Cinema com Rapadura

Críticas   segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Resgate do Coração (Netflix, 2019): charmosamente artificial

Comédia romântica com pitadas natalinas e um bebê elefante que precisa de ajuda. Prato cheio para quem quer uma obra simples e bobinha, mas bonitinha e charmosa.

Em um momento de “Resgate do Coração”, a protagonista Kate (Kristin Davis, a Charlotte de “Sex and the City“) mostra uma foto que seria usada para o cartão de natal da família para o óbvio par romântico Derek (Rob Lowe, “Como se Tornar um Conquistador“). Ao ver a cena posada, ele comenta que essa tradição é cheia de “glamour encenado”, frase que explica perfeitamente bem o que são esses tipos de filmes lançados perto da época do natal com menor valor de produção. São obras simples que apelam para romance e espírito natalino, que acertam na mosca quando são bem feitos e abraçam sua proposta.

Não se engane, não é nenhuma obra prima. O longa entrega exatamente o que promete: uma comédia romântica óbvia e previsível, cheia de pessoas bonitas e com cenários que, mesmo sendo artificiais, são lindos. É tudo bobo, mas é adoravelmente bobo.

Temos aqui a história de Kate, esposa de um rico empresário de Nova York que, assim que o filho parte para a faculdade, pede o divórcio. O problema é que ela tinha reservado passagens e hotel para o casal passar uma segunda lua de mel na Zâmbia. Claro que ela embarca na viagem por si só e lá conhece o bonitão Derek, piloto que a leva no passeio de safári. Logo eles encontram um bebê elefante, recentemente órfão, fazendo com que ela se envolva na operação de resgate no lugar.

O filme pode ser tolo e artificial, com um roteiro repleto de exageradas conveniências facilidades narrativas, porém funciona para sua proposta. O pedido de divórcio do marido de Kate é feito numa velocidade espetacularmente inverossímil (ele praticamente segue o filho porta afora); há uma mulher impecavelmente vestida e maquiada que aparece de vez em quando no meio da selva africana; há também uma lição de moral sobre a destruição da natureza causada pelo homem entregue numa fala carregada de clichê… são vários exemplos de uma produção que sabe, desde o começo, que seu produto final deve ser simplório e leve. Entretanto, mesmo em sua previsibilidade, a obra tem seus momentos. Se existe a cena em que a protagonista revela que já foi veterinária, apesar de ter zero experiência cuidando de elefantes, e mesmo assim é aceita sem a menor hesitação pelos cuidadores, existe também uma interessante metáfora na história do bebê elefante com a jornada pós-divórcio de Kate.

Kristin Davis e Rob Lowe fazem um ótimo casal em tela, a química funciona e os atores entregam genuíno carinho entre seus personagens. Ainda que roteiro possa ser facilmente decifrado desde o início, ele constrói com eficiência a maneira com que eles se aproximam, não parecendo forçado nem repentino demais. Interessante notar que o título em português encaixa melhor para o longa do que o original “Holiday in the Wild” (algo como “festividades na natureza”), já que essa é muito mais uma comédia romântica com pitadas de elementos natalinos do que um filme de natal temperado com romance.

“Resgate do Coração” é um filme de segunda categoria, mas mesmo com toda a sua previsibilidade e artificialidade, consegue ser adorável e ser uma obra com reais sentimentos. Maravilhosamente tolo, oferece vários elementos para quem gosta de curtir uma narrativa que pode até ser simples e de fácil digestão, contudo está repleta daquele sentimento gostoso de uma boa comédia romântica.

Bruno Passos
@passosnerds

Compartilhe

Resgate do Coração (Netflix, 2019)

Holiday in the Wild - Ernie Barbarash

Abandonada pelo marido, uma nova-iorquina encontra um novo sentido na vida ao se aventurar em um safari na África.

Roteiro: Neal H. Dobrofsky, Tippi Dobrofsky

Elenco: Rob Lowe, Kristin Davis, Fezile Mpela, John Owen Lowe, Colin Moss, Hayley Owen, Faniswa Yisa, Thandi Puren, Renate Stuurman, Lynita Crofford, Keeno Lee Hector, Waldemar Schultz, Tapiwa Musvosvi, Stevel Marc, Olivia Krevoy

Compartilhe