sexta-feira, 01 de setembro de 2017

RapaduraCast 515
Ghost in the Shell / Death Note

Por que adaptações de animes e mangás são tão difíceis de funcionarem?

Aperte o Play para começar o RapaduraCast Aperte o para começar o RapaduraCast

1x 1.5x 2x
0:00:00

Há muitos anos Hollywood tenta adaptar histórias japonesas e os resultados acabam, quase sempre, não sendo o que os fãs esperavam. Por que isso acontece? Será que é tão difícil transformar um mangá/anime em um filme hollywoodiano? Dessa vez decidimos analisar duas adaptações live-actions que foram lançadas em 2017: “Ghost in the Shell” e “Death Note“. E aí, funcionou? São bons filmes? O que deu certo e errado?

|| PARTICIPANTES
Jurandir Filho, Thiago Siqueira e Juba

|| PODCASTS RELACIONADOS
– RapaduraCast 192 – Biografia: Hayao Miyazaki
– RapaduraCast 227 – Forever: Akira

|| DESCONTOS! MUITOS DESCONTOS!
Este RapaduraCast conta com o apoio do Promobit, uma comunidade de pessoas que colaboram para encontrar descontos na internet. Eles divulgam promoções das principais lojas virtuais do Brasil, como por exemplo, “Cupom de Desconto Americanas“. Faça parte da comunidade que mais economiza na internet.

|| ASSINE O RAPADURACAST
iTunes: Tem iPhone/iPad/Mac? Adiciona aí!
Android/WindowsPhone: Esse link é o do feed/rss do sucesso!

|| NOSSOS CONTATOS
WhatsApp: (85) 999 335 662
Youtube: RapaduraTV
Instagram
@cinemacomrapadura
Twitter: @rapadura
Facebook/cinemacomrapadura

Compartilhe

Participantes

Juba
Juba
@juba_kun
Jurandir Filho
Jurandir Filho
@jurandirfilho
Thiago Siqueira
Thiago Siqueira
@ThiagoSiQueiraF

Ouça Também


  • Miura Mestre do hiato

    Affonso cairia bem no cast

    • Raphael Lamour

      Affonso seria ótimo. =(

      • Snake Gear

        O Harold/Android quando trata-se de ficção cientifica também detona. Vide 2001 no Nerdcast.

  • Taryon

    Bom, vamos ouvir o Jurandir descarregar o seu ódio.

    • Raphael Lamour

      Só espero ódio e frustação neste cast! não espero menos! =)

    • Raphael Lamour

      E não me decepcionei.

  • João Manoel Moury Coelho

    Otimo cast pessoal, realmente a maioria dos animes/ mangas adaptados para o ocidente, ficam fracos quando comparado com as obras originais. Penso que seria melhor tentar adptar elas para séries de TV, mais tempo em tela pode ajudar a desenvolver os personagens e história.

  • Raphael Lamour

    A capa no feed tá vindo do 99 vidas “meu video game chegou” wtf! e cancelei meu feed do 99 vidas faz tempo =O

    • Resolvemos 😉

    • Weber Lima

      É para te incentivar a voltar ao 99Vidas!!!

  • Raphael Lamour

    Sobre Dragonball no cinema, sinceramente eu gostava quando era criança, hoje não tem como assistir os primeiros. E um filme adaptado disso é um filme super infantil. Não vejo como pode sair algo bom disso para o público acima das crianças.

  • NapoliThanos de Regata

    Até minha fanfic de Dragon Ball seria melhor do que isso que Hollywood produziu

  • Axel

    Estou tentando baixar o episódio, mas o site está pedindo autenticação.

  • Dan

    Não estou conseguindo baixar o ep, fala que a conexão com o site não é segura, e depois pede autenticação de login e senha pra baixar.

    • John

      Tambem nao 😐

  • Gyselle P. Teixeira Correia Li

    Não consigo baixar, falha no servidor 🙁

  • Fagner

    Não consigo baixar.

  • Berserk

    Não ta dando pra baixar

  • Estude Mais Sr. Rapadura, vc falou no início do cast que Ghost in the shell era o maior orçamento de uma adaptação americana de filme/mangá, com US110 milhões vc errou feio No Limite do Amanhã (no original em inglês Edge of Tomorrow) teve um Orçamento de quase 200 milhões (US$178 milhões.)

    • No Limite do Amanhã não estava na nossa lista, por ser baseado numa light novel. Mas acabei inserindo um trecho sobre o filme no programa pós edição pra não passar batido, mas essa parte do orçamento passou.

      Não foi “falta de estudo”, foi erro na pauta mesmo.

    • Giuliano Peccilli

      Como comentado pelo Jurandir Filho, o “No Limite do Amanhã” ganhou uma adaptação em mangá q veio pro Brasil, mas não necessariamente o filme foi baseado nele. Então a informação está errada, já que a obra foi baseada no Light Novel.

  • Só eu escutei Matt luther king? algum parente do Matt Damon kkkkkkkkk! Seria Martin luther king ?

  • Vc não citou o Robocop, o próprio Masamune Shirow em entrevista falou que um obra que impactou ele foi o filme Robocop de 1987, onde vejo a discussão principal ser: O protagonista é um robô com partes humanas ou um humanos com partes de robô? Ghost in the shell foi publicado em 1989 e adaptado para anime em 1995.

    • Robocop é baseado em mangá? Se não, não tem porque ser comentado aqui. Achei que estava clara a temática do podcast.

      • Paulo Silva

        Acho que ele quis dizer isso. Ghost é um mangá pasteurizado em cima de um tema estabelecido por Robocop. Na verdade Ghost é a “japonesação” de Robocop. Filme que também já é uma pasteurização dos filmes alemães como Metropolis, o próprio Verhoeven fala nos extras onde veio sua referência, filmes de ficção alemães.

    • Giuliano Peccilli

      Robocop provavelmente inspirou Ghost in the Shell num proporção bem menor do que Mad Max inspirou Hokuto no Ken. E inspirações assim são normais no oriente, temos Star Wars em Jaspion, por exemplo.

  • Gabriel Azmodam

    Parabéns pra quem começou o Podcast com Kenshi Yonezu, melhor cantor/Bandadeumhomemso de todos os tempus.

  • silas.

    O que eu mais consigo pensar de bom sobre a versão americana de Ghost in the Shell, em resumo: belo visual, especialmente em IMAX; design de produção ótimo. E quando um filme é mais elogiável pela sua parte estética do que por um roteiro sagaz bem trabalhado em harmonia com o imagético… Humpf!

    Há mais casca do que alma no longa protagonizado por Scarlett Johansson, pasteurizações (um tanto justificáveis) pro público geral e ocidental à parte. Boa parte de densidade e discussões necessárias foi perdida.

    Discordo bastante dos membros do Rapadura que acharam muito bom e/ou muito fiel à essência o filme de 2017. Penso que citar que o ano tem sido repleto de grandes lançamentos decepcionantes é fazer um nivelamento ou comparativo por baixo, aliás.

    • Paulo Silva

      O mercado independente está com ótimos filmes como O Estranho que Nós Amávamos e RAW.

  • John

    Excelente cast ccr

  • Mega

    baita cast!

  • Lucas MuitoHasquer Alan Vizzot

    Rapaduracast começando com abertura de boku no hero foi a melhor coisa que aconteceu na minha semana

    • Hunter_X

      Supa Hacka!

    • Pedro

      Que vida triste a sua 🙁

  • Betotruco

    Sicas, Speed Racer das Irmãs é um LIXO tb!! Com um visual carregadíssimo e horrososamente brega que causa epilepsia no Cinema! E Speed NUNCA foi aquilo!
    Nos animes sempre teve imagens pueris… Mas gosto é gosto!
    Ghost in The Shell pra mim é 6! Muito estilo e pouca, pouquíssima substância!
    Típica adaptação americana do aí sim, INDEFENSÁVEL Death Note da Netflix!
    DG Evolution agora tem um irmão!!

  • Adaulan

    Essa abertura de boku no hero ♥️

  • Henrique

    Impressionante Jurandir deu nota baixa pra um Filme.
    Olha que achei que ele gosta de qualquer coisa e vários filmes sofríveis. 😀

    • Adriano Marinho

      Mais impressionante mesmo foi o Jurandir reclamando da mudança de personalidade dos personagens em Death Note, mas bem tranquilo com o “Superman” do Snyder.

  • Paulo Silva

    Ghost In The Shell me dá sono. Death Note nunca vou procurar assistir.

    • Pedro

      Tenta procurar o anime Ghost In The Shell: Stand Alone Complex, é incrível e mil vezes melhor que o filme.

  • Guilherme Kyon

    Death Note foi tão ruim que me causou dor física! (E eu nem sou tão fã do anime)

  • Sérgio Géa

    Eu criei espectativa o filme todo, achei que a Mia ia matar o Light e se tornar Kira, achei que o Light iria escrever o nome do pai dele em um certo momento, eai sim se tornaria Kira… etc. No “plano final” do Light eu já estava tão fora do filme que foi um respiro aliviante ahahha’.

  • Snake Gear

    O Harold/Android que participava do Nerdcast (não sei qual foi a treta entre ele e os gordinhos) seria um cara bom para tratar desses temas de ficção cientifica, traz o cara para a roda.

    • PlagueDoc

      Qualquer um que tenha personalidade forte logo entra na lista negro do Azaghal, vide a putaria com o Mario Abadde, o cara que mais manjava de cinema daquela galera.

    • Neagle Hef

      Não teve treta, tem convidados que só não participam pelos seus próprios motivos, o Jonny Ken, por exemplo, não participa desde o NC 486, e não teve treta nenhuma

  • DS9/BSG

    Ghost in the Shell achei um bom filme…ele simplesmente não vai além do bom…

    Não entendo a surpresa em relação a essas adaptações japonesas não ficarem no mesmo nivel dos originais, ja que a finalidade nos EUA é ser comercial e o comercial dos americanos raramente vai chegar a esses extremos orientais…

    A complexidade de Ghost ja foi feita, foi Matrix e um Matrix não surge a todo momento…. não é todo mundo que tem a capacidade pra construir um filme daquele nivel…

    Esses realizadores americanos querem simplesmente aproveitar a Marca pra ganhar dinheiro…isso ficou claro em Ghost quando nem a trilha original colocaram dentro do filme…

    Na próxima vez, seria prudente ninguém ir ao Japão comer Sushi em hotel chique bancado por produtores rs

  • André Luís

    Ghost in the Shell oq atrapalha é ser PG13.

  • nerd natal

    Eu gostei do filme do Death note. Já tinha assistido o anime. Entendi que o filme foi uma releitura e não uma adaptação. Para mim, funcionou. Não entendo o ódio dos fãs do anime, se quer algo como o original, que assista o original, mas essa é só minha opinião.
    Eu ainda não assisti Ghost in the shell, mas vocês falaram tanto que eu vou procurar assistir o anime e depois o filme.

  • Jhonathan Francioli

    Muito bom o episódio, ainda tenho que assistir Ghost in the Shell, começando pelo anime. Sobre Death Note, só assisti aquela cena do Light do filme gritando de medo e já foi o suficiente pra eu passar longe do filme… decidi mesmo foi por assistir novamente o anime. Me pergunto como uma pessoa com uma obra dessas em mãos simplesmente consegue rasgar tudo e jogar no lixo um filme que poderia ter sido excelente, é muito desrespeito com os fãs, outro exemplo é “o último mestre do ar”, lamentável.

  • Felipe Miranda

    Esqueceram de falar a copia mal feita de Battle Royale… Jogos Vorazes! hehehehehe.

  • Tiago Pereira

    São difíceis de funcionar (pelo menos nesses exemplos) simplesmente porque eles pegam a ideia original e arrebentam com ela.
    O filme do death note é uma sacanagem nesse quesito. Pode-se dizer que a única coisa em comum com a obra original é o caderno (e até nisso mexeram).

    • PlagueDoc

      Arrebentam já quando começam com essa putaria de whitewashing e blackwashing.

  • Francisco Vidal

    É assim, senhores, que se faz uma adaptação japonesa DIGNA: Samurai X – O Fim de uma Lenda (2014)
    https://www.youtube.com/watch?v=wIqLFH1QSK0

  • DS9/BSG

    Na minha opinião essa discussão de Ghost in the Shell, sobre alma e concha, já se tornou ultrapassada… somente quem não esta percebendo o que esta acontecendo no mundo ainda quer discutir o conceito de alma num universo de IA.

    Prometheus quis levantar essa bola da importância da alma, que o David por não ter alma, seria um ser inferior ao homem, sendo que essa discussão já teve na serie A Nova Geração em 1988, com o julgamento do Data e tantos outros episódios.

    Com todos os avanços da neurociência, demonstrando a cada dia que somos o que tem no cérebro, insistir em conceitos sem prova nenhuma, não é discussão inteligente, é negar a realidade.

    Se existisse alguma coisa além do cérebro nos controlando, a morte cerebral não seria o marco final da vida, até provem o contrário.

    A ficção cientifica já avançou nesse caminho, basta assistir alguns episódios de Star Trek Voyager de 1995 a 2001, onde se discute a humanidade de um holograma… pois uma IA pode evoluir.

    Tem um episódio de Voyager que é fantástico no desfecho, quando a Janeway diz ao doutor, que ela deu liberdade a ele para progredir na sua programação, logo os erros que ele cometeu, ela não pode considerar como culpa dele… esse é um papo claro de um deus e sua criatura…

    Muitas obras de FC colocam esses conceitos metafísicos no meio pra tentar agradar o grande público, porque na real, essas discussões são do grande público que ainda esta apegado a conceitos que carecem de mais evidências, mas é claro, a maioria das pessoas não tem na evidência sua fundação.

    Existe evolução na IA.

    Homem biônico já existe.

    Dentro de pouco tempo se surgir tecnologias de implante no corpo com acesso a internet, as pessoas vão topar na hora.

    A IA esta avançando de forma absurda no mundo em que vivemos e as provas da alma depois de 3000 mil anos de homem moderno não surgem, pelo contrário, cada dia fica mais claro qual é a verdade do mundo, seja ela boa pra uns ou ruim pra outros.

    Ter alma é irrelevante para as atitudes do homem, pois até hoje ele não sabe se existe ou não e cometemos atos bons ou horríveis, acreditando nela ou não.

  • PlagueDoc

    Alguém me tira uma dúvida pls: porque quando rolou whitewashing no Ghost in the Shell, geral meteu o pau, mas quando é whitewashing e blackwashing no Death Note, todo mundo abaixou a bola e ficou quietinho? Cadê a coerência da crítica?

    • Diego Perreira

      Mas em DN trazer um personagem negro para ser o L não muda o caráter do personagem, além do mais, o L é britânico, o que casa com a etnia.

      Agora, peguemos A Grande Muralha, que se passa na China, com grande elenco chinês, mas traz dois personagens ocidentais com ações “deus ex machina”, ou ao menos um. Isso é WW.

      • PlagueDoc

        Meu amigo, que desserviço essa desinformação que tu deu, segundo o criador da série o cara é um quarto inglês, um quarto japonês, e mais algumas nacionalidades, a aparência que prevaleceu ali foi oriental, logo o personagem foi completamente descaracterizado com esse ator negro, e mesmo que ele fosse totalmente inglês ainda assim, não tem nenhum traço étnico africano no personagem tanto no mangá quanto no anime, inglês é nacionalidade, não etnia, seu argumento falhou miseravelmente.

    • Pedro

      Não vi ninguém além da galerinha do lacre meter o pau no filme. E a galera do lacre (felizmente) não é a maioria do público.
      Aliás, essa galerinha lacradora nem assistiu ao filme. Eles só gostam de reclamar mesmo.

      Mas realmente, a etnia do L não tem relevância na obra original. Tanto que o fato do L ser inglês é praticamente uma curiosidade da história, não é algo explorado.

  • Paulo

    acho interessante esse olhar de especialista de vocês mas como leigo, achei ambos fodas.

  • Caramba, nota ZERO?! o_O

  • Diogo Maia

    Achei as críticas ao live action do Ghost In The Shell um pouco exageradas. Aqui, nem tanto, mas no geral pegaram pesado com o filme e olha que eu curto muito a obra original. A versão de 2017 não é uma obra-prima, mas está longe de ser ruim.

  • Pedro

    Take my breath awaaaaaaaayyyyyy