Notícias   terça-feira, 09 de Janeiro de 2018

Greta Gerwig diz “não saber” se está arrependida de ter trabalhado com Woody Allen

Entrevista foi concedida logo após a cerimônia do Globo de Ouro.

Greta Gerwig diz “não saber” se está arrependida de ter trabalhado com Woody Allen

A diretora e roteirista de “Lady Bird” (vencedor do Globo de Ouro de melhor filme de comédia), Greta Gerwig, concedeu uma entrevista logo após a cerimônia do Globo de Ouro ocorrida no último domingo, onde respondeu uma pergunta da IndieWire sobre um possível arrependimento por ter trabalhado com o diretor e roteirista Woody Allen no filme “Para Roma com Amor” em 2012:

“É algo sobre o qual eu pensei profundamente e eu realmente me importo com o que dizem sobre o caso, mas não ainda tive a oportunidade de ter uma discussão aprofundada comigo mesma para escolher um dos lados. Isso é uma coisa que eu definitivamente me importo e levo no coração, mas honestamente, eu acho que agora é hora de me ocupar como escritora e diretora e contar histórias”.

A pergunta foi motivada pelo fato de Gerwig ter trabalhado com Allen em 2012 e o mesmo ter sido alvo de denúncias de abuso sexual contra sua filha Dylan Farrow quando ela tinha apenas 7 anos. Após essa denúncia, artistas como Ellen Page (“Juno”) e David Krumholtz (“Festa da Salsicha”) declararam-se arrependidas de terem trabalhado com Woody Allen.

Dylan Farrow foi a autora de um artigo em dezembro em que perguntava “Por qual razão a manifestação #MeToo poupou Woody Allen?”. No texto, ela especificamente criticou Kate Winslet (“A Vingança está na Moda”), Blake Lively (“Águas Rasas”) e Gerwig  por continuarem a trabalhar com o cineasta, observando que Gerwig chamou Allen de “ídolo”. Essas três atrizes, e outras habituadas a trabalhar com Allen, como Cate Blanchett (“Thor: Ragnarok”), Scarlett Johansson (“Capitão América: Guerra Civil”) e Emma Stone (“La La Land: Cantando Estações”), fizeram parte dos signatários de uma carta aberta anunciando o movimento Time’s Up, iniciativa que procura ajudar as vítimas de assédio e abuso sexual nos locais de trabalho.

Representantes de Allen responderam ao artigo de Farrow, mas à matéria da People que destacou trechos do texto, dizendo:

Dylan Farrow acusou Woody Allen 25 anos atrás. Acusações que foram examinadas pela polícia e por investigadores de bem estar infantil. Os investigadores concluíram que ela não foi abusada sexualmente. Nenhuma acusação nunca foi levantada, por um motivo simples: Woody Allen é inocente”.

Wladya Vasconcelos
@WladyaV

Compartilhe

Saiba mais sobre


Notícias Relacionadas


  • Viviane Simão

    Começou a caça às bruxas! Que merda! Tava tão bonito!