sexta-feira, 15 de setembro de 2017

RapaduraCast 517
Stephen King no cinema e It: A Coisa

Fique a vontade para participar do nosso debate, porque aqui você sabe: "Assistir é apenas o começo"!

Aperte o Play para começar o RapaduraCast Aperte o para começar o RapaduraCast

1x 1.5x 2x
0:00:00

“Monstros são reais e fantasmas são reais também. Vivem dentro de nós e, às vezes, vencem”.

Stephen King é o autor que mais ganhou adaptações para o cinema e TV. Com quase 50 filmes adaptados, o escritor fez parte da formação da geração anos 80 e 90. Hoje, suas obras reverberam na cultura pop, inclusive na série da NetflixStranger Things“. Com essa nova adaptação de “It: A Coisa“, podemos dizer que temos uma das melhores obras do autor nas telonas? Faltou terror? O filme tem elementos da série da Netflix?

Quais são os melhores filmes baseados em obras do King? Como ele consegue produzir tantos livros assim? Ele é uma máquina de escrever?

ATENÇÃO: Esse programa tem SPOILERS de “It: A Coisa”!

|| PARTICIPANTES
Jurandir Filho, Raphael SantosRogério Montanare e Robinson Samulak

|| LINKS RELACIONADOS AO PROGRAMA
[VÍDEO] “It: A Coisa” é o Stranger Things original?
– [VÍDEO] Quais exemplos onde o influenciado passar influenciar?

|| DESCONTOS! MUITOS DESCONTOS!
Este RapaduraCast conta com o apoio do Promobit, uma plataforma que reúne diversos consumidores que adoram promoções, formando uma comunidade. Essa comunidade já está pronta para reunir as principais promoções do “Black Friday“.

|| ASSINE O RAPADURACAST
iTunes: Tem iPhone/iPad/Mac? Adiciona aí!
Android/WindowsPhone: Esse link é o do feed/rss do sucesso!

|| NOSSOS CONTATOS
WhatsApp: (85) 999 335 662
Youtube: RapaduraTV
Instagram
@cinemacomrapadura
Twitter: @rapadura
Facebook/cinemacomrapadura

Compartilhe

Participantes

Jurandir Filho
Jurandir Filho
@jurandirfilho
Raphael Santos
Raphael Santos
@phsantos
Robinson Samulak
Robinson Samulak
@rsamulakalves
Rogério Montanare
Rogério Montanare
@rmontanare

Ouça Também


  • Miura Mestre do hiato

    Como assim sem o Affonso?

  • César

    Como assim sem o Affonso? (2)

  • Baldin

    Passei por um sentimento parecido com o do Rogério na parte inicial do filme. Os efeitos especiais, o susto com o monstro sendo mostrado, tudo parecia muito jogado na cara. Porém algo me ocorreu enquanto assistia, estamos acompanhando a história pela ótica das crianças. As personificações do medo são como são por conta de como a mente delas é afetada. Então acabei desencanando, mesmo sem ter lido o livro, e curti muito o filme.
    Ótimo podcast sobre o autor e sobre o filme, parabéns ao time Rapadura!
    Obs: Como assim sem Affonso? (3)

  • Gyselle P. Teixeira Correia Li

    Como assim sem o Affonso? (4)

  • Daniel Azevedo

    Como assim sem o Affonso? (5)

  • Caio Henrique

    Como assim sem o Afonso ? (6)
    Henry Bowers é o personagem mais assustador da história , na minha opinião.

  • Francisco Vidal

    Para mim, um dos filmes mais aterrorizantes que marcou minha adolescência nos tempos de VHS, até hoje, foi Cemitério Maldito.

    E o livro ” Cemitério ” do Stephen King, não é pra qualquer nenhum, amiguinho………… ainda mais ouvindo essa música depois das 2 da manhã em Loop e lendo o livro…………….. Tentem a experiência…………………
    https://www.youtube.com/watch?v=JPN8KMJfdDI

    • Filipe Bortoletto

      O diretor de IT quer fazer o remake de Pet Sematary.

  • Lucas Lemes

    Como assim sem o Affonso? (7)

  • LeeEdwards2 Reverso

    Como assim sem o Afonso? (8)

  • Vítor Holtz

    Vim pela primeira vez comentar aqui só pra dizer : CADÊ O AFFONSO? !

  • KAUE

    Vocês mencionaram o filme “Lembranças de um Verão” (Hearts in Atlantis)?! Eu nunca li nada do King, porque geralmente tudo vira filme… (na verdade uma vez tentei comprar a versão original do livro que tem o conto “The Body”, de onde foi baseado o Conta Comigo, mas recebi uma versão adaptada e acabei devolvendo o livro). Só com esse filme descobri que aquele filme do Cinema em Casa, “A Coisa” (que é uma gosma – título original: “The Stuff”) não é adaptação do livro do King, o que sempre achei que fosse!! Tanto que quando vi o trailer desse novo filme com o palhaço, eu pensei: ah, “a coisa” deve ser uma metáfora, pode ser qualquer coisa e agora vão usar um palhaço…

    Sobre a discussão de que ninguém na cidade fazia nada, acho que há vários hints e que muito provavelmente serão melhor tratadas na parte 2. Tem uma cena que mostra um quadro/foto de uma mulher com um bebê ao lado do poço (pode ser a origem do PennyWise) e sobretudo a questão da mãe do Eddie de usar placebos para fazer parecer que ele era uma criança doente que portanto não deveria ficar saindo de casa. Por isso ela o mantém em casa ou super protegido, porque ela sabe que há algo errado (talvez ela mesma quando criança tenha passado por experiências semelhantes). Acho que também ajudou muito também a explicação do Jurandi no podcast passado sobre os roteiros de filmes dos anos 80.

  • Felipe Lima

    Pode ter faltado o Affonso, INFELIZMENTE, mas pelo menos não teve o tiago siqueira FELIZMENTE!!

  • Mr White (Luis Mendes)

    Excelente podcast, e SIM, já está entre os melhores.
    Stephen King é aquele homem que com certeza – nem que seja para cumprimentar para eu dizer “Obrigado por tudo”- quero conhecer. Com certeza um dos meus autores favoritos depois de Lovercraft e Tolkien. Ning prioriza o sinistro, o medo sob diversas criticas sobe depressão, solidão, obsessão e várias outras com a fantasia, como King.

    De todos seus livros e filmes, meu favorito é Cemitério de Animais com toda certeza, por ser HORRÍVEL, um final digno de te não fazer dormir e remexendo por horas e horas se eu teria ou não coragem de ressuscitar uma pessoa querida sabendo que isso traria uma consequência terrível.

    e A Torre Negra, que comecei a ler este ano, já estou no terceiro, e ja considero uma das melhores obras do autor e que já li.

    Sobre IT, também AINDA NÃO LI IT, mas irei com certea já em meu primeiro pagamento comprar a OBRA, mas o filme eu adorei demais, tanto o elenco espantosamente talentoso, desde as crianças até o Pennywizze, e algumas cenas que eu considero já entre as melhores que eu vi este ano, desde a do começo por ser muito corajosa como também a da garagem, com a cena muito bem feita e EU achei bem assustadora.

    Roteiro excelente, que mesmo que não apresenta ao certo “O que é Pennywize, de onde ele veio, do que ele se alimenta, como ataca”, ele ilustra muito bem vários tipos de situações que vai alem da criatura, com O TERROR DA VIDA REAL. Abusos fisicos, morais e bullyngs bem pesados e bem longe da ilustração que Hollywood vive colocando em seus filmes, alem de mostrar que a pessoa mais próxima a você, que mora na sua casa, pode te trazer uma situação de terror irrecuperável. Por isso nenhuma coincidência o monstro se vestir de palhaço e ataca apenas crianças com seus maiores medos. E isso adorei em iT.

    Por fim sim Mr Mercedes está incrivel

    Meus favoritos até agora

    Cemitério Maldito
    A Espera de Um Milagre
    IT A Coisa
    Conta Comigo
    Carrie a Estranha
    Um Sonho de Liberdade
    O Iluminado
    Christine o Carro Assassino
    O Nevoeiro
    O Aprendiz
    Vingança em Chamas

  • edmilsonnse

    Olá pessoal é a 1ª vez que participo do cinema com rapadura. Na realidade acompanho o podcast há um ano e já me sinto pertencente a esse grupo. Parece que estou sentado ao lado de vocês e ouvindo tudo, atentamente, enquanto me emociono, me divirto, me questiono, me surpreendo, etc.
    Mas vamos ao podcast kkk. É o seguinte, eu assiste o filme no sábado e adorei. Na minha cidade não há cinema. E o cinema mais próximo está a 200 km de distância. Aí na volta para casa eu queria vir ouvindo um podcast sobre o filme. E fiquei feliz demais que vocês, do Rapadura, já tinham postado um podcast sobre o filme. Os comentários de vocês foram muito interessantes. Concordo com muita coisa e até entendo os comentários de Rogério, quado ele diz que o elenco é fantásticos, a premissa do filme é ótima. Mas acho que ele não entendeu o andar da carruagem. Entendo que ele queria que o filme caminhasse em um sentido que fosse para o lado do terror. Mas o PH Santos foi excelente no seu comentário, quando diz que o filme vai no sentido de perdermos o medo do palhaço Pennywise, assim como as crianças. E é aí onde eu fiquei maravilhado com o filme. Por que ele nos faz sentir os sentimentos que as crianças sentem, em todos os momentos. E acho que é esse o sentido dos filmes, transferir as sensações que aqueles personagens sentem. Por isso o Rogério chega ao final sem sentir medo do Pennywise, assim como as crianças. Ou seja, Na realidade o filme cumpriu o que queria.
    Sobre o Bullyng achei forte a cena do gordinho, mas não achei exagerado. E o comentário de Jurandir, nesse momento é bastante oportuno, ao dizer que são crianças, são assim que as crianças agem. Elas não contam para os pais quando elas se machucam. Porque elas não querem perder a liberdade para explorar as “aventuras” que elas vivenciam com os amigos. Isso não tem preço. E adorei quando Jurandir diz, em em 2h4min:10s, que ele já foi criança e os adultos esquecem que já foram um dia. (Quase me rachei de rir). E isso é pura verdade. Concordo com cada comentário do Jurandir, no podcast como um todo, ele foi impecável.
    Quero deixar aqui um duvida minha (meio como teoria), talvez tenha a explicação no livro, que eu não li, do porque os adultos da cidade não ajudam as crianças.
    A questão é a seguinte. Na cena final em que o Pennywise pega o Bill e diz aos outros garotos que deixem o Bill para trás e “podem seguir suas vidas de adulto e só iram morrem quando a morte os levarem”. Essa fala diz muita coisa.
    1. Porque isso quer dizer que o Pennywise não irá atrás de nenhum deles, no seu ciclo de 27.
    2. Será que essa aventura não pode ter acontecido outras vezes, onde já venceram o Pennywise, no sentido de superar seus medos? Será que ele já fez o mesmo acordo com as crianças de ciclos anteriores?
    E acho que sim, ele já fez o acordo em outros momentos. Porque isso explica o porque dos adultos serem tão indiferentes aos desaparecimentos das crianças. Isso significa que eles sabem que o palhaço aparecerá sempre e o que eles podem fazer é não se envolverem com ele e seguirem suas vidas. Uma justificativa disso passa pelo Bullyng, do Ben, enquanto ele sofre o bullyng passa um casal de idosos, ele pede socorro, e eles apenas olham toda a cena se passando e não fazem NADA. Não há uma repreensão, nem um olhar de desaprovação, nada, não acontece nada.
    3. O comportamento dos familiares da maioria das crianças representam algum transtorno pscicológico. Porque isso acontece? Talvez pelo fato de eles viverem os ciclos anteriores do palhaço, eles sobreviveram, mas afetou a capacidade de empatia deles. Por que eles sobreviveram com o acordo com Pennywise, em detrimento da morte de algum(s) amigo(s). Ou seja, a apatia dos adultos não é gratuita, é uma consequência de suas experiências, com o palhaço.

    Por fim, parabenizo o excelente trabalho que vocês fazem sobre a cultura nerd. E os podcast são maravilhosos. Abraço a todos vocês.

    PS: Senti a falta de Thiago Siqueira.

  • phsantos

    Cadê o Affonso?
    Tava trabalhando na Bienal, gente.

    Não se pode ter tudo. Paciência!

  • Bean

    @phsantos:disqus , quer dizer que a torre negra é os agents of shield dos livros? tem que esperar uma temporada inteira para melhorar?kkkkk

  • Jorge Rodrigues Pimentel Filho

    O lance de você ficar tão angustiado com a leitura de um livro é muito real pra quem tem o costume de ler. Algumas vezes eu me incomodava com o que as personagens sentiam/viviam, mas só parei de ler por angústia três vezes:
    1. Excalibur, de Bernard Cornwell, por ter matado de forma tão brutal uma personagem ingênua e com vontade de fazer o bem. (Mas voltei logo)
    2. São Bernardo, de Graciliano Ramos, depois que uma personagem toma uma decisão pesadíssima. (mas voltei logo)
    3. A tormenta das espadas, de George R. R. Martin, depois de tanta morte violenta na série de livros, eu me senti no direito de pausar a leitura após a morte do Joffrey. Passei uns 10 dias sem tocar no livro.

  • Archanous

    Filme muito bom!!!

  • Marlon Vasconcelos

    Gente, convidem o Thiago Souza do Cinema Estranho para participar do podcast de vocês. Seria muito legal!!
    https://www.youtube.com/watch?v=lR96Rtm1jMQ

  • Diego Almeida

    O Rogério tá atrás de um documentário e não um filme…

  • Carolina Gabardo

    Eu adoro quando o PH participa dos casts. Ótimo podcast, como sempre. Senti falta do Affonso tb, mas aguardo o próximo. Abraço!

    • Júnior Souza

      O PH vem me surpreedendo cada vez mais.
      Argumentos sempre coerentes e lúcidos.

  • Joao Victor

    Muito bacana o Cast, e tipo assim, sempre estudei em escola barra pesada e oque aprendi sobre o Bullyng é o seguinte: Se alguem faz bullyng com você, você tem que fazer algo pior ( meus pais, no caso só minha mãe que eu morava com ela) Nunca fez nada, já falei com professora, diretora, ninguem fazia nada. Tu se combate sendo pior!

  • Filipe Bortoletto

    <3 Filme lindo, um dos melhores do ano e entrou para o meu top 5 fácil!

  • Júnior Souza

    Não gosto de filme de terror mas vou ouvir mesmo assim. Mais até pelo Stephen King.

  • Filipe Bortoletto

    Eu particularmente não considero O Iluminado uma boa adaptação (mas ele não deixa de ser um excelente filme), por que ele meio que ignora a história a construção de personagens que o livro faz, e isso me incomoda.

  • Filipe Bortoletto

    Minha sessão de cinema aplaudiu em pé no final de IT, e não era nem a pré-estreia, foi fantástico .

  • Filipe Bortoletto

    Ah tem uma série de Mr Mercedes rolando, deve estar no 4-5 episódio já.

  • Filipe Bortoletto

    Primeiro Livro que li foi A Maldição do Cigano, os primeiros filmes que vi foi Cujo e Rose Red (esse não tem livro se não me engano, só o filme)

  • Filipe Bortoletto

    O ultimo livro que li dele foi Rose Madder, super indico aliás, uma mistura de misticismo e violência doméstica (uma dona de casa que cansa de apanhar do marido e foge, nisso o marido dela começa a caçar ela, e tem algo místico relacionado a um quadro).

  • Filipe Bortoletto

    Tem mais dois filmes que saem esse ano, “Jogo Perigoso” e “1922” ambos pela Netflix se não me engano.

  • Diego Phiłł

    Aprecio a maioria do filmes baseados nas obras do Stephen King, mesmo porque foi meu primeiro contato quando criança. Mas o primeiro livro que li foi O Cemitério… seguido do Iluminado. Parecia algo magnético, pois sempre caia no meu colo algum livro dele para ler e era sempre um experiência única cada um deles. Ainda não vi o filme novo do IT, mas me lembro de ter assistido o original e ter gostado muito, na época. Não vou rever hoje para não estragar a memória. Abraços!

  • Filipe Bortoletto

    “Fala com os pais” Um deles estupra a filha, o outro é um policial abusivo, dois dos pais estão passando por luto, dois morreram queimados, uma das mães prenderia o filho em casa para não se machucar, outro pai é judeu super duro com o filho. Não são pais normais gente, não são situações e famílias normais.

    • ingrid alves

      claro que são

      • Filipe Bortoletto

        Se tu acha normal pai estuprador então ta né

  • Manoel Ortega

    Uma coisa que o Rogério falhou em entender é que a criatura não visa amedrontar o Rogério, visa amedrontar as crianças. Por isso figuras que saem dos quadros e palhaços gigantes fazem sentido. O objetivo do filme (assim como a maioria das obras do King) é contar uma história além do medo. Falhou em embarcar na proposta do filme, e esperou assistir um filme focado apenas em causar medo. A diferença entre as notas dos participantes deixa claro quem falhou em compreender o objetivo do filme. No aguardo da parte dois (e do cast também).

  • Javali Errante

    Eu não senti falta de desenvolvimento do Henry, mas eu senti que o Mike foi muito jogado. Mas eu gostei do filme mostrar o palhaço amedrontando as crianças, não acho que mostrou demais.

  • Maurício Franco

    Juras, para complementar o que você disse, um dos filmes que passa no cinema da cidade é exatamente A Hora do Pesadelo!

  • Ricardo Rocha

    Faltou falar de Rose Red que acho interessante porém mal executado. Adorei cada segundo do podcast. E IT é maravilhoso já fui ver 4 vezes no cinema. Mas o Rogério é muito chato, respeito a opinião, mas ele falando parecia que queria uma uma obra prima. Fui criança e sofria coisas horriveis na escola, tudo bem que muito ali foi exagerado, mas o Rogério exagerou na chatice.

  • Cássio Vilas

    Assim como a obra do mestre Stephen King, esse podcast foi show. Vocês conseguiram fazer um resumão pelas principais adaptações sem perder o passo. Só achei loucura num momento falarem que o filme O Nevoeiro (2007) é melhor que o conto. O final até concordo que é sim, porém, no todo da obra, o conto proporciona uma imersão muito além, não só nos conflitos sociais que ocorrem dentro do mercado, mas principalmente quando eles saem dele, para descobrir o que está acontecendo do lado de fora. A opinião do Rogério como um contraponto crítico para o filme It foi muito interessante. Ainda não assisti o filme, mas a impressão que tenho desde as primeiras imagens que saíram do palhaço até o trailer, é que seria realmente uma pegada mais leve, como ele comentou, e não um “terror de verdade”. Então nem criei hype nesse sentido, para não me decepcionar. Coisa que parece ter sido diferente com ele kkk.
    Além disso achei incrível ele ter citado o livro Joyland, de 2010. Concordo plenamente, que daria um Thriller muito atraente. E também ter falado de Mr. Mercedes, que até agora está incrível, mas ninguém parece dar bola, nem mesmo os americanos. De qualquer forma, parabéns a todos pelo excelente trabalho! E viva o mestre King, 69 anos hoje!

  • Arthur

    Eu estava me sentindo um peixe fora da água até ouvir a opinião do Rogério Montanare. haha Saí do filme desconfortável, todo mundo curtindo muito o filme enquanto eu só achei… ok.
    Concordo que tem coisas boas alí sim. Esse clima de uma turma de crianças embarcando em uma aventura é fantástico, fazia tempo que eu não via isso em um grande filme (talvez desde Harry Potter).
    Mas o filme tem sérios problemas de montagem. Realmente algumas cenas são muito gratuitas, não há uma coesão que construa um terror psicológico, apelando muito pro jump scary. A falta de uma “atmosfera” de medo ficou clara na sessão que fui, em que em várias aparições do Pennywise as pessoas soltavam gargalhadas.
    E se não basta o filme não saber construir tensão, ele é muito longo, dá até a impressão que você assiste a dois finais. Fora os exageros citados pelo Rogério: até na melhor coisa do filme, que são as crianças, eles erram a dose.
    Queria ter gostado mais, fui com uma expectativa alta. :/

    • Marlon Bachmann

      Eu adorei o filme! Porém concordo com você…. as risadas histéricas das pessoas em momentos desnecessários durante o filme, me tiraram daquele clima de tensão que eu queria estar!

      • Marcus Vinicius Cipriani da Co

        Mais um pro time dos que gostaram mas não muito. Achei que a trilha e alguns momentos de piada me tiram um pouco da tensão que vinha se construindo, e que eu almejava, apesar de serem bons. Achei algumas cenas também exageradas, como a do banheiro, preferia a sutileza que vi na teleserie, acho que encaixaria melhor. Mas mesmo assim daria um 7,5 rsrs

  • George Ayres

    Rapaz, não sou ouvinte assíduo do RapaduraCast, assim como não sou assistidor de cinema (vejo pouquíssimos filmes, cinema hollywoodiano está cada vez mais desinteressante pra mim), enfim, vou comentar porque a temática foi o Stephen King (além do filme It). Bom, não conheço quase nada, li o livro Carrie em 2003 e foi o primeiro livro que me deu frio na barriga, fato inédito, até porque nunca tinha lido algo do tipo. O interessante é que o “terror” desse livro é ficção mas não está distante da realidade, isso é o que causa o frio na barriga. rsrs

    Genial escritor, Carrie A Estranha é um super livro, recomendo. Das adaptações eu gostei mais daquela dos anos 70.

    By the way, ótimo cast!

  • Juliano Bertoldo

    Parabéns pela discussão! Após escutar, encomendei o livro “quatro estações”, pois apesar de ser fã, não sabia que os contos eram os que foram adaptados conta comigo e um sonho de liberdade. Certamente um dos melhores filmes adaptados do King, ao lado de um sonho de liberdade, conta comigo e a espera de um milagre. Filme cativante, mas quem havia lido o livro já sabia da maravilhosa história por trás do filme. Aguardando ansioso a segunda parte de IT!

  • Diogo Maia

    Lovecraft e Stephen King são dois dos meus autores de horror favoritos. Gostaria muito de ver o Nas Montanhas da Loucura adaptado pro cinema.

  • Wilquerson Rocha

    Antes deste cast eu costumava torcer o nariz pra Stephen King por conta de Colheita Maldita, mas enquanto estava ouvindo eu descobri que sou fã dele.
    Eu sempre adorei “Conta Comigo” e “A Esperança de um Milagre”, mas “Um Sonho de Liberdade” é meu filme preferido.
    Eu também curti muito este “It – A Coisa”, acho que por conta da associação com “Stranger Things”.
    Muito obrigado a vocês por me guiarem nessa descoberta.

  • Lucas Ramos

    Faltaram falar mais de cemitério maldito!! Classico!!

  • Lucas Ramos

    Em relação ao que Rogério fala dos atos das crianças em relação ao adulto, pra mim ta bem claro q as crianças não procuram os adultos pq eles n podem contar com eles, pois os mesmos sofrem influência do pennywise, assim como o garoto q faz bullying… Tbm acho q aqueles garotos sofrem com o pennywise pois são + vulneráveis, ja q tem péssimos pais… ou seja, eh uma roda viva…

    • Jibson

      Concordo, e pra mim fica bem claro a influencia do pennywise nos programas que passam na TV e no balão que aparece no carro quando o Henry está atacando o Ben

  • Spoiler vale pra livros também galera, só tô falando.

  • Lucas Da Silva Biava

    Alguém pode passar quais foram os livros que eles indicaram ou em qual momento foi?
    Lembro que mencionaram duma key e mr mercedes. Teve um que eu não lembro o nome foi algo tipo sideways.