Críticas   quinta-feira, 17 de julho de 2014

Transformers – A Era da Extinção (2014): tiro, porrada, bomba e tédio

Esse filme está repleto de barulho e clichês. E é bem por aí mesmo...

Uma boa adaptação tem de funcionar sozinha, sem depender de conhecimento do material original para se sustentar. Já uma adaptação que joga e adultera trezentos conceitos por minuto na tela, confundindo até mesmo aqueles que conhecem a fundo o original, falha em todos os sentidos do termo. E isto é o que o diretor Michael Bay e o roteirista Ehren Kruger fizeram com Transformers neste “A Era da Extinção”, quarto filme da série.

Uma mistura de reboot e continuação, o longa se passa cinco anos após o capítulo anterior. Após a batalha de Chicago, os Transformers foram considerados perigosos demais e todas as operações conjuntas entre os militares e os “heróicos” Autobots foram encerradas. O inventor falido Cade Yeager (Mark Wahlberg) acaba levando sua filha adolescente Tessa (Nicola Peltz) e o namorado dela, Shane (Jack Reynor), para o centro de um conflito espacial, quando encontra um sucateado caminhão abandonado.

Isso porque o veículo destruído era, na verdade, um combalido Optimus Prime, líder dos Autobots. Uma força especial da CIA liderada pelos impiedosos Attinger (Kelsey Grammer) e Savoy (Titus Welliver) formam uma aliança com um alienígena chamado Roadblock para destruir os Transformers restantes e capturar Optimus, em uma conspiração que envolve um elemento chamado transformium, a origem da vida dos Transformers, o ressurgimento de um mal que se acreditava destruído e uma imitação barata de Steve Jobs chamada Joshua Joyce (Stanley Tucci).

Se essa sinopse parece cansativa e enrolada é porque ela reflete justamente o verdadeiro rocambole que é o guião escrito por Kruger e filmado com a “delicadeza” costumeira de Michael Bay, com a dupla mostrando falta de noção suficiente para explodirem Chicago de novo aqui antes de levarem a briga para outra metrópole. O pior é que existe uma – ao menos aparente – vontade de acertar dos envolvidos nos primeiros 20 minutos de projeção, embora, logo de partida, o filme mimetize um dos plots de “Prometheus” na cara dura.

À primeira vista, Cade parece que será um personagem melhor desenvolvido que o Sam da primeira trilogia, tendo problemas reais e uma personalidade mais verossímil. Mas logo vemos que o novo protagonista humano é uma caricatura de pai saído de uma “comédia” de Adam Sandler. Seus diálogos com a filha jamais soam reais e ele mais parece estar apaixonado romanticamente pela garota que agindo como um pai protetor. Mark Wahlberg paga aqui o seu maior mico cinematográfico desde que tentou falar com uma planta de plástico lá em “Fim dos Tempos”.

O romance entre Tess e Shane, forçado dentro da narrativa para tentar atrair o público adolescente feminino, jamais funciona, parte por conta do desenvolvimento nulo dos pombinhos e parte pela absoluta falta de química entre Nicola Peltz e Jack Reynor, cuja grande cena de ação no primeiro ato do filme deve fazer o público se perguntar se está assistindo Transformers ou “Hot Wheels – O Filme”.

Stanley Tucci surge mais ou menos cobrindo a vaga de John Turturro nos episódios anteriores, aparecendo primeiro como um antagonista para inexplicavelmente tornar-se um alívio cômico do lado dos “anjos”, com Michael Bay aparentemente achando que fazer o veterano ator gritar os seus diálogos é suficiente para deixá-los engraçados (não é, aliás). Finalmente, Kelsey Grammer tenta emprestar alguma seriedade a seu Attinger, enquanto Titus Welliver convence no papel de um militar durão, mas as motivações dos personagens são tão mutáveis que comprometem o trabalho dos atores.

E então chegamos aos Transformers em si. Os Autobots JAMAIS convencem neste filme como heróis. O grupo liderado por Optimus não passa de um bando de brigões blindados, sem honra ou mesmo organização, em uma completa descaracterização dos longevos personagens, que falam várias e várias vezes sobre como eles querem matar humanos.

Ora, o que Kruger e Bay não entendem é que a diferença absurda de poder entre esses seres alienígenas e os humanos faz com que qualquer sanha assassina dos Autobots contra inimigos humanos seja um verdadeiro veneno que destrói qualquer simpatia da plateia para com essas figuras que deveriam ser os mocinhos.

Humanos lutando contra humanos ou Transformers se digladiando entre eles é uma coisa, mas ter uma alien gigante armado até os dentes obliterando um frágil homem é quase como ver um adulto atirando em uma criança. E ver Optimus Prime, aquele que deveria ser o líder e centro moral dos Transformers apoiando esse tipo de ação, é uma descaracterização imperdoável.

Por mais que Bay tenha chamado intérpretes de peso como John Goodman e Ken Watanabe para emprestarem suas vozes a esses “heróis”, jamais sentimos qualquer empatia por eles, o que quase legitima as ações dos vilões em caçá-los, e olha que logo no começo da projeção, um dos mais famosos dos Autobots é morto de maneira cruel e sem cerimônia.

As cenas de ação são feitas sem nenhum crescendo, sempre no máximo. Para Bay, só o visual importa. Coisas como lógica, compreensão do plano, continuidade, geografia da cena, suspense ou envolvimento emocional com o que acontece na tela são supérfluas. E isso porque o diretor veio com designs mais identificáveis para os Transformers e tirou o pé na montagem, se dando o luxo de apresentar planos mais longos, alguns deles com quase dez segundos de duração (um milagre, considerando a filmografia do cineasta).

Sim, o espetáculo que surge em cena é bonito e a produção aproveita a tecnologia 3D IMAX como poucas (embora use o formato de maneira quase aleatória), mas após duas horas, o público fica anestesiado com tantas explosões e chega o inevitável tédio. Esta série surgiu nos cinemas com a história de um menino e de seu carro. Por mais que as curvas de Megan Fox e as cenas de ação insanas chamassem a atenção, este era o coração da história, que tinha uma doçura necessária para que pudéssemos nos envolver com a trama megalomaníaca.

Michael Bay esqueceu disso e nos entregou (novamente) um filme que é só barulho e clichês, assassinando personagens clássicos enquanto faz merchandising descarado de marcas de carros, cervejas e de um leite chinês.

Thiago Siqueira
@thiagosiqueiraf

Compartilhe

Transformers – A Era da Extinção (2014)

-

Roteiro:

Elenco:

Compartilhe


  • Pedro Lucas

    ótima Crítica,esse filme é Horrível,só tem efeitos e mais nada

  • Lucas Christo

    Faltou mencionar a Victoria Secret.

  • Wagner Piu

    Concordo com toda essa crítica, o que fizeram com o Líder Optimus? E pra ajudar ainda os caras deram uma change-bazuca pro babaca do Mark Wahlberg.

  • tiago henrique

    Nossa Siqueira,as vezes quero entender porque vc e tão mau com os Transformers.

    • Deivid

      simples, porque o filme é uma merda.

      • Deivid

        vc tem que ter uns 13 anos pra gostar desse tipo de filme.

        • tiago henrique

          Cara eu tenho 21 não sou dos que acompanharão a geração G1 mas sou da geração que Optimus se junta com 5 robôs pra forma 1,esse e o tipo de filme que Michael Bay sabe fazer eu ainda quero entender porque vc vão assistir se ja sabe do que se trata,na boa pare pra pensar vc tinham alguma esperança de ver algo diferente

          • Jonathan Braga

            Mas poxa , pacific rim é na teoria a mesma coisa e ele faz um filme divertido com uma historia interessante , que homenageia toda uma geração que viu os tokusatsus , e o filme é tipo muito foda , vingadores outro pipocão super bem feito , com uma historia que deixa qualquer nerd vomitando arco iris e agrada a maioria do publico , mas o tranformers não é isso o transformers perdeu toda a essência , ele é só a gozada do michael bay , e o terceiro filme foi isso , isso é apenas uma maquina de fazer dinheiro , filmes tem que ser um pouco mais do que isso , na minha opinião fecal =)

            Abraço

      • tiago henrique

        a cara vc sabem que o filme e só pancadaria e explosão,cara os desenhos são assim velho,eu entendo que o quesito roteiro e os rombos na produção mas fazer o que ele ja tem robôs no roteiro da onde ele já são do material fonte,vcs tem falado muito do Optimus mas esquece esse tipo de coisa ai:
        http://www.youtube.com/watch?v=HRjdtozpqfY
        cara pra mim Transformers e isso pancadaria e robos gigantes lutando na cidade,eu não espero nada de Transformes como vc fala por causa do diretor(Michael Bay)esse e o tipo de filme que ele sabe fazer então quando entro no cinema já sei o que tou indo ver.

  • Rodrigo Peixoto

    Sou fã dos Transformers desde criança. Tenho os três primeiros filmes em casa. Gostei muito do primeiro, um pouco do segundo e um pouco mais do terceiro. Mesmo assim achei que poderia ter o três filmes. Mas agora o quarto não terei para a coleção, pois, concordo com Sicas. Bay acabou com os Transformers. Está na hora de um reboot com outro diretor que se aproxime o filme do desenho que tanto assisti quando era criança. Optimus com raiva dos humanos não dá…

  • Jálisson

    É impressão minha ou o Crosshairs é ficou parecidíssimo com o Hellboy?

  • vinicius dias

    este filme serve de exemplo para a maior questão sobre filmes blockbusters, como pode alguém investir mais de 100 milhões de dólares pra fazer um filme que não respeita quem pagou o ingresso pra assistir? mano a história pode ser ruim, mas ver tantas incoerências em um único filme colocou Michael Bay na lista negra…to até com medo do que ele é capaz de fazer com as Tartarugas, tava muito empolgado pra ver aquele filme, por favor me digam que ele não tem tanto poder pra fuder um filme em que ele é produtor…

    • Na verdade, não foram 100. Foram quase 300 (US$ 285 milhões). E eles investem pelo simples fato de ter quem compre o produto. ‘Transformers 4’ já é a maior bilheteria do ano (já está chegando nos US$ 1 bilhão de arrecadação). Enquanto der dinheiro, eles farão filmes como esse sem se preocupar com a qualidade.

  • Gabriel Castagnara

    Concordo com tudo que foi dito. Sem duvida esse é o pior filme de Transformers. O roteiro não tem furos, tem rombos. A trama simplesmente é jogado para quem esta assistindo, não há a menor vontade de explicar coerentemente a história. Tudo parece um pretexto para uma cena de ação, e outra, e outra, e assim vai. Os personagens humanos da trilogia anterior, por mais superficiais que fossem, eram bem mais agradáveis que os apresentados nesse filme. O pior é saber que haverá continuação, pois A Era da Extinção esta “fazendo” muito dinheiro.

    Ótima crítica Sicas.

  • Assisti o filme numa pré e que bela merda! Michael Bay precisa de um amigo que fale pra ele parar, que aquela piada não é engraçada.

    O filme tem 2:40 e tirando 1 hora de batalhas de robôs, que é o que importa (mesmo elas não chegando aos pés de Pacific Rim) temos 1:40 de uma draminha familiar imbecil e piadas ridículas sem graça.

    Sempre dizem “desligue o cérebro para assistir” e tentei, mas tem tanto absurdo que fica difícil ignorar até se for um mongol nível Hodor.

    Temos Mark Wahlberg, o eterno Marky Mark como um engenheiro bombado que tem a filha mais chata do mundo, e que de uma hora pra outro vira um porradeiro matador de alienígenas robóticos.

    Sai a gostosa da Megan Fox e entra Nicola Peltz num papel totalmente irritante. Torci durante o filme para ela morrer.

    Vale citar que Stanley Tucci no filme esta a cara do Kibe, aquele do Porta dos Fundos. Fiquei esperando rolar uma piada o tempo todo.

    Na parte técnica o filme é bom. Os efeitos visuais são mais do mesmo, nada que já não tenha visto nos outros filmes. O 3D NÃO VALE A PENA! Se puder, veja em 2D, porque ele não faz diferença alguma, só da uma profundidade bem rala.

    E o Optimus Prime montado em um dinossauro robô é maneiro, se ignorar o porque disso acontecer. Alias, Prime se tornou insuportável com aquele discurso no final de todos os filmes, da humanidade e os robôs blá blá blá ZZzzzz….

    • Deivid

      Sempre tem uma gostosa pra atrair o público e que nem faz diferença na história.

  • Samir “Twero” Fraiha

    É, eu não tava esperando por menos.

    Quando você começou a destrinchar o quanto ele descaracterizou os Autobots e ver o Optimus com uma atitude dessas… é de partir qualquer coração, seja de fã ou não.

    Eu já parei de ver filmes dos Bay, nem vou alugar e nem gravar na TV paga. Não quero dar nenhum tostão furado ou audiência pras cagadas que esse cara anda fazendo com Transformers.

    Não só pelas descaracterizações, mas pelo “conjunto fecal” que é esse…. filme.

  • Kelly Gonçalves

    Filme longe demais. Aparecer Victoria Secrets foi apelativa. Afinal, porque tinha aquela casalzinho medíocre, e toda hora ficavam focando as pernas da garota e o micro shorts? Ok eu gosto de luta de robôs, acho legal a interação dos atores principais (o que não funcionou neste filme), más.. a gente precisa de uma boa história. Poxa praticamente 03 horas de filme que poderia ter sido resumido pela metade. Decepção..

  • Já eu gostei do filme, achei do nível do primeiro, que até então eu achava ser o melhor. O que acertaram nesse novo filme, se comparado aos anteriores, foi terem deixado-o menos cômico e dado espaço para um certo drama (o problema de família e algumas mortes), sem falar nas cenas de ação que se mostraram menos confusas. O núcleo mais fechado, com menos autobots, ajudou o filme a fluir melhor, nada de 100 robôs em tela, deu chance de criar uma pequena afinidade. Agora, pra mim, um dos erros do filme é não terem mencionado qualquer personagem da trilogia passada, até parece que o Sam não existiu! Uma mancada que poderia ser resolvida com uma citação. Enfim, eu acho que conseguiram dar mais fôlego pra franquia, e espero que insistam nisso de diminuir o humor e apostar em algo mais maduro.

    • Jonas Alfeu

      A parte que você mencionou de que eles cometeram o erro de não mencionar nenhum personagem da trilogia anterior eu concordo, mas falar que esse filme foi melhor que o primeiro ai você tá forçando a barra mano.

  • gandralf

    Você foi até bonzinho com estas quatro estrelas, heim? Pelo texto, entendi que seriam umas duas ou no máximo três.

  • Claro claro, o filme é uma porcaria, isso é basico vindo de um critico chorão inutil feito o Siqueira que só pensa em dar notas boas pra filmes que tenham um draminha no meio.

    E to nem ai pra quem nao concordar, este filme foi o melhor de toda a franquia. A historia conseguiu se desvencilhar no lado oculto da lua que ja foi o mais incrivel depois desse e nos apresentou um nivel de ação e explosao fantasticamente perfeito.

    Nao é a toa q este a bilheteria esta explodindo cada vez mais e isso só em pre estreias, kkkkkkkkkkkkkkk Parabens michael bay por mais este trabalho. Que filmaço. e os dinobots ficaram perfeitos, e o optimus, um dos melhores personagens ja criados.

    • Deivid

      Esse critico deu nota boa pra homem de ferro 2 e 3 e homem aranha 3 e o espetacular homem aranha 1, o cara só da nota boa pra filme que num presta=0

  • Anderson Guerra

    Thiago Siqueira, vc como advogado é um inócuo crítico!
    “Fala demais por não ter nada a dizer”.
    Hinabildidoso com as palavras, tendencioso com seu temperamento e tratou o diretor do filme como seu inimigo!
    Thiago Siqueira, “pede pra sair”!

  • Mark

    Thiago sempre chorão e sem lógica nas criticas de transformers, quem for querer levar isso aqui em conta pra tirar alguma base do filme tá enrolado, melhor assistir e tirar as próprias conclusões.

  • Fernando ( Michael Bay )

    o que importa é que voces continuem assistir os meus filmes…he he he

  • Wendell Santana

    Eu vou contra a maré. Não vi motivos para tantas críticas para o novo filme, não achei cansativo e gostei do novo fôlego que deram para a franquia. As cenas de ação estão incríveis e o enredo foi interessante.

    Acho bem infantil por parte de alguns, dizer que quem gosta do filme tem que ter até 13 anos de idade. Por favor, um pensamento desse sim é para quem tem 13 anos ou até menos. Gosto de E o vento levou, gosto de Matrix, gosto de Dr Jivago, Os dez Mandamentos e 2001, e gosto de transformers. Qual o problema? nenhum. Gosto da saga do jeito que é, e achei esse novo o melhor de todos.

    O problema é que tem gente procurando chifre em cabeça de cavalo, ai não dá.

    Abs.

    • tiago henrique

      Concordo com vc Wendell Santana,o povo fala fala e depois bate na mesma tecla a o filme e so pancadaria,pó velho e Transformers vc queria mais o que,se já sabe como é porque vai assistir,cara Optimus ta muito foda velho em cima do dinossauro e que velha mais filmes como esse viva os Transformers

  • dyprax

    Muito melhor que Pacific Rim, isso com toda a certeza…

  • Mateus

    Filme péssimo! Horrível! Não tem história nenhuma e é desnecessariamente longo demais! O filme cansa qualquer um, chega um momento em que você pede pra que o filme acabe logo.

  • Marcelo Abdul

    Michael Bay deveria ter parado no terceiro filme. O novo Transformers poderia até ser mais divertido se não fosse tão demorado. Realmente chega a entediar a quantidade de explosões e closes paralisantes. Aquilo é Michael Bay puro, mas uma hora cansa. Só o fato de colocar os brinquedos na tela foi uma grande marca na história do cinema contemporâneo, mas o desgaste é evidente. Sugiro uma pauta ao diretor. O Grupo Hasbro ( o mesmo que tem o direito dos Comandos em Ação e Transformes) tem os direitos de um personagem chamado ROM- O Cavaleiro do Espaço. Durante alguns anos a Marvel fez uma parceria promocional e publicou quadrinhos espetaculares com o argumento do Bill Mantlo e o desenho do mestre Sal Suscema. Daria um senhor filme. Ao invés de gastar 300 milhas num reboot/continuação que tal investir em ideias novas?

    • Edson

      Gostei da sua idéia. Li todas as historias de Rom, nas HQ marvel e, sempre fiquei na exoectativa deste filme.

  • Victor

    Tédio é o cacete. Um filme foda e bombástico como nenhum outro!
    Ninguém, eu repito, ninguém sabe fazer como Michael Bay consegue.
    Está tudo lá, como nos desenhos animados e nos games, o que vocês querem mais?
    A ação é perfeita e espetacular, porradaria sem limites e estilo de filmagens que só o mestre Bay sabe fazer.
    Parem de ser chorões, é um filme totalmente comercial e no momento é a melhor arrecadação de 2014.
    Agora se me dão licença, vou às lojas comprar um Optmus Prime, falô!

    • Samir “Twero” Fraiha

      É, devo concordar com você que NINGUÉM faz filmes como Michael Bay, e eu até agradeço por isso. :p

      Agora, se você engole um Optimus que ele fez nesse filme e me diz que está IGUAL ao Optimus do desenho original, com toda sua cerne de liderança e bondade inabalável, então você não sabe quem o líder dos Autobots realmente é.

  • Higor melo

    Eu é que não vou perder meu tempo pra ler a crítica desse cara,que me deu 10 para homem-aranha 3,e 6 para o espetacular homem-aranha 2. E parem de reclamar que o filme é uma bosta,vocês estavam muito bem avisados de que filme seria,uma coisa admiro em Michael Bay,ele é sincero com o público,e não esconde o que realmente é o filme,explosões,pancadaria,ação sem parar. Vcs vão assistir por querem,e parem de reclamar também de que eles continuam fazendo filmes como esse,vocês que dão o dinheiro indo assistir so pra malhar o pal no filme,se não querem mais esses filmes,parem de assistir,assim acaba o dinheiro,e acaba a franquia. Gostei do filme,pois fui assisti-lo ciente do que veria,gostei dos anteriores,e esse não muda nada,então se não gostou dos anteriores nem perca seu tempo assistindo esse,se gostou pode assistir de boa. O ponto que quero chegar é que reclamam demais dos filmes,mas pagam pra ve-lo,isso simplesmente não tem logica,vai entender esse povo.

  • bruce lafleur

    Menos 2:45 minutos da minha vida.

  • Luis Cavalcanti

    Só lembrando que logo de cara, na primeira semana de exibição foi líder de bilheteria.

    • Deivid

      se bilheteria significasse qualidade então homem de ferro 3 é uma obra prima.

      • Luis Cavalcanti

        Diretores, produtores e atores não fazem filmes para a crítica e sim para o público, líder de bilheterias isso é fato.

      • Roberto Firmino

        Eu gostei muito de “Homem de Ferro 3”!.

  • Fui pela diversão… me diverti… caso encerrado.

  • Everton

    Estava esperando sair a critica do Thiago… E sabia que tínhamos o mesmo pensamento. De inicio eu fiquei surpreso, pois pelos trailers achei que o protagonista seria extremamente clichê e insuportável. Ele começou muito bem… Até deixar sua fazenda.

    Considerando que filmes tenham 3 atos… O primeiro, mostrando inicio e qual o objetivo da trama. O segundo, uma preparação,e o terceiro… o final.

    Considero a batalha de Chicago neste filme como o terceiro ato… E é aqui que está o maior erro. O mercado asiático é bastante fechado. Existe uma cota de filmes estrangeiros que podem estrar por la, e é aqui que encontramos o motivo de uma batalha em terras chinesas, o pecado, o forçado quarto ato. Ele não precisava existe, mas a produção precisava de uma desculpa para estrear em um dos maiores mercados do mundo.

    Depois das duas horas o filme já era insuportável… As pessoas saíram cansadas do cinema, saíram aliviadas por finalmente a tortura ter acabado. Felizmente, esse deve ser o último filme de M.B na franquia… E que um diretor digno assuma a franquia.

  • Catito

    Mas é tiro porrada e bomba que enche os cofres da Paramount, e quanto mais os críticos metem o pau falam mal, mas o filme faz dinheiro e o povo gosto.

    Critica hoje em dia não derruba mais franquia, nem faz ninguém deixar de ir ao cinema.

    Ao particularmente gosto dos tiros, das porradas e das bombas, de filmes descerebrados, com ação direto, é questão de gosto e isso não se discute, é gostar de coisa ruim? não, porque nem sempre o ruim pra uns é para outros.

  • Antonio

    Nossa, quanto critico de cinema aqui, provavelmente, 80% dessa galera que falou mal do filme foi modinha porquê viu que varios outros falaram mal ou porquê a critica do site foi negativa.

  • Me imagino como produtor de filmes tendo que escolher entre dois caminho:
    1 – Filmes como Hotel Budapeste (Filmes acima da média com lucros “modestos”).
    2 – Filmes como Transformers e Homem Aranha (Filmes qualquer coisa com lucros astronomicos)
    Huuummm… onde vou investir mais…???

  • MARCOS

    MUITO BOM QUEM NAO GOSTA E PQ E GAY E VIVE NA REDE GLOBO

  • Frank Lenon

    UHAUAHHUAH reclaman de mais vocês, sou fan de transformers desde o antigo, depois beast wars e beast machines, na boa vei é so uma guerra de decepticons e autobots historia pra que?? todo mundo sabe q decepticons quer dominar tudo e os autobots quer derrotar eles pra salvar o mundo, a guerra deles destruiu cybertron! e veio pra terra, ja fui pro cinema sabendo oque eu queria! assim como 1 bilhao que ja arrecadou esse filme, ver a guerra deles! e michael bay sabe oque ta fazendo! fez oque os povo quer! ver a guerra de autobot contra decepticon!

  • Mateus Salvador

    Transformers 4 é tipo Battlefield, tem graficos de queimar as retina, mas uma historia horrorosa, dizer que esse filme foi bom é ignorar os 3 anteriores

  • Bruno

    Cara, você eh boiola, na moral. Mania chata essa dos “intelectuais” que precisam criticar tudo. O filme atende mt bem ao fim a que se presta, além do que achei o novo roteiro bem inventado, apesar de preferir que continuassem com o Sam.
    Tudo culminou em um gancho para um poder maior do que Autobots e Decepticons: e o suspense que ficou a respeito foi bem interessante.

    O filme eh excelente.

  • Anderson Lima

    Perto dos outros, esse filme fica bem abaixo. Os 2 primeiros atos dão sono, mas no terceiro até que engrena.