quinta-feira, 08 de agosto de 2013

RapaduraCast 338
Forever: As Vantagens de Ser Invisível

Fique a vontade para participar do nosso debate, porque aqui você sabe: "Assistir é apenas o começo"!

Aperte o Play para começar o RapaduraCast Aperte o para começar o RapaduraCast

1x 1.5x 2x
0:00:00

Quando o filme As Vantagens de Ser Invisível foi lançado, pouco a pouco ele foi se tornando um jovem clássico. E isso não é exagero! Para muitos, ele é o Clube dos Cinco dos anos 2000. Por que as pessoas adoram este filme? O Stephen Chbosky, autor do livro que deu origem ao longa, foi o responsável pela direção. É possível um autor adaptar bem a sua própria obra?

Jurandir Filho (@jurandirfilho), Raphael Santos (@phsantos), Juliano Dangelo (@jucadangelo) e Carolina Munhoz (@carolinamunhoz) conversaram sobre o novo filme. O trio protagonista interpretado por Logan Lerman, Emma Watson e Ezra Miller mandou bem? Com qual personagem você mais se identifica? O que é possível aprender as tramas de cada um? A trilha sonora conversa com o público? Todo mundo é quebrado? Bora discutir e ser infinito!

Esta é mais uma edição da série FOREVER.

ATENÇÃO: Este podcast tem SPOILERS do filme.

|| LINKS RELACIONADOS AO PROGRAMA
[LIVRO] As Vantagens de Ser Invisível
[BLU-RAY] As Vantagens de Ser Invisível
[DVD] As Vantagens de Ser Invisível

|| ASSINE O RAPADURACAST
iTunes: Tem iPhone/iPad/Mac? Adiciona aí!
Android/WindowsPhone: Esse link é o do feed/rss do sucesso!

|| NOSSOS CONTATOS
Youtube: RapaduraTV
Instagram
: @cinemacomrapadura
Twitter: @rapadura
Facebook: /cinemacomrapadura
E-mail: rapaduracast@cinemacomrapadura.com.br

Compartilhe

Participantes

Carolina Munhóz
Carolina Munhóz
@carolinamunhoz
Juliano Dangelo
Juliano Dangelo
@jucadangelo
Jurandir Filho
Jurandir Filho
@jurandirfilho
Raphael Santos
Raphael Santos
@phsantos

Ouça Também


  • JK

    ~Comentário invisível~

  • Bah, excelente, ansioso pra ouvir!

  • Fábio Iba

    melhor filme do ano passado sensacional.

  • Vitor

    Bora ouvir! Última semana de férias é pra isso mesmo, ficar acordado até tarde fazendo coisa boa 😀

  • Regis

    Filmaço!

    Esta no meu top 10

    Abs Juras e Compania…

  • Obrigado por fazer um podcast do Filme que para min é o melhor de todos!

  • Leandro

    Terei que assistir primeiro. A princípio, acredito que o sucesso é uma viuvez com a menininha do filme do mala do HP. 😀

    • Você vai se surpreender 😉

      • Alexandre

        Eu assistir hj, e puta que pariu Jurandir vc fez eu quebrar meu coração de gelo… Parabéns cara.

      • Leandro

        Assisti ontem à tarde Jurandir, e já acordei pensando no filme, e só parei agora, depois do almoço. Excelente mesmo. Chorei.

        Quando vai rolar RC sobre Clube dos 5 ? 🙂

  • Kainã

    EU NÃO ACREDITO!!!
    Já tinha perdido as esperanças de que falariam do filme!
    E como diz o nome, FOREVER AS VANTAGENS DE SER INVISÍVEL!
    Esse filme é incrível, porque ele se adapta a um pouco de cada um!

  • Filme q me fez ficar apx por Emma e Ezra Miller com interpretações acima da média…filmaço!! vale muito a pena… baixando pra ouvir enqnt vou trabalhar ˆˆ

  • Estou no trabalho e vou baixar para ouvir tanto aqui quanto no meu celular! Amanhã vou para o RJ e vou ouvir novamente!
    Eu amei este filme! Fui assistir sozinha e, para mim, era como se só houvesse a minha pessoa ali naquela sala, pois o filme falou tanto comigo,tão intimamente!
    Juras e grande elenco, muito obrigada por fazer um cast desta benção de filme!
    Eu já amava a Emma, mas depois deste filme eu vi o quanto ela é extraordinária e todo o potencial dela. O Logan…ele já havia me cativado em Percy Jackson, mas eu pude ver o quão ATOR ele é 🙂 e o Ezra… esse garoto tem um futuro BRILHANTE no cinema!!! Ele é excepcional! Preciso assistir ao filme PRECISAMOS FALAR SOBRE KEVIN que tem ele também, sei que é forte e tenho que continuar a seguir a carreira do Ezra, dos 3 na verdade.
    Estou com os olhos lacrimejados aqui gente. Obrigada MIL vezes Juras, obrigada por existir e nos proporcionar coisas assim :´)
    Abraços o/

  • EDINALDO OLIVEIRA FORTALEZA-CE

    Olha so o Juliano Dangelo e a Carol vamos ouvir!

  • Kaio

    eu não acredito que vocês fizeram esse cast sem o Mau… PORRA JURANDIR!

    • Jonas Block

      kaio tu só pode ser muito burro. o mauricio nao faz mais parte do equipe do podcast. ele morreu para o cast. nao existe mais mauricio aqui no rapadura. vive com essa e segue em frente cara. os caras fizeram um podcast fodao e tudo reclamando da falta de um cara que sempre trouxe problema pro cast? o mau afastava mais do que atraia. ele se saia bem em alguns casts, mas na paioria cagava na vara.

      • Calma aí, Jonas. Você está certo em dizer que ele não faz mais parte do programa, mas nós ainda temos um carinho grande por ele. Ele não vai voltar, mas não precisa tratar ele assim.

      • Julio Cesar

        Jonas tu é da equipe do Rapaduracast? Como tu sabe disso tudo???
        E respeita o cara, precisa chamar os outros de burro??? Que eu conheço burro é aquele que dá coice.

      • Kaio

        Vou deixar de lado a sua ira irracional e te responder que apesar de algumas opiniões divergentes, o mau levava um ponto de vista interessante pro cast pelo lado emocional que ele tem. Tu imagina o Lost sem o John Locke? Mas time desse cast ainda assim é animal!

      • Marcello

        Mau é foda.

        Sem mais.

    • Kaio meu fi! Mau não faz mais parte da nossa equipe. Rumos diferentes. Aproveita o cast aí que tá show o/

      • Kaio

        Tá excelente mesmo Juras, tu salva meus dias de trabalho cara! Imagina um cara quase chorando enquanto fazia relatório, eu estava assim hoje hahaha

        • Rodrigo Serrano

          O Mau não faz mais parte da equipe? enfim voltarei a ouvir os casts..

          putz, que felicidade..

          ainda mais com esse filme, que assisti apenas ha 2 meses e já fiz mais de 10 pessoas verem..rs..

  • daniel

    Ótimo filme. Ainda bem que o Juca conseguiu participar. Infelizmente o Mau não está mais no barco, mas esse filme tem a cara dele.

  • Tenho que bater palmas novamente, posso dizer que me identifiquei muito com tudo que falaram, assim como o PH eu era o estranho da sala, mas simplesmente por não me senti a vontade com nenhum grupo, sou muito sentimental e chorei com o filme, mas chorei mais ainda com o olhar de vocês, vai ficar guardado, melhor cast que já ouvi na minha vida… me sinto infinito.

  • Esse filme realmente é muito humano. Ouvir vocês falar e lembrar me da um nó na garganta

  • Migs

    Bom, eu assisti o filme e achei muito bom, não ao ponto de já figurar na série “Forever” do Rapadura, acho que o filme tá sendo absurdamente superestimado nesses últimos tempos (não apenas aqui). Vamos lá escutar o cast, que tenho certeza estar mto bom. 🙂

  • Pepe

    Cara… esse filme é excelente… parabéns pela escolha! Não lembro de um cast tão inspirador e relevante quanto esse desde o 300 (não que eu não goste dos outros casts e tenho certeza q o Juras entende essa afirmação, mas este é um cast intimista, agregador e q faz a gente se reconhecer e se emocionar, como se fosse a nossa vida ali sendo pintada num quadro… ). É um filme muito maior q o filme, pra quem se identifica e também pra quem não se identifica e não entende o q se passa com pessoas q tem problemas de adequação… E pqp, qtas frases memoráveis tem nesse filme!!! Qta psicologia sem a breguice de tentar se passar por auto ajuda… Abraços pros rapadurianos por mais este presente!

  • Julio Cesar

    Juras eu não vi o filme mais vou ouvir assim mesmo, não dá pra ficar sem o Rapadura na semana…haha
    Baixando!!!

    • Assiste antes meu fi! Vale a pena!

      • Julio Cesar

        Está fechado, vou alugar aqui perto do trabalho amanhã pra assistir.

  • Julio Cesar

    Juras meu Fi, faz um cast aqui ou no 99 vidas sobre o READ DEAD REDEMPTION, um dos melhores da geração, eu sei que aqui é um site de cinema, mais conheci poucos jogos tão cinematográficos como o RED DEAD. Eu sei que tu é fã do jogo, então quebra o galho da rapaziada.

    • Vai ter um 99v. Relaxa 😉

      • Julio Cesar

        PQP Juras, zerei esse jogo semana passada com lágrimas nos olhos. Agora estou jogando o LAST OF US. Espero que esse cast do RED DEAD não demore muito…o do LAST OF US já ouvi umas 4 vezes…hahahah

  • Eru

    Vi recentemente e me surpreendi; já na primeira aparição, não vemos Hermione, tampouco Percy Jackson, e sim 3 amigos falhos, jovens e felizes, um adjetivo completando o outro.
    É lindo, profundo e leve; sutil e íntimo.
    Nem pensei que veria por aqui,mas fez meu dia saber que ouvirei um podcast desse filme tão florido em tempos de tratores por pessoas que já me são tão caras.

  • Marco Tulio

    Assisti esse filme 5 vezes de Dezembro 2012 pra cá.

    Provavelmente assistirei outra depois de ouvir o cast. xD

  • paloma

    Eu ainda não vi o filme, acreditem não chegou nas locadoras da minha cidade ainda e tô evitando ter que baixar, só li o livro e é simplesmente perfeito!

    • Acho que se não chegou na sua cidade você deveria comprá-lo pra fazer par com o livro na sua estante.

  • Cara, quando o assunto é a essência humana vocês dão show. Super emocionado aqui. Parabéns pelo programa pessoal. Vocês tão numa sequência foda.

  • Luiz Henrique Alvares

    Li o livro antes de ver o filme. Até onde sei, o cara que escreveu também é responsável pelo filme, logo é uma adaptação quase perfeita da obra do próprio autor. Tenho que dizer que no começo achei um saco ler as cartas do Charlie (uma vez que o livro todo é assim nesse formato), mas depois o personagem vai amadurecendo e a história ficando mais interessante 🙂

  • Jurandir Filho, muito bom trabalho, ótimo cast de um excelente filme! Um detalhe, não sei se alguém já disse ou se foi falado no cast (to escutando agora, e ta na metade), mas a música Heroes do Bowie, foi regravada em 98 pela banda WALLFLOWERS, inclusive é parte da trilha do filme godzilla. Coincidência ?

  • Dream

    Yes! Esse filme é excelente.

  • Felipe Amaral

    Muito bommm esse filme!

  • Só tenho uma coisa a dizer, antes de ouvir:
    Pena que um filme desses não pode mais passar na Sessão da Tarde, devido a seus temas pesados e à censura imbecil que existe no Brasil.
    Seria um filme de extrema importância para a juventude, é um retrato dessa nossa época, onde os adolescentes são cercados de tecnologia, mas estão vazios de contato humano.
    Por outro lado, será que os adolescentes dos dias de hoje conseguem assistir a filmes de drama? a filmes que os façam pensar? Será que não estão condicionados a só assistem a filmes cheios de brilho e explosão?
    Apesar de ser um filme sobre adolescentes, seu grande sucesso se encontra realmente é entre as pessoas de vinte e poucos anos, os “jovens adultos”, em busca de um saudosismo de sua adolescência.
    Vou ouvir agora!

  • Filme > livro.

    =D

    obs:
    Nunca fiquei de mimimi por causa do Mau…
    Mas sinceramente?
    Desta vez o Cast tinha que ter ele.

  • William Sabino

    E aí pessoal, fazendo uma pesquisa sobre o termo wallflower, achei algo que define perfeitamente, mas não estou dizendo que é isso, não sou um nativo no idioma. Wallflower na tradução literal, seria ‘Flor de parede’ assim como foi dito no cast não lembro por quem, que é como se fosse o plano de fundo, de certa forma é. Resumindo, aquele cara que fica na parede com um copo na mão que foi sozinho pra festa. O cara fica parado sem conhecer ninguém, muitas vezes não conseguindo se enturmar. Ele fica tanto tempo no cantinho, que parece uma ‘Wallflower’. Está lá mas ninguém repara. Ótimo filme. Ótimo cast.

  • Yuki

    Chorei ouvindo esse podcast! òtimo programa. 🙂

  • Julio Mariano

    Ei Jurandir! Sugiro um LISTÃO: Filmes para você secar de tanto chorar! huehue

    A idéia (genial) veio quando comecei a assistir os filmes indicados no episódio 262 (CLÁSSICOS).

    Se rolar, eu já recomendo uma obra que fará você chorar pra cacete:

    A animação TÚMULO DOS VAGALUMES!

    Abraço

  • Ontem assisti o filme e procurei um podcast sobre o mesmo mas não encontrei, e hoje quando abri o RapaduraCast veio a surpresa. Oque foi isso? coincidência?

  • Rascius Belfort

    Excelente programa. Parabéns a toda equipe! Devido a programas como esse que eu fortaleço ainda mais minha admiração pelo Rapadura!

    10/10 pro filme e pro cast. Só preciso ler o livro.

  • Felipe Amaral

    Pensei que só eu tinha gostado desse filme!

  • Fala, povo rapaduriano.

    Apenas uma curiosidade, no melhor estilo trivia: a canção “Heroes”, de David Bowie, foi regravada em 1998 para a trilha sonora do filme “Godzilla” por uma banda chamada, vejam só, The Wallflowers! Vale mencionar que a banda tem como vocalista Jacob Dylan, filho de ninguém menos que Bob Dylan. No mais, ainda não vi o filme, mas a maneira apaixonada com que vocês falaram me convenceu a assisti-lo. Parabéns por mais um ótimo cast e abraços!

  • Anderson

    Caraca, esse cast foi sem duvida o mais emocionante que já ouvi na minha vida. Parabéns a Jurandir e aos outros integrantes desse podcast, porque foi muito bom. A trilha sonora, inclusive, foi perfeita. :’)

  • Olá amigos do Rapadura. Primeiro gostaria de agradecer vocês por esse PodCast, eu durante muito tempo luto por um espaço como desenhista e venho em um longo caminho de luta, hoje aos 33 anos, me preparo para realizar um sonho montando uma pequena escola de desenho. Acredito que acreditar e não perder a esperança é a maior virtude de uma pessoa. Nunca deixem de acreditar em si mesmo, pois um dia as coisas acontecem para você. Não sou reconhecido pelos meu desenhos, mas, me sinto milionário quando um aluninho de desenho me abraça e diz obrigado por me ensinar a desenhar.
    Mesmo que não vejam aqui, quero deixar meu muito obrigado a todos aqueles que me apoiaram a nunca desistir de meu sonho!!

  • Excelente cast seu Juras.

    Já está na lista de melhores episódios do RapaduraCast.

    Asleep do The Smiths no final é para derrubar qualquer um hein?

    Novamente valeu pela cast pessoal 0/

  • Fábio Matos

    Há tempos que não ouvia o RapaduraCast, mas no momento que vi que seria sobre um dos filmes mais bacanas dos últimos anos, voltei aqui pra agradecer a todos os seres rapadurianos por sempre divulgarem e debaterem o bom cinema.

    Por falar nisso, não vamos nos esquecer do Cine Holiúdy!!!

  • livraço e bom filme, sem mais.

  • Uma frase que me lembrei ouvindo certa parte da conversa do cast quando vocês falavam de felicidade. Diz assim: a felicidade, assim como a vida, é o caminho e não o destino. Enquanto muitos fica procurando atalhos, estradas paralelas, desvios, nunca vão saber aproveitar de verdade o que é felicidade. Felicidade é viver cada passo, mesmo para aqueles que já nascem condenados, que caminhem na felicidade e não em direção á ela…
    Um abraço a todos que gravaram o cast (especialmente á carol que foi o personagem que mais me identifiquei rs), não sei se lerão meu comentário mas só queria dizer que enquanto vocês conversavam eu estava naquela conversa com cada um, e que mais que um podcast e mais que um livro,mais que um filme, isso foi pra mim uma experiência. E para aqueles que não tem caminhonetes nem túneis, basta uma moto e uma avenida, voltando de um encontro com verdadeiros amigos para se sentir infinito…

  • karina meireles

    a trilha desse filme é linda, o filme é belo *.*

  • Desde o lançamento do filme, os meus amigos começaram a dizer que eu sou o filme, que eu sou o Charlie. Isso me incomodou muito, por muito tempo. Nunca me senti confortável com essa ideia de que as pessoas me enxergam como alguém que tem problemas psicológicos, emocionais e que uso drogas. Por mais que isso não seja exatamente uma mentira, quando alguém aponta os seus defeitos, não há como não se incomodar.

    Bem, queria então, agradecer à este programa. Por me fazer lembrar que quando chorei vendo o filme, foi por entender a beleza na tristeza dos personagens. Obrigado por me lembrarem que os meus problemas não são o inferno, pois tenho anjos ao meu lado. Obrigado pelo EXCELENTE podcast.

    Não é de hoje que os programas me ajudam a enfrentar problemas, e agora mais do que nunca. Posso dizer que o Rapaduracast é um amigo que vem me lembrar e cochichar certas coisas que, não só eu como muitas pessoas, esquecem no dia-a-dia.

    Grande abraço à este grande time de podcasters e amigos desconhecidos!

  • Luis Fernando

    Como ja era de se esperar ja está entre o top dos tops de cast do site cinema com rapadura. Prá quem viveu assim como eu,mesmo que um pouco, numa época em que era “invisivel” vai saber realmente do porque esse filme nos toca profundamente e do porque nos identificamos tanto com o personagem de Logan lerman. Eu sei que realmente eram tempos dificeis assim como o P.H. Felizmente ou infelizmente para eu acabar com isso tive que me sujeitar a ser como os “visiveis”. Graças a Deus isso foi por pouco tempo porque nesse meio tempo pude conhecer amigos de verdade e sendo assim pude construir o meu grupo que podiam ser invisiveis apenas para os outros e do qual faço parte até hoje. Filme para ficar entre os melhores de todos os tempos juntamente com esse cast.

  • Caraca meu irmão!
    Que cast lindo!
    Draccon Lee que me perdoe, mas tá difícil não se apaixonar pela Carolina Munhoz hein.
    Que mulher fantástica, como fala bem e é de uma sinceridade e coragem que toca o mais bruto coração.
    Parabéns (mais uma vez) pelo trabalho.
    Obrigado Juras por reunir esse trio tão foda pra falar desse filme que é tão especial.
    E quero mais Jucaleano nesses casts hein rapá.
    Abraços!!!!!

  • Janderson

    Massa demais esse filme… Ouvindo akie com muita ansiedade!!!!!

  • O melhor rapadura do ano, fiz questão de vir comentar.
    Adorei a participação de todos, principalmente a do Juliano Dangelo que falou menos, mas sempre com colocações muito importantes. Parabéns.

  • Marco Tulio

    Pra quem ainda não viu…

    O Mau fez um excelente vídeo sobre o filme/livro.

    http://www.youtube.com/watch?v=HmBPb0EycBc

  • Pablo

    Wow! Quanto elogio! Por coincidência vai passar de madrugada na tv, já coloquei pra gravar e vou ver no fim de semana e depois escuto o cast.

  • Adnan

    Não tinha assistido ainda, ouvi o cast…
    E assisti.

    Me identifiquei, com o Charlie…
    Por que, eu sou idêntico a ele, Tento não me misturar, ser mais um na multidão…
    Mas tento ser perceptível, mas só o suficiente pra não ser esquecido. Não tenho muitos amigos, Mas gosto de estar com eles, e me sinto muito melhor como se fosse uma parte deles que me faz sentir completo.

    Obrigado pelo ótimo cast.

  • Caraca … não chorei vendo o filme mas passei o cast inteiro com os olhos cheios de água! Muito bom rapadurianos, excelente programa! =]

  • Jefferson Oliveira

    Primeira vez que ouvi falar sobre este filme/livro. Parei de escutar o Cast e fui conferir. Só queria dizer, muito obrigado, muito obrigado mesmo.

  • Glorinha

    Boring… Sorry, not my kind of movie.

  • Alvaro

    Eu fui o unico que chorei com esse filme ?

  • Fábio Arcanjo

    Excelente cast. Acho que o filme dialoga com vários clássicos dos anos 80, mas principalmente “O Clube dos Cinco”, pois existe um acentuado tom melancólico. Esses filmes marcaram toda uma geração.

    “As Vantagens…” é espetacular e o interessante é que ele é ambientado fora da nossa época e isso não faz com que ele pareça deslocado. Foi preciso um filme contemporâneo, focado na juventude, voltar um pouco no tempo para evidenciar os anseios de uma geração atual que, possivelmente, possui problemas de construção de identidade.

    Infelizmente, como os jovens estão condicionados a outro tipo de consumo cultural, penso que “As vantagens…” não teria o impacto na sessão da tarde, ao contrário do que os clássicos oitentistas tiveram para a geração anterior.

    Obs. Alguns reclamam da ausência do Mau, mas o PH está de volta. E, sinceramente, o time escolhido para abordar esse filme é irrepreensível.

  • Marco Tulio

    “(Come on Eileen) oh i swear (well he means)
    At this moment, you mean everything
    You in that dress, my thoughts I confess
    Verge on dirty
    Ah come on Eileen”

    😉

  • Marco Tulio

    “Nós aceitamos o amor que pensamos merecer”

  • Para ajudar a elucidar o que é ser uma wallflower, trago uma citação do livro “Coisas Frágeis”, do Neil Gaiman:

    “O Nanico era um menino magrinho de 10 anos, baixinho, com o nariz escorrendo e o semblante vazio. Se você tentasse apontá-lo num grupo de garotos, iria apontar errado. Ele seria o outro, o garoto do lado, aquele pelo qual você passou batido.”

  • Kika

    Obrigada de novo ao Rapadura por me fazer ver esse filme! Não assisti quando ele saiu e fui deixando, mas com o lançamento do cast resolvi ver antes de escutar vcs.
    E que filme maravilhoso; me identifiquei tanto com o Charlie! Sou super fácil de chorar então imagina, né?!
    Não me contive inclusive no depoimento da Carol. Não é fácil passar por depressão, divórcio dos pais, sei disso. E acho muito bonito e corajoso ela falar abertamente sobre o assunto.

  • katia

    Excelente cast!!!! Chorei pacas.

    Alguém sabe o nome da musica que todo em uns 43 minutos de programa.

  • Maciel

    Assistir o filme por recomendações do próprio rapadura e ache excelente, agora com este cast acabou fazendo com que eu comprasse o livro só para ter a mesma experiencia que tive ao ver o filme.

    muito obrigado

  • Assisti o filme antes de ver o cast so belo bafafa no twitter e algo que pensei pra mim, “É o Clube dos 5 dessa geração”
    Chego aqui pra ler o post e esta quase isso escrito no post!
    Parabéns gente, se der tempo escrevo um email

  • Kayck

    Primeiramente eu gostaria de agradecer à toda equipe Rapadura pelo maravilhoso podcast (como sempre). Me considero um péssimo rapaduriano, quase não participo das discussões nos comentários, mas me sinto como parte da família mesmo assim. No entanto não poderia deixar o podcast do meu Livro e Filme favorito passar batido.

    Me identifico muito com os 3 personagens principais, cada um com suas particularidades mas que, sim, completam o UM que sou.

    Me falta o léxico para descrever o que sinto quando vejo o filme.
    A jornada que vi quando conhecemos o menino que escrevia cartas é muito mais ampla do que um filme. Mas é um puta de um sacolejo que recebi qndo o assisti. A “inocência” do filme, a proposta simples e estrondosa que me fez realmente acreditar que o que vale à pena são, sim, os momentos que temos ao lado daqueles que escolhemos como uma segunda família, e que esses mesmos companheiros são aqueles que me darão força e apoio;

    Me derramei em lágrimas com esse livro/filme.
    Muito Obrigado Equipe Rapadura!
    Esse PodCast cumpriu com sua função de companheiro e me deu força pra continuar na minha própria jornada.

    Valeeeeu!!! 🙂

  • Guilherme Lourenço

    Juras,
    Ainda não tinha visto o filme e só posso agradecer pela indicação. Sensacional! Bom, andei dando uma pesquisada e vi que “wallflower” significa ficar fora do contexto ou tomar um chá de cadeira numa festa sem ser chamado pra dançar. A pessoa acaba se “misturando” com a parede, o cantinho. E essa é uma imagem que é representada várias vezes no filme. Abraços cariocas!

  • Diego C.

    Chorei ouvido esse cast.
    Obrigado Juras, hoje fui capaz de realmente entender as suas palavras sobre continuar tentando.

  • Nossa, estou muito feliz com essa noticia. Eu amo o filme e o livre, nessa ordem mesmo. Acho que a adaptação do filme foi muito feliz em diversos aspectos principalmente pelo escolha do ator Logan Lerman para o personagem principal. Ele é muito talentoso e prova isso nesse filme.
    Ansioso para ouvir, obrigado antecipado para vocês do rapaduracast.

  • Galera do Rapadura, aproveitei que hoje eu cheguei mais cedo da faculdade e assisti esse filme. To meio sem saber o que fazer ou o que pensar. O filme é FODA! Não tive como conter as lágrimas, tipo que o olho tá marejado nesse momento em que escrevo esse comentário. Valeu ae galera pela excelente indicação.

  • Daniel

    Obrigado. Muito obrigado.

  • Dennys Simião

    Com “As Vantagens de ser invisível”, durante quase todo o filme, o sentimento que tive foi de felicidade, saudade, nostalgia… Aquilo de ser jovem mesmo. E talvez por isso acabei, mesmo que emocionado, por não chorar em nenhum momento.

    Mas, o que não chorei com filme, chorei aqui com vocês. E mesmo com todo choro, o que ficou foi essa mesma felicidade, saudade e nostalgia. E para mim, o cinema é isso.

    Gostei muito da sinceridade nas opiniões de vocês. E poxa, no final do cast deu vontade de ir aí e abraçar todo vocês. Pois sintam-se abraçados e parabéns pelo podcast.

  • O filme é emocionante, uma das melhores surpresas dos últimos tempos. Cast muito bom, adorei a discussão. Abraço!

  • Amanda

    Revi todo o filme na minha cabeça enquanto ouvia esse podcast, incrível como vcs conseguem traduzir o filme em palavras e sentimentos, e deixa a gente que tá ouvindo encantados mais uma vez.

    Sencaional! Obrigada!

    ps: quando falaram em cena marcante, lembrei imediatamente da música no carro, pq eu me senti como a Sam, “que música perfeita é essa?”

  • Arthur

    Cast muito bonito! Confesso que fiquei emocionado com o relato da Carol sobre as dificuldades da sua juventude.
    Vi muito de mim no Charlie, naquela coisa de se sentir “deslocado”. Sofri muito com isso durante minha vida. Acho que a grande dificuldade para nós é encontrar pessoas que nos complementem. E por sermos fora do padrão dito “normal”, sofremos alguma rejeição. Posso dizer que minha vida foi, e ainda é, uma montanha russa de emoções. Hora de esperança, hora de desespero. Mas é aquela coisa, sempre há escuridão antes do amanhecer… E ver filmes, que nem esse, são sempre uma terapia!
    Voltando a ele. Talvez nem seja essa obra-prima toda. Mas é tão raro aparecer uma película assim, que dialogue e compreenda a juventude, que quando aparece, a gente valoriza demais (e com razão).

  • Mateus Capssa

    Jurandir Filho, muito obrigado por me proporcionar essa experiência. Ainda não ouvi o cast, pois eu não tinha assistido ao filme. Acabei de fazê-lo e estou muito emocionado. Eu não me sentia assim desde que havia visto A Partida. Me parece claro que esse filme é um clássico e, devo dizer, muito mais profundo do que O Clube dos Cinco. Vou ouvir o cast nesse exato momento.

  • Talita

    Nuss ! Vcs sempre sabe no que eu estou afim de ouvir! Nao tinha esperanças de falarem desse filme!

    “A gente aceita o amor que a gente acha que merece”

    Muita profunda essa frase do charlie.

  • Jeferson Cardoso

    O filme me ganhou nos 10 minutos iniciais, ainda nem ouvi o cast dessa semana, agora estou em 70 minutos de filme e é simplesmente incrível. Fiquei feliz que esse seria o programa da semana, afinal quase todo jovem como eu da década de 90, já desfrutou das “vantagens de ser invisivel”.

  • Caroline Medeiros

    Adorei o podcast! Até que enfim Carolina Munhoz voltou! Tava sentindo falta do toque feminino no Rapaduracast.

  • Olá rapaduras, olha, realmente o cast dessa vez foi um dos melhores que já vi e combinou bem com a emoção que o filme proporciona pra gente. Lembro até agora dos meus olhos “mareados“ ontem depois de assistir aquele final maravilhoso com a narração de Charlie seguida da famosa entrada no túnel. Eu simplesmente amo esse filme, seja por me identificar tanto com a invisibilidade do personagem, principalmente na adolescência, ou por ter vivenciado situações parecidas também. De qualquer forma, o filme já é um clássico por ser tão verdadeiro nas atuações e consequentemente no retrato de toda uma juventude.
    Gostaria também de agradecer a Carolina por ter compartilhado um pouco de sua identificação com o filme ao contar fatos de sua vida, pois isso nos mostra que tal qual o filme nós podemos seguir em frente, superar todas as dificuldades e encontrar nosso caminho. Tem uma frase do livro que, também é citada no filme, que diz : “Então, eu acho que somos quem somos por várias razões. E talvez nunca conheçamos a maior parte delas. Mas mesmo que não tenhamos o poder de escolher quem vamos ser, ainda podemos escolher aonde iremos a partir daqui. Ainda podemos fazer coisas. E podemos tentar ficar bem com elas.

  • Gui Oliveira

    O filme é muito bom, e também muito honesto em seu propósito, o que serve de tapa na cara para quem ainda acredita que apenas efeitos são suficientes para segurar um filme.
    Mesmo que não deixem isso explícito em momento algum do filme, ele com certeza se passa em algum ponto dos anos 90, talvez no começo dessa década, antes do grande boom dos pcs, que foi mais ou menos a partir de 1996, 97.
    Com certeza merece o forever, porque ele já nasceu com cara de “cult”.
    O cast também foi muito bom, é muito bacana ver o quanto vocês gostaram do filme por terem se identificado com a história do mesmo, algo que não me pegou tanto assim. Talvez porque as minhas dificuldades na adolescência (algumas que perduram até hoje na vida adulta) fossem de outra natureza. Por isso que não me identifico inteiramente com nenhum dos três personagens, apenas uma similaridade ou outra.
    Se não me engano, acho que o Juras disse que o Charlie se apaixonou pela Sam após ficarem amigos, não lembro de ser bem assim, lembro de que isso parece ter ocorrido logo que ele a conheceu no estádio de futebol.
    E parabéns para a Carol pela coragem de seu relato, não é todo mundo que lida tão bem assim com as dificuldade que enfrentaram ao longo do percurso de sua vida.
    E pra terminar, é engraçado ver um certo padrão bem comum em séries/filmes da “Disney” na amizade do personagem principal. Podem reparar em várias delas, há sempre uma espécie de trindade, com o personagem principal tendo como melhores amigos sempre, alguém do sexo oposto e outro do mesmo sexo. Será isso tão comum por lá nas terras do Tio Sam? Ou há apenas uma metáfora por trás disso?

  • Wanderson

    Só posso dizer obrigado ao rapaduracast por me direcionar a assistir esse filme! Essa obra desperta tanto saudosismo e alegria da época da adolescência que me fez rejuvenescer 17 anos enquanto assistia e envelhecer mais uns 10 anos depois que acabou. Fica aquela sensação de ” realmente estou ficando velho ” e pelo menos em mim gerou uma saudade tremenda da juventude. Que grande filme, sem falar nas ótimas atuações dessa gurizada. Nota 10 de 10!

  • Lambert

    Memorável!
    Lindo.!
    Este cast me emocionou muito, mas uma vez parabéns a toda equipe do RC. !!

  • Me identifico muito pelo que a Carolina Munhoz falou.Não sofri e não sofro bullying de forma alguma, mas tenho sérios problemas de socialização.Não entendo o porque.Sinto que sou normal como qualquer outra pessoa, porem não há ninguém ao lado de forma verdadeira para uma simples e sincera conversa.
    Li um texto onde dizia que, para vida ter valido realmente a pena, devemos deixar um legado na terra.Deixar algo notável para que os outros te enxerguem depois que a vida passa.Mas é incrível a dificuldade de encontrarmos formas simples de socialização, hoje em dia todos vivem trancados em rotinas.É como expandir a visão social do simples em uma sociedade “morta”.
    Por ser “mentalmente estável” (Rs), aprendi a ser aceito por mim mesmo e a viver sozinho, até que eu seja surpreendido por um relacionamento sincero.

    Credo, depressivo isso. kkkk
    Mas realmente há coisas que realmente não conseguimos compreender os “porquês”..Ótimo RapaduraCast. 🙂

  • Ola meus queridos, assisti o filme ontem. Ja tinha baixado ele, mas não sabia bem do que se tratava, so tenho uma coisa a dizer um dos melhores filmes que ja vi!! A forma apaixonada como vcs falaram sobre me deixaram curioso, e nossa, lagrimas e sorrisos!! Comprei o livro pq quero mais!!! Obrigado!!

    Abcss a todos!!!

  • Reili

    Amigos, só tenho a dizer PARABÉNS pelo cast. Não sou um grande fã de vcs como vários que passam sempre por aqui, também não sou de comentar muito nos pods que ouço, mas este me fez ligar o PC só para deixar este recado. Foi o melhor rapaduracast e, além disso, o melhor cast sobre filmes que já ouvi. Assim como o filme em questão, o papo foi bastante introspectivo, profundo e, ao mesmo tempo, suave e tranquilo. Muito obrigado por essa experiência maravilhosa.
    Forte abraço.

  • Joao

    Adorei o podcast, desde que assisti esse filme achei que tinha sido subestimado, e agora ele tá Forever. Pow, muito bom mesmo.

  • Não consigo gostar tanto do filme como a maior parte das pessoas. Entendo as comparações com O Clube dos Cinco, mas como criança dos anos 80 acho que as As Vantagens de ser Invisível perde em todos os pontos. Acho o filme piegas. Quando o Charlie pergunta para o professor “por que pessoas boas escolhem pessoas erradas?” senti a maior vergonha alheia. Sério, quem perguntaria isso a um professor, esperando ter uma resposta? Não é natural, é feito pra virar citação. Gosto de todo o elenco, especialmente o Ezra Miller e o Paul Rudd, mas o elenco não foi suficiente pra fazer o filme bom pra mim. Gostaria que o abuso que o protagonista sofreu tivesse sido mais explorado. Enfim, gosto dos personagens, gosto das histórias que eles carregam, mas os diálogos desse filme me incomodam demais, o texto parece sempre recitado, toda fala pretende ser impactante. Isso pra mim tira a honestidade do filme, e aí eu não consigo me deixar convencer pela história.

  • FeroZ

    Aproveitando o tema, acho que vocês deviam fazer um cast sobre os filmes do John Hughes e o Brat Pack. Eles marcaram gerações e são os antecessores espiriuais da galera de “As vantagens de ser invisível”.

  • Olá, queridos!
    Só passei para parabenizá-los pelo episódio. Simplesmente perfeito! Eu ainda não vi o filme, mas consegui me ver, ainda na época da escola, em muito do que vocês falaram. Hoje sou alguém melhor por tudo aquilo que enfrentei na época e concordo quando disseram que é preciso sim um pouco de dor, de sofrimento, para que aprendamos a valorizar esses momentinhos de felicidade.
    Um beijo enorme a todos e que estejamos sempre dispostos a lutar pelos lampejos de vida!

  • Agora sim! Excelente cast! Excelente filme! Excelente livro! Um genuíno cast sobre cinema.

  • Cast tocante e profundo. Realmente é um clássico pois é o espelho de muitos jovens e o retrato que o filme faz é sincero e delicado. A trilha do filme é sensacional.
    Chorei muito ouvindo o cast principalmente com o depoimento da Carolina Munhóz.

    Minha crítica do filme:

    http://marcelorodriguesr.blogspot.com.br/2013/01/as-vantagens-de-ser-invisivel.html.

    Abraços

  • Eu e meu marido ficamos muito emocionados com a narrativa do cast. Vamos ver o filme esse final de semana e estamos só esperando pelas lagrimas .. rs

  • francesca Abreu

    Esse filme é muito bom. E o cast tá massa.

  • Mark Costa

    Muito bom o filme. Vi graças ao cast.
    Só não me identifiquei em absolutamente nada com o filme, não sei se foi a época que nasci, sou de 79, ou se foi onde passei a minha infância e juventude – Vitória-ES. O filme da minha juventude tá mais pra Porks do que este.

  • Olá, pessoal

    Esse é o primeiro podcast de vocês que ouço e já gostei muito! Ainda não vi o filme, mas depois de tudo que vocês falaram, não demorarei muito a resolver isso!

    Vocês falaram sobre as gerações precisarem de filmes ícones, e eu concordo. E falando isso, lembrei da série britânica Skins, que casa muito com a proposta do filme de mostrar a adolescência de uma forma real, pelo que percebi vocês falando. Se vocês não conhecem, recomendo muito!

    Abraços,

  • Oi Jurandir e PH,eu tenho uma opinião sobre o título do filme “The perks of being a wallflower”.Separando o título em duas partes; a primeira (The Perks of being),que seria literalmente (AS Vantagens de Ser)e,a segunda (A Wallflower) que seria como uma parede de flores nas cercas das casas Norte Americanas,uma forma das pessoas poderem resguardar sua privacidade, impedindo a vizinhança de ter contato visual da sua residência,craindo assim uma espécie de campo de invisibilidade.Por assim dizendo, acredito que seja uma analogia,então ser um “A Wallflower” seria uma pessoa com um campo de invisibilidade que não poderia ser notado por outras poessoas.
    Porém o que o Juliano disse támbem eu aceito.
    Eu adorei tanto esse filme que eu até fiz uma ilustração do momento mais emblemático do filme.
    Segue o link:
    http://ronikane.deviantart.com/art/I-feel-infinite-360735182?q=gallery%3Aronikane&qo=3

    Valeu pelo Cast forever,desse que pra mim já é um classico moderno. Espero que o Rapaduracast continue como “As vantagens de ser invisível” porque somos todos infinitos…

  • Filme muito bom e altamente profundo. Recomendo.

  • Eu estava com As Vantagens de ser Invisível esperando seu lugar na fila de dezenas de filmes que eu tenho para assistir. Depois de ouvir este episódio, eu tive que passar ele na frente de todos.
    Dei meus pitacos também para quem quiser conferir: http://pipocaecontrole.com/as-vantagens-de-ser-invisivel/

  • Lambert

    assisti ontem, gostei muito do filme. Me fez lembrar muita coisa que vive nos anos 90 minha época de escola (2ª grau) muita coisa parecida.
    Fui transportado para aquela época imediatamente, revivi muita coisa que passou na minha vida. Foi bom lembrar disso. 🙂

    O filme é muito bonito mais acho triste. Quando no fim vc conhece um pouco do que aconteceu com o personagem principal. Mesmo com os amigos e o amor que ganhou, no fundo ainda é uma pessoa triste. tentando superar os traumas. filme nota 9

  • Pedro Tavares

    Gente, quais músicas são tocadas no cast?

  • Phelipe Vieira

    Esse eu passo. ODEIO esse filme.

  • Mattheus Magalhães

    Sensacional! Ao término do cast eu fiquei aqui, por pelo menos 30 segundos, batendo palmas porque, Sério! Vocês foram demais! Eu ouvi só um cast -fora este- de vocês, porém eu senti uma sinceridade a mais, sabe? Com vocês falando sobre a própria vida, os próprios momentos ruins que tiveram. E eu me senti contemplado como ouvinte.
    Sobre o filme não tenho o que falar. Por eu ser mais do estilo que- como vocês até comentaram- gosta de fantasia, ficção e terror, senti que foi uma surpresa muito boa. Pensei que, tanto o livro quanto o filme, tinham uma pegada mais romance “água com açúcar”, porém vi que eu estava redondamente enganado.
    Parabenizo a vocês pelo cast mais uma vez. Um grande abraço a todos. E homens do cast, chorem à vontade, chorem mesmo, só não contem-nos. Hahahaha!

  • Mário Motta

    Estava para assistir esse filme a muito tempo e finalmente consegui na quarta passada,gostei tanto que assisti mais uma vez hoje com minha namorada,filme realmente inesquecível,não só o filme mas o cast tbm já entraram pra minha lista de afeto!Quero tbm agradecer pelo excelente trabalho de vcs,o filme com o complemento do cast disse muito para mim,obrigado amigos do Rapaduracast,ouvi-los em casts como esse tbm me faz me sentir infinito!Abraços a todos!

  • Esse filme realmente é muito bom, mas algo que eu reparei é que se você nao se identifica com o personagem é muito mais dificil de gostar do filme, eu e um amigos vimos e adoramos o filme, porem ao mostrar para varios amigos eles nao curtiram, por que nao se identificaram com o filme…, muito bom o pod cast, parabens!!

  • Eduardo Costa

    Senti tantos nós na garganta de todo ao falarem do filme que deu nó até no meu ouvido de tanta vontade de chorar também, mas sou macho e macho não chora, ou seja que chora? Parabéns pelo podcast!

  • Roberto

    Meu Cast preferido até hoje, às vantagens de ser invisível é demais

  • rodrigo paulino

    O melhor personagem é o patrick , poh cara , aquilo é viver !!!!

  • GILBERTO XIS

    Saudações a todos!

    Este é o meu primeiro comentário sobre um podcast de vocês, embora eu já os acompanhe há um tempo.

    Primeiramente, gostaria de parabenizá-los pela excelente edição e pela forma como sempre tornam prazeroso para nós, ouvintes, acompanhar os seus bate-papos.

    Agora, em segundo lugar, gostaria de deixar-lhes a minha impressão sobre o filme. Fui assistir a ele recomendado por um amigo que ouvira vocês mencionando que AS VANTAGENS DE SER INVISÍVEL seria o CLUBE DOS CINCO dos anos 90. Como THE BREAKFAST CLUB tem morada perpétua em meu coração, decidi verificar o que o PERKS tinha a me oferecer.

    Pois bem, pelo que pude notar, a maioria aqui se apaixonou pelo filme. No meu caso, achei-o bacana, as interpretações estão excelentes, a cena final é muito boa… agora, conhecendo as diversas opiniões apresentadas por vocês, certamente terei uma nova leitura; entretanto, tenho algumas ressalvas a fazer, pois não consegui ser absorvido inteiramente por essa obra. A principio, eu pensei que tal fato se dera devido a eu estar beirando os 40 anos, ou seja, devido a minha adolescência já se encontrar um tanto quanto distante, depois, porém, percebi que não era esse o caso, mas sim uma questão de, a meu ver, um problema de estrutura do roteiro do filme.

    Antes de seguir, permitam-me pontuar um “ruído” o qual percebi e que me incomodou bastante: achei uma incoerência o fato daqueles garotos não fazerem ideia de qual música era aquela tocada no rádio, e nem terem reconhecido a voz de DAVID BOWIE, afinal, HEROES foi lançada em 1977, já era velhinha, portanto, e é uma de suas músicas mais famosas. Daí vocês podem responder – “Ah, mas ninguém é obrigado a conhecer tudo!” -, Sim! Mas, além de se tratar de David Bowie, que influenciou a maioria dos músicos de hoje, os personagens se apresentam como “descolados”, conhecedores de som alternativo, apreciadores de Smiths (banda da qual o MORRISSEY, o ex-vocal, é discípulo assumido de Bowie, frequentador assíduo dos shows do camaleão), sendo assim, penso que eles tinham obrigação de conhecê-lo. Eles poderiam, talvez, desconhecer a música, mas não o cantor. Também achei um tanto incoerente ouvirem músicas em fitas cassetes, uma vez que nos anos 90 já predominavam os CDs (fita cassete é um elemento que marca os anos 80, não os 90).

    Bem, deixando isso de lado um pouco, como havia mencionado anteriormente, o problema maior que vejo nesse filme é estrutural: do inicio até a parte onde é revelado o fato de o protagonista ter sido molestado pela tia, eu não via o problema, a barreira a ser transposta pelo personagem, muito menos o seu objetivo. A jornada me parecia assim penar de um fraco desenvolvimento; afinal, logo que chega à nova escola, o menino já se enturma, deixando de ser um “Wallflower”, a meu ver. Outra coisa, logo depois da revelação, a resolução me parece um tanto apressada, o protagonista passa um tempo muito breve em tratamento e logo já está “curado”, ou melhorado. Também estranhei o fato de seus pais somente virem a tomar conhecimento do que a tia havia feito com ele quando daquela internação: outros especialistas não teriam chegado a essa conclusão, não teriam arrancado isso dele ao tratá-lo das outras vezes, quando ele era mais jovem?

    Por esses motivos, sem querer comparar com O CLUBE DOS CINCO (mas, já o fazendo), creio que AS VANTAGENS não será, pelo menos pra mim, um Cult. Ainda tem outro motivo para eu não achar que AS VANTAGENS DE SER INVISIVEL se trata do filme de adolescente da geração dos anos 90, pois, embora ele retrate alguns adolescentes dessa década, o filme saiu em 99, ou seja, não teve tempo de dialogar em “tempo real” com os espectadores adolescentes dos anos 90, da mesma maneira que o fez o CLUBE DOS CINCO (que é de 1985) com a geração de adolescentes dos anos 80, da qual me incluo. Enquanto em O CLUBE DOS CINCO tudo funciona, os diálogos, o roteiro, a montagem, e a temática é mais profunda, em AS VANTAGENS DE SER INVISIVEL não me é possível apresentar uma analogia semelhante. Compreendem?

    Por fim, um último pensamento: a respeito do título, o qual em inglês faz mais sentido e é mais poético, segundo a minha leitura, trata-se, na verdade, de uma ideia sarcástica. Quero dizer que as tais “vantagens” são ironicamente “desvantagens” visto que permanecer atrás desse “muro de flores” que causa a invisibilidade pode ser confortável, mas impede a pessoa de satisfazer os seus desejos e necessidades por ela não se permitir expor a si mesma aos riscos do contato com as outras pessoas. Ou seja, isso é mais ou menos o que vocês disseram, é preciso sair da zona de conforto e conseguir cicatrizes para se ter a chance de alcançar a felicidade.

    Valeu, gente!

  • Aidan

    nao ouço o rapaduracast…nao gosto mto de podcast de filmes..tenho um gosto muito diferente pra filmes…mas esse cast ta de parabens! graande filme, belissimo cast…todos mto sensiveis aos detalhes q com certeza cada um q assistiu o filme sentiu e pensou em quanto assistia…vim aki pra matar a curiosidade pois sou ouvinte viciado do 99vidas…e caramba, ta de parabens o cast!

  • Dona Preda

    A cenaque me marcou é aquela da festinha de inauguração, quando começa a tocar musica boa,que aliás poderia muito bem fazer parte da mix tape do Starlord porque passa uma pegada de alegria muito parecida,que eu me identifiquei pois no meu colégio tem musica de intervalo e pra não dizer que só toca bosta tocou uma vez ou duas um faroeste caboclo ali,e os dois começam a dançar loucamente e o charlie encostado na parede vê a energia dos dois e quer participar daquilo depois de alguns segundos vencendo a timidez ele resolve ir lá na direção deles e no segundo plano tem outros calouros olhando estranho na direção dele que com certeza ele imaginou que aconteceria e ele finalmente chega junto e é recebido por praticamente duas bixas locas e dá tudo certo fazem carroselzinho é tals, e aquilo foi muito importamte no filme já que depois ele fica drogado diz que o amigo dele se matou o que leva ao patrick fazer aquela pequena cerimônia de ”aceitação” no grupo o que leva ao resto do filme e tals…

  • francisco

    Eu assisti esse filme no seu lançamento, na época não dei muita bola e acabou passando como mais um filme de adolescentes, não que foi ruim… Mas ao terminar de ouvir esse podcast, voltei e assisti de novo atento aos comentários feitos… Que experiencia.. os detalhes… a história… Não acho que seja para chorar, na minha opinião é um “pois é… neh? neh que acontece”.

  • Vitor Urubatan

    Pow cara esse filme é demais.
    Só queria lembrar a música que toca quando a cara pergunta como ele está. E ele responde “Eu me sinto infinito”. Cara esse filme é muito foda me identifiquei totalmente com essa parada.

    • Iago Luiz de Morais

      Heroes – David Bowie

      • Vitor Urubatan

        Valeu velho. Acabei encontrando rsss.

  • Pettersson Marcio

    Assisti esse filme com minha mulher só por causa de vocês, muito bom fiquei nostálgico e feliz por ainda haver bons filmes sobre juventude.

  • Hagane Oboro (Pablio)

    Faço comentários em outras paginas relacionadas a filmes.

    E recentemente venho ouvindo vossos CASTs. com muita atenção para enriquecer
    minha opinião.

    Fiz questão de marcar um ponto no CAST (49:20) o mento que o comentário feito
    me comoveu, “A pessoa que vai te colocar pra cima”. Em muitos casos em minha
    vida passei por algo assim de apoiar pessoas que não reparam que estamos lá. E
    mesmo nos apresentando.

    Gostei muito do filme, me comovi (não foram rios de lagrimas), só que ver que
    no fim, ficou difícil crer que depois das escolhas (relacionamentos) da Sam,
    Escolher o Charlie ficou conveniente para o filme ter um final feliz. Se estava
    sedimentado que iam ser amigos para sempre (FriedZone), pronto, resolvido o assunto,
    ele revela que sempre a amou e ok, filme em realismo ganha mais pontos. Não
    digo por experiências minhas, mas é difícil ver e crer que você consiga estar
    com a pessoa que seu coração escolheu, pois em muitos casos você é escolhido
    pelo acaso.

  • Um episódio belíssimo sobre um dos meus filmes prediletos! Obrigado!

  • Barbarian

    Meu podcast – novato, novinho – lançou um programa, mas falando do filme e do livro:
    http://resenhaspontojao.podomatic.com/entry/2015-07-12T11_04_41-07_00

  • Davi Stanesco

    Me fez mto mal esse episódio.

  • Diego Cirino

    Queria muito saber o nome da musica que toca nesse podcast faltando 1h:14min, trilha de violino muito linda

  • Wallison Grimes

    Qual o nome da musica que toca depois, que ele
    ta ouvindo no fone?

    • Vitor Urubatan

      Que ele está ouvindo o fone?
      Puts velho, não lembro…
      Depois eu confiro. Aqui no trampo não dá para fazer quase nada.

  • JuniorOnline

    Não curti esse filme…

  • Karinne

    é curioso que mesmo tendo perdido o fôlego (literalmente)na cena do túnel, a cena mais marcante pra mim é a cena que o charlie chora dizendo”stop cry”.
    eu nao lembro de um choro tao espontaneo que eu ja tenha tido na vida do que quando eu assisti a essa cena.é por causa dela que eu nunca mais revi o filme apesar de ter vontade.
    eu acho que na vida real, em todas as fases da vida a gente,mesmo nao sendo muito parecidos com o charlie, somos forçados a aprender a segurar a barra.
    As mensagens de “se expresse”, “nao se esconda”, “mostre o que ha de bom em você sao lindas e muito MUITO importantes, mas pra sobreviver no mundo real a gente aprende a suprimir o que a gente sente pra parecer mais forte, seja por causa de trabalho, seja por causa de familia, seja por amigos etc.
    Se voce parece com o charlie, o que pessoalmente é muito real pra mim, e é mais sensivel, segurar as emoçoes dentro é muito dificil, elas vazam em diversos aspectos da vida contidiana, seja em como voce ama seus amigos, ou em como voce se relaciona com a musica ou com a leitura ou qualquer forma de arte.Voce acaba sendo visto como, chorao, dramatico, exagerado etc… entao quando ocorrem esses”breakdown’s”…eles veem com uma intensidade acumulada que parece que vai te lavar ou te destruir.
    essa cena é muito real pra mim. Ninguem que nao seja muito timido sabe como é essa sensação.
    nessa hora o filme me diz”é voce ali” e dói da mesma forma que doi quando alguem fala das suas emoções em voz alta.
    acho que posso falar isso de poucos filmes.é por isso que ele é imortal pra mim.

  • Diego Cirino

    Atualizando a dúvida: Queria muuito saber o nome da trilha com violino que toca aos 12min, um pouco baixo, mas é linda. Alguém ? :/