quarta-feira, 27 de abril de 2016

RapaduraCast 465
Mogli: O Menino Lobo, animação, live-action e somente o necessário

Fique a vontade para participar do nosso debate, porque aqui você sabe: "Assistir é apenas o começo"!

Aperte o Play para começar o RapaduraCast Aperte o para começar o RapaduraCast

1x 1.5x 2x
0:00:00

A história do Mogli – O Menino Lobo foi criada há mais de 120 anos pelo autor inglês Rudyard Kipling e desde então vem encantando várias gerações. Quando foi adaptada por Walt Disney nos anos 60, se tornou uma das maiores animações do estúdio. Nessa onda de versões live-action dos clássicos da casa do Mickey, a história do Mogli não tinha com ficar de fora. Como ficou o resultado?

Jurandir FilhoRaphael Santos e Jujuba conversaram sobre a animação de 1967 e o filme de 2016. Quais as semelhanças e diferenças? O live-action é feito para adultos com pitadas para crianças ou ao contrário? Jon Favreau foi uma boa escolha para dirigir? Vale a pena assistir dublado ou legendado? IMAX 3D vale o ingresso? Quais os próximos filmes que ganharam versões live-action?

Ouça o nosso papo e deixe seu comentário.

|| MOMENTO INGRESSO.COM

app-ingressocom

|| LINKS COMENTADOS NO PROGRAMA
[PODCAST] RapaduraCast 460 – Walt Disney e a 1ª Era de Ouro das Animações
[VÍDEO] Diretor e elenco falam sobre Mogli: O Menino Lobo

[VÍDEO] Bill Murray E Neel Sethi cantando “Somente o Necessário” ao vivo
[VÍDEO] “Somente o Necessário” cantada pelos dubladores brasileiros
[VÍDEO] The Jungle Book (1994), filme completo no Youtube

|| ASSINE O RAPADURACAST
iTunes: Tem iPhone/iPad/Mac? Adiciona aí!
Android/WindowsPhone: Esse link é o do feed/rss do sucesso!

|| NOSSOS CONTATOS
Youtube: RapaduraTV
Instagram
: @cinemacomrapadura
Twitter: @rapadura
Facebook: /cinemacomrapadura
E-mail: rapaduracast@cinemacomrapadura.com.br

Compartilhe

Participantes

Jujuba
Jujuba
@jujubavi
Jurandir Filho
Jurandir Filho
@jurandirfilho
Raphael Santos
Raphael Santos
@phsantos

Ouça Também


  • gandralf

    O filme é bem bacana, no geral mais consistente que a animação. Mas algumas coisas me incomodaram bastante:
    – O fechamento da jornada do Mogli é estabanada e apressada. E que geografia é aquela?
    – Seria melhor se ele se voltasse para a civilização, como na animação. É bem legal quando ele se encanta pela garotinha e isso fecharia sua jornada de forma mais interessante. Daria até para continuar com a franquia, já que nada impede seus passeios na selva, além de abrir espaço e criar uma base mais sólida para uma trema que envolva os dois mundos.
    – Por que diabos o Louie virou um orangotangozilla?

    PS: First!
    PS/2: O Louiecast foi até cancelado.

    • Juliana Vilela França

      Hey! Eu ACHO que…
      – O fechamento ficou um pouco apressado mesmo, mas eu acredito que, como já anunciaram um segundo filme, deixaram a menininha pra quando ele estiver mais velho.
      – Mudaram o Louie justamente pra dar um ar de superioridade, esse macaco é gigantesco!
      Como eu disse, é o que eu imagino, vai saber o que se passa na cabeça deles né?

  • Diogo Maia

    Fiquei bem decepcionado com esse Mogli. Esperava muito mais e pra falar a verdade a animação realista demais me tirou um pouco do filme. Pouquíssimos animais conseguiram me cativar de verdade.

    • Juliana Vilela França

      Poxa, sério? Achei o Baloo tão legal!

      • Diogo Maia

        O Baloo, o Share Khan e o Louie foram os únicos que eu gostei. Inclusive o Bill Murray ficou perfeito como o Baloo.

        • Juliana Vilela França

          Eu queria tanto gostar mais do Baghera… lembro que adorava ele super protetor na anima. Mas tem razão.

          • Diogo Maia

            O Baghera é o mais inexpressivo do filme todo.

  • Manteiga No Biscoito

    Somente o necessário é muito melhor que Hakuna Matata.

  • Fabricio
  • Vinicius Freitas

    Jujuba como sempre super relevante no cast.

    • Juliana Vilela França

      Obrigada <3 Falou de Disney eu tô sempre dentro ^^

  • Filipe Bortoletto

    Tem mais um live action de Jungle Book dessa vez feito pela Warner, com aquela tecnologia de captação de movimentos usada para fazer o Smigle, a ser lançado em 2017 ou 2018 http://www.imdb.com/title/tt2388771/

  • Alexandre de Paula

    Gostei demaaais de Mogli em live action! Me entregou algo tão lindo visualmente, e ao meu ver, mais maduro em relação à animação de 1967!
    Achei muito acertado diminuir algumas participações com relação ao desenho (como da serpente e dos elefantes), e trazer uma trama mais amarrada e fluida.

    Nota 9!

    To gostando demaiso das participações da Jujuba no cast! Veio pra agregar muito a esse excelente time =D

    • Aline Santos

      Alexandre de Paula
      Pra quem gosta de filmes e seriados e não quer
      pagar pelo serviço da Netflix aqui vai uma alternativa totalmente
      gratuita http://goo.gl/6sM4zE

  • Jadson Dantas

    Eu nunca assisti versão anterior do Mowgli ou li qualquer coisa, foi meu primeiro contato e gostei bastante da do roteiro. O conflito de alguns personagens foi o que mais me chamou à atenção:

    Baghera: Ele é um disciplinador como o Baloo disse, (algo como) “ele segue as regras”, contudo, ele quebrou uma grande regra, trouxe uma possível ameaça para dentro da selva, um humano, mesmo sendo filhote, ensinando os caminhos e segredos dela. O maior conflito do Baghera para mim é este. Tudo por ter se apegado à um filhote. Assumindo junto com a matilha dois grandes perigos: o presente, que é a fúria da vingança do Shere Khan, e o futuro, que é a dúvida do que será do filhote humano quando for adulto.
    Vejo traços dele no Tigre de A Era do Gelo, rude, mas no fundo é um coração mole, o escudeiro do grupo.

    Baloo: Ele salva Mowgli mas depois fica visível seu pleno interesse em ser beneficiado com as habilidades do filhote de humano. Ele, malandro, engana o menino com a história das abelhas que não picam, com a sua hibernação mas, sem perceber ele passa a se apegar ao garoto e admirá-lo, a cena do salvamento do elefante mostra muito isso. Inclusive, nessa cena, tanto Baghera como Baloo sabem e sentem que Mowgli é especial, não por que ele é um humano entre os animais, mas porque ele é inteligente, engenhoso e, sobretudo, (um humano) de coração bom! E é isso que o torna especial.
    Baguera não escalou o paredão para conseguir o que um urso mais deseja (nos desenhos), que é o mel, por puro medo e preguiça, mas foi capaz de escalar outro paredão bem maior para salvar Mowgli. Depois, quase se sacrifica pelo menino enfrentando Shere Khan! Me lembra o Amigo Imaginário de Divertida Mente.

    Mowgli: O arco mais interessante, um humano negando seus instintos de homem que é usar sua inteligência e criar suas próprias ferramentas, tentando ser e viver como lobo. Outro fato interessante é que ele sai de um mundo sob a custódia da disciplina dos lobos e do Baghera para o oposto, que é a vida com o Baloo. Sai de um mundo de citar e seguir regras par outro onde e aproveita a vida e canta. Com baloo ele trabalha mais, se arrisca mais, mas se diverte mais. Outo fator é que o Baloo valoriza as habilidades dele. O que antes era um efeito passa a ser sua virtude, ele passa a ser ele, a ser humano.
    Apesar de inicialmente ser contra seus instintos humanos (exemplo vivo é quando vê o estoue de mel e as engenhosidades que o Mowgli fez) o Baghera acaba reconhecendo isso como uma virtude quando ele salva o filhote de elefante. Acredito que a “redenção” do Mowgli (não sei se sera de fato essa seria a palavra) é quando a pantera lhe diz “Você é um homem, lute como um homem, não como lobo”.

    O fim do filme fecha com a mesma cena do início, porém com o menino lobo que se aceita como “um humano que vive entre lobos” e não como no início onde há um “menino lobo tentando ser um lobo”. Além disso, ele não só se aceita mas também é aceito como tal.
    Na corrida do fim do filme ele trilha seu próprio caminho, com o aprendizado dos lobos e sua habilidades de homem (sua resposta ao lobo pelo caminho diferente que escolheu evidencia isso) diferente do início que mostra um Mowgli tentando ser um lobo que nunca poderá, um patinho feio.

  • Luiz Felipe Barreto

    Poxa, mas ninguém aqui leu o O Livro das Selvas, original?

    O filme é bom e tudo, mas dizer que foi fiel ao livro é forçar a barra.

  • Mogli

    Ainda estou ouvindo o cast, não sei se alguém já comentou, mas o livro: “O livro da selva”, não é o livro do Mogli. A história do Mogli, faz parte do livro, totalizando 3 contos. Em meio a outros contos do universo animal.

  • Carolina Barros

    Jujuba tem que ser membro fixo do cast!

  • Ainda não assisti o filme, mas só de ouvir as musicas aqui no cast já bateu aquela nostalgia e as musicas são extramentes “colantes” na mente.

    Excelente cast

  • Levi Gomes

    Vi o filme hoje e acabei de ouvir o rapadura. Estou apaixonado. Pra mim, o live ficou perfeito.

    O único momento que me fez sair um pouco do filme foi na cena em que o Mogli pega a “flor vermelha” e volta pra encontrar sua família de lobos. O menino cruzou a floresta durante o filme todo e, em poucos minutos, sem perder o pique, carregando a tocha olímpica, ele retorna.

    Sobre a influencia de O Rei Leão. Quem também viu o Timão e o Pumba? Você viu, Juras? Demais!!!

  • Adriano

    Pensei que o final do filme iria retomar a ideia inicial da pedra da trégua.

    Quando os elefantes desviaram o curso do rio para apagar o incêndio, a cachoeira parou de fluir. Com isso a pedra da trégua ficaria sempre à mostra simbolizando a paz permanente entre os personagens.