Cinema com Rapadura

Notícias   segunda-feira, 09 de dezembro de 2019

Patty Jenkins confirma produção de filme das Amazonas e afirma que já tem ideias para Mulher-Maravilha 3

O Cinema Com Rapadura teve a chance de participar de uma coletiva de imprensa com Gal Gadot e a diretora Patty Jenkins.

Patty Jenkins confirma produção de filme das Amazonas e afirma que já tem ideias para Mulher-Maravilha 3

No último domingo (8), o Cinema Com Rapadura foi convidado pela Warner Bros. para participar da coletiva de imprensa de “Mulher-Maravilha 1984”, que aconteceu em São Paulo e contou com as participações de Gal Gadot e a diretora Patty Jenkins. As duas estavam na cidade para divulgar o próximo filme da DC na CCXP19, e respondendo a perguntas de repórteres, deram novos detalhes sobre a Mulher-Maravilha, seu novo longa, e o que futuro reserva para a personagem no Universo Estendido da DC.

“Mulher-Maravilha 1984” é uma continuação, a nível de história, da linha do tempo principal do primeiro “Mulher-Maravilha”, lançado em 2017. Ou seja, o tempo passou desde a jornada de Diana na Primeira Guerra Mundial, e agora segue para os anos 80. Assim, nenhum acontecimento dos tempos atuais, vistos principalmente em “Batman vs Superman” e “Liga da Justiça”, são levados em consideração. Segundo Gal Gadot, Diana continua protegendo a humanidade enquanto permanece nas sombras, e agora ela está sozinha e solitária, sem seus antigos companheiros de guerra. Por se passar na década de 80, “Mulher-Maravilha 1984” também conta com uma grande mudança de tom. No filme anterior, que acontece durante a Primeira Guerra Mundial, a atmosfera era mais sombria; já este tem a oportunidade de trabalhar com mais cores e ser mais divertido.

Gadot indicou que os sets criados para o novo filme estão impressionantes, e destacou o set da sequência de ação em um shopping dos Estados Unidos, vista brevemente no trailer. A atriz também afirmou que o longa possui uma cena muito marcante, que, segundo ela, nunca foi protagonizada por uma personagem feminina antes, e que a fez lembrar de quando era criança e buscava uma representatividade como essa. A diretora Patty Jenkins ressaltou que, embora a Mulher-Maravilha seja um ícone para muitas mulheres e meninas, ela é uma super-heroína universal, na qual homens e meninos também podem se inspirar. Como bem completou a diretora, “super-heróis são para todos, não somente para um”, e a principal mensagem da Mulher-Maravilha é o amor.

Falando em amor, Steve Trevor (Chris Pine), o interesse amoroso de Diana, está de volta na sequência, o que é intrigante, visto que o personagem morreu no primeiro filme. Quanto a isso, Jenkins deixou claro que seu retorno faz parte da trama, e foi uma ideia que veio à tona ainda na produção de “Mulher-Maravilha”. A diretora afirmou que trazê-lo de volta foi essencial para o segundo filme.

Sobre um possível terceiro filme solo da personagem, Jenkins afirmou que já possui uma ideia, mas que não pode dar mais detalhes. O que ela confirmou, no entanto, foi o desenvolvimento de um filme sobre as Amazonas de Themyscira, vistas em “Mulher-Maravilha”, que terá produção e história por Patty Jenkins. Porém, a direção não deve ficar por conta da cineasta, e Gal Gadot não deve ter participação no longa.

Jenkins afirmou que está feliz que nos tempos atuais mais filmes com mulheres e por mulheres estão sendo feitos. Ela lembra de quando estava trabalhando no primeiro “Mulher-Maravilha”, e muitos dizia que um filme protagonizado por uma heroína nunca daria certo. E agora, depois do grande sucesso do projeto, “todo mundo está fazendo filmes estrelados por heroínas”. A indireta para o estúdio concorrente da Marvel/Disney pode não ter sido intencional, mas certamente é notada. O primeiro filme solo de um heroína da Marvel Studios, “Capitã Marvel”, só foi lançado em 2019, e o próximo, “Viúva Negra”, só será lançado em 2020, focando em uma personagem que já está presente neste universo desde 2010.

Por fim, Patty Jenkins afirmou que o primeiro filme do Superman, de 1978, foi muito marcante em sua vida, e a fez ver que o gênero de super-heróis é o melhor equipado a explorar metáforas em histórias grandiosas. A diretora, inclusive, deu uma dica de que, se tivesse que escolher outro herói além de Mulher-Maravilha para explorar, o Superman seria ele. A informação vem um momento oportuno, depois que notícias recentes indicam o interesse da Warner em fazer um novo filme do herói.

“Mulher-Maravilha 1984” teve seu trailer oficial lançado na CCXP19. O filme estreia em 4 de junho de 2020 no Brasil.

Louise Alves
@louisemtm

Compartilhe

Saiba mais sobre


Notícias Relacionadas