Críticas

Clock segunda-feira, 14 de abril, 2014 - às 08h36

Capitão América 2 – O Soldado Invernal (2014): a maturidade da Marvel Studios

O Sentinela da Liberdade retorna em uma aventura que se diferencia dos demais filmes da franquia Vingadores por seu tom mais sério, arriscando mudanças com profundas ramificações no Universo Cinematográfico Marvel.

por Thiago Siqueira
14/04/2014 - 08:36

Este “Capitão América – O Soldado Invernal” não é um filme sobre seus personagens-título, sobre o diretor da SHIELD, o Falcão ou a Viúva Negra. O picadeiro central desta superprodução é tomado por suas identidades reais, ou melhor, pela busca desses personagens por encontrá-las. Mas vale dizer que o público ansioso por um espetáculo visual também não sairá frustrado.

Tendo como base principal o trabalho de Ed Brubaker e Steve Epting nas HQs do Sentinela da Liberdade, o longa enfrentou desconfianças em todos os fronts. Há um preconceito inato daqueles que não conhecem o Capitão América dos quadrinhos, que veem no herói apenas uma idealização ufanista dos EUA. Do mesmo modo, poucos acreditavam que os irmãos Joe e Anthony Russo, egressos de comédias televisivas como “Community” e “Arrested Development” poderiam entregar algo à altura de “The Avengers – Os Vingadores”.

Em ambos os casos, quem não conferir o longa no cinema por qualquer esses dois receios, deixará de ver o filme mais maduro da Marvel Studios. Misturando o impacto visual de um blockbuster quadrinístico com o clima de conspiração de filmes como “Três Dias do Condor”, a fita é efetiva em explorar os conflitos de seus heróis e antagonistas, ampliar e desenvolver o universo Marvel nos cinemas, mas sem jamais perder a energia que se espera de um lançamento do verão estadunidense.

Dois anos se passaram desde que Steve Rogers (Chris Evans) acordou de seu sono gelado de sete décadas. Após lutar ao lado dos Vingadores na batalha de Nova York, o Capitão América agora lidera uma equipe de elite dentro da agência de espionagem SHIELD ao lado da também vingadora Natasha Romanoff (Scarlett Johansson). Além de seu “trabalho”, Steve ainda tenta se ajustar ao século XXI, contando com a amizade do soldado veterano boa-praça Sam Wilson (Anthony Mackie) para isso.

Quando seu superior Nick Fury (Samuel L. Jackson) cai vítima de um atentado nas mãos do misterioso Soldado Invernal (Sebastian Stan), fica claro para Rogers que a SHIELD está comprometida, o que coloca o herói no centro uma rede de intrigas que ameaça a liberdade e segurança globais.

Ao contrário de alguns blockbuster nos quais os roteiros são meras desculpas para a criação de cenas de ação elaboradas (e/ou impossivelmente confusas), aqui os realizadores não hesitam em focar nas relações entre os personagens e deixar as set-pieces acontecerem de maneira natural, como consequências lógicas do roteiro, jamais o contrário. Isso demonstra uma confiança – justificada – na força do material que eles tinham em mãos.

Deste modo, cenas como o reencontro melancólico de Steve com sua envelhecida ex-namorada Peggy (Hayley Atwell) são tão importantes para o desenvolvimento da narrativa quanto os elaborados confrontos físicos nos quais o Capitão se envolve.  A busca do herói em se localizar em um mundo cuja moral é retratada por tons cada vez mais cinzentos é o seu conflito principal. Será que o “homem bom” agora se tornou relegado a uma simples peça de museu?

A visita de Steve à exposição sobre ele no Museu de História Natural do Smithsonian não tem um caráter ególatra, mas mostra um indivíduo a relembrar os valores pelos quais ele lutou e sangrou. Ver esse capítulo da sua vida, que era seu porto seguro, retornar de forma dolorosa, tanto na doença de Peggy, na ameaçadora forma do Soldado Invernal e nos “fantasmas” de Arnim Zola (Toby Jones) e do fascismo da organização HIDRA, é um baque emocional forte para o Capitão.

Chris Evans utiliza muito bem essa encruzilhada nesta sua terceira defesa do personagem, mantendo um semblante honesto e decisivo, mas sem jamais confundir o altruísmo natural de Rogers com ingenuidade, algo que mataria o personagem para o público ao minar sua credibilidade como líder, estabelecida com sucesso nesta fita após ser apenas um elemento en passant em “The Avengers – Os Vingadores”.

A parceria do Capitão com a Viúva Negra ilustra bem o paralelo entre os dois heróis. Enquanto Steve é um homem cujos ideais e memórias sempre funcionaram como uma bússola, Natasha tem uma bagagem sangrenta e sofrida em seu passado, uma mulher obrigada a se reinventar constantemente para se manter viva.

Essa bagagem, também apenas rapidamente sugerida em sua aparição anterior na telona, aqui é melhor trabalhada por Scarlett Johansson, que ganha mais tempo e material para desenvolver e definir os rumos de sua personagem. Aliás, considerando que se trata da quarta colaboração entre Evans e Johansson, a dupla já possui uma química notável em tela, o que transborda em vários momentos tocantes e engraçados.

O carismático Anthony Mackie torna o seu Sam Wilson (ou Falcão) uma bela adição ao rol de heróis cinematográficos da Marvel, apresentando um herói mais alto-astral e melhor resolvido que a maioria daqueles apresentados pela Casa das Ideias até aqui. Samuel L. Jackson empresta mais uma vez a autoridade de sua persona cinematográfica a Nick Fury, com o pragmático diretor da SHIELD tendo um destaque maior aqui que em todas as suas aparições anteriores, com direito até mesmo a alguma luz em seu passado (além de uma sutil, mas divertida, referência a um dos mais conhecidos trabalhos do ator).

O veterano Robert Redford sai um pouco do circuito independente para trazer credibilidade à esta produção, em uma participação que subverte qualquer expectativa e, ao brincar com a imagem que temos de Redford atrelada ao gênero de filmes de espionagem, o filme remete à escalação de Henry Fonda em “Era Uma Vez no Oeste”. Finalmente, como Soldado Invernal, Sebastian Stan pode ter uma participação curta, mas esta é deveras marcante, trazendo a intensidade certa ao antagonista-título, cuja relação com o Capitão América pode não ser uma surpresa para os fãs, mas pode chocar os não iniciados.

A insistência dos irmãos Russo ao investir mais em cenários reais na maioria das cenas de ação (especialmente na batalha em uma auto-estrada) acaba causando estranheza quando elementos virtuais começam a surgir com mais força, especialmente no clímax da produção.

As lutas mostradas aqui são bem mais brutais que em qualquer outro filme da Marvel Studios, com forte influência do MMA (a escalação do lutador George St. Pierre como o terrorista Batroc não foi um acaso). Os destaques vão para o segundo embate entre o Capitão e o Soldado Invernal, o combate dentro do elevador e a infiltração no navio logo no início da projeção, sequência que pega muito emprestado do game “Metal Gear Solid 2”.

Apesar de a fita estar repleta de ligações que enriquecem os longas anteriores da Marvel Studios, ela também funciona como uma aventura-solo, especialmente com o momento histórico em que vivemos, com a tentação do público de entregar suas liberdades civis em troca de um senso de segurança tão presente no dia a dia. Para alguém que confia no potencial humano, a decisão de Steve Rogers em usar novamente seu uniforme clássico em um momento decisivo representa um homem que enfrenta um presente corrupto com armas ideológicas do passado, visando a criação de um futuro melhor.

Obs.: existem duas cenas pós-créditos, a primeira mais integrada a “Os Vingadores 2” e a segunda fazendo uma ponte para a terceira aventura- solo do bom Capitão.

Saiba mais sobre: , , , , , , ,



  • Leonam

    É o melhor filme da Marvel sem dúvida nenhuma,por apostar em algo diferente do que a marvel vem fazendo,o longa é o mais bem dirigido da Marvel principalmente pelas cenas de ação,que explora bem os recursos do Capitão América e também impressiona a segurança dos diretores que demonstram em conduzir o filme,não deixando o longa “afrouxar” em nenhum momento,enfim 10/10 merecido.

  • nivaldo

    Os dois melhores filmes da Marvel coincidentemente são os filmes que saem da formulinha infanto juvenil da marvel, O primeiro Homem de Ferro , que apesar de ser o primeiro filme da marvel , não se repetiu a qualidade em nenhuma de suas continuações, talvez por na época Downey.jr estar um pouco mais humilde e menos poderoso, e o outro grande filme Marvel é este Capitão América e o Soldado Invernal, outro que foge da fórmula de boboquices com efeitos especiais, que só vem almentando a cada filme da Marvel , é triste pensar que Joss Whedon, vai por as mãos nesse personagem tão bom denovo só pra avacalhar como no último Vingadores, onde o Capitão América só serve pra levae bully do Tony Stark, sabe-se lá porque!!!

  • Richard Gonçalves

    Filme federal. O melhor!

  • Naíra

    Excelente crítica, gostei bastante dos pontos citados, realmente acredito que este filme seja o que veio para mostrar a evolução da marvel enquanto studio. Curiosamente os caras da comédia fizeram melhor do que o Alan Taylor de Game of Thrones… O Capitão 3 já é o filme que eu mais espero da próxima fase da marvel nos cinemas.

  • Don Ramon

    Muito bom, mas o melhor ainda é o primeiro HdF. Dos filmes solo realmente é o melhor junto com esse aí que citei.

  • Depois do horrível Homem de Ferro 3, e do razoável Thor O Mundo Sombrio, eu estava sem expectativas para essa nova empreitada da Marvel com o Capitão, mas sinceramente sai da sessão muito satisfeito. A história sem dúvidas é muito bem trabalhada e muito atual, as atuações estão ótimas, as cenas de ação embora algumas vezes bem exageradas conseguem divertir, as reviravoltas na trama são impressionantes, resumindo um ótimo filme, claro não é melhor que o primeiro Homem de Ferro(que foi o filme mais bem equilibrado da Marvel Studios até agora) mas mesmo assim fica com o segundo lugar no meu Ranking.

    • Murilo

      Thor o mundo da piada né, de sombrio não tem nada! Até a cena final é uma piada.

  • Eduardo M.

    ATENÇÃO CONTÉM SPOILERS!!

    Estava eu e minha esposa voltando para casa após a sessão de Capitão América 2, quando ela vira pra mim e diz “Esse é o filme mais gay de super heróis que eu já vi”. No início ri da observação dela, achando que era por causa do uniforme do America ou algo parecido. Ela começou a explicar os motivos. Comecei a concordar com ela e fazer minhas próprias observações.

    Este é o resultado final da nossa pequena conferência, os 10 motivos que nos levaram à conclusão que o Capitão America 2 é uma verdadeira fábula do arco-íris:

    1) O America é um cara super boa-pinta (quase parece feito em CG), usa nitidamente maquiagem, só anda com roupinhas coladinhas e só aparece todo limpinho, arrumado e engomadinho (mais até que o Rei do Cabelinho Superman), até quando está fazendo cooper no parque;

    2) Várias mulheres dão em cima dele e são sumariamente ignoradas. A Viúva Negra o incentiva a investir em 2 mulheres diferentes e ele faz de conta que não ouve ou inventa alguma desculpa esfarrapada;

    3) Na cena do beijo, quando a VN ordena que ele a beije, ele faz uma cara de desespero e só aceita beijá-la quando ela diz que beijos em público causam desconforto nas pessoas e assim vão despistar os “bad guys”. Após o beijo, o América vira pro lado com um olhar de “hum não gostei” e finge que nada aconteceu.

    4) Na cena do carro, a VN sugere que ele não beija uma mulher há décadas. Ou seja, se beijou, beijou outra coisa, mas não uma mulher, daí seu “desconforto” e falta de pegada quando ela o agarrou.

    5) Quando ele encontra o Bucky/Soldado Invernal pela primeira vez (este cheio de make-up estilo gótico, roupa de couro preta e tal, um visual bem “suspeito”), fica parecendo um bobão quando reencontra um “antigo bofe”. Pronto, daí em diante não consegue mais esquecê-lo e só pensa e fala nele o tempo todo até o fim do filme, inclusive com flashbacks de antigos encontros.

    6) Enquanto o América aparenta ser o gay que sabe que é gay e vive na boa com isso, sem conflitos internos embora não assuma para o público, o Bucky/Soldado Invernal é o gay enrustido, que não aceita e reprime a sua homossexualidade e ainda é punido por isso pela “família” típica machista e homofóbica (no caso, a Hidra), até mesmo utilizando terapia de choque, quando ele fica em dúvida e o seu lado gay começa a aflorar e desabrochar (vide cena da tortura).

    7) O Falcão, por sua vez também gay (o próximo ponto provará isso), tem uma quedinha e idolatra o América, mas não é correspondido, já que este último nutre uma paixão louca e doentia pelo Soldado Invernal. Está formado o triângulo amoroso.

    8) Em uma cena em uma ponte ou algo assim, no mínimo estranha, o America diz pro Falcão que vai meter o pé e ir pra guerra, que vira pra ele e diz “Você vai vestido assim??”. WTF???? Que tipo de homem se preocupa com a roupa que o outro vai vestir na guerra?? Só faltou o S sibilante ao falar “Voccccê vai vesssstido asssssim amigaaa??”. Sim, vou mermão! Vou vestido como eu quiser, qual o problema caralho?? Vou meter a porrada em um monte de assassinos sanguinários, vou me preocupar com a roupa?? Pior que vai… O America SE DÁ O TRABALHO DE IR NO MUSEU E FURTAR aquela roupinha COLORIDA azul ridícula…

    9) Na cena final, o America não aceita lutar contra seu “amado” e se entrega completamente a ele, dizendo que prefere ser espancado até a morte em seus braços, a ser obrigado a machucar o amor da sua vida. Esta sem dúvida é a cena mais gay de todas!

    10) No fim, o amor prevalece e o Soldado Invernal não deixa seu amado morrer, o salvando da morte certa, embora continue a reprimir seus sentimentos, preferindo ir embora agora para não cair em tentação depois.

    Tenso hein… 🙂

    • Deivid

      Não tem nada haver, o capitão tem sentimento forte pelo buck pq formam amigos no passado, não tem nada de gay ai não.

    • Edson

      A teoria mais ridícula que já li na vida.
      Um preconceito sem limite. Que vai no cinema ver um filme de super-herói com tanta malícia?
      Não consigo imaginar o festival de homofobia que foi essa “pequena conferência” do casal.

      Aliás, essas idéias e esse texto em si, são mais gays do que qualquer frame gay que possa ter tido no filme (e não teve). Nem um entendido e iludido com a ideia de “o mundo é gay” elaboraria uma teoria dessas.

      • Mestre Splinter

        Humm… Acho q alguém ficou ofendida… Resta saber se é do time do America ou do Bucky. 😀 😀 😀

        • Eduardo M.

          Vai te catar amigão! Foi um post despretensioso, com intuito de fazer humor, tirar um sarro, caso vc não tenha notado na forma como escrevi. Se vc se ofendeu, paciência. Humor é assim mesmo, cada um tem o seu. Abraço.

      • Eduardo M.

        Vai te catar amigão! Foi um post despretensioso, com intuito de fazer humor, tirar um sarro, caso vc não tenha notado na forma como escrevi. Se vc se ofendeu, paciência. Humor é assim mesmo, cada um tem o seu. Abraço.

      • Davi Dias

        Cada um tem a sua opinião. Vamos respeitar!

    • Roger

      Cara, você é um Marco Feliciano da vida. Um enrustido. Só esse tipo vê homossexualismo em tudo.

    • Pablo

      Bom, cara, eu não vi nada, mas… mais sugestivo do que a ceninha da barraca do filme Eclipse da Saga Crepúsculo não há, né? Espero que sua mulher não seja fã da obra dos purpurinados, caso contrário peço desculpas…

      😀

    • lucas

      Acho isso tudo babaquice, mas supondo que seja verdade pra deixar vc feliz, isso só mostra que os 3 são os gays mais fodas do cinema heheh

      • Eduardo M.

        Verdade, mas pelo visto não fui só eu quem achou meio nebulosa a relação dos dois (Bucky x Capitão)! Se vcs ouviram o cast, ouviram a piadinha do Roger Buchemi sobre o Jorxi… Kkkkkk 😀

    • Se era pra ser cômico, tu passou longe com essa avaliação ridícula …!! E piada só tem graça quandoas pessoas dão risada, pelo visto a galeran não curtiu muito … #FAILMASTER

      • Eduardo M.

        Mais um fanboy do time do Bucky…

    • Solange

      Tem certeza que foi sua esposa q pensou isso tudo? Poderia pelo menos assumir a autoria né. Já vi mtas “teorias” do Steve/Bucky mas todos são gays porque apoiam os dois juntos. Isso é fantasia de quem gosta da coisa tb… Cara… #Fail

      • Eduardo M.

        Bom, acho que vc deve ser disléxica, pois como falei “Comecei a concordar com ela e fazer minhas próprias observações.”, logo disse que ela apenas me chamou a atenção e deixei claro que muito do que escrevi foi conclusão minha. Enfim, acho que já deu né amiga? Abraços.

    • rogerio

      Sua análise da homossexualidade de herói é perfeita. Só me resta entender o motivo desta proposta pela Marvel.

    • José Oliveira

      É Eduardo parece que você mexeu em casa de vespeiro. E não foi o único a ter esta visão. Parabéns pela a sua esposa: ela acertou em cheio. A Marvel, e a DC, já vem há algum tempo modificando a sexualidade, e reformulando, heróis de segundo escalão. Digo isso não por ser contra a heróis gays, mas sim, pelo o que motivou as editoras a mudarem personagens já consagrados nos dias de hoje?! Mas ambas estão cautelosas no que tange aos heróis de primeiro escalão. Como explicar um herói, que teve suas origens no patriotismo, expostos através dos eventos da Segunda Guerra Mundial, e hoje ser gay? Certamente eles estão temerosos de perderem os milhões de fãs espalhados pelo o mundo e, por isso, estão abordando o assunto com cautela. Mas você não é o primeiro a ter esta impressão de sutileza das editoras em abordar um tema tão polêmico. Mesmo que seja por motivos egoístas, pois se a terra fosse invadida por uma onda de poligamia, certamente personagens seriam reformulados, tal como o Tony Stark, a se tornarem Sheiks com haréns gigantescos. Afinal de contas no Oriente isso é normal.

      Abraços e brilhante observação.

  • Ambrose Pierce

    Capitão América é realmente uma excelente surpresa, pois não tinha muita expectativas com ele mas agora tudo mudou. E, coitado do Homem-Aranha da Sony. Ela já começou a gastar milhões em “opiniões pagas” no Twitter pra alavancar o filme mas acho que não vai dar certo. Só X-Men poderá superar Capitão América em filmes de heróis esse ano. Mas vai ter de ralar…

  • victor

    Ainda bem, pq o primeiro capitão américa ficou muito ruim…

  • Roterdan Lopes

    Apesar de tudo, o que eu mais gostei no filme foi uma referência a Stephen Strange, o Dr. Estranho, durante um diálogo. Eu simplesmente pirei. Mas o filme é excelente mesmo! Me atrevo a dizer que é até melhor que o primeiro Homem de Ferro.

  • Cremm

    Thiago Siqueira ,parabens pelo seu comentario vc deveria ser chamado para apresentar o oscar ,comeceu a pouco tem ser leitor do ccr mas depois desse comentario do filme garanto que vou sempre ver as criticas !!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Leandro Marchiori Ferreira

    Gostei bastante do filme

    Enquanto eu via esse filme eu pensei “agora sim eu acredito no Capitão America como lider dos Vingadores”

  • Douglas Gouveia

    Não vai ter rapaduracast sobre esse filme??

  • michel

    Foi a primeira crítica sobre o Capitão 2 que não cita o Batman! Parabéns!!!

  • Murilo

    Viu como dava pra fazer um filme serio, com tons leves de humor na hora certa?
    Melhor filme desde Homem de Ferro 2. Ainda que o primeiro e Thor 1 não sejam ruins. Depois de vingadores o negocio começa a ficar horrivel mesmo.

  • wilbert

    mais um filminho ridiculo de super heroi pro thiago (quero ser americano) siqueira e os outros fanboys delirarem e louvar até o dia do juizo final…

    • jorge

      Vai te catar cara, deixa de ser ridículo,não gosta de americano,mas come no Mcdonalds,usa Windows,dirige um chevrolet, falso moralista do caralho

      • wilbert

        não tenho nada contra produtos americanos, só desprezo brasileiros que dariam tudo pra ter nascido lá, como o thiago siqueira. vc que é o ridiculo por falar o que não sabe, mas quando ficar mais velho quem sabe aprende…

  • manolocarvalho222

    Marvel brincando de DC. Bitchies, please…

  • Guilherme

    No meio de tantas observações irrelevantes dos que comentaram aqui, espero que alguém tenha notado a referência feita ao Pulp Fiction do Tarantino no epitáfio do Fury.

  • thiago antunes

    Não, não é o melhor filme da Marvel, e ponto! X-Men – Primeira Classe é melhor que ele. Por quê? Devido a dos clichês: O vilão no melhor estilo Robocop e o “último segundo para se salvar o Mundo”. Estes São os piores, mas você descobrirá outros. Aqui é o mesmo caso de “Um épico!” (Homem de Ferro 3) e “O melhor filme do Homem-Aranha” (The Amazing Spider-Man). Alguém se lembra desses elogios da crítica?

    • José Benevides da Silva

      Vale lembrar que tanto X-Men (Fox) quanto Homem-Aranha (Sony) não são exatamente filmes da Marvel, apesar de ela ser a criadora dos personagens. Estas duas franquias, infelizmente, não fazem parte do universo Marvel nos cinemas. Então, sim, Capitão América 2 é o melhor dos filmes da Marvel até agora.

  • ROnny Yagami

    Capitão América – Meu parecer sem spoilers

    Este sem dúvida é o melhor filme da MARVEl e olha que eu defendo Ironman 3 com unhas e dentes! C.A é um filme que seguiu a risca a fórmula de Vingadores, porem tendo um elenco “menos importante”. Obviamente C.A sozinho não conseguiria manter o interesse do público do inicio ao fim de um filme com mais de 2h, logo acertadamente o elenco do filme é grande e assim como Vingadores, muito bem distribuído! todos os personagens tiram tempo justo de tela, justo com sua importância diante do plot e também justo com a sua “fama pessoal”.

    A comédia, algo que pode vir a ser o grande vilão dos filmes MARVEl na minha opinião, está no limite, quase sai de controle como aconteceu no recente filme do THOR, mas não aconteceu e ficou bom. Os problemas deste filme, destacam-se apenas 2, até porque eu não faço questão de ficar procurando erros, mas se eles pulam em cima de mim não tem como não comentar.

    O primeiro nem é um erro do filme e sim do marketing, simplesmente todas acenas impactantes do filme foram divulgada em trailers restando apenas a parte “chata” pra colar uma cena na outra! que péssimo! eu sair agradecendo aos céus por Snyder não ser assim com seus filmes, lembro que fui ver Man of Steel sem saber nada do filme, com o minimo de informação!

    O segundo erro é o inexplicável desaparecimento do Gavião, desde que surgiu nos filmes da MARVEL ele, assim como a Viúva, deram a entender que literalmente vivem pra Shild e NA Shild, como numa crise desta ele não aparece? sem falar que ter o Gavião e o Falcão no mesmo time seria no minimo “inusitado”, espero que em Vingadores eles justifiquem isso de forma convincente ou será um erro absurdo de plot!

    • Deco

      No podcast do filme, Jurandir insinua que Gavião pode ta na Europa, e eu imagino que sim, provavelmente como aqui é dito, Fury ja suspeitava da infiltração da HYDRA, ou seja, provavelmente ja mandou ele pra alguma missão secreta de espionagem pelo mundo, ja que tbm é dito que a HYDRA tem várias instalações pelo mundo.

  • ROnny Yagami

    PS: É o melhor filme desde Vingadores.

  • Evelyn Souza

    Um dos melhores filmes da Marvel, um roteiro fantástico, cenas de ação de tirar o fôlego, mas que em nenhum momento se tornam desnecessárias, sempre contribuindo para a história ao invés de serem somente cenas de ação feitas a esmo.
    Eu me surpreendi com a maturidade do filme, com a boa atuação de todos os personagens, a relação entre a Natasha e o Steve é muito boa, nos trazendo ótimos momentos e um misto de emoções.
    Aos que acompanham a Marvel nos cinemas e os quadrinhos puderam se deliciar com várias referências geniais, a primeira cena pós-crédito já nos deixa ansiosos para o que vem na sequência dos Vingadores. Animadíssima *_____*

  • Expedito Felipe Alencar

    Da vergonha de ler alguns comentários… Enfim. Na minha opinião, esse é o melhor filme da Marvel até o momento! Conseguiu me empolgar do começo ao fim (principalmente nas cenas de batalha) como nenhuma outra obra que eu tenha assistido ultimamente no cinema (inclusive o próprio ‘Vingadores’) ou mesmo no computador de casa.

    Concordo com a nota atribuída, excelente crítica! Mas gostaria de saber do Siqueira se daqui a algum tempo ele continuaria firme nesse 10. Lembro que em um RapaduraCast anterior, o Jurandir tinha dito que certos filmes não sobrevivem a uma revisitada, como foi o caso do Cavaleiro das Trevas. Será que O Soldado Invernal continuará excelente depois de uns anos?

  • Ilan Mendonça

    Achei bacana a menção que fizeram aos Mamonas assassinas, no bloco de anotação de Rogers, quando aparentemente ele está assinalando algo “pop” que vale à pena conferir, dos anos que passaram enquanto dormia, tinha entre outros titulos famosos, o nome da banda brasileira.

  • Xcls

    Thiago Siqueira, por favor, pare de escrever “Estadunidense”. Você tem ideia do quão ridícula é essa palavra? Ao menos respeite a língua portuguesa.

    • Marcos Barbosa

      Na verdade o ridículo foi seu comentário recalcado e desprovido de conhecimento gramatical e interpretativo textual. Escolher entre americano, norte-americano e estadunidense não é uma questão de certo e errado, mas uma decisão vocabular legítima tomada por quem fala ou escreve. Busque conhecimento! Se informe!

  • Flavio Goularth

    Melhor filme da Marvel!! po_*_a!

  • manolocarvalho222

    Eu queimando minha língua de novo, filme muito melhor que o primeiro mas com um vilão muito fraco. O que é bacana no Capitão é sua decência, honestidade. Incrivelmente ele não demonstra aquele patriotismo doente que muito se vê por aí, ele uta por todos os cidadãos de bem e pronto. A viúva negra é um personagem muito fraco, não merece e não precisa do destaque que o filme tenta nos fazer engolir guela abaixo. Mas ainda sim um bom filme.

  • Amauê

    Esse filme ficou ótimo, só não gostei mais do que o Thor 2 porque ele mostrou mais uma das joias do infinito e eu tô louco pra ver a Manopla do Infinito em ação no bagulho.

  • paulo joão

    Filme gay.Extremamente gay.