Cinema com Rapadura

Críticas   quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Playing Hard – Tudo em Jogo (2018): honra e desonra na produção de For Honor

Documentário ilustra o estressante e difícil ambiente de trabalho na produção de um jogo de videogame milionário.

A indústria dos videogames movimenta bilhões de dólares e corações de fãs anualmente, e qualquer gamer adoraria ver o processo criativo de um jogo que tanto ama. O documentário “Playing Hard – Tudo em Jogo” chega na Netflix para mostrar o árduo e sofrido processo de criação e lançamento de uma nova propriedade intelectual, o bem-sucedido “For Honor”, por um dos maiores estúdios do início do século XXI, a Ubisoft.

A figura central é Jason VandenBerghe (“Red Steel 2″), que trouxe os conceitos e ideias fundamentais para o jogo, e a produção o segue durante os anos desde sua contratação até sua melancólica despedida. O documentário transporta o espectador pro núcleo da Ubisoft Montreal, com depoimentos de chefes de diferentes departamentos mesclados com cenas do jogo ainda em estágio inicial de desenvolvimento, com gráficos simples e cores básicas. Para ilustrar a longa passagem de tempo, frases vão aparecendo na tela, espertamente colocadas como uma contagem regressiva ao invés de apenas datas, o que ajuda a criar a sensação de apreensão.

É nítida a empolgação de VandenBerghe no início do projeto, ele revela que tem a ideia há anos e que finalmente um estúdio topou bancá-la. Neste momento o documentário inclui organicamente a informação de que lançar um jogo novo que não seja uma sequência incute maior risco para a empresa. É fácil embarcar na empolgação palpável do artista quando ele descreve, com brilho nos olhos, que toda criança que já pegou um pedaço de pau e levantou como espada se sentiu como um guerreiro, como um nobre, e que eles podem trazer essa sensação de volta.

Pena que esse sentimento vai aos poucos sendo massacrado pelo estresse gerado pelo ambiente corporativo, que vai tirando o controle das mãos de VandenBerghe gradualmente. Aqui, há o acerto do filme em conseguir depoimentos sinceros do diretor e de outros envolvidos na produção do jogo. O estresse e a decepção de ser deixado de lado da obra que carrega sua própria ideia são nítidos. Entretanto, há uma falta de equilíbrio narrativo ao usar tempo para mudar o foco para outra pessoa e depois voltar para Jason de maneira abrupta.

Outra falha, a maior do documentário, é a de não conseguir ilustrar bem onde os problemas começaram. Ao espectador, parece que tudo está indo bem e, de repente, o clima pesa sem que os motivos para tal estejam claros. Durante o resto do filme, alguns vão sendo percebidos, mas narrativamente falando, eles perderam o impacto por terem sido mal colocados.

De qualquer forma, a jornada emocional de VandenBerghe nos leva até o fim. Inicialmente pintado como um guerreiro pronto para batalhas até a glória, o vemos claramente chateado com a maneira com que foi tratado. Em suas ideias para o jogo, ele deixa claro sua noção do que é ser nobre, e o documentário usa esse conceito para ilustrar que, numa empresa que investe milhões de dólares em seus produtos, isso muitas vezes não existe. O diretor Jean-Simon Chartier (“Corps à la carte”) usa bem uma tomada aérea de Jason caminhando num campo verde ilustrando que ele acabou se tornando um cavaleiro solitário. Num dos melhores momentos, VandenBerghe conversa com Yannis Mallat (CEO da Ubisoft Montreal) para expressar suas frustrações e conta uma história que espelha seus sentimentos.

O documentário é bem-sucedido em mostrar o gigantesco trabalho necessário para produzir um jogo desse nível, desde o desenvolvimento das mecânicas de movimento até as estratégias de marketing. Tudo espelhado na paixão e frustração de VandenBerghe com a maneira com que foi tratado na Ubisoft e o agridoce sentimento de ver seu sonho realizado por uma empresa que não o tratou de maneira justa. Súbito com alguns acontecimentos, “Playing Hard – Tudo em Jogo” não é narrativamente fluído, mas entrega um material que vai conquistar gamers mundo afora.

Bruno Passos
@passosnerds

Compartilhe

Playing Hard – Tudo em Jogo (2018)

Playing Hard - Jean-Simon Chartier

Roteiro:

Elenco: Stéphane Cardin, Luc Duchaine, Yannis Mallat, Jason Vandenberghe

Compartilhe