Apesar de ter em seu catálogo filmes como o vencedor do Oscar de 2009 “Guerra ao Terror” e a cultuada ficção-científica “Contra o Tempo“, a Summit fez nome graças aos bons números em bilheteria da saga “Crepúsculo“, iniciada em 2008. Tanto sucesso atraiu a concorrência e, por uma bagatela de cerca de US$ 412 milhões, a Lionsgate adquiriu o pequeno estúdio.

O mais curioso nesse processo circulou pela imprensa nesta segunda-feira (16). Em entrevista ao site The Playlist, Jon Feltheirman, um dos “chefões” da Lionsgate, disse abertamente que pretende dar continuidade na saga “Crepúsculo” após “Amanhecer – O Final“. Segundo Feltheirman, não faz sentido parar uma franquia bem sucedida no auge de seu poder lucrativo.

“Antecipo que a segunda parte de ‘Amanhecer’ fará mais de US$ 700 milhões ao redor do mundo”, disse o executivo.

“É difícil imaginar que um filme que supera a marca dos US$ 700 milhões não tenha seu valor. É uma franquia maravilhosa e é surpreendente que eles tenham conseguido manter os filmes com a qualidade que eles têm. Então a resposta é: sim, espero dar continuidade a este universo”, argumentou Feltheirman.

Ainda é difícil prever o que a Lionsgate reserva para “Crepúsculo”. Sabe-se que Stephenie Meyer terminou sua história nos livros com “Amanhecer” e, até o momento, não há intenções explícitas de continuar a história de Edward e Bella. Como em Hollywood tudo pode acontecer, ninguém descarta a possibilidade de inventarem prequels ou, futuramente, spin-offs.

“Amanhecer – O Final” chegará às telonas norte-americanas no dia 16 de novembro.