Cinema com Rapadura

Críticas   terça-feira, 28 de maio de 2019

Resgate em Malibu (Netflix, 2019): melhor ficar no fundo do mar

Filme da Netflix sobre adolescentes que treinam para ser guarda-vidas juniores na praia de Malibu escorrega num roteiro preguiçoso e apressado, atuações canastras e piadas sofríveis.

Resgate em Malibu” é um pequeno longa-metragem de uma hora e nove minutos que estreou em maio de 2019 na Netflix para servir de introdução à vindoura série de mesmo nome numa nova tentativa da empresa de streaming para conquistar público interessado em conteúdo amigável a toda a família. Honestamente, há uma grande variedade de outros produtos que não tratam seus espectadores como idiotas.

Aqui temos a história de Tyler (Ricardo Hurtado, da série “School of Rock”), adolescente mais ou menos rebelde com dificuldades de relacionamento com seu padrasto Roger (Jeff Meacham, “Acabando com o Sossego”), que o inscreve no projeto de guarda-vidas juniores da praia de Malibu na esperança de que isso ponha o enteado na linha.

O tom altamente infantil da obra não justifica o roteiro com furos do tamanho de crateras e a enorme imbecilidade com que trata o que tenta se passar como humor. Em vários momentos, a história se contradiz, o que acontece numa frequência impressionante para um filme tão curto. O diretor Savage Steve Holland (“Rufus 2”) parece ter feito a escolha de investir na comédia e, com isso, deixar a narrativa básica de lado. Além de ser uma decisão errônea, o que tenta se passar por cômico na obra se transforma num festival de vergonha alheia poucas vezes testemunhado.

Os atores são caricatos e interpretam personagens unidimensionais. O desenvolvimento dos personagens é praticamente nulo e as resoluções, quando aparecem, são do mais absoluto nada. Apenas o protagonista tem uma trama com início, meio e fim, mas tudo atropelado por piadas sem graça, resultando numa total falta de impacto. Temos aqui a presença de Ian Ziering, o Steve de “Barrados no Baile” que também é estrela de vários filmes da franquia “Sharknado”. É um ator que poderia trazer algo de divertido ao longa, mas também é jogado num antagonista besta com motivações estúpidas que resultam em piadas forçadas.

Não ajuda o filme ser tão previsível. Há diversos casos de obras com enredo facilmente adivinhados, mas que mesmo assim rendem bons longas por apresentar uma jornada bem executada. Não é o caso aqui. A sensação de que faltam partes importantes no desenvolvimento dos personagens dura do início ao fim. Parece um compilado de cenas isoladas com as mesmas pessoas, mas sem a coesão necessária para dar chance ao público de se conectar com alguém.

O baixo valor de produção só piora a experiência. Há, basicamente, um único cenário que é a praia, que parece minúscula. Há um caranguejo mecânico (mal) usado em piadas que não funcionam e há uma cena de perseguição tão mal montada e com uma música tão brega que levará centenas de mãos ao encontro das testas de seus donos.

“Resgate em Malibu” veio para conquistar fãs para a série que estreia pouco tempo depois de seu lançamento, mas um humor sofrível, personagens entediantes, atuações canastríssimas, trama altamente previsível e roteiro preguiçoso acabam resultando num filme cansativo, chato e simplesmente mal feito que não ajuda a ganhar os corações de novos fãs.

Bruno Passos
@macacaosapao

Compartilhe

Resgate em Malibu (Netflix, 2019)

Malibu Rescue - Savage Steve Holland

Em apuros por aprontar demais, Tyler é forçado a passar o verão treinando em um programa de salva-vidas de elite para adolescentes.

Roteiro: Jed Elinoff, Scott Thomas

Elenco: Ricardo Hurtado, Breanna Yde, Jackie R. Jacobson, Abby Donnelly, Alkoya Brunson, Ella Gross, Bryana Salaz, JT Neal, Curtis Armstrong, Ian Ziering, Jeremy Howard, Jeff Meacham, Catia Ojeda, Camaron Engels, Treisa Gary, Michael Mourra, Austin Fryberger, Molly Haldeman, Rodney J. Hobbs, Mary Passeri

Compartilhe