Críticas   quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Os Mercenários (2010): um filme pífio e muito sem graça

Sylvester Stallone reúne em elenco de brucutus para trazer a aura dos filmes de ação dos anos 1980 de volta aos holofotes. O resultado é um filme que já nasceu datado e que só se sustenta pela curiosidade de ver tantos “astros” de ação juntos.

A despeito de ter detonado o Brasil e dado o calote em uma produtora nacional, para o bem e para o mal, Sylvester Stallone faz parte da história do cinema. Mais precisamente da história dos filmes de ação dos anos 80. Ele, juntamente com Arnold Schwarzenegger, por exemplo, ajudou a definir um tipo de cinema bastante popular na época e que não fugia às suas próprias regras: heróis solitários, quase exércitos de um homem só, geralmente traumatizados e prontos para dilacerar os inimigos, com facas, armas de fogo ou o que mais estivesse à mão.

Stallone criou um ícone seguindo essa fórmula (Rambo), e Schwarzenegger a levou adiante (“Comando para Matar”). Entre eles, uma série de heróis coadjuvantes que protagonizaram filmes menores, mas fiéis ao gênero: Jean-Claude Van Damme, Steven Seagal, Dolph Lundgren etc. Em tempos de Guerra Fria, os inimigos eram os comunistas e os países ditatoriais, e esses heróis viraram símbolos da Era Ronald Reagan.

O tempo, porém, passou. Reagan e a Guerra Fria viraram coisa do passado. O politicamente correto começou a tomar conta do cinema. E esse tipo de filme perdeu força para um cinema de ação menos viril e mais apoiado em efeitos especiais, com heróis mais humanos e frágeis e com a violência gratuita substituída por um tom humorado. Stallone e seus comparsas não apenas envelheceram como ficaram datados e perderam seu lugar no Olimpo dos heróis da sétima arte, hoje ocupado pelos personagens vindo dos quadrinhos.

Ciente de suas limitações e consciente de que sua imagem está atrelada demais a esse tipo de personagem, Stallone ressuscitou Rambo e, agora, reúne parte dessa galera do passado no derivativo “Os Mercenários”, filme que tenta emular os áureos tempos de quando ele ainda era um astro de verdade. Reside aí um dos problemas do longa. Ao mesmo tempo que tenta homenagear o datado cinema de ação oitentista, a produção se vale de alguns elementos contemporâneos para dar uma cara de atualidade à trama. A falha é que Stallone, protagonista, diretor e roteirista do longa, pega o que havia de pior dos filmes daquela época e mistura com o que, raramente, funciona hoje.

A trama é simples, básica e sem a menor vergonha de abraçar o clichê. Um grupo de mercenários parrudos é contratado por ninguém menos que Bruce Willis para “salvar” uma ilhota na América Latina que está sendo dizimada por um ditador. A desculpa comunista é substituída pelo tráfico de cocaína. A princípio, o bando liderado por Stallone na companhia de Jet Li e Jason Statham (tentando atrair um público mais jovem), desiste da missão por achá-la impossível. Mas eis que Stallone cruza com nossa Giselle Itié, filha do ditador disposta a morrer por sua ilhota, e os heróis decidem mesmo salvar a pátria, mesmo colocando suas vidas em risco.

É esse plot cansado de guerra, já visto e revisto tantas vezes, que serve de base para “Os Mercenários” desfilar diálogos infames, piadinhas sem graça, balas e mais balas e sangue em profusão. Os amantes do cinema descerebrado dos anos 80 vão urrar com prazer vendo os braços cortados, os pescoços degolados e o sangue vermelho estourando na tela. Ainda mais porque Stallone filma as cenas de luta e as explosões com a mesma câmera epiléptica do cinema atual, abrindo espaço também para cenas em uma câmera lenta totalmente desnecessária.

Stallone, o diretor e roteirista, também não se contém e apela para um tom emocional que escorrega no piegas e não ajuda em nada no desenrolar do filme, característica de seus trabalhos. As cenas em que Jason Statham (quem se sai melhor no filme, na verdade) entra em conflito com a namorada não contribuem em nada para o longa. Mesma coisa com a ridícula cena em que Stallone pede conselhos a um sentimental Mickey Rourke.

O resultado é  um filme pífio no qual nem as coreografias, coqueluche nesse tipo de produção, apresentam nada de novo e se perdem em meio a cortes acelerados e um ritmo capenga. Sem funcionar apenas por seu apelo saudosista (as participações de Willis e Schwarzenegger são decepcionantes, e as ausências de Jean-Claude Van Damme e Steven Seagal são sentidas e, talvez, suas presenças ajudassem o filme nesse quesito), “Os Mercenários” bomba feio e, talvez, tivesse um apelo maior se adotasse um tom de sátira. Não é o caso. O longa pode até funcionar como uma diversão rasteira para os que curtem um cinema de macho no qual o que vale é a quantidade de testosterona exposta na tela. Mas datado como é, para o espectador “comum”, ele parece mais uma piada sem graça já contada à exaustão.

Fábio Freire
@

Compartilhe

Os Mercenários (2010)

The Expendables - Sylvester Stallone

Barney Ross (Sylvester Stallone) é o líder de um grupo de mercenários, que realiza qualquer missão desde que ela seja bem paga. Entre seus companheiros usuais estão o especialista em facas Lee Christmas (Jason Statham), Bao Thao (Jet Li) e Gunnar Jensen (Dolph Lundgren), que têm demonstrado instabilidade emocional durante as missões. Um dia, Barney e sua trupe são contratados para derrubar o general Garza (David Zayas), ditador da ilha de Vilena. Barney e Lee vão ao local e encontram Sandra (Gisele Itiê), que deseja derrubar o governo. Só que logo eles são atacados pelas forças de Garza e de Monroe (Eric Roberts), um empresário americano que financia o governo local. Barney e Lee deixam Vilena e abandonam a missão, mas a persistência de Sandra, que deseja ficar para lutar pela liberdade, mexe com os até então inexistentes princípios de Barney.

Roteiro: Sylvester Stallone

Elenco: Sylvester Stallone, Jason Statham, Dolph Lundgren, Eric Roberts, Randy Couture, Steve Austin, David Zayas, Giselle Itié, Terry Crews, Mickey Rourke, Bruce Willis, Arnold Schwarzenegger, Charisma Carpenter, Amin Joseph, Senyo Amoaku, Hank Amos, Antonio Rodrigo Nogueira, Sassa Nacimento, R.A. Rondell, Tze Yep

Compartilhe


  • Gustavo

    Vc não entendeu o clima do filme…
    ou melhor em que ano vc nasceu?
    Quando se analise um filme deste calibre (rs)
    tem q ser imaginar voltando nos anos 80 e 90
    quem aqui não adoraria volta na juventude
    Cresci vendo esses kras salvarem o mundo milhares de vezes
    eles merecem o nosso respeito
    fico triste com esta garotada de agora
    que tem como icones, Crepuscolo e bandas Emos e Coloridas, e tendo as redes sociais como unica relação “pessoal”…
    Vão crescer com o carater fraco

    QUE VOLTEM OS FILME BRUTOS, BANDAS AGRESSIVAS…

  • Chakal

    Detonado o Brasil? Pelo amor de deus cara, toma vergonha nessa cara. O cara falou meia dúzia de verdades e fica todo mundo doído com a história. Tem muita gente por aí que daria uma filha no lugar de um macaco se o Stallonne quisesse. Dão filha por aí com muito menos. Bem vindo ao subdesenvolvimento meu caro! Conviva com essa realidade, pois se não é a sua, é a da maioria dos brasileiros!

    • marco

      Chaka, vc é brasileiro ou amante do Stallone?

  • Fernando Marley

    Cara, Os Mercenários é uma sensação única de voltar a infância, comer pipoca e beber refrigerante como se você retornasse aos seus 15 anos. Agora se vc prefere vampiros reluzentes com traumas depois de centenas de anos, ou bandinhas coloridas onde os cantores não tem voz para cantar. Principalmente porque a prposta do filme é ser descerebrado e divertido, agora vá ver um filme iraniano que talvez seja mais cerebral.

  • Luiz Claudio

    “Os amantes do cinema descerebrado dos anos 80”, não entendo como um critico de cinema pode não ter respeito pelos espectadores.
    Um filme como este vem com a proposta de ser um filme de ação continua e ponto.É obvio que teremos sangue,tiros e tiros e tiros,pois foi este estilo de ação que consagrou muitos dos atores que participam do filme.
    E você vem com uma critica que me pareceu que você foi ao cinema para ver “Os mercenarios:uma linda história de amor”.
    Por que sua opinião foi tão agressiva? Estou fazendo essa pergunta devido ao fato de suas criticas diretas à aqueles que gostaram do filme e que na sua opinião não são espctadores comuns???. Não compreendo essa colocação e acho que você foi muito infeliz nesse comentário.
    Gosto muito desse site e acho que os criticos desta página deverião dar um exemplo de respeito,pois criticas de criticos inteligentes são feitas de forma menos pessoal e mais profissional,pois se você vai criticar um filme de ação,faça uma critica pela ação que ocorre no filme e não pelo oque “O ator Stallone” disse sobre o nosso páis que eu venho a concordar com o Chakal pois essa é a infeliz realidade de um pais.
    Sou um leitor diário deste site e espero mais respeito por que com essas palavras: “O longa pode até funcionar como uma diversão rasteira para os que curtem um cinema de macho no qual o que vale é a quantidade de testosterona exposta na tela.” Você não ganha nem uma estrelinha no quesito moral.

  • André

    Minhar maior curiosidade é saber, que ano o rapaz que fez essa critica nasceu… rs

  • alx

    haha concordo com todos os comentarios ateh agora!

  • Rafael

    Crítica fraquinha, hein.
    Não tô esperando nada desse filme, mas teus argumentos foram muito pobres.

    O filme é clichê e a ação pé datada? sério? Tu realmente acha que o público espera assistir uma obra de arte?

    Tua crítica é tão datada e clichê quanto o filme.

  • Pow concordo com o Gustavo,tenho 18 anos e cresci vendo esses caras detonarem os vilões à base da pancadaria,tiros e explosões xD
    Mas a juventude de hj querem ver vampirinhos purpurinados e emos,assim como essas bandinhas de pirralhos enfeitados que as garotinhas piram hj em dia!
    Quando aparece algo nostálgico,que trás à tona elementos oitentistas e noventista,temos q saudá-los da melhor forma!!
    Quem dera os filmes de ação que temos nos tempos de hoje se tornassem clássicos como o já citado Rambo,Duro de Matar e o Exterminador do Futuro!
    Alguem cite um filme dos anos de 2000 pra cá que seja tão memorável quanto esses?
    Ainda ñ vi o filme,mas tô doidinho pra ver eles “detonarem” na telona!
    huahuahua xD

  • Acho que vc dormiu no filme. É preciso diferenciar a crítica de gosto. Pode não ser perfeito como A Origem, mas não merece sua critica, não a forma como foi expressa. Sugiro avaliar seus conceitos antes de avaliar os dos outros. Abraços

  • Mauricio

    Cara, eu fico imaginando a cara de nerd desse maluco que fez esta crítica. Óculos fundo de garrafa, cara cheia de espinhas, físico de grilo e barriga saliente. Deve adorar Crepusculo e escutar NXZero. Voce tem que fazer crítica dentro da proposta de um filme. Se o filme é de ação, deve ser avaliado dentro desse critério. Tem que parar com esse negócio moderno de que filme tem que ser “inteligente”. Quer algo inteligente vai ler um livro ou ver um filme com esta proposta. A maioria das pessoas “comuns” quer assistir um file para se divertir. E filmes para machos se divertirem são filmes como este. Assim como para mulher é Uma Linda Mulher. Caso contrário teremos que ouvir desses babacas desses críticos de cinema coisas como esta escrita acima ou ainda (com eu já ouvi)que Duro de Matar é um fime fraco. Ah tenha dó e vá assistir a trilogia das cores.

  • Rodrigo Peres

    É preciso sempre, em termos de avaliação, ter um parametro de comparação. Caso contrário comete-se injustiças como esta deste crítico. Se o filme é de ação e adrenalina assim deve ser avaliado e não simplesmente detonado por ser assim. Existe mercado para todo tipo de filme (e o mercado dos fimes de ação movimentados e violentos é bem grande por sinal). Se assim não porcedermos fica mais ou menos como se na comparação de quem é o melhor entre um goleiro e um centrovante voce dizer que o goleiro é ruim e é pior que o centrovante porque não sabe fazer gol. Fazer gol não é o negócio do goleiriro e sim do centrovante. O negócio do goleiro é defender o gol. Assim com o objetivo do filme de ação é entretenimento puro e não fazer pensar ou fazer as pesoas se sensibilizarem. Ta aí uma dica que nao é só para este cara, mas para a imensa maioria dos críticos da atualidade que se confunde nestes conceitos.

  • Tom

    Uma das críticas mais sem vergonha que eu ja vi na minha vida.
    O filme ser datado nao eh defeito, eh qualidade,o objetivo dele era esse mesmo.
    Hoje 13/08 vou assistir no cinema com uma mega pipoca e uma coca de 700 ml.

  • Santanna

    Tu devia ter umas aulas com o Siqueira, pra aprender a ser um crítico de verdade.

    Argumentos pobres, crítica rasa e desrespeito ao público alvo.
    Se tu tem algum preconceito com o cinema de ação, então não escreva sobre um filme de ação.

    A ação é datada? O roteiro é clichê? SÉRIO? E tu esperava o quê?
    Tu realmente acha que o dito “espectador comum” vai assistir esse filme esperando uma obra de arte original e profunda?

    Larga de ser pseudo-cult e vai pedir pro teu pai te dar uma aula sobre o que é o cinema Stalloniano.

  • Sua critica foi muito ruim grosseira e preconceituosa pra q vc foi ver o filme esperava o melhor filme do ano ou q esperava q stalone ganhasse o oscar de melhor ator a tantos filmes pra se criticar fimes bons e filmes ruins bem ruins porque o q hj não falta é filme ruim pessima sua critica eu vi o filme achei bem legal lembra os bons tempos .

  • Ok, pelo visto os leitores vão transformar “Os Mercenários” na mesma onda de revolta dos fãs de “Crepúsculo” quando recebem nota baixa… tsc.

  • Antonio Augusto

    Concordo plenamente com a crítica feita, só não concordo com a nota, pois daria no máximo 1. O que dá apenas para se salvar nesta película que estão chamando de filme é uma boa atuação do jason e a até razoável performace da Gisele que se esforçou e muito de modo desnecessário, pois o “filme” não merecia. Obrigado e boas explosões para vocês! Fazia tempo sinceramente que não via algo tão ruim!

  • T-800

    A questão não é a revolta dos fãs do filme, e sim os termos utilizados pelo crítico, que o filme não passa de “uma diversão rasteira”. Quem vai ver o filme ja sabe do que se trata, e vai pra ver isso mesmo, relembrar os bons tempos dos filmes de ação! Ele não pode, e nem deve esboçar sua revolta com o Stallone, ou sua opinião pessoal, ele tem que ser imparcial, e falar sobre o que o filme tenta mostrar, que é a volta aos filmes de ação a moda antiga.

  • Por favor, respeitem os BOMBADOS afinal cresci vendo os sopapos que eles mandavam nos bandidões enquanto brincava com meus bonecos do G.I.JOE BRASILEIRO (COMANDOS EM AÇÃO), até bombinhas de festa junina eu usava na brincadeira pra simular um realismo parcial sem estragar muito os bonecos, pois foram eles que ajudaram a construir os HERÓIS COM CONTEÚDO no fim do século 20 : JASON BOURNE, JAMES BOND REALISTA, JACK BAUER, CORONEL NASCIMENTO, NEO e BATMAN REALISTA. O povo quer ver espectáculos pirotécnicos e não explorações jamais realizadas pelo EINSTEIN ou rostinhos bonitinhos usando gel de flautinha mágica para tarar meninas histéricas. Adorei o festival de porrada, que me deu vontade de soltar um refrão de música : SOMOS UM EXERCITO, EXERCITO DE UM HOMEM SÓ, SOMOS UMA ARMA COMO NENHUMA OUTRA IGUAL.

  • Resenhou a crítica. oO’
    Estou indo ao cinema mais tranquilo agora pois é exatamente isso o que eu quero fazer – desligar o cérebro e ver a tela em vermelho durante 90 min.

  • E com as palavras, o “crítico”, que nem tem pretensão de ser crítico, apenas estuda, pesquisa e escreve eventualmente sobre cinema:

    Respondendo as perguntas, ele nasceu em 1976 (34 anos, para os que não sabem fazer as contas), viu todos os Rambos, Rockys e similares. Adora “Exterminador do Futuro 1 e 2”, “Duro de Matar” e não tem nada contra o cinema de ação, desde que seja bom. Também não tem nada contra o Stallone, acha “Risco Total” um filme bacana e acredita que o ator merecia ter sido indicado ao Oscar por “Copland”.

    Não é ufanista, não torce pelo Brasil na Copa, na verdade, acha um saco o povo fingindo que se importa com o País andando de cima pra baixo de verde e amarelo. Pouco se importa também se o Stallone acha os brasileiros macacos, cobras, zebras ou hipopótamos.

    E a declaração do ator não influenciou em nada na sua opinião sobre o filme. Ele só acordou cedo em uma quarta-feira achando que ia ver um filme trash divertido, mas se deparou com uma piada sem graça e já contada, de modo muito melhor, outras tantas vezes. Não esperava nem um pouco ver uma obra-prima, mas o que ele considera diversão passa longe de algo como “Os Mercenários”. Talvez o senso crítico dele seja apurado demais.

    Ele também não acha que um filme vai ser bom só por ser nostálgico. E acredita que a maioria das pessoas “nostálgicas” nem sequer viveu direito os anos 1980 e sente falta de uma época que só existe na cabeça delas. Ele viveu os anos 1980, viu uma porrada de filmes na época, mas amadureceu, evoluiu e seguiu em frente apreciando bons filmes, independente de gênero. Que os filmes oitentistas fiquem por lá (outro exemplo que se deu mal é “Predadores”, que tenta resgatar o período e só destrói o conceito de um puta filmaço dos anos 80).

    Acha o cinema iraniano chato e adora Hollywwod. Não curte banda emos com os cabelos espetados e roupas colaridas. Gosta de Radiohead, Belle & Sebastian, REM, Interpol e enquanto escreve isso aqui está ouvindo o novo do Arcade Fire. Não entende pq as “pessoas” gostam de “Crepúsculo”, acha os filmes uma bosta, na verdade, e quer passar longe dos livros. Mas está viciado em “True Blood”.

    Nunca foi nerd, apesar de tímido. É apenas um cara normal que curte cultura pop, mas acha ridículo quem faz cosplay ou coisas do gênero. É míope, mas usa lentes. É magro, mas tem o corpo definido, sem um pingo de barriga. Infelizmente teve que parar de malhar porque academia tá cara.

    E continua achando “Os Mercenários” um filme meia boca sem graça e até meio entediante. E duas vezes datado. Primeiro, porque tenta emular uma época que já passou e não funciona mais. Segundo, porque a fase “vamos celebrar os anos 80” já tava cansada em 2003, o que dirá em 2010. Acha que se é para ficar na vibe revival, que tá mais do que na hora de deixar os 80 pra lá e começar a celebrar os anos 90! Let’s move on!

    Dito tudo isso, ele só acha mais uma coisa: um viva a opiniões discordantes!

    PS: Ele viu o trailer de “Piranhas 3D” outro dia e surtou! Antes um bom filme trash do que um filme “nostálgico” ruim!

    • Luciana Marta

      Fabio, não precisava nem ter dado tanta explicação a quem falou mal de você, até porque eu duvido que tenham lido a crítica. Certamente viram a nota e decidiram ser os donos da razão e meter o pau em quem escreveu. É que nem nos textos de Crepúsculo mesmo.

      Mesmo você tendo dado satisfação, só digo uma coisa aos leitores: CHUPEM essa resposta do Fábio, seus otários. Vão crescer. Homenagear anos 80 é um vintage que não entretém mais ninguém. Aposto que vocês devem ser do tipo que gostam tanto de porrada gratuita ou filmes rápidos que não sabem nem quem é Griffith, Bergman ou Eisenstein. Pobres coitados. Julgam algo em específico sem nem conhecer cinema!

      Se for para valorizar o passado do cinema, que seja valorizado quem colaborou para que hoje essa arte seja tão maravilhosa, e não filmecos meia boca cuja unica intenção é ganhar a grana de otários como vocês!

    • Cara ‘curti’ cultura pop, é timido, gosta de True Blood,… MAIS NÃO É NERD e ODEIA COSPLAYS E AFINS…- Embora SAIBA o que é, ou o que significa – Me lembrou um daqueles Neo-nazistas Brasileiros que são mais morenos que a Camila Pitanga…

  • Z3hr0_C00l

    Parei de ler quando vi a nota! Completamente equivocado o “critico” de cinema.

    Um cara que não tem a sensibilidade de entender o que o filme propõe nem merece ser lido.

  • Clécio

    Cara…acho que na sua ‘retratação”, você foi muito mais feliz que em sua crítica.funcionou até melhor como crítica aliás.O que a galera emputou, foi talvez o modo desdenhoso como você desenvolveu sua linha de raciocínio.Não vi o filme ainda, mas sei o que vou encontrar e sei que no mínimo, vou me divertir. pois vou ver uma galera que remete a infância e infância dos anos 80, é sempre algo muito bom de se lembrar. Os garotos que éramos em 84,85,86(nasci em 77), eram bem mais humanos do que essa galera de hoje que vive mais em shopping comendo fandangos e comaparando quanto seu celular tem de memória em relaçaõ aos dos amiguinhos…Fazíamso questão de ser “machões’ como estes caras do trash que vc comentou, diferente desses ‘meninos ‘ de hoje que fazem qeustão de afrontar um pai ou uma mãe declarando que é emo, hermafrodita, gay, et, fresco o diabo que seja.O filme, pode ser vazio em termos de conhecimentos “nobres”, mas é cheio de uma porrada de toques que nos levam apra um período em que toamr banho de lagoa, jogar bila, ter um he-man todo remendado e ter o hábito de pedir bençaõ aos pais antes de dormir, tinha mais significado do que ter uma porcaria de i pod no ouvido enquanto se assiste malhação comendo um chettos , totalmente aéreo, enquanto que um pai olha de soslaio pela porta pensando…”puta que pariu , pq esse moleque não cresceu vendo aquela merda de cinema divertido da minha época, cheio de sangue,brucutus e mulher gostosa”. Contextualize a crítica como seu colega o fez..Também adoro cinema, e cinema de qualidade, creia-me, cinéfilo mesmo, mas tudo tem um obejtivo, e o objetivo desse filme, era o que os colegas irados acima disseram em tantas frases.Sei que naõ é essa porcaria q vc falou.Mas belza, todo mundo é infeliz um dia sobre o q diz ou escreve.Só sei que quando via a galera testosterona , piegas e justiceira detonando bandido, queria ser como eles. era um pivete magro que queria ser grande vendo esses caras. e até que funcionou. em todos os sentidos. Fisico e intelectual. valeu magro “definido”.

  • Evandro Costa

    Eu ODIEI essa Critica.
    desculpa eu sei q o filme não é inteligente mas sabendo que o filme era do stallone e jason e o jet li todos de cara imaginaram que o filme ia ser assim…
    o que esperavas??
    homens deprimidos??
    sonhos invadidos??
    a ideia do filme era relembrar os anos 80 e 90.
    os filmes de ação de verdade que dominaram e perderam espaço pra filmes gays e imbeçis que deve ser o que o cara da critica curte.
    va la.
    a sua critica é um autentico desrespeito a muitos de nós.
    ODIEI A critica.

  • jonathan

    pow na minha opinião o que importa é a diversão…
    se o filme me diverte é bom..
    se naum é ruim..

    mas eu aindo prefiro os filmes da minha epoca..
    em que se alguem te chinga..
    vc da logo tres tiros nela..
    stallone “tamo junto”..

  • lol

    Por que a pessoa do primeiro comment não se mata? =D

    lol

    • Gustavo

      Eu não me mato pq não sou emo!!!
      agora vc não sei? aposto q curti vampiros purpurinados e bandinhas coloridas
      Que volte os anos 80!!! (pelo menos no cinema)

      • Guilherme S

        Agora toda vez que alguém não gostar de um filme que vcs gostam, vcs vao achar que se tratam de fãs de Crepúsculo? Como vcs podem ser tão limitados assim?
        Putz…alguém apresente essa turma outras bostas para eles, pelo menos, citarem outros exemplos. Pq a cada 10 comentários ridículos e ofensivos lidos aqui, eu vi 8 só citando crepúsculo. Vai ver que são fãs tão enrustidos que não tiram o tema da cabeça!
        E outra…o crítico não gostou do filmeco que vcs colocaram no caraçãozinho? Que Pena! Vcs estão se saindo mto pior do que os fãs de crepúsculo que não aceitam que o filme é uma bosta.
        Da próxima vez vão fazer o quê? Jogar o crítico aos exterminadores? Atirá-lo de um penhasco sem para-quedas para ele tentar sobreviver? Encher seu corpo de explosivos pra depois, num momento de luta, nocauteá-lo apenas com um soco na cara?…ah façam o favor a vcs mesmo e vão algo útil da vida de vcs.
        Ao invés de ficar chorando feito bobas crianças, aprendam a ter respeito com a opinião dos outros. Muita gente que reclamou das ofensas na crítica (não vi nenhuma ofensa na mesma) só argumentou contra o crítico com ofensas…quanta moral nãó é?

        • Gustavo

          Ahhh aposto q é fã de crepusculo…
          mente e carater fraco… emo…

  • fabio queiroz

    acho que os filmes de hoje precisam de certos ingredientes do passado,os filmes de hoje (na minha opinião) são cansados ,como por exemplo o tão falado crepusculo, tinha ido ver esse filme no cinema e odiei, mais não tem jeito, é tudo questão de opinião, por mais que o crítico ache o filme ruim ,sempre vai retratar o gosto pessoal,eu me considero orfão do bom filme de pancadaria , não vi o filme ,mais vou pagar para ver pois relembrar os velhos anos oitenta não faz mal a ninguém , pelo menos para quem relembra bons momentos do cinema

  • Juliana

    Bem que falaram que Os mercenários seria o crespúsculo dos homens, a crítica foi voa, ele só descreveu a essência do filme ¬¬.

  • Meu amigo, você já deve ter percebido por todos os comentários já feitos que sua crítica foi no mínimo exagerada.

    Eu não acredito que só porque a maioria das pessoas falaram que sua crítica é fraca ela realmente seja, porém posso crer que você esperou demais de um filme típico para pessoas que querem reviver os filmes de sucesso antigos e desaparecidos na nossa sociedade.

    Veja qualquer filme do Stallone, a maioria foi um sucesso de bilheteria e quase todos tiveram críticas ruins(retirando RockyI claro), porém a sua crítica foi diferente; Você falou mau do gênero dos anos 80, falou mau do autor e mau de coisas extra filmes tendo caráter extremo nacionalista.

    O filme realmente não tem um roteiro muito inteligente, mas é de fácil compreensão com efeitos especiais que prendem a atenção e o melhor elenco do ano. A participação do Arnold e do Bruce Wills pode ter sido mesmo quase desnecessária e pequena com o objetivo de aumentar bilheteria, porém é inovador levar tais rostos para o cinema apenas com esse papel. Fora a isso o filme teve uma coisa atual, tentou fortalecer os personagens mostrando alguma coisa sobre suas vidas, fora da simples máscara de herói mercenário.

    Pode ter certeza que haverá um filme 2, com uma “equipe” formada assim e um elenco desses(e uma bilheteria muito atraente) esse filme adiará a aposentadoria do eterno Sly.

  • Vladimir Filho

    é óbvio que esse cara é fã da viadagem do “crepúsculo”…kkk só pode.
    o homem que é o homem mesmo gosta é de filme de ação, sangue e sexo, ponto final.
    viva aos filmes dos anos 80.

  • Sem dúvida, colocam G.I.JOE (EXERCITO PRA CRIANÇAS DE JARDIM DE INFÂNCIA) no chinelo. Dá-lhe MERCENÁRIOS – SEMPER FI (SEMPRE FIEL – AO DINHEIRO E NÃO AO PAÍS OU PRA QUEM PAGUE MAIS PRA ELES) E COM ELES NINGUÉM PODE.

  • Daniel Moraes

    “Os amantes do cinema descerebrado dos anos 80”. O modo como este crítico, coloca suas opiniões é ofensiva. A arte de criticar, é saber a proposta do filme, saiba disso antes de vir e vomitar tanta baboseira. Saiba colocar sua visão de um “bom filme” de modo educado, sem ofender a quem gosta. Fábio Freire, você deveria ficar, uns 15 minutinhos, trancado em uma sala com o Stallone, pra ele te ensinar bons modos, a moda antiga. E voltando ao filme,… to LOCOOO pra assistir, voltar aos anos 80/90 … uhuuuulll ação de verdade!!!!

  • Ana Carolina

    Bem, acho que o “descerebrado” aqui é você. Não entendeu a proposta do filme e tentou criar uma crítica que agradasse a meninada de menos de 18 anos.
    Limite-se às críticas de Toy Story, Saga Crepúsculo, Harry Potter, destas coisas você deve enteder!
    Em tempo: Quem tem o mínimo de capacidade de interpretação entendeu bem a pseudo crítica do Stallone ao Brasil, ele não falou nada demais meu caro.
    E o “grande” Jean Claude recusou o seu papel no filme, assim como o Jack e Seagal, e sinceramente, acho que eles é que sairam perdendo porque suas carreiras já foram enterradas há tempos.

  • geovane

    afi u_u, pra mim, vcs deviam tirar o poder de comentar as criticar, porqe opinião é qe nem bunda, e o resto vcs ja sabem ;-;
    A gente poderia comentar as noticias, não criticas u_u
    PS;o filme é uma bosta.

    • Ricardo Rocha

      Os Mercenários é filme para MACHO, infelizmente o que reina hoje em dia é a moda EMO, por isso vemos esse tipo de nota pro filme… Tá faltando HOMEM no século 21.

      • Guilherme S.

        Então me fala…tá faltando macho no século XXI e isso te inclui?
        Será que já escorregou tanto no quiabo que já perdeu a noção de quem é macho e quem não é?
        Pra começar, ‘homem’ por ‘homem’ você não consegue nem ser um ‘menino’. Porque com esse cérebro minúsculo incapaz de racioncinar a respeito do menor espaço possível na Terra, não me surpreende que você diga algo nesse nível achando que tá expondo uma nova linha de raciocínio que todas as culturas vão cultuar e tentar entender a profundidade.
        Se ser ‘macho’ é cultuar um filme vazio feito pra babacas salivantes feito você que precisam externar a vontade de socar todo mundo que eles vêem pela frente, através de um filme…parabéns…vc é um ‘macho’. Agora, se ser ‘macho’ é mais uma questão de valor, mente, sabedoria, caráter e inteligência…vc é a maior ‘bichona’ que alguém pode conhecer!…parabéns?

  • Wecsley

    Pra quem gosta de filmes de ação é uma ótima pedida. Foi muito bom relembrar os filmes de antigamente. Recomendo a todos que curtem pancadaria, tiros, explosões. A pessoa que escreveu a crítica tem o direito de não gostar do filme, mas tem q saber escrever, mas se você não curte esse tipo de filme, não assista e pronto.

  • Eu acho que pra ser crítico de qualquer área é preciso no mínimo conhecimento técnico naquele segmento pra conseguir construir uma crítica imparcial e objetiva, o que não foi o caso do nosso amigo que detonou um gênero de uma época que para ele hoje não cabe mais ser feito,cabe sim, é frustrante você ir ao cinema ver um filme de ação e não ter ação,um exemplo, Wolverine Origens,pô fui esperando ver sangue, ver finalmente o wolverine dos quadrinhos e vi mais uma decepção,Os Mercenários resgatam isso,filme de ação puro e simples,sangue e bala e ponto, frases de efeitos sim, clichês sim,é isso que o filme propõe,foi pra isso que ele foi feito,hoje para alguns isso deve parecer tosco,pobre mas eu axo que não, o q acontece é que alguns já se acostumaram com filminhos de ação açucarados e filmes assim de “MACHO” talvez os assustem ou tragam à tona sensações que eles preferem manter no armário!!

  • Osmar Rocha

    O Cinema com Rapadura é bem organizadinho e tal, mas dá espaço a qualquer descerebrado posar de crítico de cinema. Só lamento.

  • Richard

    Fábio Freire = Bichinha.

  • Cara, se vc queria uma obra de arte foi ver o filme errado. O que interessa nesses filmes não é a história, interpretação ou os diálogos, o que realmente importa é a violência e isso o filme é nota 10. Pronto.

  • Joe

    Crítica muito fraca…sem noção do que é etretenimento…
    eu me divertir com o filme, boas cenas de ação…
    eu não daria menos que 5 como nota pra esse filme, afinal, não é um filme ruim, nem razoável, o filme é bom…
    agora, lendo sua crítica, percebe-se uma falta de gosto pela coisa, tipo, filmes de ação, … stalone quis mostrar que ainda existe filmes pra homens de verdade nessa merda…

  • marco antonio

    qualquer pessoa que tem a “capacidade” de asssitir esse filme, depois desse FDP chegar aqui, ser bem recebido, e chegar lá nos USA e cuspir no prato que comeu pelas costas, não passa de uma pessoa safada, sem caráter, sem vergonha na prostituta da cara!

    • Com todo o respeito, mas quem nunca falou, mais de uma vez, 10 vezes mais mal do Brasil do que o Stallone, além do que, tudo que ele falou é verdade.
      Quanto a ir ver o filme, acho que qualquer ser humano, que goste de diversão associada
      a bruatalidade, explosões e pancadaria irá adorar o filme. Não é bom como filme, concordo plenamente, é no maximo razoalvel se analizarmos como cinema, porem o que é o cinema se não entretenimento?? ( não me venham com essa de arte, a arte está presente no entretenimento, porem a sua principal função é entreter)
      E como entretenimento o filme é perfeito, você ri, fica tenso, acha incríveis as lutas ( lutas essas que foram feitas com perfeição poucas vezes vista), sente emoção no filme, sente prazer de estar sentado naquela cadeira.
      Quanto ao Stallone ter perdido seu lugar no Olimpo do cinema, bem acho que ele, o Arnold e o Willis tem cadeira cativa como REIS de 15 anos do cinema de ação, meus heróis de verdade são ROCKY,RAMBO e etc.
      Tenho 21 anos ( 1989), logo não peguei o auge dos brucutus no cinema, porem já vi quase todos os filmes do estilo brucutu feitos pela santíssima trindade e adoro, mesmo assim vou tranqüilamente ao cinema ver crepúsculo e etc, e nem por isso sou menos macho, acho um exagero nos zuarmos os fãs da saga, embora eu também considere a maioria deles com uma visão de mundo diferente da minha.

      E acho que o Fabio Freire foi infeliz na sua critica, pois ele teve um olhar como critico de cinema, e não como um espectador de entretenimento. Com o olhar de espectador acho que filme vale cada centavo que foi gasto em sua obra e cada centavo pago pelo publico para assisti-lo.

      Eu pague minha entrada pensando a seguinte frase:
      -Tio Stallone, te dou R$ 9,00 e você me dá 2 horas de sangue, porrada, brucutus e explosões.

      E no meu ver, ele cumpriu nosso acordo. =)

  • David

    Eu acho que vc não tem capacidade de analisar um filme como vc diz que o filme bombou feio sendo que as pessoas que assistiram gostaram pra caramba e sairam sorrindo de la, ou seja o filme cumpriu sua missão, o filme é para divertir to pouco me rixando para o roteiro, quero é diversão, o filme merece 7 a 8 na nota. o filme ainda ficou duas semanas e primeiro lugar derrubando varias estréias.
    Aprenda analisar o filme e não a pessoa que vc não gosta.

  • Kauê

    Nos estamos falando aqui em relação ao filme, que por fim tem um elenco extraordinário que fez jus a sua reputação, assistir e gostei muito infelizmente era o ultimo de stallone e acho que fecho com chave de ouro, apesar de ser jovem tenho que concorda com Gustavo no primeiro comentário “fico triste com esta garotada de agora
    que tem como icones, Crepuscolo e bandas Emos e Coloridas, e tendo as redes sociais como unica relação “pessoal”…”

  • Na boa,. filme foi sensação mais por causa da galera toda reunida que pelo filme em si, legal e tal puts, D.Lamber e Jet Lee na porrada???, Stallone e Schwarzenegger interagindso na mesma cena???

    QUALQUER FÃ DOS FILMES DE AÇÃO DA DECADA DE 80 SONHOU com isso como os fãs de Star War com as lutas dos mestres Jedis de 76-2006…

    POREM… As explosões das cenas finais, filmadas no interior do Rio de Janeiro, PRA MIM, não justificou o CALOTE de 800 MIL REAIS que o ‘MERCENARIO’ STALLONE DEU NO GOVERNO DO RIO DE JANEIRO… Fazer o que ne??? Cara, achou que a fama de indios era tão forte que a galera aqui não sabia usar a internet, nem assistia programas americanos… Acabou se f… pela boca e seu filme poderia ate ter mais bilheteria melhorzinha se não fosse isso, já que brasileiro se revolta por cada coisa importANTISSIMA….

  • ANBDERSON

    Não concordo com esse criticozinho aí o filme é legal no que ele se propos a fazer.