Página Principal Universo Sagas Personagens Filmes Brinquedos Dublagem Créditos Ir para Página Principal
 

 

TRANSFORMERS TRADICIONAIS

A primeira série "Transformers", hoje conhecida pelos fãs como "G1" ("Generation One"), data de 1984 e teve sua origem da união da Takara com a gigante americana dos brinquedos, a Hasbro, que criaram a série para que esta desse suporte na venda de uma nova linha de brinquedos. O desenho, que durou 98 episódios em sua versão americana, foi marcado por furos de roteiros e contradições, mas, apesar desses problemas, virou um clássico cult. Além disso, ainda gerou um filme, que se passa entre a segunda e a terceira temporadas do seriado. A história mostra a batalha sem fim de uma raça alienígena cibernética, conhecida como Transformers, dividida em duas facções: os pacíficos Autobots e os belicistas Decepticons. A batalha entre esses grupos devastou seu planeta natal, Cybertron, arrasando os suprimentos de energia local. Correndo em busca de novas fontes energéticas, os Autobots lançam a nave Arca, em uma expedição comandada pelo poderoso Líder Optimus (Optimus Prime, no original), nessa demanda. Porém, eles são perseguidos por uma embarcação Decepticon, a Nemesis chefiada pelo perverso Megatron. Apesar da Arca ter sido abordada por seus inimigos, uma chuva de meteoros a atinge, derrubando-a no primitivo planeta Terra, onde seus ocupantes passam milhões de anos dormentes.

No entanto, em 1984, uma erupção vulcânica causa a reativação de Teletran 1 (computador da Arca) que providencia os reparos e adaptação dos Transformers à vida no planeta, dando-lhes formas alternativas de veículos, armas e outras máquinas terrestres. Assim, recomeça a luta entre Autobots e Decepticons, agora em nosso planeta. Com Megatron e seus asseclas em busca das fontes energéticas terrestres, a única esperança de sobrevivência da humanidade jaz em Líder Optimus e sua equipe. O desenho também ganhou uma versão em quadrinhos feita pela Marvel Comics, que durou cerca de 80 edições, seguindo mais ou menos a história do desenho, mas tentando torná-la mais coesa. Essa série foi publicada aqui no Brasil pela editora Rio-Gráfica, que lançou as 12 primeiras edições do título entre novembro de 1985 e outubro de 1986. No entanto, a editora trocou quase todos os nomes dos personagens e raças em sua publicação. Nas primeiras edições, os Transformers contaram com um convidado muito especial, o espetacular Homem-Aranha, na época trajando seu famoso uniforme negro. Após a publicação da Rio-Gráfica, a Editora Globo assumiu o título, consertando os nomes e publicando-o de fevereiro à novembro de 1987, com cada edição brasileira equivalendo a duas americanas. Portanto, nem mesmo metade dos quadrinhos originais dos heróis mecânicos foi vista em terras tupiniquins, parando no número 32.

Confira um trecho do primeiro episódio da série clássica logo abaixo:

Já nos anos 2000, a editora americana Dreamwave começou a lançar novas histórias baseadas em "G1" e nas séries mais atuais, tal como "Transformers: Armada" (ver abaixo) e algumas dessas histórias foram lançadas aqui no Brasil pela Panini Comics. Porém, a Dreamwave fechou suas portas no final de 2004. Atualmente, está sendo publicado pela Marvel nos EUA um encontro entre Transformers (com visual G1) e a equipe de super-heróis Novos Vingadores em sua primeira formação, composta pelos heróis Capitão América, Homem de Ferro, Homem-Aranha, Wolverine, Luke Cage e Mulher-Aranha, reforçados por Miss Marvel e Falcão. A história, desenvolvida para aproveitar o hype criado pelo filme, deve ser lançada em território brasileiro pela Panini posteriormente.

As séries japonesas de Transformers prevaleceram por um longo tempo. Nomes diferentes foram dados a vários personagens em suas versões nipônicas, assim como as facções Autobots e Decepticons também foram renomeadas, sendo chamadas agora de Cybertrons e Destrons, respectivamente. Já o planeta natal dos clãs alienígenas é chamado pelo pessoal de olhos puxados de Seibertron. A cronologia adotada pelos orientais também é diferente, tendo eles renomeado a terceira temporada como "Transformers 2010" e desconsiderado a quarta temporada. Os desenhos japoneses foram os seguintes:

- Transformers Headmasters (1987): A guerra entre as duas facções ganha o acréscimo dos Headmasters, raça que havia deixado Cybertron há milhares de anos. Dentre os eventos importantes que ocorreram na série estão a destruição de Marte, a morte de vários personagens - incluindo Líder Optimus (chamado no Japão de Convoy) e a versão evoluída de Megatron, Galvatron -, HotRod assume o comando dos Cybertrons como Rodimus Convoy (Rodimus Prime, para os americanos) e Scorponok assume a liderança dos Destrons.

Confira um vídeo da série aqui: http://www.youtube.com/watch?v=YzoHoHWxZL4

- Transformers Masterforce (1988): Após a expulsão dos destrons da Terra na série anterior, os Cybertrons deixam na Terra alguns Pretenenders, Transformers que podem assumir a forma humana, como medida de precaução na defesa do planeta. Porém, os destrons se utilizam da mesma tática e a batalha recomeça. Agora, os humanos participam mais ativamente, se transformando nas cabeças dos Headmasters e nos motores dos Godmasters respectivamente e, deste modo, passam a ser a centelha dos Transformers, ou seja, a alma dos robôs.

Dê uma olhada no clima da série, vendo sua abertura aqui:

- Transformers Victory (1989): Se passando no ano de 2025, a história mostra mais uma batalha entre Cybertrons e Destrons, desta vez através da galáxia, ainda que a Terra continue sendo o principal campo de batalha. Liderados por Star Saber, Cybertrons e humanos formam a "Space Defence Force" (Força de Defesa Espacial) a fim de deter os destrons. Como o líder dos inimigos, Deathsaurus, escolhe a Terra como próximo alvo, é nela que a maior parte da estória de Victory se passa.

Confira a abertura do anime logo abaixo:

- Transformers Zone (1990): Deveria ter sido a sucessora de "Victory", mas só conseguiu emplacar um especial lançado direto em vídeo. A história mostra um grupo de Destrons reconstruídos em busca do Zodíaco, um elemento que poderia se tornar uma fonte ilimitada de energia, que eles usariam para criar seu próprio planeta, o Destron Zone. Resta a um grupo de Cybertrons, liderados por Dai Atlas, detê-los.

Confira a introdução do especial aqui:

BEAST WARS

- Transformers Beast Wars (1996): Em meados da década de 1990, a Mainframe Entertainment, empresa de animação em 3D, lançou uma nova série Transformers, a ótima "Beast Wars". Agora, ao invés de se transformarem em máquinas e veículos, os robôs se tornavam formas de vida orgânicas. Os Autobots e os Decepticons evoluíram em duas novas raças, respectivamente os Maximals e os Predacons, e Cybertron estava em paz (pelo menos, aparentemente). Porém, quando um grupo de Predacons renegados, liderados por um homônimo de Megatron, rouba uma relíquia importantíssima, um conflito entre os foragidos e a nave maximal Axalon, que estava em uma missão secreta, acaba ocorrendo, ocasionando a queda das duas tripulações em um planeta selvagem e hostil. Assumindo a forma dos animais da região, as duas equipes começam uma guerra no meio das selvas. O Grupo de heróis era formado originalmente pelo líder pacifista Optimus Primal (gorila), o cientista fortão Rinox (rinoceronte), o sarcástico Rattrap (rato) e o jovem e estourado Cheetoh (tigre). Já a primeira formação dos Predacons renegados era composta por Megatron (tiranossauro), o traiçoeiro Tarântulas (aranha), o estúpido e azarado Wazzpinator (vespa), o estourado Scorponok (escorpião) e o honrado Dinobot (velociraptor), que se junta aos Maximals logo nos primeiros capítulos (mesmo tentando matar Optimus para assumir a liderança). Dinobot, aliás, é o melhor personagem da série, justamente por seu ímpeto guerreiro e seu código de honra. No decorrer das temporadas, várias surpresas ocorrem, tais como a verdadeira natureza da missão dos Maximals, o plano de Megatron, a localização do planeta selvagem e aparições mais que especiais de Líder Optimus, do Megatron original e do traiçoeiro Starscream. Além disso, vários outros Transformers aparecem reforçando os dois lados do conflito e alguns personagens perecem durante as batalhas.

Veja a primeira parte do episódio "Situação Prime", que conta com uma aparição do grande líder dos autobots:

- Transformers Beast Machine (1999): Continuação direta de "Beast Wars". Os Maximals, sobreviventes da luta na Terra, despertam em Cybertron, sem nenhuma lembrança de como eles chegaram lá e, ainda, são caçados por uma misteriosa nova linha de transformers: os Vehicons. Estes novos transformers encontram-se sob o controle de Megatron, que reaparece em busca de vingança. Com vários amigos desaparecidos, os maximals são forçados a irem para os subterrâneos de Cybertron onde seus corpos sofrem uma estranha "reforma" (reformatação). Usando suas novas formas, eles devem se ajustar à transformação, salvar as centelhas dos cybertronianos e libertar o planeta do domínio de Megatron. Os personagens sofreram mudanças bruscas de personalidade em relação à série anterior. Optimus se tornou praticamente um filósofo zen-budista, Cheetoh amadureceu e se tornou o segundo em comando dos Maximals e Rattrap passa o tempo todo se lamentando, para desespero dos fãs do rato, outrora confiante e irônico. O grupo dos maximals também conta com Nightscream (morcego), jovem que foi o único remanescente de Cybertron e Blackarachnia (viúva negra), outra sobrevivente de “Beast Wars” e antiga predacon que mudou de lado por se apaixonar pelo ingênuo maximal Silverbolt (mistura de lobo e águia), que está desaparecido. Já os vehicons são formados pelo próprio Megatron, obcecado em impor sua ordem mundial totalmente livre de formas biológicas, e seus generais Tankor (um tanque), Jetstorm (jato) e Thrust (moto). A primeira temporada da série está disponível no Brasil em DVD.

Confira a abertura da animação:

Assim como na série original, os japoneses criaram suas próprias versões de "Beast Wars" em animação tradicional. Fora isso, a série americana sofreu várias modificações em seus diálogos, alterando o contexto de algumas falas. O maior prejudicado com isso foi o personagem Rattrap, que teve sua natureza sarcástica muito suavizada pela dublagem nipônica. As duas animações japonesas baseadas nessa nova safra de "Transformers" foram:

- Beast Wars Second (1998): A história parece ocorrer em um período anterior ao da série americana, com a ação acontecendo em outro planeta, Gaea. Os Destrons, liderados por um homônimo (parece ocorrer muito isso, não?) de Galvatron, planejam invadir este mundo por conta de uma peculiar fonte de energia natural, a Argonmois, e os Cybertrons tentam detê-los. Mesmo após a nave dos heróis, liderados por Lio Convoy (outro descendente de Optimus), sofrer um acidente, eles conseguem chegar inteiros ao invadido mundo, mas para sobreviverem precisaram fundir o DNA dos seres locais com o seu maquinário. Assim, a batalha se arma entre os Cybertrons tecno-orgânicos e os Destrons, totalmente máquinas. O grupo de mocinhos é formado por Lio Convoy (leão branco), Apache (segundo em comando - um babuíno), Bighorn (touro), Diver (sapo), Scuba (lula) e Tasmania Kid (demônio da Tasmânia). Já a equipe de vilões é composta por Galvatron (transforma-se em um tanque-perfuratriz e em um dragão mecânico), Megastorm (segundo em comando), B.B., Starscream, Dirge e Thrust.

Assista à abertura do anime:

- Beast Wars Neo (1999): Após o estoque de Argonmois de o planeta Gaea ter sido encapsulado e espalhado pelo universo no final da série anterior, uma corrida para encontrar os fragmentos da energia começa, com os Destrons procurando as cápsulas de Argonmois pelo universo, enquanto os Cybertrons tentam impedi-los, até que surge uma terceira facção: os Blentrons, que passam a roubar as cápsulas tanto dos Cybertrons quanto dos Destrons, obrigando as duas facções inimigas a se unirem contra um oponente em comum. As novas equipes são CYBERTRONS: Big Convoy (o líder - transforma-se em um mamute), Longrack (tenente - transforma-se em uma girafa), Corahda (cobra), Stampy (coelho), Break (pingüim), Rockbuster (caranguejo) e Razorbeast (javali); DESTRONS: Magmatron (líder - formado por três dinossauros: Landsaurus, Airsaurus e Seasaurus), Dead End (amonite, um molusculo pré-histórico), Guiledart (tricerátopes), Saberback (estegossauro), Sling (dimetrodonte), Crazybolt (Iguana) e Hydrar (Terrorsauro); BLENTRONS: Drancron, Elephaorta e Raatpraata.

Veja a abertura e o encerramento do anime:

NOVA GERAÇÃO

Com o anime "Car Robots", de 2000, a franquia voltou às suas origens, com robôs que se transformam em veículos, em uma trama bastante próxima da série clássica. A animação é um anime tradicional, com efeitos em CGI. A história se passa no ano 2000, na Terra, fora do universo das demais séries. Os Autobots, liderados por Optimus Prime, têm como missão proteger a Terra contra invasões e, nesta época, já estão completamente integrados à sociedade humana. Eles passam despercebidos como carros comuns e criam a "Cybertron Net", uma incrível rede de "túneis" e estradas secretas que cobre todo o globo. Os conflitos começam quando os Predacons, liderados pelo poderoso Megatron, chegam ao planeta (segundo se especula, vindos de outro lugar, não apenas no espaço, mas também no tempo) pretendendo estabelecer um novo "Império Predacon". A versão editada e dublada em inglês dessa série, rebatizada como "Robots in Disguise", foi lançada nos EUA com o intuito de ganhar tempo enquanto uma nova série americana não era produzida. A adaptação ficou por conta da Saban Entertainment, a mesma de "Power Rangers". No Brasil a série recebeu o nome "Transformers Nova Geração" e foi exibida pela Fox Kids (atual Jetix).

Confira a abertura original japonesa:

Recentemente, novas séries de "Transformers", sem a menor ligação com as anteriores, foram lançadas. Interessante que estas marcam as primeiras parcerias entre os americanos e japoneses em uma série da franquia, com nenhuma das duas sendo produzidas exclusivamente pela Hasbro ou pela Takara.

- Transformers Armada (2004): Conhecida no Japão como "Transformer The Legend of Micron". Desta vez, o conflito em Cybertron entre os Autobots e os Decepticons teve origem pelo controle de outra raça, os Minicons. Sempre considerados como ferramentas inteligentes usadas para aumentar o poder, esses Minicons foram ativados por um protocolo interno; eles então uniram forças e resistiram à dominação dos Autobots e dos Decepticons. Sabendo que a guerra iria devastar o planeta, as facções declararam trégua e enviaram os Minicons para os confins do espaço, dentro de uma arca. Após esta colidir com a lua terrestre, os Minicons ficaram inertes por eras, até que algumas crianças, acidentalmente, ativaram um dispositivo que permitiu que a arca fosse rastreada pelos Decepticons, liderados por Megatron até o nosso mundo. Assim, um grupo de Autobots, liderado por Optimus Prime, resolve segui-los e impedir que os Minicons sejam utilizados para o mal.

Veja a primeira abertura japonesa aqui:

- Transformers Energon (2005): Conhecida no território nipônico como "Transformer - Super Link". Alguns anos após a guerra pelos Minicons, Autobots e Decepticons estão em paz e trabalhando junto à humanidade. Porém, com a ascensão de uma misteriosa força maligna, uma nova batalha está prestes a começar.

Assista a primeira abertura do desenho aqui:

- Transformers: Cybertron (2006): Conhecida no oriente como "Transformer - Galaxy Force" A idéia original era concluir nesse novo seriado as histórias iniciadas em "Armada", fechando uma trilogia. Porém, o estúdio Gonzo, responsável pela série, decidiu fazê-la independente das duas anteriores, novamente resetando a continuidade. No Japão, a idéia pegou e a série apresentou a história de um time de elite de Autobots, liderado por Optimus Prime, que tenta salvar a Terra de um buraco negro que destruirá o planeta. Para isso, eles devem encontrar as lendárias cyber-chaves do planeta, que estão espalhadas em quatro outros mundos. Infelizmente, o mapa é roubado pelo grupo de Decepticons liderados por Megatron. Então, começa uma corrida para reunir as chaves. Nos EUA, por imposição da Hasbro, a série foi adaptada para parecer uma continuação das anteriores, o que gerou vários conflitos de continuidade.


Veja a abertura original aqui: