Cinema com Rapadura

Críticas   segunda-feira, 01 de abril de 2019

Suspiria – A Dança do Medo (2018): viagem aterrorizante à arte da dança

O primor técnico e narrativo desta refilmagem é incomum, o que a torna ainda mais interessante aos fãs de cinema e do terror.

Em uma escola de dança de Berlim, na década de 70, a harmonia entre as dançarinas que ali vivem e ensaiam seus passos parece ser impecável. Comandada por um grupo de profissionais da área, a instituição de renome é o sonho para toda garota que deseja ter a melhor performance. Sobretudo porque a seriedade com a qual a escola é levada fez sua fama anteriormente. Mas nem tudo é o que parece naquele local. Logo, “Suspíria – A Dança do Medo” começa a ganhar significados.

Susie (Dakota Johnson, “Cinquenta Tons de Liberdade”) conseguiu uma vaga na tão conceituada escola e, no mesmo dia, por conta de outra aluna que foi embora, ela também conseguiu um abrigo na mesma escola. Feliz e repleta de motivos para comemorar, a centrada protagonista se prova como uma dançarina perfeccionista logo em seu teste, atraindo os olhares de Madame Blanc (Tilda Swinton, “Ilha dos Cachorros”), a líder da instituição.

O protagonismo de Susie dá lugar a uma série de sensações novas. Em cada passo nos cansativos ensaios, a garota se descobre cada vez mais intensa na arte da dança. Seus movimentos ganham fluidez, se contrapondo aos sentimentos passados pela dinâmica. Seu corpo se transforma em uma poderosa ferramenta de arte. Com o passar do tempo, Susie ganha notoriedade diante das demais alunas, chamando a atenção de Madame Blanc, até que se torna a protagonista da apresentação para a qual a líder da instituição está se preparando.

“Suspíria – A Dança do Medo” é refilmagem da obra original de 1977, baseada nos mesmos personagens de Dario Argento (“Prelúdio para Matar”) e Daria Nicolodi (“Terror na Ópera”). Desta vez, quem comanda a obra é Luca Guadagnino (“Um Sonho de Amor”), cuja direção merece aplausos pelo primoroso rigor estético e narrativo. Com roteiro de David Kajganich (“Invasores”), este é um excelente exemplar do que o terror pode ser hoje em dia, sem apelar para clichê algum do gênero. Por outro lado, é um longa-metragem cuja exposição gráfica não agradará a todos. A criação de Guadagnino é a de um horror psicológico e visual que, de forma crescente, transparece momentos impactantes. Com a espetacular fotografia de Sayombhu Mukdeeprom (“Me Chame pelo Seu Nome”), o espectador é levado diretamente aos anos 70 pela escolha dessaturada das cores e também pelos enquadramentos, semelhantes em urgência e posicionamento a “O Bebê de Rosemary”.

Da mesma forma, enquanto os anos 70 são recriados com perfeição pela fotografia, tanto o desenho de produção de Inbal Weinberg (“Três Anúncios para Um Crime”) quanto o figurino de Giulia Piersanti (“Um Mergulho no Passado”) compõem com esmero a estética. Aliás, a importância disso é fundamental tanto aos significados de toda a dança apresentada, como também para o terror que pontua determinados momentos. O mérito à direção de Guadagnino vai também à propositalmente melancólica trilha sonora de Thom Yorke (vocalista da banda Radiohead), pois a saga de Susie é digna de uma viagem aos terrores que marcaram época.

Não é apenas a qualidade visual que surpreende. A construção da narrativa transforma um filme de pouco mais de duas horas e meia em um motivo para se segurar na poltrona. O primeiro ato, por exemplo, não só apresenta Susie, como também ao Dr. Klemperer (fica a surpresa do crédito para quem assistir), terapeuta que se envolve com o nome da instituição quando trata uma de suas ex-alunas, Patricia (Chloë Grace Moretz, “O Mau Exemplo de Cameron Post”). O paralelo entre a vida do doutor e da protagonista vai, pouco a pouco, formando e desconstruindo um quebra-cabeça na mente do espectador.

Desta forma, “Suspíria – A Dança do Medo” se mostra como um terror digno de nota, transformando o processo de assistir em uma verdadeira experiência cinematográfica. O ritmo pode ser lento para algumas pessoas, mas se você embarcar nesta viagem à história de uma escola de dança contemporânea, perceberá que, por trás da perfeição, pode haver algo bastante… místico para estimular as dançarinas. E isso é surpreendentemente aterrorizante.

Denis Le Senechal Klimiuc
@rapadura

Compartilhe

Suspiria – A Dança do Medo (2018)

Suspiria - Luca Guadagnino

As trevas tomam conta de uma renomada companhia de dança, envolvendo a diretora artística do grupo, uma ambiciosa jovem dançarina e um psicoterapeuta de luto. Alguns irão sucumbir ao pesadelo. Outros irão finalmente despertar.

Roteiro: David Kajganich

Elenco: Dakota Johnson, Tilda Swinton, Mia Goth, Angela Winkler, Ingrid Caven, Elena Fokina, Sylvie Testud, Renée Soutendijk, Christine Leboutte, Małgorzata Bela, Fabrizia Sacchi, Jessica Harper, Chloë Grace Moretz, Jessica Batut, Alek Wek, Vincenza Modica, Vanda Capriolo, Brigitte Cuvelier, Gala Moody, Anne-Lise Brevers

Compartilhe