sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

RapaduraCast 493
Por que as adaptações de games não funcionam no cinema?

Que praga é essa que impede de termos filmes excelentes vindo de games?

Aperte o Play para começar o RapaduraCast Aperte o para começar o RapaduraCast

1x 1.5x 2x
0:00:00

Após várias adaptações de jogos de videogames para o cinema, chegamos aqui para discutir os motivos da maioria delas não funcionarem. Existe alguma explicação? 2016 era tido como o ano que seria divisor de águas paras as adaptações de games. Assassin’s Creed, Warcraft e Angry Birds chegaram aos cinemas. O que mudou?

Jurandir Filho, Raphael PH SantosThiago Siqueira e Rogério Montanare discutiram sobre o passado, presente e futuro dos games nas telonas. Em quem devemos depositar nossas fichas: Tomb Raider ou Uncharted? Viveremos para sempre falando de exceções, dizendo que “pelo menos Silent Hill foi bem adaptado”? 2018 será o ano dos videogames no cinema?

|| ASSINE O RAPADURACAST
iTunes: Tem iPhone/iPad/Mac? Adiciona aí!
Android/WindowsPhone: Esse link é o do feed/rss do sucesso!

|| NOSSOS CONTATOS
WhatsApp: (85) 999 335 662
Youtube: RapaduraTV
Instagram
@cinemacomrapadura
Twitter: @rapadura
Facebook/cinemacomrapadura
Telegram/cinemacomrapadura

Compartilhe

Participantes

Jurandir Filho
Jurandir Filho
@jurandirfilho
Raphael Santos
Raphael Santos
@phsantos
Rogério Montanare
Rogério Montanare
@rmontanare
Thiago Siqueira
Thiago Siqueira
@ThiagoSiQueiraF


  • Sauro

    FINALMENTE

  • Samuel Cabral

    opa! curti muito o tema! vamos escutar!!!

  • Findman Returns

    Será que o Jurandir teve a coragem de dizer que a franquia cinematográfica de Resident Evil é um lixo?

    • Renato Santos

      nem basta ter coragem, só falar a verdade kkkk

  • PsicoHélder Soúlima

    Pensei que tivesse acabado.

    E também espero que os próximos programas foquem em temas mais espinhosos.

  • Leonino Ferreira

    você é doido de pedra

  • Diego Pinheiro

    Puts… o primeiro filme do Silent Hill é tão bom. Algumas, felizmente, funcionam. rs

  • Miura Mestre do hiato

    Sem o rei?

  • Paulo Rycky Henrique

    Assassin’s Creed 2 não foi cancelado,ainda vai acontecer

    • Paulo Roberto Galliac

      Só vai funcionar se tiver roteiristas como Irmãos Coen, Quentin Tarantino, Paul Thomas Anderson, Alfonso Cuarón etc. E claro diretor bom (já tem), atores (já tem), fotografia, trilha sonora (lixo) etc.

    • Marcelo Abdul

      Vai virar serie da Netflix.

  • Marlon Spielberg

    não consigo fazer o download

  • Marcelo Abdul

    Se comparar com outros filmes de games, Assassin´s Creed foi melhor que a média. Longe de ser a porcaria que falaram.

    • Renato Santos

      Assassins pecou por não explorar mais o passado, que é a parte divertida e que chama atenção no jogo, até a sequencia (se houver) vai focar nos assassinos nos dias de hoje, ou seja, lá se foi a volta ao passado e a diversão.
      Vão fazer o mesmo que fizeram em resident evila, bota o nome umbrella e alguns zumbis q tá bom, vamos contar outra historia.

      • Marcelo Abdul

        Até compreendo essa justificativa, mas apesar da maioria dos eventos dos jogos se passarem no passado a história principal de AC se passa no presente. Por mais incrível que possa parecer. Num filme de duas horas é muito complicado apresentar e aprofundar dois personagens. (Lembremos que precisamos de 40 horas de gameplay em média nos jogos). Acho que ficou de bom tamanho. Claro que o filme poderia dar um potencial melhor, mas não saí com raiva do cinema como fiz depois e ter visto “pérolas” como Doom, Max Payne e outras adaptações horripilantes de games.

        • Marco Antonio de Oliveira Sant

          Eu discordo disso aí, sempre q eu joguei a história principal pra mim era o passado. O presente era de vez em quando, pra costurar tudo num sci-fi legal.

    • Paulo Roberto Galliac

      Direção, atores e outros pontos técnicos estão bem. Começa com a época ter a Inquisição Espanhola se nem se desenvolve o poder histórico que o game tem. Torna o próprio impacto dessa época, assim como os protagonistas pessimamente subdesenvolvidos no ROTEIRO RASO.

    • Marco Antonio de Oliveira Sant

      No aspecto técnico talvez, mas o roteiro eu achei uma porcaria sim.

  • Sauro

    Gostei, mas tava esperando um Rapaduracast sobre um filme atual, ou filmes :/

    Estamos próximo do Oscar, tem que pegar os barcos enquanto eles tão flutuando, La La Land já afundou e os outros?

    Queria ver Train To Busan, A Garota no Trem, e Coherence (Nada a ver com o Oscar, é só um filme cult que um monte de gente curte)

    • Marco Antonio de Oliveira Sant

      Train to Busan é melhor q todos os filmes do Oscar menos A Chegada.

      • Sauro

        Dá uma olhada em Coherence também, se assistir depois me fala aqui p ver se você pegou um detalhe, abs!

  • Renato Santos

    não funciona simplesmente pq as pessoas q realmente saberiam executar esse tipo de filme, não tem oportunidade. Essas pessoas q desenvolvem os jogos, q fazem as cutscenes dos jogos e que se vc montar dá um ótimo filme, aquelas que criaram a trama, a história e tal, deveriam ser consultadas e ter peso nas decisões, e não botar um diretor ou roteirista qualquer pra dar a visão dele sobre aquele universo.
    Mortal kombat 1 foi uma ótima adaptação, um torneio pelo destino da terra com lutas entre competidores e algumas mortes, o cara foi lá e fez algo bem perto do jogo, só não teve a violência.
    Silent hill 1 a mesma coisa, só mudaram o protagonista, mas tá lá, a cidade, a névoa, as criaturas e o melhor ,o clima de jogo, de achar pistas q te levam à outros lugares, um chefe final, isso tudo se aprofundando na narrativa.
    Filmes de games não são dificeis de fazer, só falta gente competente, afinal os jogos tão aí, com tudo q um filme precisa, historia, personagens, trama, fases, conclusões e consequencias.
    Aí vem um fidirapariga e coloca uma tal de Alice em resident evil……

    • Paulo Silva

      O arquiteto de um hospital não significa que pode ser médico também. É o mesmo problema, a galera gosta de subestimar a produção de um filme, mas a verdade é que as histórias de jogos são ruins. Quando se coloca no Final Draft se nota uma porrada de erros, que no jogo se passa despercebido pq vc é que está no comando, mas quando se olha como espectador, a situação fica bem diferente. Uma coisa é um caçador de tesouros sair matando todo mundo, destruir aquilo que ele deveria proteger e etc, no game se aceita, agora jogar pra linguagem de cinema uma coisa dessa é bem complicado, quase impossível no bom senso de um produtor.

      • Renato Santos

        parei em “historias de jogos são ruins”

        • Paulo Silva

          Mas são, cita 5 boas histórias de games que podem ser adaptadas para o cinema sem alterações drásticas. Não vale The Last of Us, pois já tem vários filmes do mesmo estilo, a história do jogo em si não traz nada de novo, tanto que o filme do jogo foi engavetado pq um tal de Cuarón já tinha feito algo semelhante e muito superior.

          • Gutem

            Mad Max: Fury Road quase não tem diálogos e a historia é contada pelo visual e cenários e ainda sim é um ótimo filme então dá pra fazer sim um bom filme de um game.

          • Paulo Silva

            Nomes, quero 5 jogos que podem levar multidões aos cinemas, Só 5 nomes e até agora nada. Só garganta aqui.

          • Marco Antonio de Oliveira Sant

            God of War, Uncharted, Tomb Raider, Batman Arkham City e Injustice: Gods Among Us.

          • Paulo Silva

            Nope. O primeiro teria que fazer uma adaptação que cortaria tanta coisa que resultaria num Fúria de Titãs. Uncharted já existe e se chama “A Lenda do Tesouro Perdido” e tem o Mito. Batman é antes de mais nada HQ, nem sei pq colocou aqui. O último citado já teve uma prévia com BvS, deu certo não.

          • Gutem

            E dia me diga um filme recente que seja melhor que jogos como a trilogia Gears of War, Mass Effect, Dead Space, BioShock, Dragon Age, Skyrim e etc…

          • Gutem

            Seu arrombado filho da puta.

          • Gutem

            Esses malditos cinéfilos sempre são arrogantes e se acham só poque assistem filminhos principalmente se for de arte ou alternativos que ninguém viu já maioria das pessoas normais não ligam tanto assim para filmes e assistem mas depois se esquecem mas os malditos cinéfilos não eles acham que vão mudar o mundo só porque veem filmes.

          • Paulo Silva

            Parou pra pensar que 99% do mundo não joga video-games e pouco se importa com isso? Parou pra pensar que o mundo não gira ao seu redor?

          • Gutem

            Malditos cinéfilos arrogantes se acham em.

          • Paulo Silva

            Cita essa porra aí maluco!

          • Gutem

            A trilogia Mass Effect tem uma historia melhor que todos os filmes de Star Wars.

          • Paulo Silva

            Não tem, sisudo demais. Cita outros.

      • Gutem

        As historias de games estão superiores pelo menos aos filmes blockbusters posso falar vários jogos que são melhores que todos os filmes de entretenimento atuais.

        • Paulo Silva

          Não, não estão, pois usam o cinema como referência. The Last Of Us é a fotografia todinha de “Filhos da Esperança”. Uncharted é uma mistura de Indiana Jones com Jerry Bruckheimer e assim vai…

          • Gutem

            É engraçado você citar que The Last of Us se inspirou no filme Filhos da Esperança mas dizem por ai na internet que o filme do Cuarón se inspirou em um game chamado Half-Life 2.

          • Gutem

            Muitos filmes hoje em dia tem inspiração em games só que você não fica sabendo disso porque poucos diretores falam abertamente sobre isso. Isto é devido em parte, talvez, à aparente desconfiança dos meios de comunicação sobre os videogames como um todo – embora notícias positivas sobre o meio sejam por vezes relatadas, as histórias sobre jogos violentos e seu impacto no comportamento são muito mais comuns. E quando filmes como Transformers aparecem nos cinemas, cheio de CGI já começa os críticos de cinema gritando que “Parece um videogame!” Por isso que alguns cineastas não falam abertamente sobre a influência dos jogos em seu trabalho.

          • Gutem

            E dai? Quantos filmes não tem inspiração em games como por exemplo: Matrix, Tron (1982), O Último Guerreiro das Estrelas, Jogos de Guerra, Attack The Block, Distrito 9, John Wick, No Limite do Amanhã.

          • Gutem

            O Jogo chamado Heavy Rain os criadores de Sherlock usam a ideia desse jogo de exibir legendas na tela para ilustrar o que seus personagens estão pensando.

          • Gutem

            Ate filmes de arte hoje em dia tem inspiração em games como O filho de Saul com a sua câmera por cima do obro que lembra um game em terceira pessoa.

          • Paulo Silva

            Touro Indomável usou OTS em diversos planos, em 1980 não existia nem computação gráfica. Colega com 13 anos e sem nenhuma bagagem de vida, só vai conseguir uma coisa, provar que jogos chupam filmes mais do que pensávamos.

          • Gutem

            Quem tem 13 anos?

          • Gutem

            A vai se fuder seu merda arrobado fihlo da puta.

          • Gutem

            Sempre esses malditos cinéfilos cults se achando a última bolacha do pacote.

          • Gutem

            E você prova que cinéfilos são arrogantes e se acham seu babaca de merda.

          • Gutem

            Quem é você para falar de bagagem cultural seu estupido de merda em pucos anos acho vivi mais que você a vida inteira seu merda.

          • Gutem

            Se um dia encontrar um critico de cinema um maldito cinéfilo metido a cult vou quebrar tanto a cara dele que ele vai ficar irreconhecível.

          • Gutem
          • Gutem
          • Gutem

            Uwe Boll pode fazer filme merda mas eu louvo ele por quebrar esses malditos cinéfilos cults arrogantes na porrada.

          • Gutem

            Enfia o Touro Indomável no olho do seu cu seu seu arrombado.

          • Gutem

            Filmes podem ter historias melhores que videogames principalmente no passado mas agora? KKKKKK os filmes hoje em dia tem historias que muitas vezes são até piores que jogos.

          • Gutem

            Gastar 40 reais em um filme merda PG-13 ou jogar a obra prima The Witcher 3 por mais horas de diversão em?

          • Gutem

            Os filmes de hoje em dia sem sangue e com historias estupidas não valem apena.

          • Gutem

            Esse babaca do Paulo Silva sempre vem bostejar nos comentários.

          • Gutem

            O cara veem em podcast de games da uma de arrogante de como o “cinema é superior aos games e blá e blá” há se toca seu mané aqui é uma discussão sobre adaptações de videogames seu merda e não qual mídia é melhor.

          • Gutem

            O filme John Wick parece um shooter em terceira pessoa como o jogo Max Payne por exemplo e até tem varias similaridades na historia também.

          • Paulo Silva

            John Wick é um filme genérico, igual ele tivemos uma caralhada nos anos 80 e 90. E adivinha, o diretor do filme era dublê justamente desses filmes.

          • Gutem
          • Gutem

            Alguns também apontaram semelhanças entre Children Of Men e a visão sombria do futuro do Half-Life 2 .

          • Paulo Silva

            Half Life é antes de qualquer coisa uma obra baseada em H.G Wells, pode ter certeza que Cuarón nunca deve nem ter pego num controle de video-game.

          • Gutem

            Errado, o jogo teve influencia de um conto do Stephen King “O Nevoeiro” em que o exercito abre acidentalmente o portal para outra dimensão que tem alienígenas.

          • Gutem

            Você conhece ele por a caso para dizer com tanta convicção que ele nunca jogou um videogame na vida?

          • Gutem

            Ele não tem filhos seu babaca que podem ter jogado na frente dele ele viu e pegou inspirações em seu merda?

          • Gutem

            A abordagem de Cuaron para filmar “Filhos da Esperança” – câmeras de mão, longas tomadas – foi descrita como sendo um documentário, mas também parece, às vezes, estranhamente como um jogo de ação em terceira pessoa.

          • Paulo Silva

            Pra vc, quem conhece sabe que ele pegou isso lá do movimento beat dos anos 60. Assiste Medium Cool e veja a cena da moto. Depois tivemos Rocky, O Iluminado, filmes referências bem, mas bem antes do primeiro jogo 3D.

          • Gutem

            Batman Vs Superman se inspirou em Injustice: Gods Among Us e Batman: Arkham.

          • Marco Antonio de Oliveira Sant

            E falhou miseravelmente, pois os 2 jogos tem histórias muito melhores.

          • Paulo Silva

            Sim, é verdade e o resultado foi péssimo. Referência porca dá nisso.

          • Gutem

            Guardiões da Galáxia teve inspirações na trilogia Mass Effect o próprio diretor do filme James Gunn falou em um Twitter.

          • Gutem

            CRANK, Sucker Punch – Mundo Surreal, Círculo de Fogo, The Raid: Redemption todos esses também tem inspiração em games.

          • Paulo Silva

            Crank e SP até podem ser, mas são filmes bons? acho que não. O resto viajou, Círculo de Fogo é puro mangá e tralha japonesa e The Raid é um Matrix, mas sem Matrix.

          • Gutem

            Meus deus do céu…

          • Gutem

            Matrix tem influença de varias mídias como animes e livros mas tem também de videogames como o próprio fato de entrar em um mundo virtual e o slow-motion.

          • Gutem

            Ou seja pra você só filmes ruins tem inspiração em videogames é isso senhor cinéfilo cult?

          • Gutem

            Em The Raid toda a estrutura do filme lembra um videogame como se fossem níveis.

          • Gutem

            E os outros filmes de que falei em Distrito 9 e John Wick quero ver você provar que não tem influencia de videogames.

      • Gutem

        Filmes hoje em dia não arriscam mais já que querem agradar a todo mundo.

  • Wololo

    Gostei bastante do cast.
    Queria muito ver Bioshock no cinema mas também não levo muita fé que acertariam.

  • Diogo Maia

    Aeh! Finalmente Rapaduracast com tema leve (ainda não ouvi o podcast do Moana)!

    Que façam mais edições como essa.

    Ps: pra não deixar passar tenho que mostrar todo o meu desprezo por Paul W.S Anderson, um dos piores diretores de todos os tempos. Ainda não vi um filme razoável dele. Terrível, terrível.

    • fcavalli

      Sua bunda, eu já vi vários: Mortal Kombat, RE Hóspede Maldito, Alien vs. Predador e Death Race, são todos razoáveis.

  • Ramon Gonzalez

    Juras tá bem?? A vida toda sempre disse q sempre jogou com o Ken no SF, mas nessa abertura do cast disse q sempre jogou com o Ryu (??). Entendi foi nada!

    • Falei Ryu, foi? Vixe, que viagem o_O

      • Ramon Gonzalez

        Hehehehehe!!! 😜 Acontece…

  • Marcelo Aguiar Duarte Filho

    Gastar cast falando de filme ruim a essa altura… Não deu vontade de ouvir. Fica pra próxima.

  • madalena 👽

    acho que um dia eu vou cansar de ficar desapontada com os filmes de games, mas por enquanto ainda tenho esperanças. não entendo até hoje como que não conseguiram fazer um filme legal de assassin’s creed, warcraft, etc ): ótimo cast!!

  • Paulo Roberto Galliac

    O único e o maior problema de Assassin’s Creed no CINEMA que sou super fã é roteiro (IRONIA). Direção, atores e outros pontos técnicos estão bem. Começa com a época ter a Inquisição Espanhola se nem se desenvolve o poder histórico que o game tem. Torna o próprio impacto dessa época, assim como os protagonistas pessimamente subdesenvolvidos no ROTEIRO RASO.

    Alias essa é razão de vários games. Por que HQ funciona? Roteiro bem feito. BOAS idéias aplicadas em tela, bom enredo e desenvolvimento de personagens.

    • Paulo Roberto Galliac

      Olhem os roteiristas ruins Adam Cooper (Aprovados e Êxodo Deuses e Reis), Bill Collage (Êxodo Deuses e Reis). http://www.imdb.com/name/nm0177836/?ref_=ttfc_fc_wr2

    • Sauro

      Concordo, até suspeito que teremos uma geração de bons roteiristas que de fato ama jogos e fará bons filmes.
      A geração atual de bons roteiristas é mais inclinada a adaptar livros e as HQs de sua infância.

      Acho que assim como eu, eles veem que filmes de jogos dificilmente seriam algo mais do que roteiros de ação ou terror. Claro que há jogos de suspense, mas certamente não há jogos como musicais, nem jogos de romance, em resumo: é complicado.

      • Paulo Roberto Galliac

        Assassin’s Creed poderia ser outra história e com H e mesmo assim funcionar muito bem. Foi como o Thiago Siqueira diz e outros como eu. Deveriam focar em um dos tempos. Alias deveria ser todo no passado da inquisição espanhola. Mostrar a perseguição religiosa dos Judeus e Novos Cristãos (Judeus e Mulçumanos). O problema de hoje e do passado a intolerância religiosa. Só isso um “game de diferentes credos e religiões” e têm muito pano para manga. Preferiram não ter polêmica como o primeiro game e ser superficial.

        Com isso desenvolver MUITO mais o personagem do Assassino só no passado. Não mostrar nada no presente até o final. Terminando o filme com uma reviravolta, que aquilo tudo foi uma simulação do ancestral no presente. Terminando
        com Warren Vidic ou Sophia Rikkin dizendo que em mais de cinco séculos a humanidade não mudou nada com sua intolerância religiosa e preconceitos. Bem vindo a Abstergo Clay Kaczmarek ou Cobaia Número 16. Aqui é uma empresa com visão de futuro sobre a “doença da violência”. Terminar com ele insano por tempo de uso prolongado do Animus. Lembrando que o ancestral do Cobaia 16 viveu na mesma época na “Espanha Moderna” Séc XV dos Reis Católicos e conheceu Isabel de Castela.

        Eles entregaram toda a surpresa para ser logo de cara no primeiro filme. Deveriam ter algo mais interessante a ser explorado em outros filmes. Como as peças do Éden, A Primeira Civilização e os Sábios. Para desenvolverem várias coisas deveriam ter mais de um filme se não fica tudo raso e pessimamente desenvolvido. Todo foco deveria ser apenas no passado e na descoberta que tudo era uma realidade virtual mental do passado a grande surpresa. “Isso foi real Clay só que há mais de 500 anos”. “Quem é Clay”? “Eu sou Aguilar”. Isso como um desdobramento de personalidade em conflito. É só um pequeno exemplo muita coisa interessante que poderiam explorar e nem sou roteirista.

        • Marco Antonio de Oliveira Sant

          pelo amor de deus, cara, para com essa ideia estúpida de doença da violência. doença deu no cérebro do roteirista que decidiu botar isso. O bagulho genético é o Animus, não a Maçã do Éden. A Maçã do Éden é um artefato de controle.

  • Deixa ver se entendi: o Siqueira não gostou do final do Prince of Persia por ele ser EXATAMENTE O MESMO como foi o jogo Sands of Time? Porque no jogo o final é exatamente assim: volta-se no tempo dando um reset total até o início da história. Então quer dizer que o jogo não valeu de nada? 😀

    • Pedro DIas

      O príncipe do final do filme/jogo, não é o mesmo príncipe do começo. O jogo/filme começa, ele passa por todos aqueles perigos e no final volta para o começo como se nada tivesse acontecido, porém, o príncipe mantém todas as lembranças e experiências. O mundo não mudou, quem mudou como pessoa foi o príncipe. Então dizer que o jogo não valeu de nada é pura besteira.

  • silas.

    Infelizmente, eu conto em poucos dedos as adaptações de games para filmes que eu apreciei pra valer.

    Esperando um ótimo novo longa de Tomb Raider!

  • worms1911

    Eu acho que essas adaptações não funcionam pois eles querem seguir a história do jogo, se eles seguisse uma linha de uma história original, mas que tenha conexão com a história do jogo. Um exemplo nos jogos, seria o Halo Reach, que tem um esquadrão novo e que o Master Chief não apareça, apenas citado. E u. filme que eu quero que tenha isso é o do Gears of War, que foi confirmado pelo Roy Fergusson, que o roteiro aconteça no Dia E, com algum esquadrão que não tenha aido citado nos jogos.

    • Felipe Estevan

      Cara concordo, algumas adaptações de outras mídias funcionaram assim.

  • Cido Marques

    Pra não dizer que nenhuma deu certo tem o recente desenho: Lego Batman, que tem um game e a animação foi super divertida.
    E só, o resto é tudo porcaria mesmo

    • Wesley Oliveira

      Sim, o jogo veio antes, mas ambos ,o jogo e o filme são adaptações do LEGO Batman ‘brinquedo’. Não acho que o filme por ser considerado uma adaptação do jogo.

  • Jean maxwell

    Por que as adaptações de games não funcionam no cinema?

    Faltou aprofundar o tema um pouco mais.

  • Paulo Silva

    Vim parabenizar o novo layout, muito bom, Agora vamos ver se rola o cast sem dar pau.

  • Augusto Purukinho Kistler

    Seria legal ter no player do site 2 botoes para avançar ou voltar 15 segundos.

  • Felipe Estevan

    Olha, entendo os games, mas falar que os games serem arte, ou superior ao cinema ! é mta viagem !

    • josimar

      Putz, ainda não ouvi o cast, mas os caras falaram isso mesmo? Mano, que coisa absurda! Tudo bem ser fanboy de games, mas daí a falar que são arte, que são superiores ao cinema… Viajaram legal na maionese aí.

      • André da Silva

        Putz. Fazer comentário sem nem ouvir o cast? Mano, que coisa absurda!

      • Gutem

        Esse babaca do josimar é um hater de videogames sempre falando merda por ai.

      • Gutem

        Tu é só um velho que não gosta de videogames e não intende porra nenhuma e fica cagando regra na internet.

      • Gutem

        Velhos sebosos como você e suas opiniões retrogradas vão ficar no passado.

      • Gutem

        Os games já são considerados arte a decima arte se informe seu babaca.

        • Marco Antonio de Oliveira Sant

          Decima? Conheço umas 50

    • Antonio Junior

      Superior ao cinema realmente discordo (e eles nem disseram isso, comentaram em relação ao mercado q de fato fatura mais que o cinema ). Mas quanto ao aspecto artístico, games hoje possuem esse valor sim mano. Shadow of the colossus é um exemplo fulcral .

    • Yugenk

      Video game é arte sim, não precisa ser superior ao cinema nem inferior, mas é uma outra forma de arte assim como o cinema.
      Jogos como por exemplo Journey, que me fez estar quase chorando no final do jogo apenas com trilha sonora e imagens, o jogo não tem história contada nenhuma através de palavras e fez isso comigo, não venha dizer que não é arte, uma coisa tão subjetiva como é a arte…

  • Walmir Santos

    Até adoraria ouvir esse cast, mas tem o siqueira.
    Então passo, espero um que não tenha.

    • André da Silva

      Ouça a Bíblia narrada por Cid Moreira. Acredito que você vai gostar.

      • Walmir Santos

        ótima ideia. Bem melhor do que ouvir aquele mala repetindo SEMPRE duas vezes tudo o que fala.

        “É aquela coisa”. É aquela coisa”.

        Bleargh.

  • Antonio Junior

    Site ta foda. Fica a espera por um app concentrando todo o jurandiverso com essa qualidade.

  • Fernando Malta

    Ante o tema e a discussão mais pro início do cast, fica a pergunta – qual a interpretação mais canastrona: Raul Julia de M. Bison ou Christopher Lambert de Raiden?

  • Pedro

    Primeira vez escutando o Podcast. Gostei mtu, mas pqp a voz do Siqueira é chata demais.
    O cara parece que ta chorando quando fala. Ele não serve para podcasts.

    • Yugenk

      Concordo, to tentando me acostumar ainda depois de muitos episódios mas ele tem uma voz dificil de ouvir, parece que ta sempre meio desesperado/berrando e da umas afinadas tensas.

      • Francesca A

        Com o tempo você dá risada desses momentos desesperados e afoitos do Siqueira.

    • Francesca A

      ele tá, se não me engano, há 10 anos fazendo podcasts e não serve para podcasts? eita

      • Pedro

        Exatamente. Ele até fala coisas interessante, mas o problema é a voz. As desafinadas q ele da e o jeito que ele fala é irritante, parece aqueles brinquedos q vc aperta a barriga e faz barulho. Da vontade de enfiar um palito de dente no ouvido pra eu nunca mais escutar essa voz na vida.

        • Francesca A

          É questão de costume. Dá pra se acostumar. A profundidade com que ele coloca os argumentos dele, você vai perceber que supera qualquer desconforto por conta da voz, por exemplo. Escuto o cast desde sua edição número 50, vale a pena acompanhar, principalmente quando ele participa sobre assuntos de Quadrinhos.

    • Filipe Queiroz

      Putz cara…. É verdade. Esse “entusiasmo” e a entonação me dão vontade de jogar o celular na parede

    • Marco Antonio de Oliveira Sant

      tem q passar um autotunes na voz dele que é horrível…

  • Rogers Silva de Cristo

    Jurandir Filho, por favor, pare de falar “macho” a cada duas palavras. Muito difícil escutar o podcast desse jeito.

    • Marco Antonio de Oliveira Sant

      Ele fala umas coisas q não dá pra entender tbm, fica bizarro…

      • Willian Oriani

        Nossa, finalmente alguém comentando sobre isso, é insuportável mesmo ficar ouvindo toda hora.

        • Willian Oriani

          Ou é ”Macho” ou ”Sabe”

  • Em primeiro lugar, mais um bom cast como sempre e boa escolha de trilhas!

    Queria deixar agora um questionamento aqui que, talvez, tenha sido só uma interpretação minha mas achei que o Jurandir se contradisse em um argumento dele:

    Partindo do argumento “o fã quer ver o jogo no cinema, não tem que adapatar nada, pega o jogo e faz o filme” sendo que depois diz que “o filme do World of Warcraft tem problemas porque quem não conhece aquele universo se perde”

    Dependendo do jogo, se você for levar ele pro cinema, você não tá simplesmente deixando de lado a necessidade de explicar o universo já que você vai estar colocando o jogo exatamente como ele é? Foi isso que WoW fez no filme, então porque pra ele foi um erro ao mesmo tempo que “o que o fã de Game quer é ver o jogo na telona”?

    Abraço!

  • Antonio Junior

    O bob esponja no início ficou foda

  • PH muito chato, mais pistola que tudo

  • Yugenk

    Acho que sou uma das poucas pessoas no mundo que se interessava mais pela história fora do Animus, aquelas viagens de Deuses Astronautas com uns mistérios de fim do mundo era muito legal.

    • Marco Antonio de Oliveira Sant

      Mas nem isso eles colocaram no filme! Inventaram um monte de bullshit, como aqueles templários covardes…

  • Excelente cast como sempre! Adoro a paixão de vocês, a empolgação do Siqueira quando fala e a forma como os assuntos são tratados 😀
    Concordo com o Juras! Mortal Kombat 1 passa pela regra dos 15 facilmente e é uma excelente adaptação!

  • Leonardo Kami

    Valeu, Rapaduracast, outro ótimo cast. Por acaso vocês poderiam recomendar bons livros para se aprender mais sobre a arte do cinema? Valeu!

  • André da Silva

    Eu acredito que os filmes baseados em games não não certo porque normalmente quando assistimos um filme por mais que sabemos que esse filme é uma ficção, nós assistindo acreditando que aquilo pode ou poderia ser verdade ou que pode ter acontecido alguma parte do mundo. Se for uma ficção científica , que poderá acontecer algum dia.

    Um filme baseado em games não é levado a sério. Parece ser 100℅ falsa e geralmente o enredo é muito simples.

  • Aline M Santos

    Amei o Cast, e sei que é muito difícil a gente aceitar quando uma coisa que amamos MUITO não é feita com o carinho que esperamos… falo isso que para mim Resident Evil é de CHORAR!!!! Eu olho para alguns filmes do RE e penso:” QUE PORR* É ESSA???”, inacreditável… a gente sabe que colocou o nome apenas para vender mais ainda, mas faz outro filme, outro titulo…sei lá… fico muito chateada….

  • Diego C.

    Prince of Persia é a melhor adaptação de jogo pra filme, na minha opinião.
    Silent Hill é um bom filme com várias referências a franquia, mas pra mim os roteiristas não pegaram a proposta do jogo. O Pyramid Head tem uma razão pra existir em Silent Hill 2, assim como todos os outros monstros, e no filme é só por ser massa-véi sem motivo nenhum.

  • Allan Sacae

    Eu acho que video games e cinema não se devem misturar,desistir,não da mesmo.
    Pensem ao contrario,games baseados em filmes em sua maioria também são muito ruins,pode ter um ou dois legais mas não são jogos tao marcantes assim,na minha opinião as duas mídias não combinam mesmo tendo tantos pontos em comum.

  • CHANGE SOZINHO EM CASA

    O Canal Extra Credits do youtube dá uma explicação simples para o caso. Os produtores, diretores e caras que mandam em Hollywood ainda não entenderam ainda do que se tratam os video games por não viver nesse mundo e vão precisar de mais experimentos para que encontrem uma fórmula, como aconteceu com os filmes de super herói.

    Na minha opinião, tem que dividir as coisas. É impossível adaptar o sentimento de jogar para os filmes da mesma forma que é impossível adaptar perfeitamente a narrativa de um escritor como HP Lovecraft para o audiovisual. Podem haver adaptações para simular um pouco aquela narrativa, mas existem modos de contar história que só funcionam em certas mídias. Eu acho que os jogos tem ótimas histórias que podem e devem ser adaptadas, mas os roteiristas e diretores tem que focar no argumento, e não na narrativa. Copiem a história mas adaptem ela na linguagem do cinema.

    Para finalizar, acho que adaptar jogos como Red Dead Redemption ou Uncharted um caça níquel que não vai trazer muito para a indústria do cinema. Digo isso porque esses filmes já são adaptados em diversos filmes sobre o tema, e trazer isso de volta pro cinema não vai significar nenhuma inovação, só mesmo o desejo dos produtores de se aproveitar de uma franquia de sucesso e o desejo dos fãs de ver seus personagens nas telonas.

  • Kar

    PH Santos é muito ruim de opinião, nossa senhora…

  • A chatice chegou aqui também??

  • O que eu fiquei mais puto com Assassin’s Creed é que tem tanta história, tanta história, mas tanta história e os filhas da mãe vão lá e criam uma nova história pro filme. EU QUERIA VER A DESGRAMA DO ALTAIR, DO EZIO.

  • Marco Antonio de Oliveira Sant

    Achei o filme do Assassin’s Creed uma ofensa pessoal para todo mundo que jogou os jogos e para todo mundo que foi no cinema assistir. Não é possível, cara, fizeram o filme com um monte de $$$$ e o roteiro é uma bosta, mano!!! O personagem principal é uma bosta, aquele animus é uma bosta, os cortes de cena são uma bosta, a trama no presente é uma bosta, e aqueles templários são uns bostas, ridículos…

  • sabioiagui

    Não funciona porque o videogame já é a maneira perfeita de contar uma história.
    Cinema sempre vai ser inferior, mas as pessoas vão demorar a entender isso.

  • Marcelo Luiz

    Poxa a adaptação de PAC Man foi tão ruim que nem foi citada, uma adaptação que queria ver era o Assassin Creed Black Flag acho que daria uma filme muito bom se como foi dito no podcast sobre o filme do Asssassin Cred foca-se só no passado.
    Tem um jogo que não é adaptação de filme mas lembra muito um, Ryse Son of Rome ele me lembrou muito o filme do Gladiador e acho que ficou legal

  • Franklin Bezerra

    Está começando á ficar bom com o AC, adorei o filme, se começarem á evoluir deste ponto, acredito que vá melhorar bastante.

  • Lucas Dias

    Escutando em 2x ja que o player permite… kkkkkkkkk