ninguém liga.

    Apenas reclamações vagas de fãs que dizem que “isso não eh Star Wars” mas no fundo no fundo nem eles mesmos parecem saber o que eh Star Wars.

    • Rafael Poggi

      “Anakin era filho de ninguém e mesmo assim nasceu overpower com a força. E ai, disso ninguém reclama?”

      TODO MUNDO RECLAMA DISSO! HAHAHAHAH

    • Rafael Poggi

      “Voces não estavam preparados pra verem seus heróis falharem. ”

      Não, cara, o problema não é falhar, e sim falhar de maneira tão grotesca quando as soluções simples estavam na cara. O próprio plano do Poe com o Finn é risível de nervoso de tão ruim que é, porque além de não ter dado certo, culminou com a dizimação de 99% da resistência – isso quando a comandante Hodor poderia simplesmente ter contado para ele o plano – e, pior ainda, tornou o filme mais longo do que deveria.

    • Rafael Poggi

      “O Retorno de Jedi ( de longe o filme mais fraco da trilogia original, superestimado pelos fas apenas por ser “clássico” , com sequencias que genuinamente remetem aos Trapalhões).”

      Onde você leu isso, cara? Tá supondo demais! O RETORNO DE JEDI é o filme menos querido da trilogia clássica pelo fãs, justamente pelos motivos que você citou.

    • Rafael Poggi

      “Defeitos e furos de roteiro realmente relevantes – como a Resistência tinha tao facilmente um mapa da nave do Snoke?- ninguém liga.”

      MAS JUSTAMENTE AS FALHAS NO ROTEIRO SÃO O QUE TODO MUNDO ESTÁ RECLAMANDO! Você comeu cocô cara?!?!

      • dilds

        Hahaha justamente das falhas que estao reclamando? Nao amigo, olha bem as reclamaçoes.

        Luke ter jogado o sabre pra tras e bebido leite verde nao eh falha de roteiro. Sao expectativas contrariadas.

        O plano do Poe / Finn / Rose ter dado errado nao foi falha de roteiro, e sim expectativas contrariadas. E por ai vai.

        Mas as pessoas dizem que eh. Regra 1 de críticos de internet: não gostei então eh furo de roteiro. Mimimi.

        • BuffyDawn Summers

          Expectativa do que se ninguém sabia do mesmo no roteiro? O tal plano não tem razão de existir que não pra ter uma luta do Finn com a Phasma (que desperdício de personagem) e fazer exposição de causas da PETA/anti-capitalismo. Não produz nada, não leva a nada.

    • BuffyDawn Summers

      Pq Anakin já nasceu pronto né? Porque Anakin não treinou anos enq a Rey, 2 duas horas depois, já tá fazendo controle de mente, lutando com sabre e derrotando o altamente treinado Kylo né?
      Sobre Luke: o cara levou 7-8 anos para ser Mestre Jedi, defendeu q o pai genocida ainda tinha salvação até o fim, mas decidiu matar o sobrinho pq ele vislumbrou o lado negro da força? Tá bom.
      Os heróis não falharam. Falhar foi Luke lutar com Vader e perder a mão pq não estava preparado. Os heróis foram reduzidos a idiotas, tanto homens como mulheres, mas os homens viraram capachos das mulheres. Se tirar o Finn e a chata da Rose da história, ele não faz falta nenhuma.
      O filme mata todo mundo, ensinua q Kylo tem salvação (really? aquele assassino de pai tem salvação?), insinua uma porcaria de romance com a chatinha da Rey.
      E a rebelião está destruída. JJ Abrahams vai fazer episódio IX em cima do quê?
      Mas, explica aí como foi que o Império 2.0 se agigantou sem que a Nova República percebesse, a ponto de fazer a Estrela da Morte 3.0 e ter super destroyers?
      Esse filme tem visual e efeitos especiais, mas não tem história nenhuma.

  • Vamos às ruas não ao golpe

    ESTE ULTIMO FOI LIXO LIXO
    ME SENTI UM IDIOTA EM CERTO MOMENTO NA CADEIRA DO CINEMA

  • David Pinheiro

    Quem assistiu SW a partir do ep. IV (77), assistiu os ep.V (80), e VI (83), teve que esperar até 1999 (16 anos) pro episódio I pra saber que o Anakin não tinha pai, antes se especulava quem seria.
    E depois teve que esperar mais 3 anos pra saber de onde veio o Palpatine, ou seja as pessoas reclamam que o Snoke não teve história, que veio e foi sem explicação, mas o George Lucas demorou 25 anos pra explicar a origem do Darth Sidios (!).
    O Luke fugiu? Yoda também.
    Não me venha com essa de que ele tinha um plano, esperar um nenê crescer pra resolver o que eu não pude não é um plano. É sacanagem.
    E o que o Obi-Wan Kenobi fazia enquanto o Império varria a galáxia com a Estrela da Morte? Era a Babá do Luke? Porque ele não foi lá com um sabre na mão e peitou o Império todo sozinho igual vocês queriam que o Luke fizesse?
    A Leia não teve treinamento e dominou a Força? Quem treinou o 1º Jedi?
    O que supostamente dominou o equilíbrio da Luz e das Trevas?
    A Leia usou a Força pra sobreviver a perda de calor no Espaço? E o Anakin e Obi-Wan lutando dentro de um “Planeta” implodindo em Lava, e o Obi-Wan não ficou nem bronzeado?
    Ah, e não nos esqueçamos do refrescante banho de Magma que o Anakin levou que derrete até pedra instantaneamente mas ele não.

    • Bruno Lima

      Me emocionei com a Leia dominando a força!

  • Sauro

    Esse filme é erro, em cima de erro e mais erro.
    Quanto mais eu penso pior ficar.

    E ter erros é normal em filmes, agora quebrar a coerência interna de uma saga, tem que ser muito merdeiro.

    E sabe aquilo da Rey na caverna? O Ryan Johnson falou que é só a Rey vendo o maior medo dela, que durante a vida pregressa e futura dela, vai ser só ela, sozinha sempre.

    Assim como o Luke viu seu maior medo, que era ser como o pai. Nada de novo, nada de especial.

    Ou seja toda aquela explicação benevolente do PH, não tinha nada a ver.

  • Bruno Lima

    A vice almirante Holdo sobreviveu?

  • Bruno Lima

    Foi bom, sair matando logo um monte de gente! Só quero ver como vao fazer com a Leia q morreu de verdade! Luke teve seu objetivo comprido afinal q ninguém esqueça q quando se torna parte da força eles ficam mais forte! Espero q Rey e Ken se unam e destruam logo essa galaxia e a refaçam sob seus desejos!

  • Ótima crítica, compartilho também minha opinião: Coloquei aqui cinco fatores do filme que me ganhou:
    http://luiztonon.blogspot.com.br/2018/01/star-wars-novos-tempos-e-o-fracasso.html