Notícias   sábado, 15 de setembro de 2018

Como Treinar o Seu Dragão 3 | Longa será desfecho agridoce e memorável para a jornada de Soluço e Banguela

Diretor e produtor comentaram as novidades e o tom emotivo do último capítulo da trilogia.

Como Treinar o Seu Dragão 3 | Longa será desfecho agridoce e memorável para a jornada de Soluço e Banguela

Todas as coisas boas devem chegar ao fim em algum momento. No caso de “Como Treinar o Seu Dragão 3“, que  terminará a franquia baseada na série de livros homônima de Cressida Cowell, isso não será diferente.

A jornada de Soluço (Jay Baruchel, de “É o Fim”) e de seu fiel dragão e companheiro Banguela, que desde o lançamento do primeiro filme, em 2010, vem encantando milhões de pessoas por todo o mundo, tem como um de seus grandes diferenciais o fato de mostrar o crescimento dos personagens, acompanhando-os ao longo de diferentes momentos de suas vidas. Quando o público foi apresentado à Soluço, ele era apenas um adolescente repleto de sonhos e aspirações, como é comum nessa fase da vida.

Já no segundo filme, Soluço é retratado como um jovem de 20 anos, sentindo-se pressionado pelo pai para substituí-lo como líder da aldeia de Berk. Uma responsabilidade que ele não sabe se está pronto para assumir, em uma clara demonstração das incertezas por quais todos passam na delicada transição da adolescência para a vida adulta. E em meio a tudo isso, o público teve a oportunidade de ver a amizade de Soluço e Banguela florescer e se fortalecer, a cada desafio superado pela dupla.

A história dos dois enfim chegará ao seu clímax em “Como Treinar o Seu Dragão 3”. É justamente o tempo e o esmero que foram empregados na construção e ao longo de todo o desenvolvimento deste universo fantástico que tornam esse capítulo derradeiro algo tão aguardado. O filme promete recompensar todo o carinho dos fãs com um final emotivo que deve levar o público às lágrimas.

Esse sentimento é reforçado pelo diretor e roteirista Dean DeBlois, responsável pela direção e pelo roteiro de todos os filmes da série. Em entrevista concedida à Entertainment Weekly, o cineasta descreveu o final da história como “agridoce“, e fez questão de destacar que acredita que esse é o encerramento adequado para a trilogia:

“Nós pensamos nisso por um longo tempo, e chegamos no que acreditamos ser uma maneira agridoce de dizer adeus a esses personagens, mas é o jeito certo.”

De acordo com DeBlois, o filme não apenas encerrará a trilogia estrelada por Soluço nas telonas, como também será responsável por colocar um ponto final à toda a franquia, incluindo seus derivados para a televisão. Sem entrar em detalhes acerca das surpresas reservadas para o final da história, o diretor afirmou que o desfecho explicará uma frase misteriosa proferida por Soluço no trailer:

“Você vai entender porque Soluço diz, como você ouviu no trailer, que ‘Existiam dragões quando eu era menino’. E no final desse filme, você terá a resposta para a questão sobre o que pode ter acontecido com eles.”

Novos detalhes da animação serão divulgados no encerramento do Festival Internacional de Cinema de Toronto, com teasers especiais que darão uma pequena amostra do que se pode esperar da trama do filme e de seu final emotivo. Além disso, o material também mostrará como a nova tecnologia, que está sendo empregada na produção, promete levá-la a um ponto que ainda não foi alcançado por longas animados. Embora esse material seja, ao menos à princípio, exclusivo do TIFF, DeBlois e o produtor Brad Lewis já adiantaram diversas novidades do filme à EW, que também divulgou novas imagens do longa.

O primeiro ponto destacado pelos dois foi a aparição de Stoico (Gerard Butler, de “Covil de Ladrões“) no longa. Apesar de sua trágica morte no filme anterior, o pai de Soluço continuará tendo sua presença sentida na história, tanto figurativamente quanto literalmente. Isso porque o filme “brincará” muito mais com o tempo do que seus predecessores, valendo-se de diversos flash-forwardsflashbacks para desenvolver a trama. Isso possibilitará que Stoico continue guiando seu filho com seus ensinamentos.

Uma cena descrita como fundamental e que deve ser exibida no início do longa mostrará Soluço se recordando de um momento marcante de sua infância, quando Stoico lhe contou pela primeira vez a lenda sobre uma passagem secreta para um lar de dragões escondido atrás de uma grande cachoeira, em algum lugar na beira do mundo. Embora Stoico sonhasse em fechar essa passagem para encerrar definitivamente a luta entre humanos e dragões, Soluço tem um pensamento diferente do externado por seu pai, enxergando na história a possibilidade de criar uma verdadeira utopia, em que humanos e dragões possam conviver em paz.

Assim, não é nenhuma surpresa que Soluço tenha transformado a aldeia de Berk em uma verdadeira metrópole Viking movida pela cooperação entre humanos e dragões, o que acaba fazendo com que Berk se torne um alvo daqueles que não conseguem tolerar a união entre as espécies. É nesse momento que entra em cena Grimmel (F. Murray Abraham, da série “Homeland”), um terrível novo vilão que é descrito por DeBlois como “a voz da intolerância e a resposta para a pergunta de por qual motivo Banguela é o último de sua espécie“. Veja abaixo uma imagem do vilão:

Mesmo que Soluço não tenha seguido a filosofia do pai, a inclusão de Stoico no filme “permite um caloroso abraço no personagem pela última vez“, segundo DeBlois. Ele afirma que esse último “adeus” ecoa uma das mensagens fundamentais do longa:

“O tema central da história é abrir mão, ou encontrar a sabedoria para abrir mão, melhor dizendo. Muito da identidade de Soluço, como líder e como adulto, é por conta de sua relação com Banguela. Mas se Banguela não estiver lá, quem é Soluço?”

A ideia de um Soluço sem Banguela é propiciada pela segunda principal história do filme, que coloca Banguela ao lado de uma nova companheira: uma dragão fêmea conhecida como Fúria da Luz. Ela conhecerá Banguela nos arredores de Berk, e depois irá visitá-lo e demonstrar sua habilidade única de aquecer suas escamas ao ponto de deixá-las espelhadas, fazendo delas uma espécie de superfície invisível. Veja abaixo algumas imagens do casal de dragões, sendo a primeira delas exclusiva da EW:

O balé alado de Banguela e Fúria da Luz será um momento-chave do filme, sendo uma cena completamente desprovida de diálogos. Apelidada carinhosamente de “Primeiro Encontro”, a cena funcionará como um tipo de sucessora espiritual da sequência “Amizade Proibida”, que marcou o início da amizade entre Soluço e Banguela no primeiro filme. Ela possivelmente lembrará o público de momentos guiados puramente pela música, vistos em animações clássicas como “Dumbo” (1941) e “A Dama e o Vagabundo” (1955).

Apesar de conter diversos momentos cômicos, marcados principalmente pelas tentativas de Banguela de tentar impressionar sua companheira, a cena, e o próprio romance dos dragões, são descritos pelo produtor Brad Lewis como essenciais para a história:

“O que estamos vendo nessa história é Banguela aprendendo a confiar em seus instintos. Não é apenas uma história ‘B’. Este é um potencial agente de mudança que força Soluço a considerar que tipo de líder ele quer ser, ou mesmo que ele pode ser, sem Banguela.”

Por fim, a EW apurou que a audiência do TIFF será uma das primeiras a se maravilhar com o esplendor do Mundo Escondido dos dragões, com o diretor e o produtor não conseguindo esconder um profundo orgulho ao falar sobre o cenário mítico que foi concebido por DeBlois após um sonho vívido. O cineasta acabou adaptando seu sonho à conhecimentos científicos acerca de antigas cavernas submarinas, e o resultado é um mundo fantástico que deve superar tudo aquilo que já foi mostrado nos dois primeiros filmes.

Veja abaixo uma imagem que dá um gostinho do que os fãs podem esperar desse cenário misterioso, com Soluço e sua namorada, Astrid (America Ferrera, da série“Superstore”), explorando o Mundo Escondido. Outra imagem veiculada com exclusividade pela EW que retrata o casal em um momento de ação do filme:

Com todas essas novidades, e com todo o investimento emocional que o público desenvolveu ao longo dos anos com a história e seus personagens, é inegável que o filme tem todos os elementos para superar seus antecessores e se sagrar como o melhor da franquia. Dessa forma, ele fecharia a trilogia com chave de ouro e entregaria um final não apenas digno, mas genuinamente memorável, para a história que teve início com a amizade de um menino e seu dragão.

Na trama do longa, enquanto Soluço realiza seu sonho de criar uma utopia pacífica com os dragões, Banguela descobre uma companheira indomável, que atrai o Fúria da Noite para longe. Quando o perigo aumenta e o reinado de Soluço como chefe da aldeia é testado, tanto ele quanto o dragão precisam tomar decisões impossíveis para salvar suas espécies.

O elenco de dublagem conta ainda com os nomes de T.J. Miller (“Deadpool 2“), Kristen Wiig (“Mãe!“), Jonah Hill (“Cães de Guerra“), Christopher Mintz-Plasse (“Vizinhos 2“), Cate Blanchett (“Thor: Ragnarok“), Kit Harington (da série “Game of Thrones“) e Craig Ferguson (da série “No Calor de Cleveland“). Djimon Hounsou (“Rei Arthur: A Lenda da Espada“), que fez o vilão do segundo filme, Drago, também está listado no elenco do longa.

 “Como Treinar o Seu Dragão 3” tem estreia prevista para 1° de março de 2019 nos EUA.

João Antônio
@rapadura

Compartilhe


Notícias Relacionadas