sexta-feira, 26 de junho de 2015

RapaduraCast 427
Divertida Mente! Obrigado #Pixar!

Fique a vontade para participar do nosso debate, porque aqui você sabe: "Assistir é apenas o começo"!

Aperte o Play para começar o RapaduraCast Aperte o para começar o RapaduraCast

1x 1.5x 2x
0:00:00

A Pixar é conhecida por trazer grandes clássicos ao cinema, como Toy Story, Monstros S.A., Procurando Nemo, Wall-E e muitos outros. Nos acostumamos a esperar sempre uma obra de arte dessa turma. Quando nos últimos anos isso não aconteceu, muito se perguntou o que aconteceu com a Pixar. Cadê a criatividade? Cadê a inovação? Parece que eles decidiram reservar tudo para Divertida Mente. Nesse programa nos discutimos sobre essa preciosidade!

|| PARTICIPANTES
Jurandir FilhoRaphael Santos, Juliano D’Angelo e Fábio M. Barreto

|| PODCAST RELACIONADO
RapaduraCast 241 – Pixar Animation Studios

|| QUER SABER AS MÚSICAS TOCADAS?
Siga a playlist do RapaduraCast no Spotify

|| ASSINE O RAPADURACAST
iTunes: Tem iPhone/iPad/Mac? Adiciona aí!
Android/WindowsPhone: Esse link é o do feed/rss do sucesso!

|| NOSSOS CONTATOS
Youtube: RapaduraTV
Instagram
: @cinemacomrapadura
Twitter: @rapadura
Facebook: /cinemacomrapadura
E-mail: rapaduracast@cinemacomrapadura.com.br

Compartilhe

Participantes

Fabio Barreto
Fabio Barreto
@fabiombarreto
Juliano Dangelo
Juliano Dangelo
@jucadangelo
Jurandir Filho
Jurandir Filho
@jurandirfilho
Raphael Santos
Raphael Santos
@phsantos

Ouça Também


  • M_Tulio

    OBRIGADO PIXAR!

  • Gustavo Pereira

    Eu acho os filmes da Pixar todos iguais se animam objetos,coisas e agora emoçoes e elas são retiradas da zona de conforto e tentam voltar pro seu lugar.EX Toy Story 1,2 e 3 , Carros 1 e 2 , Valente , Nemo , Vida de Inseto … tudo igual

    • Guilherme Mendes

      Mas esse não é o ponto de partida de todos os filmes?
      Se não houver essa quebra de “zona de conforto” não tem motivos pra contar a história.

    • Michel Melo de Souza

      Acho esse argumento furado, ele não quer dizer nada, cada filme continua tendo particularidades, personagens magníficos, e histórico incrível.

    • Júlio Santa Rosa

      Nunca vi um filme com “era uma vez uma pessoa que viveu feliz, sem problemas, casou e fim!”

  • Éwerton Souza

    Um baita filme!
    Estava esperando esse cast, o melhor filme de todos os tempos nessa ultima semana.

    Uma aula literalmente de sentimentos.

    • Luis Carlos Rodrigues

      o melhor filme de todos os tempos nessa ultima semana(!?!), ok…

  • Denise

    Não consigo baixar… tá demorando muito!
    Toda vez é assim… que triste…

  • Rodrigo Silveira da Silva

    Eu assisti em 2d dublado e teve o curta.

  • Arthur Zopellaro

    Assisti em 2D (Campos dos Goytacazes – RJ) e passou o curta Lava também!

    Editado: Vou editando conforme vou ouvindo!

    Realmente, pra mim o filme mostra a realidade. Agora acredito que a cabeça de todo mundo funciona igual ao que o filme propõe hahaha.

    Sobre a emoção que fica no controle, assim como na vida real, sempre existe aquela pessoa que é lider por natureza, e mesmo que ninguém tenha colocado ela nessa posição, ela acaba tomando controle da situação pelo bem daqueles a sua volta.
    E isso é o que acontece no filme. No caso da Riley, a lider era a alegria.
    Ninguém disse para a alegria assumir o controle, ela simplesmente assumiu.
    Com essa ideia, cada pessoa tem uma emoção lider.
    Mas conforme crescemos, nossas emoções aprendem a trabalhar em conjunto e a emoção lider deixa de operar sozinha.

  • Rodrigo Silveira da Silva

    Eu moro em Florianópolis

  • Fellipe Xenofonte

    O que foi essa música do Hillsong, hein? Muuuito top! Show

    • Conde Ferreira

      “From the inside out” jovem 🙂

  • André Lucas Paes

    Filme foda! Chorei horrores e saí muito feliz 🙂

  • Weverton Allan

    Pow Juras, eu assistir o filme em 2D e passou o curta. Assistir o filme no Cinepolis e moro em Natal-RN

  • Alexandre de Paula

    Assisti a sessão em 2D (Cinemas Cinesystem, em Hortolândia / SP), e passou o Lava…que é lindo! Comecei a chorar ali mesmo rsrs

    Mas eu fico até sem palavras pra falar de Divertida Mente. Comentei algo já na crítica do Siqueira (que inclusive senti falta dele nesse cast), e vocês já disseram TUDO!
    Esse filme pegou meus sentimentos e lembranças, mexeu e mexeu, e devolveu pra mim lavadinho! O filme ia passando, e eu ia me identificando com tudo, pois já passei por várias daquelas situações e entendi minhas reações depois disso.

    A Pixar está de parabéns e merece nota máxima pra esse filme! Com certeza no final do ano, eu estarei pensando seriamente nele como o filme mais importante do ano de 2015 pra mim.

    Sobre as continuações, sai do cinema com o mesmo desejo. Inclusive, até imagino uma trilogia, sendo o próximo na transição da Riley da adolescência pra juventude e maturidade, e o terceiro na transição dela constituir uma família e ter seus próprios filhos, fechando o Ciclo Sem Fim *-*

    Excelente cast, parabéns e obrigado por me fazer chorar durante o cast

  • Sarah

    Assisti em 2D no cinema Del Passeo (em Fortaleza) e passou o Lava
    Adorei o filme, comecei a chorar no curta.

  • Alex Fonseca Silva

    pra começar este é o primeiro filme em que eu chorei no cinema. Acho que o fato de ter homem e mulher na cabeça da menina pode ser o fato de não decidir o que é ainda, sobre sexualidade? pq o pai são todos homens e a mãe são todas mulheres. Acho que as emoções chegam a um equilíbrio mas 1 é predominante, na cena que a raiva percebe os palavrões é uma mudança de personalidade, como sou pai percebo que a minha filha inverte palavras de sentido, ou acha graça de algumas coisas fora de -bigode-. Esta transição, no caso dela, teve a motivação da mudança que levou a uma mudança de controle, cada uma das mentes ali pode ter tido seus motivos que geraram o temperamento dominante, no qual um assume o controle = solidificação da personalidade; o pai passou por alguma raiva no momento de transição; a mãe por algum medo. E concordo muito com quem disse (não lembro quem) que a pior coisa e não ter sentimento, ouvi certa vez que o oposto do amor não é o ódio e sim a indiferença, concordo bastante com isso, e me parece também o diferencial humano da existência, achei interessante que não tem razão como uma coisa lógica, ficaria meio robotizado? o equilíbrio das emoções é que geram as razões/motivações. Também gostei muito da reflexão de que o cérebro sem emoções no comando fica negro, muito bom. Talvez a coisa de ser cabeça de mulher coisa de mulher seja por causa da dublagem, em inglês cada sentimento tem apenas 1 dublador certo? em português muda, tanto que a raiva e medo da filha tem a “voz” de raiva e medo do pai, e os outros sentimentos a mesma “voz” da mãe.
    Nota 10.

    • Alexandre de Paula

      Alex, na verdade vamos tomar a cabeça da Riley como padrão. Nesse caso, não tem problema algum misturar personagens masculinos e femininos lá, pois fica mais fácil trabalhar as características predominantes (EX: a raiva tem muito mais vinculo com a imagem do homem do que mulher).

      Então, porque na cabeça dos pais não é assim? Somente pelo fato do filme ter muito pouco tempo dentro da cabeça deles, e não teria tempo de trabalhar essas características. Ou seja, acaba-se deixando uma figura padrão pra cada um, homens na cabeça do pai e mulheres na cabeça da mãe, pra associação ser mais rápida e objetiva.

      Ou seja, não teve a ver com sexualidade. Sei que o tema tem estado em alta hoje em dia, mas não foi o foco ali, até mesmo pois em nenhum momento do filme isso é sugerido ou trabalhada essa questão.

      • Alex Fonseca Silva

        só pensei, pode ser alguma coisa como herança familiar também, tipo… tem o olho da mãe, o cabelo do pai.

        • Fábio M. Barreto

          Provavelmente é só para não alienar os meninos e colocá-los na parada também. Afinal, criança ainda não pensa nessas coisas! seu pervertido! =D hahahah

          • Alex Fonseca Silva

            kkkkkalma la, rsrsrs

      • Júlio Santa Rosa

        Porra cara, tu tocou em um ponto foda que não parei para pensar. E agora pensando… Todos nos temos um lado exato e outro subjetivo da nossa cabeça, uns são mais voltados as artes, outros mais as coisas exatas da vida. Isso é fator preponderante quando definimos nossos gostos e vontades, e não tem nada haver com sexualidade. Sempre gostei de literatura, sou bailarino e voltado para as artes, assim como minha irmã sempre teve mais aptidão e gosto por futebol e em momento nenhum isso ditou nossa sexualidade. A personagem do filme é feminina, mas prática Hockey que é um esporte mais agressivo e etc, nada mais natural que ela tivesse presença masculinas em sua cabeça, principalmente da Raiva que é o que ela mais utiliza na hora do jogo. Fora tudo isso, talvez eles nem tenham pensado nisso quando fizeram, talvez tenha sido aleatório, mas é só para você ver, como esse filme tocou a gente e sim, também nunca tinha chorado dentro de uma sala de cinema e chorei feito criança. Vi várias crianças perguntando aos seus pais ” Porque você tá chorando ?” Pixar <3

  • PsicoHélder Soúlima

    Filme nota 10.Em tudo até na dublagem.

    Parabéns PIXAR!!!!!

  • Hugo Meira

    Filmaço! O melhor do ano até agora.

  • Diogo Maia

    Consegui ver legendado em 3D e com o curta Lava na única sala em BH que está passando as animações legendadas. É um filmaço, o segundo melhor da Pixar, ficando atrás apenas do genial Wall-E. Esse desenho conseguiu explicar de uma maneira simples o que acontece na cabeça da gente. Muito criativo e engenhoso e que vai agradar todo mundo, dos pequenos até os marmanjos. Nota 10 com louvor!

  • Evilasio Costa Junior

    Oh Juras e PH lá no Aldeota e no Pátio Dom Luis onde vi, ambos passaram o Larva. No Aldeota eu vi em 2D e no Pátio Dom Luis eu vi em 3D.

  • rubber&soul

    Só tenho uma coisa pra dizer sobre esse Rapaduracast: “I lava you” 😉

    O Jeffrey Ratzenberger é considerado o pé-de-coelho da Pixar. Ficou meio que uma brincadeira e tradição do Estúdio deixar um papel ou ponta pra ele em todos os filmes. Tipo o Stan Lee nos filmes Marvel.

  • Bunitinho mas Ordinário

    Gostei , segunda semana seguida com podcast. Ótimo.

  • Ops

    Gente, não foi Carros o último filme da Pixar antes de ser comprada pela Disney?

  • Junior Abreu

    Ótimo cast, melhorou mais ainda a experiência com o filme. Divertida Mente é irretocável, genial da concepção até o último minuto. Uma pena que acho que não vá explodir tanto em bilheteria, pois foi lançado numa época difícil. Tem Jurassic World devastando tudo, Minions que está muito distante de Divertida Mente como filme, mas conversa mais “rapidamente” com as crianças e semana que vem ainda tem Exterminador do Futuro… De qualquer forma, tomara que muitas pessoas tenham acesso a essa obra prima da criatividade.

    • Mico Angelo

      Excelente comment.

  • gloria

    Só faltou o Afonsinho Solano.
    Ele é muito engraçado.

    • LUNATIC

      Só que não.

      • Cesar Adr

        O Afonso Solano é engraçado. Vários programas demonstram isso.

        • LUNATIC

          Só que não.

          • FeYuri

            eu gosto dele cara, dou risada sim!

    • Procure pelo MRG, podcast que ele faz parte…
      Toda sexta um novo programa.

  • Wilkson Luiz Silva

    vou assistir de novo

  • Jorge Virgilio

    Assisti no Cinemark de Botafogo, no Rio, em 2D e tinha o curta.

  • Yuri Dobelli

    Só para deixar avisado, eu assisti o curta Lava em uma sala 2D, provavelmente deve ser um problema com a distribuição do cinema da sua região. (São Bernardo do Campo -SP , Shopping SBC).

  • Fernando Machado

    Eu tenho uma Ilha Chamada “Música / Livro / Cinema / Quadrinhos que me fazem chorar”

  • Henrique Tavares

    Só tenho dublado na minha cidade. Vale a pena?

    • Yuri Dobelli

      Sim.

  • Carolina Ribeiro

    Adorei! <3
    Assisti em 2D e passou o Lava sim! (sou de Campinas-SP)
    É muito lindo! *_*

  • GR

    Eu tenho uma ilha da gastronomia que deve ser parecida com o Epcot! rs

    Eu tb devo ter uma ilha de quebra-cabeças resolvendo palavras cruzadas, mistérios etc

  • Mico Angelo

    Jurandir, aqui em Porto Alegre eu vi no 2D no dia de hoje e passou o Lava antes do divertidamente. Emocionou muito a historinha do casal de vulcões. Fui obrigado a “reouvir” o episódio do cast após ver Divertida Mente. Baita episódio! Abraços a todos!

  • Diego Ferreira

    Aqui em São Leopoldo/RS passou Lava na minha sala em 2d.
    E se tenho algo a dizer sobre Divertida Mente, é que ele se tornou uma memória base na minha formação como pessoa.10/10

  • Paulo

    Não, o Fabio Barreto Nãããããããããããããããããããããããããããão.

  • Que filme lindo, finalmente a Pixar se reencontrou nas suas produções!
    História muito boa, emocionante, com uma mensagem sensacional.

    Bonitinho aquele curta Lava, do casal de vulcões, boa história de amor.

  • Jadson Buarque

    Aqui em Maceió, vi o curta em 2D.

  • Daniel Bras

    Sensacional o Cast, parabéns novamente galera. Pra quem quer conhecer mais sobre a Pixar e sobre o processo de criação dos filmes, eu indico o incrível livro “Criatividade S.A.” do Ed Catmul que é um dos fundadores da Pixar. o livro é fantástico e fala muito sobre tudo que rege a Pixar, o critério de escolha dos filmes e toda a paixão que eles tem por contar historias.

  • Camila Ochoa

    Lindo e esperado podcast! 🙂
    Assisti em 2D aqui em São Paulo e também passou o curta Lava!

    Uma ilha na minha cabeça? Com certeza a ilha dos filmes e seriados!

  • Camila Ochoa

    Lindo e esperado podcast! 🙂
    Assisti em 2D aqui em São Paulo e também passou o curta Lava!

    O filme é sublime…
    Afinal…In Pixar we trust…

    Uma ilha na minha cabeça? Com certeza a ilha dos filmes e seriados!

  • Adriano Alves de Sousa

    Não assisti o filme. Não cheguei nem na metade do podcast. E já estou chorando como um ninja silencioso.
    Obrigado Pixar!!

  • Darklinker

    Não sei se alguém já compartilhou esse video, mas taí:

    https://www.youtube.com/watch?v=JuyB7NO0EYY

    • Alex Fonseca Silva

      WOW

  • André Curvêlo

    Eu tenho uma Ilha do Pokémon :v haha

  • Thiago de Melo Costa

    Para mim uma das grandes belezas desse filme é conseguir explicar tantos conceitos complexos de maneiras aparentemente simples e acessíveis, mas ainda profundos.

    Quem já teve que explicar algo acadêmico sabe a dificuldade de traduzir teorias em algo simples, direto e palatável a todos

    Parabéns PIXAR

  • rafafotes

    Minha ilha da dignidade é frequentemente destruída por um tsunami de álcool…

  • André Torres

    Palmas para trilha sonora com Hillsong

    • Conde Ferreira

      “From the inside out” – 0 /

  • Italo Shaberle

    Tenho a ilha do videogame, com Super Mario World e FF Tatics de atrações principais xD

  • jardel

    Que isso hein , from inside out do hillsong united rolando na trilha sonora deste podcast , excelente musica , de quem foi a ideia ?

  • Lourival Bogéa

    Eu fico imaginando como é a mente de quem teve a idéia desse filme, todo o conceito é fantástico…. mas confesso que dormir duas vezes durante o filme… talvez seja cansaço…. irei ver de novo com mais calma… não achei um filme fácil para as crianças pequenas entenderem…. na minha seção tinham muitas e ouvi poucos risos durante a seção toda… bem da pra ver que é um filme mais maduro do que Os Minions por exemplo.

  • Luciano Valério

    Filmaço… Filme de criança pra “gente grande” ver e ficar refletindo horas sobre si mesmo!

  • Caique Soares

    Eu assisti em 2D em SP, e vi o curta!

  • Barbarian

    Olha Hillsong no RapaduraCast! :O *-*

  • Barbarian

    Sobre o cast:

    – Sim, a Pixar sempre quis não só animar o inanimado, mas imbuir emoções ao inanimado. Não precisa ir muito longe, a gente já tem isso na logo da empresa! A luminária com seu “filhote”, naquele curta, jogando a bola. Quer um exemplo maior do que esse? 😀

    – Eu vi num cinema normal, do Kinoplex, com um 3D bacana, mas senti ele meio subutilizado. Tirando umas 4, 5 cenas (com destaque para a cena GENIAL da desconstrução das ideias), o 3D meio que passa ao largo;

    – “Dizer que a Disney não é dizer que é uma coisa ruim”, concordo! Up é um dos meus favoritos :’)

    – Eu não vejo a questão das emoções dos pais nem como o Juras nem como PH. Eu entendo que em algum momento uma delas controlou – talvez na juventude -, mas posteriormente elas entraram em equilíbrio. Foi isso que eu vi; naquele ponto posterior, todos os sentimentos são “iguais” em seu formato porque não há distinção de fato, embora tenha havido no passado. A maturidade expande o painel (GENIAL!) e equilibra as forças das emoções ao ponto de as alinharem;

    – E é interessante, eu fui obrigado pelos meus pais a fazer natação e a estudar inglês. Eu odiava, e eles ainda me forçaram durante uns anos, e hoje são duas das coisas que mais amo na vida – e o inglês é o que paga minhas contas há 7 anos. Foi um ótimo ponto;

    – E as minhas ilhas são a Ilha da Escrita ou Ilha dos Livros, a Ilha de Filmes Antigos e a Ilha das Viagens (:

    Por falar em escrever, pus uma resenha no meu site, escrita no dia que fui ao cinema:
    https://resenhaspontojao.wordpress.com/2015/06/19/divertida-mente-2015/

    Ótimo cast!

  • Gounford Thiago

    Só digo isso, infelizmente…

    • Alan Zim

      Também neh,padrinhos mágicos era FODA!!

    • Leonardo Mourão

      Claro, com a mesma profundidade e carisma!

      • Gounford Thiago

        Só para polemizar mesmo, mas os dois ficaram muito bons!

  • Henrique Tavares

    Uma dúvida: qual é realmente o papel da Nojinho? Ela é um guia social ou é o cuidado para não comer coisa estragada e odiar brócolis? Ficou muito estranho, é claramente uma mescla menos elaborada daquelas outras emoções, pra poder manter certas situações e piadas funcionando no roteiro.

    Li entrevistas com artistas que ela é muito julgadora. Então ela em si é mais negativa que a Tristeza, porque a Nojinho leva tanto ao preconceito quanto ao esnobismo, ao mesmo tempo que o senso de julgamento pode ser importante para empoderamento. Também diz que ela é mais atenta, levando ao ceticismo. Mas o filme não trabalhou quase nada disso…

    • Guilherme

      Concordo com o seu ponto quanto a ela acabar parecendo que tem menos importância que as outras emoções ali, mas creio que o papel dela é o de ser o senso crítico, por vezes sendo mais analítica, reflexiva e até ácida.

    • Júlio Santa Rosa

      Talvez é por ser um sentimento que pode ganhar mais força e expressão na puberdade por exemplo, acredito que na infância seja bem óbvio assim mesmo, mas como os meninos do cast disseram, a gente acaba por querer saber o que acontece na mente das outras pessoas e como chegaram até ali, é um “universo” grandioso para se trabalhar, então talvez para um segundo filme.

  • Juliano Geremias Medeiros

    Eu assisti Divertidamente em Porto Alegre em 2D e passaram o curta, mas eu assisti no digital, então, bom, não sei

  • Pablo San Martín

    Jurandir, vi em Caucaia em 2D e teve o curta do larva… estranho essa decisão de não passar no curta no cinema que você foi (Iguatemi?).

  • Guilherme

    Ótimo cast. Levei meu filho e adoramos o filme. Vi em 2D e passou o curta antes. Pode ter sido alguma particularidade da cópia ou mesmo do esquema do cinema, que podou o curta com a finalidade de montar os horários que achava mais adequado para a sala.
    No final da película, foi notório pra mim que conseguiram englobar vários conceitos de psicanálise com uma linguagem mais acessível para as crianças. Tanto que foi bem bolado representarem o subconsciente como um porão de fato.
    E assim como o Juca, também devo ter uma ilha da natureza, porque sempre precisei e continuo precisando entrar em contato com ela, com relativa frequência, para recarregar as baterias.

  • GR

    O filme é maravilhoso e esse episódio do Rapaduracast tb. Mas não vi vcs mencionando a paulada que a Pixar dá na Dreamworks com o “Dream Studio”. Eu entendi que depois do fracasso de Os Croods, tentativa da Dreamworks ser mais como a Pixar, a Pixar aproveitou Divertida Mente pra mandar um “fiquem na sua e façam filmes mais de fantasia que é o seu forte”. É isso. Abraços!

    • Alerson Sousa

      Eu discordo que Os Croods tenha sido um fracasso.
      É uma das melhores animações (sem ser sequência eu digo) dos últimos anos do estúdio.
      Além de ter sido um sucesso de bilheteria.

      Assim como a Disney e a Pixar conseguiram uma reviravolta, espero o mesmo da Dreamworks.

  • Alan Zim

    Só achei uma coisa estranha,faz sentido ela ter poucos sentimentos porque é uma criança,mas não deveria haver mais sentimentos na cabeça dos adultos,tipo o amor?

    • Júlio Santa Rosa

      Mas o que é o amor , se não um misto de sentimentos? Acho que eles conseguiram definir bem alguns sentimentos primários e mostraram que a pessoa desperta coisas diferentes baseados no que comanda.

      • Alan Zim

        Concordo e tentei ver por esse lado também,porém acho que o amor também poderia ser um sentimento base,como já foi em outros casos,e historias com um tema parecido,pois não sei se o amor é uma mistura de sentimentos,acho que o amor é quem causa vários sentimentos,as vezes quando você está apaixonado e vê quem ama,você se sente muito feliz(amar traz felicidade,não felicidade traz amor),mas quando termina o namoro com quem ama você fica triste ou irritado,além disso através do amor você desenvolve a afeição,compaixão,misericórdia,paixão,libido etc,por isso eu esperava que ela desenvolvesse esse amor com o tempo,talvez ao conhecer um garoto na escola,e o amor dividiria o controle com os outros,mas talvez isso bagunçaria o filme sei la,mesmo assim não é algo tão importante,pra mim ainda é 10/10.

        • Júlio Santa Rosa

          talvez sim, acho que tudo é possivel nessa transformação de sentimentos, é a parte do filme de nos fazer imaginar.

    • Leonardo Molina

      cara, nessa de simplificar os sentimentos principais, o amor não seria mais uma memória central do que um sentimento? provavelmente seria o misto dos sentimentos em uma memória principal da pessoa

  • Ivana Amarante Bombana

    1 – Então, no momento em que o painel vai perdendo as cores, tive a sensação que a “Ideia” que foi encaixada lá em VOLTAR PARA CASA me pareceu aquela “ideia fixa” que colocamos na nossa cabeça, onde apenas enxergamos aquele único objetivo. Os sentimentos tentam retirar essa “ideia” e ela não sai de nenhum jeito, pois quando seguimos esse objetivo parece que ficamos cegos e não conseguimos ter discernimento e juízo, apenas executamos o que foi programado anteriormente. Quando finalmente aquela “ideia”sai, ela consegue raciocinar novamente e cria consciência do que estava fazendo. Achei que o vilão da história é esse julgamento que criamos do que é “certo” sem ponderar todas as questões que estão envolvidas e vamos executando sem pensar nas consequências, como se essa ideia calcificasse qualquer raciocínio.

    2 – o momento em que o sentimento da família tinge em duas cores, como forma de amadurecimento, além da nostalgia que vocês comentaram, também demonstra que a família é essa tristeza e alegria juntas, pois ao mesmo tempo que nos enche de amor, é nesse primeiro micro cosmos que vivenciamos as primeiras dores, frustrações e desentendimentos.

    3 – sobre o nosso amigo elefante, pensei como seria se ele voltasse para a sala de comando… e imaginei as pessoas que vivem com ele lá dentro, tanto por escolha, ou por algum acidente e etc. Seria como ficar criança o resto da vida. :~ essa mensagem, é muito forte!

    4 – e não menos importante: é o primeiro filme onde a protagonista é uma menina e não é uma princesa! tem uma vida normal e não foge de casamento ou algo do tipo. Dizem que esse sim, é o primeiro filme com uma protagonista feminina de verdade 🙂 e mais “real”sem ser da realeza 🙂

  • Paulo Henrique

    vi em SP em 2D NO SHOPPING INTERLAGOS e teve o curta do Lava

  • Alvaro

    Hoje (08/07/2015) é o último dia que o filme passa em três sessões diárias. Não sei se ele vai continuar passando em uma só, enfim.

    Assisti o filme ontem, com a sala lotada e, além das crianças, vários marmanjos se emocionando com o filme.

    Esse vai ser mais um bluray que vai integrar meu pequeno porfólio.

    Bora ouvir o cast (que eu esperei duas semanas pra poder ouvir lol)

    • Alvaro

      E na sessão passou em 2D no Cinemark em SP, Juras. Só pra constar.

  • Raphael Carmo

    Juras eu vi na Sala 10 do Iguatemi e passou o curta. Parabéns pelo Cast, me fez perceber várias camadas que não tinha visto

  • Felipe Licca

    Jurandi,
    Meu nome é Felipe sou do rio de janeiro e assisti ontem no Kinoplex do shopping Tijuca divertida mente em 2D e tinha o curta de inicio do filme.

  • Lucas Cassemiro

    Gostei da trilha do HIlsong.

  • Carlos Junior

    Jurandir Filho eu assisti 2D no shopping Jockey aqui em fortaleza é passou o curta.

  • Thiago Higashi

    Mestres rapadurianos!! Não achei que a pixar voltou ainda. Talvez não volte mais por causa da Disney e suas polices. A Pixar se diferenciou das outras (inclusive Disney) e entrou em sua segunda fase de ouro quando o universo juntou Andrew Stanton, Brad Bird e john Lasseter na mesma mesa. Os roteiros eram bizarramente acima da média e muito autorais, geralmente escritos pelos próprios diretores. Como disse PH, existia uma ideia por trás de tudo, uma alma. Divertida Mente foi um bom arremesso, mas os records ainda estão bem acima deste. Você se importa com algum personagem além do amigo imaginário e, estranhamente, das ilhas quando caem? Riley é quase um robô e os personagens da mente são caricatos demais. Personagens com alma eram a fórmula da Coca-Cola que ninguém conseguiu fazer como eles fizeram entre Nemo e Up. Claro que Juras discorda porque gosta mais da fase de ouro 1, e esse filme combina muito com ela.

  • IGOR AZRAK

    Eu vi em 2d e vi o curta. Cinema cinepolis.

  • Renan M. Sampaio Motta

    Um filme que conversa muito mais com o público adulto, com mensagens e
    alguns aprendizados. Resultado na sala de cinema: Crianças rindo e
    adultos chorando….. mas é claro, também gargalhamos 🙂
    Como filme eu sinto problemas, mas foda-se, quero dar 10/10 e sim, é o retorno da PIXAR à boa forma.

  • Vinicius Martarello

    Assisti hoje, num cinema Play Arte em Santo André, ABC Paulista.
    Sensacional, simplesmente sensacional. Sessão em 2d, comum, e teve o curta no início o.O

  • Leonardo Mourão

    Juras ta zicado, geral que viu em 2D viu o curta, inclusive eu! o/

  • Rodrigo Deway Bacelar

    Só consegui assistir ao filme nesse fim de semana. Vi em 2D e tinha o curta do “Lava”. É bom, mas a Pixar já fez melhores.
    Já o filme em si é uma obra prima. Prevejo que o mesmo será muito utilizado por psicólogos infantis a partir de agora, pois a retratação das emoções é clara e direta, conquistando crianças e adultos. “Divertida Mente” conta uma história rica e cheia de “camadas”, mas sem nunca ser muito complicada ou arrastada.
    Eu e minha esposa saímos do cinema com um enorme sorriso no rosto e passamos o dia inteiro fazendo piada um com o outro com relação a qual emoção está nos controlando a cada momento.

    PS: Que bom ver Juca, PH e Barreto juntos no mesmo cast. Pra mim é de longe a melhor formação possível do Rapaduracast!!

  • Cristiana Sbardella

    Certeza que eu tenho uma ilha das artes =D

  • Cristiana Sbardella

    E sobre o curta metragem antes do filme, eu também assisti na sessão 2D e passou o curta sim (Achei bonitinho, mas como alguns já disseram aí, a pixar já fez melhores)

  • João Rafael

    Olá, pessoal. Vi em 2D no Espaço Cinema Itaú em Brasília. Não é por nada não, mas passou o curta antes. Estranho não passar no cine em que o Juras foi…

  • SPOILER PEQUENO:

  • André Leite

    Excelente cast.
    Juliano, meu rapaz, você precisa participar mais.
    Na verdade, o design da Nojinho foi concebido pela primeira experiência alimentar negativa da protagonista: brócolis!

    Parabéns pelo trabalho de vocês e obrigado Pixar!

  • HILLLLLSONGGGGGGGGGG HAHAHAHAHA O/

  • Cara esse rapaduracast já subiu ao top 10 só por ter Hillsong!!!!!!

  • Jurandir eu vi em 2D e assisti o curta, moro no São José dos Campos SP agradeço ao Cineflix XD

  • Conde Ferreira

    “From the inside out” do Hillsong – faz parte da trilha do “Divertida-Mente” ?….

  • Conde Ferreira

    Jurandir … aqui em SP no Cinemark .. assistir em 2d e passou o culta antes sim…

  • Conde Ferreira

    Minhas ilhas… .
    Ilhas Base: “Família” , “Igreja” , “Amizades”…
    Ilhas Adicionais:
    “Mundo gamer”, “Artes Marciais” , “Mundo geek/Nerd” , “Relacionamentos/Namoro” , “Musica” , “Profissional” , “Estudos” …

  • Ronan

    Eu vi em 2D e vi sim o curta. Moro em Vitória-ES

  • thiagoscalone

    Bobos os adultos que pensam que aproveitam mais o filme, e que entendem e interpretam mais o filme do que uma criança. A imaginação de uma criança foi muito, mas muito, além do que já mais chegaremos como adultos. 🙂

  • Moura Zé

    Caras,
    Ainda não assisti o filme, mas graças a vocês estou louco para ver. Ah, e vocês têm razão quando dizem que os psicólogos vão adorar. Vejam os comentários desse site “Psicologia e Cinema”: http://www.psicologiaecinema.com/2015/07/divertida-mente.html#more

  • Alexandre de Paula

    Já havia ouvido antes, mas vim ouvir agora de novo pois chegou meu Blu-ray ^^

    E o PH puxou assunto sobre continuação no final do programa… falando nisso, tem um extra no Blu-ray sobre o “Primeiro encontro da Riley” e é engraçadíssimo!!! Vale a pena conferir 😉

  • Raphael Teodoro

    É incrível com boa parte da população não entende a profundidade desse filme, e ficou insatisfeito porque não tinha piadas

  • Bunitinho mas Ordinário

    Divertidamente o segundo melhor filme da Pixar , depois de Nemo.

  • Alexandre de Paula

    Vim do futuro pra dizer que Divertida Mente ganhou o Oscar de melhor animação <3

  • Rodrigo Mendes Mesquita

    Ilha da nerdisse, deve ser a minha ilha base