Acme   quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Entenda o caso dos dados da Sony vazados na web #SonyHack

"A Entrevista", Homem-Aranha, 007, e-mails vazados e projetos cancelados.

Não é novidade que a Sony Pictures foi hackeada e teve mais de 40 Gigabytes de dados expostos publicamente. Aos poucos estão vazando informações extremamente sigilosas, como conteúdo de e-mails, filmes, projetos engavetados, roteiros e etc. Esse ataque hacker pode ser responsável por milhares de demissões, fim de inúmeras carreiras e até o fim de um grande estúdio hollywoodiano. Sim, o impacto é muito grande!

Abaixo, listo os acontecimentos na ordem cronológica (do mais recente até as primeiras informações) liberadas pela imprensa e irei atualizando a medida que os assuntos forem liberados.

Fontes: BBC, Reuters, Variety, G1, New York Times, The Hollywood Reporter, Info e O Globo.

==

25 de dezembro (quinta-feira) – 16h55
Críticos afirmam que “A Entrevista” é mediano e não vale toda a polêmica

Sites especializados dos EUA fizeram análises do filme “A Entrevista“, que está disponível online e estreou em alguns cinemas em solo americano, e foi unânime dizer que o longa não vale toda a polêmica. Veja algumas opiniões:

The Guardian: “Não é tão engraçado – a menos que você realmente curta piadas sobre genitálias. Um monte de celebridades fazem ponta, incluindo: Eminem, Joseph Gordon-Levitt, Bill Maher, Seth Meyers. Além da premissa – matar o líder da Coreia do Norte –, não há muito material com o propósito de zombar do país. Nesse sentido, o principal alvo são jornalistas de TV estúpidos. Os criadores do filme amam artistas de hip-hop e Katy Perry. Dá a impressão de que as referências a ‘O senhor dos anéis’ não vão acabar nunca. E aqui vai uma divisão percentual aproximada do conteúdo do filme, feita em parceria com minha colega Kayla Epstein: 5% de pontas com celebridades; 25% de piadas sobre pênis; 25% de piadas sobre ânus; 2% de referências a ‘O senhor dos anéis’, muito depois de isso ter perdido a validade; 20% de sexismo; 3% de Jonah, da série ‘Veep’; 5% de citações constrangedoras de hits do top 40; 10% de sotaques ‘engraçados’; 10% de Seth Rogen encarando com olhos tristes um helicóptero“. (Lanre Bakare)

Rolling Stone: “No fim das contas, ‘A Entrevista’ atinge o ponto ideal de divertimento atrevido e sátira afiada, porque Franco e Rogen são fod***mente hilários e destemidos, eles querem ir para as cabeças. É o jeitinho americano. Rogen e Goldberg poderiam ter nos livrado e toda a confusão se mudassem o nome de Kim e o transformassem num ditador fictício dedicado à destruição dos direitos humanos? Talvez. Mas vale a pena lutar por esse instinto de tentar qualquer coisa para provocar gargalhadas e dar um chute no traseiro de ditadores. Dane-se o Kim se ele não consegue lidar com uma piada“. (Peter Travers)

Variety: “O único cinema que estava passando ‘A Entrevista’ perto da casa da minha família em Fresno, na Califórnia, fica a 40 milhas de distância. Tentei arrastar meus pais junto comigo, mas eles não estavam no clima para uma viagem de férias. Em vez disso, assistimos a uma versão em on-line da comédia por US$ 6. E conseguimos ver mais cedo, porque a Sony Pictures estreou a versão doméstica um dia antes do limitado lançamento de Natal nos cinemas. Minha mãe assistiu por 10 minutos antes de desaparecer para terminar as tarefas de feriado. ‘Quem quer salmão?’, ela perguntou, interrompendo uma sequência de piadas sobre pênis e ânus nesta sátira proibida para menores que é sobre dois jornalistas americanos (James Franco e Seth Rogen) recrutados pela CIA para assassinar o líder da Coreia do Norte, Kim Jung-um. Quando voltou para o último ato do filme, ela imediatamente caiu no sono no sofá. Mas meu pai ficou acordado, rindo muitas vezes – para imenso desconforto de minha parte – das diversas gags rudes. ‘A CIA deveria ter impedido o lançamento deste filme’, brincou ele em certo momento. ‘Ele faz com que os agentes pareçam pior do que a Coreia do Norte’”. (Ramin Setoodeh)

Slate: “Ainda assim, dê ao filme o crédito por efetivamente zombar de um ditador que certamente merece. ‘A entrevista’ pode não ter sucesso como uma verdadeira comédia, mas consegue arrancar o couro de Kim Jong-un, particularmente na entrevista que está no clímax do filme (‘Porque você não dá comida para seu povo?’, Dave pergunta ao vivo em rede nacional) e na morte dele no final. (Aquela mesma cena que você viu na internet.) Então, o filme tem a disposição e a coragem para isso, ao menos. Mas se você prefere a zoeira com ditador servida num prato mais elegante e inteligente, você provavelmente deveria fazer o que todo mundo vem fazendo e rever ‘Team America – Detonando o mundo’”. (Aisha Harris)

Los Angeles Daily News: “Infelizmente, me entristece informar que ‘A Entrevista’ não é muito engraçado. Já que eu tenho defendido muitas vezes o talento limitado, mas divertido de Seth Rogen e sua exagerada sensibilidade de ‘bromance’, fico triste em dizer que o filme não tem o tipo de graça que você (agora) espera de um lançamento tão árduo. Não é realmente inteligente, tampouco para um cara cujos últimos dois filmes eram semi-inspirados no apocalipse (‘É o fim’) e fraternidades falsas (‘Vizinhos’), ‘A entrevista’ é uma decepção preguiçosa e mal orientada“. (Bob Strauss)

The Washington Post: “Esqueça [a pergunta]: ‘É Engraçado?’. A questão agora é: ‘Valeu a pena?’. ‘A entrevista’, uma comédia genial, ocasionalmente incisiva e no geral desleixada sobre um jornalista babaca encarregado de assassinar Kim Jong-un, jamais deveria ter chegado tão longe. Um dos vários filmes que estreiam no Natal, ele é direcionado exclusivamente aos fãs do humor oferecido por Seth Rogen e de seu parceiro habitual, James Franco – um humor que geralmente gira em torno de festas, sexo, flertes no estilo ‘bromance’ entre os dois e atrair espectadores que não conseguem resistir aos encantos que vão do fato de os dois serem perdedores, azarados e adoravelmente estúpidos“. (Ann Hornaday)

ABC News: “‘A entrevista’ é extremamente medíocre, e isso vindo de um fã dos filmes anteriores de Franco e Rogen, como “É o fim”. A cena de abertura, uma entrevista entre um apresentador pateta de talk show, Dave Skylark, e o astro do rap Eminem – interpretando uma versão de si mesmo – é o destaque cômico do filme. O problema é que, quando isso acaba, ainda temos cerca de uma hora e 47 minutos para preencher e há mais confusões do que acertos“. (David Blaustein)

The Wall Street Journal: “Randall Park faz de um jeito engraçado o jovem ditador, interpretando-o como alguém inseguro e desesperado para agradar os outros: ‘Eu estou apenas tentando fazer o meu melhor’, diz Kim a Dave [papel de James Franco] depois de lhe dar um cachorrinho fofo de presente. Mas Franco quer tão descaradamente garantir que a gente entenda que ele está sendo engraçado, coisa que ele não é, e o roteiro como um todo tranforma uma premissa satírica – ou pelo menos farsesca – em uma bobice que azeda. No mundo real, vem sendo travado um debate sobre o que constitui e o que não constitui tortura. Quanto ao filme, não há debate; assistir a ‘A entrevista’ é uma tortura quase do começo ao fim”. (Joe Morgenstern)

Deadline: “É um filme terrivelmente estúpido, e, por estúpido, eu não quero dizer um bom estúpido, do tipo que faz você rir com tanta força que se esquece de estar envergonhado. ‘A entrevista’ é tão encharcado de um fracasso transpirado que ninguém vê-lo por razões de patriotismo deve ser saudado.” (Jeremy Gerard)

==

25 de dezembro (quinta-feira) – 15h15
“A Entrevista” lota cinemas nos EUA em sessões de Natal

A Entrevista” estreou em sessões à 0h desta quinta-feira (25) num pequeno número de cinemas norte-americanos, atraindo pessoas que disseram apoiar a decisão do estúdio de resistir aos esforços para censurar a comédia de baixo orçamento.

Seth Rogen, que estrela o filme junto com James Franco, e o codiretor Evan Goldberg surpreenderam o público ao comparecerem à sessão lotada das 0h30 de um cinema de Los Angeles, onde eles breve agradeceram brevemente pelo apoio dos fãs. Do lado de fora do cinema, as pessoas, que bebiam cidra quente enquanto esperavam o início do filme, disseram ter ido à sessão para apoiar a liberdade de expressão e escolha.

O filme estreou em cerca de 320 cinemas pequenos e independentes ao redor dos Estados Unidos nesta quinta. Os ingressos para muitas das sessões se esgotaram um dia antes, uma vez que a polêmica sobre a produção ganhou as primeiras páginas dos jornais.

==

25 de dezembro (quinta-feira) – 13h15
“A Entrevista” vaza na internet e já é baixado ilegalmente pelo mundo inteiro

A Sony Pictures decidiu lançar “A Entrevista” no YouTube Movies, Xbox Video, Google Play Filmes e Kernel (que foi contratada as pressas), onde o filme pode ser alugado por US$ 5,99 pelo período de 48 horas ou comprado por US$ 14,99. No site da Kernel e no Xbox Video somente pessoas com IP local e um cartão de crédito emitido no país poderão assistir a película de forma legal. O problema é que ter contratado a Kernel para distribuir o filme em um site dedicado acabou rendendo uma grande dor de cabeça: ao realizar o aluguel do filme no site era possível baixá-lo na íntegra com um simples clique direito.

Como “A Entrevista” não possui nenhum tipo de DRM*, o bug facilitou e muito a vida daqueles que queriam distribuí-lo ilegalmente. A Kernel diz que está tentando resolver a situação; já sobre a distribuição localizada tanto a empresa quanto a Sony estão “estudando formas” de atender mais países. O Canadá recebeu o filme horas depois.

O certo é que o filme já está disponível em sites de Torrents. Alguns blogs/portais especulam que esse bug foi proposital.

* O Digital Right Management (gerenciamento de direitos digitais) é um conjunto de tecnologias utilizado em conteúdos digitais para controlar a criação de cópias não autorizadas.

==

24 de dezembro (quarta-feira) – 18h15
Sony lança “A Entrevista” na internet

A Sony Pictures lançou o polêmico filme “A Entrevista” na internet nesta quarta-feira (24). A comédia entrou no ar às 13h (16h, no horário de Brasília) no YouTube, Google Play, Kernel e Xbox Video, além do site SeeTheInterview.com, da própria Sony. O aluguel custa US$ 6, e a compra, US$ 15. No entanto, apenas residentes dos Estados Unidos conseguem assistir ao filme no momento.

O objetivo da Sony sempre foi ter uma plataforma nacional para lançar o filme“, afirmou Michael Lynton, presidente da Sony Pictures, em comunicado. “Com isso em mente, entramos em contato com Google, Microsoft e outros parceiros na quarta-feira (17), quando ficou claro que nossos planos iniciais não seriam possíveis. Estamos satisfeitos de poder contar com nossos parceiros para oferecer esse filme em todo o país“.

O plano inicial a que Lynton se refere era o lançamento convencional de “A Entrevista” nos cinemas. A estreia foi cancelada na semana passada depois de grandes redes de salas de cinema dos Estados Unidos e Canadá se negarem a exibir o filme por conta de ameaças hackers. Nesta terça-feira (23), porém, a Sony voltou atrás e permitiu a estreia em alguns cinemas dos Estados Unidos.

Sobre a distribuição digital, Michael Lynton declarou que o objetivo é “conseguir atingir o máximo de pessoas possível no dia de estreia“. “Iremos continuar buscando outros parceiros e plataformas para expandir o lançamento.”

De acordo com o canal CNN, a Sony tentou lançar “A Entrevista” pelo iTunes, mas o negócio não se concretizou. A exibição do filme no serviço da Apple, no entanto, não está descartada após o Natal.

==

23 de dezembro (terça-feira) – 17h55
Sony Pictures permite que alguns cinemas exibam “A Entrevista”

A Sony Pictures abriu caminho para o lançamento do filme “A Entrevista” em 25 de dezembro, menos de uma semana depois de cancelar a divulgação da comédia devido a um ataque cibernético devastador, informaram nesta terça-feira o estúdio e uma rede de cinema de Dallas que vai exibir o filme. O fundador da cadeia Alamo Drafthouse Cinema, com sede no Texas, Tim League, escreveu no Twitter que a Sony autorizou o cinema a exibir o filme. Uma porta-voz da rede de cinemas confirmou o tuíte.

A Sony Pictures informou que “A Entrevista” terá um lançamento limitado nos cinemas nos Estados Unidos no dia do Natal, e o estúdio está à procura de mais opções para exibir o filme.

Nós nunca desistimos de mostrar ‘A Entrevista’ e estamos empolgados que o nosso filme estará em alguns cinemas no dia de Natal“, disse o presidente-executivo da Sony Pictures, Michael Lynton, em um comunicado. “Ao mesmo tempo, continuamos nossos esforços para garantir mais plataformas e mais salas, para que este filme alcance o maior público possível.

Não ficou claro quantos cinemas seriam autorizados a mostrar “A Entrevista” e se as principais salas de cinema que tinham decidido não exibir o filme na semana passada devido a preocupações de segurança iriam se juntar ao grupo de expositores autorizados.

Outro cinema em Atlanta, o Plaza Atlanta, disse na mídia social que também vai exibir o filme.

==

23 de dezembro (terça-feira) – 11h55
Coreia do Norte sofre ‘blecaute digital’ após ameaça aos EUA

O serviço de internet na Coreia do Norte foi restaurado nesta terça-feira (23) depois que várias páginas de veículos da imprensa oficial ficaram fora do ar por cerca de nove horas, um incidente que acontece depois que os Estados Unidos anunciaram que responderiam “de forma proporcional” ao ciberataque contra a Sony Pictures.

Segundo a imprensa sul-coreana, os principais sites norte-coreanos permaneceram fora do ar, de forma descontínua, de 1h até as 10h45 locais desta terça-feira (14h às 23h45 de segunda-feira, horário de Brasília), entre elas o da agência estatal de notícias “KCNA” e o do jornal “Rodong Sinmun”, dois veículos da imprensa oficial de Pyongyang.

Apesar de o regime norte-coreano não ter se pronunciado sobre o “blecaute” temporário, nem confirmado que o mesmo foi causado por um ataque cibernético, alguns meios da imprensa sul-coreana sugeriram a possibilidade de que o Pictures Entertainment.

Um representante da Coreia do Norte na ONU comentou que a conexão de internet em seu país “permaneceu instável nas últimas horas e agora é impossível se conectar“, mas não ofereceu uma explicação sobre o motivo, em declarações oferecidas em Nova York ao jornal sul-coreano “Voz do Povo”.

Outros meios da imprensa sul-coreana afirmaram que a queda nas redes norte-coreanas poderia corresponder a um contratempo técnico ou a um problema interno na Coreia do Norte, devido à fragilidade das conexões nesse país. De qualquer modo, o “apagão” gerou grande interesse, já que ocorre em plena polêmica iniciada com o ataque de hackers aos estúdios Sony.

==

22 de dezembro (segunda-feira) – 13h50
Coreia do Norte se diz preparada para confronto com os Estados Unidos

A Coreia do Norte divulgou um comunicado em que volta a negar envolvimento com o ataque cibernético sofrido pela Sony Pictures, afirma que os Estados Unidos deve pedir desculpas por indicá-la como culpada, e diz que seu Exército está preparado para um confronto com o país da América do Norte.

Nosso mais duro contra-ataque será dirigido à Casa Branca, ao Pentágono e a todo o território continental dos Estados Unidos superando amplamente o contra-ataque simétrico declarado por (Barack) Obama“, afirma Pyongyang no comunicado.

Obama disse que o governo vai debater sobre a possibilidade de colocar a Coreia do Norte de volta à a lista de países que patrocinam o terrorismo. A inclusão nessa lista negra representa restrições à ajuda externa, a proibição das exportações e as vendas da área de defesa, controles sobre certas exportações e diversos impedimentos financeiros e de outro tipo.

Os Estados Unidos devem refletir sobre suas condutas más que levaram a essa desgraça, pedir desculpa ao povo coreano e à humanidade mundial e não questionar os outros atrevidamente“, conclui o comunicado.

O país ainda diz que aprecia a ação do “Guardiães da Paz”, porque ela impediu a circulação do filme “A Entrevista” e considera “afortunadas” as medidas da Sony, que cancelou a estreia do filme que, segundo a nota, “incita o terrorismo que não deve ser tolerado em qualquer país ou região“.

==

22 de dezembro (segunda-feira) – 13h40
Perdas da Sony vão passar de US$ 200 milhões

A Sony Pictures deve perder cerca de US$ 200 milhões por causa do ataque hacker que sofreu, avaliaram analistas nesta segunda-feira (22) ao The Hollywood Reporter. Além do custo de produção do filme “A Entrevista”, US$ 44 milhões, é preciso somar o de promoção do filme e as despesas associadas à atualização e mudanças em todo seu sistema de informação. Esse número ainda deve aumentar com os processos que já começaram a ser abertos por ex-funcionários da companhia por causa do vazamento de seus dados pessoais.

Mas não se trata só de um prejuízo econômico. O valor dos estúdios poderia cair muito mais devido a falta de confiança provocada com a gestão realizando da crise, especialmente depois de o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, criticar o cancelamento da estreia do filme, prevista para o dia de Natal. No fechamento da bolsa na sexta-feira, as ações de Sony acumulavam queda de 4,9% desde que o ataque se tornou público, em 24 de novembro. A esses problemas se unem as dificuldades empresariais que a companhia atravessa há meses devido a pressão do investidor Daniel Loeb, que queria assumir o controle do estúdio.

==

21 de dezembro (domingo) – 13h40
Para Obama, ataque de hackers à Sony não é “ato de guerra”

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou à CNN que não considera a invasão ao sistema da Sony Pictures um ato de guerra, mas disse que é um ato de vandalismo cibernético,.

Não acho que foi um ato de guerra, acho que foi um ato de vandalismo cibernético que custou muito caro“, disse ele à jornalista Candy Crowley.

Apesar de não considerar a invasão um ato de guerra, o presidente afirmou, no trecho da entrevista divulgado pela CNN na manhã deste domingo, que o governo vai debater sobre a possibilidade de colocar a Coreia do Norte de volta à a lista de países que patrocinam o terrorismo.

==

21 de dezembro (domingo) – 13h30
EUA rejeitam proposta da Coreia do Norte

Neste domingo, o governo dos Estados Unidos rejeitou a proposta da Coreia do Norte de uma investigação conjunta sobre o ciberataque contra a Sony Pictures e pediu a ajuda da China para bloquear as ações virtuais de Pyongyang. A proposta foi feita no sábado, quando o governo norte-coreano afirmou que as acusações de que o país estaria por trás do ataque eram “sem fundamento e difamatórias”.

Se a Coreia do Norte quer ajudar, deve admitir sua culpa e compensar a Sony pelos danos provocados pelo ataque“, disse Mark Stroh, porta-voz do Conselho Nacional de Segurança dos Estados Unidos, ao anunciar que os EUA descartavam a proposta norte-coreana.

==

20 de dezembro (sábado) – 16h10
Coreia do Norte diz que não atacou Sony e propõe investigação conjunta

A Coreia do Norte propôs uma investigação conjunta com os Estados Unidos sobre o ciberataque contra a Sony, classificando a acusação do FBI de que o país estaria por trás do ataque de “calúnia”, disse a mídia estatal neste sábado. Um porta-voz do Ministério do Exterior norte-coreano afirmou que haveria “consequências graves” se Washington não concordasse com a investigação conjunta e continuasse a acusar o país, segundo a agência de notícias oficial KCNA.

Propomos a realização de uma investigação conjunta com os EUA em resposta à calúnia infundada sendo colocada pelos norte-americanos…“, disse o porta-voz norte-coreano.

Se os EUA se recusarem a aceitar a nossa proposta para uma investigação conjunta e continuarem a falar sobre algum tipo de resposta, arrastando-nos para o caso, é preciso lembrar que haverá consequências graves“, acrescentou.

O presidente norte-americano, Barack Obama, prometeu que seu país irá reagir ao ciberataque contra a Sony Pictures atribuído ao governo da Coreia do Norte.

Iremos responder proporcionalmente, e iremos responder no lugar e no momento e da maneira que escolhermos”, disse Obama.

Duas horas antes de seu discurso na sexta-feira, a polícia federal dos Estados Unidos (FBI) anunciou que investigadores determinaram que a Coreia do Norte esteve por trás da invasão à Sony, classificado de ato inaceitável de “intimidação” com patrocínio estatal. Foi a primeira vez que os EUA acusaram diretamente outro país de uma agressão cibernética desta natureza em solo norte-americano.

==

20 de dezembro (sábado) – 02h10
Sony exclui site, fanpage e trailers de “A Entrevista”

A Sony Pictures atendeu as exigências dos hackers e retirou do ar o site oficial, a fanpage e os trailers (de suas contas) do filme “A Entrevista”.

https://www.facebook.com/TheInterview
http://www.theinterview-movie.com

O presidente-executivo da Sony Pictures Entertainment, Michael Lynton, respondeu as críticas do presidente Barack Obama sobre o cancelamento da estreia do filme.

Nós não cedemos, não recuamos. Nós sempre tivemos o desejo de que o público norte-americano assistisse este filme“, declarou Lynton, acrescentando que ele ainda quer que o público o veja.

Aparentemente, a decisão de retirar os materiais da internet prova a contradição – sobre não ceder – da colocação do presidente da Sony.

==

19 de dezembro (sexta-feira) – 18h59
Obama critica decisão da Sony de cancelar estreia de “A Entrevista”: ‘Eles cometeram um erro’

Em uma coletiva de imprensa na Casa Branca, o presidente americano Barack Obama foi questionado sobre os ataques da Coreia do Norte à Sony por conta do filme “A Entrevista”.

A Sony é uma corporação que sofreu danos significativos, ameaças aos funcionários. Eu compreendo as preocupações deles. Dito isso, sim, acho que eles cometeram um erro”, disse o presidente americano sobre a decisão de cancelar o lançamento do filme, previsto para o dia 25 de dezembro.

À noite, a Sony se defendeu. Em comunicado, disse que a decisão de cancelar a estreia do filme foi tomada após as principais cadeias de cinema se recusarem a exibir o longa. “Não tivemos escolha”, afirma o texto.

Obama também adotou um tom irônico para criticar a preocupação do governo norte-coreano com uma comédia de fim de ano.

Diz muito sobre a Coreia do Norte que o governo lance ataque contra um estúdio por causa de um filme satírico com o Seth Rogen”, alfinetou.

Em sua resposta, Obama falou sobre os perigos da censura, especialmente quando imposta a partir de outros países:

Não podemos ter uma sociedade na qual um ditador qualquer possa impor censura nos EUA. Se alguém consegue intimidar as pessoas por lançar um filme satírico, imagina o que vão começar a fazer quando verem um documentário que eles não gostam, ou notícias que eles não gostam”.

O presidente americano não anunciou nenhuma medida de retaliação contra a Coreia do Norte, mas garantiu que haverá “uma resposta proporcional”.

Nós vamos responder de forma proporcional, num momento e local que considerarmos apropriado. Não é algo que eu vá anunciar hoje nessa conferência de imprensa”, disse o presidente. “Numa análise mais ampla, no entanto, isso mostra que precisamos cooperar. Hoje vivemos no velho oeste e parte do problema é que você tem Estados fracos que podem fazer esse tipo de ataques”.

Obama falou também sobre a importância de leis mais firmes contra ciberataques:

Nossa primeira preocupação é tentar evitar esses ataques. Estamos coordenando com o setor privado, mas não estamos nem perto do que precisa ser feito. Precisamos de lei firmes de cibersegurança”.

==

19 de dezembro (sexta-feira) – 15h59
EUA indicam Coreia do Norte como responsável pelo ataque à Sony

O governo dos Estados Unidos confirmou nesta sexta-feira (19) que sua investigação aponta a Coreia do Norte como responsável pelo ataque hacker ao sistema da Sony Pictures. O anúncio foi feito pelo FBI, que identificou similaridades em ataques cibernéticos realizados anteriormente por norte-coreanos e o que atingiu os sistemas do estúdio de Hollywood. Após realizar análise técnica dos dados apagados do malware usado no ataque, a polícia federal norte-americana informou ter localizado vestígios no programa que o ligam aos norte-coreanos.

De acordo com o FBI, as ferramentas utilizadas na invasão ao sistema da Sony são similares às empregadas em um ataque realizado em março de 2013 contra o sistema bancário e veículos de mídia da Coreia do Sul. Esse golpe havia partido do país vizinho. O FBI se diz “profundamente preocupado” com a “natureza destrutiva” do ataque hacker à Sony.

As ações da Coreia do Norte tiveram a intenção de infligir dano significante a um negócio dos EUA e a suprimir o direito de norte-americanos de se expressarem. Atos de intimidação como esse não se enquadram no comportamento aceitável de um estado“, comunicou o FBI em nota.

Mais cedo, a agência de notícias Reuters informara que a operação do país havia contado com ajuda chinesa. Em resposta à agência, o governo chinês informou que não apoia “ilegalidades cibernéticas”.

==

19 de dezembro (sexta-feira) – 14h40
Coreia do Norte fez ataque hacker à Sony com ajuda chinesa, diz agência

A investigação dos Estados Unidos para o ataque hacker no sistema de computadores da Sony determinou que a Coreia do Norte está por trás da operação com certa ajuda chinesa, um oficial dos EUA disse na sexta-feira, segundo a agência de notícias Reuters. O funcionário, que não quis se identificar, disse que a descoberta será anunciada mais tarde pelas autoridades federais. O ataque norte-coreano, segundo a fonte, teria ajuda de profissionais ou servidores chineses.

==

19 de dezembro (sexta-feira) – 14h30
New York Times faz previsão sobre o futuro da Sony

O New York Times disse que, tal como era previsto após semanas de má publicidade devido à revelação do teor de e-mails, mas também a escalada do grau de ameaça e de penetração dos hackers do GOP, a rede de relações entre os responsáveis do estúdio e os seus braços comerciais/criativos estão extremamente abalados (relações quase que irrecuperáveis). Financiadores já estão hesitantes em investir em novos projetos e agentes que representam atores, cineastas, roteiristas e outros criativos começaram a ficar com dúvidas sobre envolverem-se com um estúdio com esse grau de turbulência.

O impacto já é grande em Hollywood, tanto que George Clooney previu (em entrevista abaixo) problemas de distribuição para filmes com temas sensíveis, como aquele sobre o envenenamento com polônio do dissidente da KGB Alexander Litvinenko em 2006, por exemplo. E os receios de que este tenha sido um precedente perigoso — a decisão inédita de cancelar um filme sob ameaça de hackers que terão intenções políticas – a New Regency e a Fox comunicaram que não vão distribuir o novo projecto do cineasta Gore Verbinsky com o ator Steve Carell. Baseado numa história de Guy DeLisle, “Pyongyang” seria um thriller sobre cientistas ocidentais que trabalharam na Coreia do Norte durante um ano.

Antes disto, tínhamos luz verde e financiamento completo da New Regency. Penso ter entendido que, dada a situação na Sony, a Fox decidiu não distribuir o filme”, disse Verbinski em comunicado.

==

19 de dezembro (sexta-feira) – 14h20
George Clooney o cancelamento da estreia de “A Entrevista”

Em entrevista ao Deadline, George Clooney comentou sobre sobre a decisão da Sony para cancelar o lançamento de “A Entrevista” por causa das contínuas ameaças de grupo de hackers Guardians of Peace. Nela, ele atacou a imprensa por “abdicar de seu dever” e falou sobre executivos de Hollywood que “correram para as montanhas” quando ele enviou uma petição solicitando que a indústria “ficasse junta” para não ceder às ameaças dos hackers.

“Um país decidir que conteúdos vamos ter. Isto não afecta só o cinema, afecta todas as partes do nosso negócio. Devemos assumir nesse momento a posição ofensiva sobre esse ataque. Divulguem o filme online. Façam o que puderem para divulgar este filme. Não porque todo mundo tem que ver o filme, mas porque ninguém vai me dizer que não podemos ver esse filme“, declarou o astro.

No que diz respeito à decisão da Sony de cancelar o lançamento, Clooney afirma que o estúdio foi forçado a isso pelos proprietários dos cinemas.

A Sony não cancelou o filme porque estava com medo. Eles cancelaram o filme porque todos os cinemas disseram que não iam exibi-lo. E eles disseram que não iam exibi-lo porque conversavam com seus advogados, e esses advogados disseram que, se alguém morresse em uma das sessões, então eles seriam os responsáveis“, conta o ator.

Temos um novo paradigma, uma nova realidade”, postula George Clooney, evocando a Primeira Emenda da Constituição norte-americana que protege a liberdade de expressão, religião e de imprensa. Uma realidade pós-11 de Setembro, um paradigma de vida online. E um ataque que evoluiu da divulgação de dados pessoais, filmes, roteiros ou e-mails para ameaças físicas. “É a definição de terrorismo”, frisa o actor, que fala de “armas de medo” e evidencia que “ninguém assinou a carta” da petição que pretendia apoiar a decisão da Sony de apoiar o filme — que seria suspenso esta semana. “Ninguém se ergueu” em defesa da Sony. “Ninguém tomou essa posição”, lamenta, dizendo que agora se vive o “novo paradigma e uma nova forma de gerir o nosso negócio”. A indústria tem “medo”.

==

19 de dezembro (sexta-feira) – 13h50
Hackers enviam mensagem para executivos da Sony

Os hackers por trás de um ataque cibernético devastador na Sony Pictures enviaram uma nova mensagem aos executivos da empresa, dizendo que foi uma decisão “muito sábia” cancelar o lançamento “A Entrevista“, disse uma à CNN. O e-mail foi recebido por altos executivos da Sony na quinta-feira à noite. A fonte disse que a empresa acredita que o e-mail era dos hackers porque seguiu um padrão de mensagens anteriores, enviadas para uma lista de determinados executivos e formatado de uma forma particular. Um porta-voz da Sony se recusou a comentar.

A mensagem hacker é efetivamente uma volta da vitória. Ele disseram:

Agora queremos que vocês nunca deixem o filme ser lançado, distribuído ou vazado de qualquer forma (DVD ou pirateado). E nós queremos que tudo relacionado ao filme, incluindo os seus trailers, bem como a sua sua página oficial, sejam retirados oficialmente do ar. Nós ainda temos dados privados da empresa e, para garantir a segurança dos seus dados, vocês devem seguir as nossas instruções“.

O e-mail foi intitulado “Message from GOP”. Os hackers são conhecidos como Guardians of Peace (Guardiões da Paz).

==

18 de dezembro (quinta-feira) – 21h30
Cancelada a sessão de Team América

Apenas um dia após a Sony cancelar a estréia da comédia “A Entrevista”, a Paramount Pictures decidiu também cancelar a exibição de “Team America”. A Alamo Drafthouse, que tinha programado exibir o filme no lugar da comédia do Seth Rogen, teve que retirar as propagandas. Seria uma espécie de sátira-protesto da Alamo. A Paramount, com receio de haver represarias dos hackers, decidiu cancelar a “brincadeira”.

A empresa lamentou no Twitter.

==

18 de dezembro (quinta-feira) – 19h45
Paulo Coelho se oferece para comprar os direitos para distribuir ‘A Entrevista’ online

O escritor Paulo Coelho ofereceu à Sony a quantia de US$ 100 mil pelos direitos sobre a obra.

Vou postar (o filme) de graça no meu blog. Por favor, entre em contato comigo via Sony Pictures do Brasil“, disse o escritor brasileiro, em inglês, em sua conta no Twitter.

Criou-se um precedente terrível. É uma ameaça que dá resultados. É como se os terroristas tivessem ganho, e com terroristas não se negocia. Vivi intensamente a época do Salman Rushdie e ‘Os Versos Satânicos’, e aquilo era mais sério ainda. Decidiram publicar o livro, e o Salman pagou um preço alto. Livrarias foram incendiadas — disse o escritor, em referência à polêmica obra com conteúdo supostamente ofensivo à religião islâmica. — Existem valores de que você não pode abrir mão“, disse o autor ao Globo.

Coelho afirmou ter feito a oferta por “princípios”.

Sim, estou sujeito a ter o meu blog hackeado. Mas eu tenho valores. Daqui a pouco não vão poder fazer filmes sobre vários assuntos. Foram ameaças primárias, ainda por cima. A impressão é que a Sony está com medo. Estou disposto a pagar US$ 100 mil, deposito na conta deles na hora. Eles não vão lançar o filme em nenhum lugar do mundo de qualquer forma“, enfatizou.

No Twitter, Coelho completou:

A oferta para a Sony Pictures vale até as 12h desta sexta-feira. Vocês recuperam 0,01% do orçamento, e eu posso dizer ‘não’ para ameaças terroristas“.

O desenvolvimento do filme custou US$ 42 milhões, e a estimativa era de que lucrasse US$ 100 milhões.

==

18 de dezembro (quinta-feira) – 19h35
George R.R. Martin quer ceder a própria sala de cinema para exibir o filme

George R.R. Martin abriu as portas do cinema Jean Cocteau, de sua propriedade, no Novo México, para exibir o filme. Em seu blog, o autor dos livros da série “Game of Thrones” classifica a situação como “surreal”.

Essas corporações gigantescas, muitas delas poderiam comprar a Coreia do Norte com trocados, estão se recusando a exibir um filme porque Kim Jong-Un não quer ser ridicularizado?“, protesta o escritor.

O nível de covardia corporativa aqui me surpreende. Que bom que esses caras não estavam por perto quando Charlie Chaplin fez ‘O Grande Ditador’. Se Kim Jong-Un assusta, Adolf Hitler teria feito com que eles cagassem suas roupas de baixo“, completou, acusando a Sony de ceder às ameaças.

Existem milhares de pequenos cinemas independentes em todo o país, como o meu, que aceitariam de bom grado exibir ‘A Entrevista’, independentemente das ameaças da Coreia do Norte. Mas, em vez de transferir o filme para estes locais, a Sony cancelou a estreia, agendada para o Natal“, finalizou.

==

18 de dezembro (quinta-feira) – 19h25
Lançamento do filme ‘A Entrevista’ é cancelado no Brasil

A assessoria de imprensa da Sony disse que o lançamento do filme “A Entrevista” está suspenso no Brasil “até segunda ordem”.

==

18 de dezembro (quinta-feira) – 19h15
EUA tratam ataque cibernético contra Sony como problema sério de segurança nacional

Segundo a Reuters, a Casa Branca afirmou nesta quinta-feira que autoridades norte-americanas estão tratando um ataque cibernético contra a Sony Pictures como uma séria questão nacional de segurança e que o Conselho de Segurança Nacional do presidente do país, Barack Obama, está considerando uma resposta proporcional.

Funcionários de alto escalão de segurança nacional de Obama têm se reunido diariamente para tratar do ataque, que foi feito por um “ator sofisticado”, disse o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, a jornalistas. Mas Earnest afirmou que não estava em condições de confirmar que a Coreia do Norte foi responsável pelo ataque e disse que a investigação federal está avançando.

==

17 de dezembro (quarta-feira) – 23h45
Obama pede para as pessoas irem ao cinema

Em entrevista ao ABC News, o presidente dos EUA Barack Obama comentou sobre o ciberataque e fez uma recomendação:

“Bem, o ciberataque é algo muito grave. Estamos investigando, estamos levando a sério. Nós vamos estar vigilantes, se acharmos algo que consideramos sério e credível, então vamos alertar o público. Mas, por agora, a minha recomendação seria que as pessoas fossem ao cinema”.

Obama deu essa entrevista antes da Sony decidir cancelar o lançamento de “A Entrevista”.

Um alto funcionário norte-americano confirmou à CNN que Obama foi informado sobre o ataque a Sony e as ameaças contra os cinemas que exibissem “A Entrevista”, e confirmou que os Estados Unidos acreditam que a Coréia do Norte está, provavelmente, por trás do ataque.

==

17 de dezembro (quarta-feira) – 23h05
Mitt Romney pede pra Sony lutar e liberar “A Entrevista” na internet

Mitt Romney, candidato do Partido Republicano à presidência dos Estados Unidos na eleição de 2012, pediu para Sony não baixar a cabeça e lutar. Ele sugeriu que o estúdio lançasse “A Entrevista” online e que o público pudesse fazer contribuições de 5 dólares para ajudar no combate ao Ebola (?).

==

17 de dezembro (quarta-feira) – 22h50
A Sony não tem planos para lançar “A Entrevista” em DVD ou VOD

Segundo a Variety, a Sony não tem planos de lançar “A Entrevista” em nenhuma outra mídia. Isso inclui VOD (video on demand) ou DVD/Blu-ray.

==

17 de dezembro (quarta-feira) – 22h30
Cinema vai passar “Team América” no lugar de “A Entrevista”

A Alamo Drafthouse Cinema vai passarTeam America: Detonando o Mundo” (2004) no lugar de “A Entrevista”. Claramente é uma provocação a Coreia do Norte. No filme, Team America é uma equipe policial dos Estados Unidos que age em âmbito mundial, com a missão de proteger o planeta de ameaças e garantir sua estabilidade. Ao descobrir que um perigoso ditador está armazenando armas em seu país, uma equipe do Team America é enviada para combatê-lo.

==

17 de dezembro (quarta-feira) – 22h10
Aaron Sorkin diz que o cancelamento da estreia do filme é inconstitucional 

Aaron Sorkin (oscarizado roteirista de “A Rede Social” e criador de séries como “The West Wing” e “The Newsroom”) comentou sobre a notícia de que a Sony Pictures cancelou a estreia de “A Entrevista”, que estava programada para o Natal.

Hoje, os EUA sucumbiram a um ataque sem precedentes em nosso mais querido princípio fundamental da liberdade de expressão por um grupo de terroristas norte-coreanos que ameaçaram matar os espectadores a fim de parar o lançamento de um filme“, disse Sorkin.

Os desejos dos terroristas foram cumpridos em parte por pessoas facilmente distraídas pela imprensa norte-americana que escolheram acreditar em fofocas e especulações sobre uma história sem informações confiáveis. Uma história que estava se desenvolvendo bem na frente de seus olhos. Minhas mais profundas condolências vão para a Sony Pictures, Seth Rogen, Evan Goldberg e todos que trabalharam ‘A Entrevista’”, finalizou.

Sorkin tem sido crítico sobre a mídia estar liberando tudo sobre o vazamento das informações.

==

17 de dezembro (quarta-feira) – 21h53
Filme de Steve Carell que se passaria na Coréia do Norte é cancelado

Os ataques a Sony acabaram de resultar numa interferência em outros estúdios. Segundo o TheWrap, a New Regency Pictures acaba de cancelar o filme “Pyongyang”, que seria dirigido por Gore Verbinski (“Piratas do Caribe”) e estrelado por Steve Carell. O longa seria filmado na Coreia do Norte e estava sendo chamado de “paranoid thriller“.

O ator se manifestou no Twitter:

https://twitter.com/stevecarell/status/545360994923323392

==

17 de dezembro (quarta-feira) – 21h15
O ataque a Sony pode ser oriundo da Coreia do Norte

Segundo uma produtora da CNN, investigadores dos EUA confirmaram que a Coreia do Norte está por trás do ataque Sony. O anúncio oficial sairá amanhã.

O FBI não quis comentar sobre o assunto quando contatado pelo site Deadline. A CNN, CNBC e ABC News informaram que a polícia federal anunciará amanhã a sua avaliação sobre o ataque e quem são os responsáveis, que segundo especulações, foi orquestrado “a pedido de um governo estrangeiro“.

==

17 de dezembro (quarta-feira) – 20h03
É oficial! Sony cancela o lançamento de “A Entrevista”

Não demorou. Após as grandes redes de cinema confirmarem que não lançariam “A Entrevista“, foi a vez a Sony dar uma resposta final: a estréia do filme está oficialmente cancelada. As informações são da CNN.

Por conta da decisão da maioria dos nossos exibidores de não iriam exibir o filme ‘A Entrevista’, decidimos não avançar com a estreia planejada para 25 de dezembro. Respeitamos e entendemos a decisão dos nossos colegas, e, claro, compartilhamos totalmente de seu interesse primordial pela segurança de funcionários e dos espectadores“, afirmou a companhia.

Aqueles que nos atacaram roubaram propriedades intelectuais, e-mails pessoais e material sensível, e procuraram destruir o nosso espírito e a nossa moral, tudo para aparentemente impedir o lançamento de um filme de que não gostaram“, diz a nota oficial. “Estamos profundamente tristes com esse esforço descarado para suprimir a distribuição de um filme, e no processo prejudicar a nossa empresa, nossos funcionários e o público americano. Damos total apoio aos nossos produtores e ao seu direito de livre expressão.”

A première da costa leste dos Estados Unidos estava marcada para quinta-feira, no Sunshine Cinema, em Manhattan. Mas, nesta terça, após a divulgação das ameaças dos hackers, a Landmark, responsável por diversas salas de cinema do país, anunciou o cancelamento do evento. Seth Rogen e James Franco, protagonistas da comédia, também desmarcaram todos os eventos promocionais relacionados a “A Entrevista”, entre eles talk-shows de sucesso como “Late night with Seth Meyers” e “The tonight show starring Jimmy Fallon“.

==

17 de dezembro (quarta-feira) – 18h15
Grandes redes de cinema cancelam exibições de “A Entrevista”

As maiores redes de cinema dos EUA cancelaram a estreia de “A Entrevista” após ameaças de ataques terroristas dos hackers as redes que exibirem o filme. Segundo o The Hollywood Reporter, as três maiores redes em dos EUA – Regal Entertainment, AMC Entertainment, Cinemark e Carmike Cinemas – cancelaram a exibição do longa, assim como a Cineplex, a maior rede do Canadá.

Esses cancelamentos irão contribuir para uma perda monetária significativa para a Sony, que estava se preparando para lançar o filme no Natal. A Sony pode optar por lançar o filme on-line e on- demand, que tornou-se uma prática cada vez mais comum para ajudar filmes menores a fazer sucesso, mas que dificilmente traria a quantia de dinheiro que o estúdio esperava fazer em um amplo lançamento nos cinemas e durante o Natal. Em função dos cancelamentos, o site Deadline disse que a Sony também está cancelando toda a publicidade do filme na TV.

==

17 de dezembro (quarta-feira) – 15h33
Reddit passa a banir usuários que postam documentos da Sony

Moderadores do Reddit passaram a banir usuários que compartilhem documentos da Sony Pictures, vazados pelos hackers que invadiram o sistema do estúdio no início do mês. De acordo com os moderadores, os documentos obtidos ilegalmente violam os termos de uso do site, por divulgar informações pessoais de terceiros. O site também deletou posts antigos relacionados ao assunto e extinguiu um subreddit que não apenas discutia, mas hospedava e direcionava a sites que disponibilizavam os documentos confidenciais da Sony.

Segundo o jornal inglês The Guardian, o Reddit teria recebido uma segunda notificação, que pedia que os documentos postados no site fossem tirados do ar.

==

17 de dezembro (quarta-feira) – 14h44
Estreia em Nova York de ‘A entrevista’ é cancelada após ameaças

A estreia em Nova York do filme “A Entrevista” foi cancelada, e uma fonte disse que uma rede de cinemas havia suspendido planos para exibir o filme, após ameaças feitas pelo grupo de hackers.

Uma porta-voz da Landmark, que iria realizar a sessão de estreia do filme em sua sala no Lower East Side, em Nova York, na quinta-feira (18), disse por email que a exibição seria cancelada, mas não explicou os motivos. Executivos da Sony disseram aos donos de cinemas que não cancelariam a distribuição, mas acrescentaram que não teriam objeções se eles decidissem cancelar exibições, de acordo com uma pessoa familiar às discussões.

A Carmike Cinemas, operadora de 278 cinemas em 41 Estados, informou a Sony na terça-feira que não exibiria o filme, disse essa pessoa. Executivos da Carmike não estava disponíveis para comentários na noite de terça-feira, segundo um porta-voz. Um representante do Departamento de Segurança Nacional dos EUA e outras agências de segurança disseram que investigações não haviam encontrado nada concreto que pudesse significar uma ameaça.

Neste momento, não há inteligência de credibilidade que indique uma trama ativa contra cinéfilos dentro dos EUA”, disse o representante do departamento.

Departamentos de polícia em Los Angeles e em Nova York, no entanto, disseram estar considerando os alertas com seriedade. O governo da Coreia do Norte classificou o filme como um “disfarçado patrocínio do terrorismo, assim como um ato de guerra”, em uma carta ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

==

16 de dezembro (terça-feira)
Hackers ameaçam cinemas que exibirem comédia da Sony Pictures

Depois de ameaçarem as famílias de alguns funcionários, os hackers responsáveis por atacar a Sony Picutres prometeram organizar ataques terroristas. Os alvos seriam cinemas que exibirem o filme “A Entrevista”, segundo o alerta, divulgado junto a mais um vazamento de arquivos feito pelos Guardians of Peace (GOP).

Nós deixaremos claro para vocês o destino amargo ao qual devem ser condenados aqueles que buscam diversão no terror”, escreveram os invasores na mensagem, em um inglês.

A ideia dos criminosos parece ser atacar todas as primeiras sessões do filme, incluindo a de pré-estreia (ou première) organizada pela Sony. No texto, o grupo ainda faz uma menção ao dia 11 de setembro e pede para que todos mantenham distância de cinemas que exibirão o longa-metragem – e inclusive saiam de casa caso morem perto de um.

Investigações não confirmaram se o ataque veio de fato da Coreia do Norte, mas a insistência dos hackers com a película parece indicar ao menos uma identificação entre as duas partes. Um porta-voz da Sony Pictures foi contatado pelo Buzzfeed pouco após a divulgação da ameaça, mas uma resposta não veio de imediato. Rogen e Franco, no entanto, já cancelaram coletivas e eventos que participariam para divulgar o filme, segundo a Variety.

==

15 de dezembro (segunda-feira)
Sony é alvo dos primeiros processos

A companhia está sendo processada em uma ação coletiva por duas pessoas que se descreveram como ex-funcionários. Eles acusam a Sony de não proteger sua rede de computadores do ataque de hackers. Os autores da ação pedem compensação por danos, assim como serviços de monitoramento de crédito, seguro por roubo de identidade e outras assistências para qualquer ex ou atual funcionário norte-americano cujos dados foram comprometidos.

==

15 de dezembro (segunda-feira)
Sony exige que veículos parem de publicar informações

A Sony Pictures Entertainment disse a algumas empresas de notícias no domingo para pararem de publicar informações contidas em documentos roubados por hackers que atacaram a rede de computadores do estúdio no mês passado, disseram três grupos de mídia.

O The New York Times, o The Hollywood Reporter e a Variety publicaram matérias noticiando que cada um recebeu uma carta de David Boies, advogado da Sony, exigindo que as publicações parem de divulgar informações contidas nos documentos e os destruam imediatamente.

O estúdio “não consente com sua posse, análise, cópia, disseminação, publicação, carregamento, download ou qualquer uso” da informação, disse Boies na carta, segundo a reportagem do New York Times.

==

15 de dezembro (segunda-feira)
George Clooney ainda se abala com críticas

Entre os e-mails divulgados, outro que chama atenção é o que revela que George Clooney, um dos atores mais prestigiados de Hollywood, ainda se abala com críticas negativas a seus filmes. Clooney ficou incomodado a ponto de permanecer 30 horas seguidas sem dormir por conta dos comentários feitos por críticos a “Caçadores de Obras-Primas“, longa dirigido por ele, que contou, ainda, com Matt Damon, Bill Murray e Cate Blanchett no elenco. Em uma mensagem, Clooney diz que precisa de “proteção contra todas as críticas“.

==

15 de dezembro (segunda-feira)
Jennifer Lawrence ganhando um valor inferior ao dos protagonistas homens de “Trapaça”?

Novo vazamento de e-mails confidenciais de executivos da Sony revelou, entre outras informações, que Jennifer Lawrence receberia um percentual de lucros inferior ao de Christian Bale, Bradley Cooper e Jeremy Renner, seus companheiros no filme “Trapaça“, que recebeu dez indicações ao Oscar desse ano.

O e-mail foi enviado por Andrew Gumpert, presidente administrativo da Columbia Pictures, para Amy Pascal, co-presidente da Sony Pictures Entertainment. Nele, Gumpert diz que recebeu uma ligação de representantes de Jennifer Lawrence reclamando que seria injusto a atriz receber um percentual de lucros inferior ao dos homens do filme (7% contra 9% de Bale, Cooper e Renner). Amy Adams, que também estrelou o longa, estaria na mesma faixa de lucros de Lawrence. O percentual final de cada ator não foi revelado.

==

14 de dezembro (domingo)
Vaza uma prévia do roteiro de 007 – Spectre

O roteiro de “007 – Spectre”, novo filme do espião James Bond, com estreia prevista para novembro de 2015, vazou na internet no fim de semana, juntamente com uma troca de emails de executivos da Sony reclamando do fim da história, considerado “decepcionante”.

Segundo os produtores do filme, trata-se de uma versão antiga do roteiro, mesmo assim ele está sujeito à proteção de direitos autorais em todo o mundo. Em comunicado, a EON Productions, co-proprietária dos direitos autorais dos filmes de James Bond, prometeu “tomar todas as medidas necessárias para proteger os seus direitos contra as pessoas que roubaram o roteiro, e contra qualquer um que tentar tirar proveito comercial de propriedades confidenciais que sabem para ser roubadas”.

Apesar da ameaça de processo, o site Gawker, que obteve o roteiro, fez um resumo detalhado da história. “007 – Spectre” começou a ser filmado na semana passada e está sendo considerada a produção mais cara de todos os tempos, de acordo com documentos vazados anteriormente no ataque hacker.

==

13 de dezembro (sábado)
Ameaça no Natal

Os invasores prometeram divulgar “uma terrível surpresa de Natal que levará o estúdio de cinema ao pior episódio de sua história“. As informações são do New York Times e da Variety.

==

13 de dezembro (sábado)
Reveladas informações sobre Os Caça-Fantasmas 3

Novos emails vazados entre executivos da Sony Pictures indicam que o departamento jurídico do estúdio recomendou a abertura de um processo judicial para forçar Bill Murray a participar de “Os Caça-Fantasmas 3”. Segundo o Daily Beast, em um email do dia 31 de outubro de 2013 – quando Murray ainda se negava a participar da continuação e o projeto ainda não tinha se tornado um longa de equipe feminina – David Steinberg, diretor do departamento jurídico, sugeriu que um “litígio agressivo” fosse feito para garantir Murray no filme, mas de uma forma sigilosa para não ferir a reputação da Sony na mídia, contra um ator celebrado como Murray.

Hoje “Os Caça-Fantasmas 3” tem outra cara, sem o elenco original e com direção de Paul Feig, e em email do dia 8 de outubro deste ano o produtor Ivan Reitman diz à presidente da Sony Pictures, Amy Pascal, que:

O longa não será uma continuação dos filmes dos anos 80 e será totalmente original, com personagens completamente diferentes, e nosso trabalho é achar uma maneira esperta de conectar esse filme ao original, para que possamos aproveitar tudo o que era ótimo na franquia. O filme de Paul será o primeiro [de uma nova série] e pelo que tenho ouvido Jennifer Lawrence, Emma Stone, Melissa McCarthy, Amy Schumer e Lizzy Caplan, só para citar algumas [atrizes] já disseram que querem participar”.

==

13 de dezembro (sábado)
Presidente da Sony esculacha Leonardo DiCaprio

Entre as informações que vazaram no sábado (13), uma troca de e-mails em que a presidente da empresa, Amy Pascal, chama Leonardo DiCaprio de “desprezível” por ter desistido de interpretar um papel em novo filme sobre Steve Jobs. “Comportamento horrível“, escreve o produtor Mark Gordon, que recebe a resposta de Amy: “Na verdade, desprezível“.

==

12 de dezembro (sexta-feira)
E-mails vazados comprovam negociações entre a Sony e o Marvel Studios sobre Homem-Aranha

Segundo o The Wall Street Journal, as mensagens trocadas entre Amy Pascal, dirigente da Sony, Kaz Hirai, CEO da Sony, e Bob Iger, CEO da Disney, comprovam os rumores de que a Casa das Ideias estaria em negociações para integrar o Homem-Aranha ao seu universo cinematográfico, mais especificamente em “Capitão América: Guerra Civil”. Uma das possibilidades seria a Marvel produzir uma nova trilogia do Homem-Aranha, dando para a Sony Pictures “o marketing e a distribuição“. Essas negociações, porém, não foram para frente e a Sony decidiu seguir com os seus planos para o personagem.

De acordo com o Latino Review, o acordo entre a Sony e a Marvel ainda pode acontecer. Uma reunião marcada para janeiro pretende definir o futuro da franquia de “O Espetacular Homem-Aranha”. Informações anteriores diziam que as negociações com a Marvel seriam retomadas caso o filme do Sexteto Sinistro fracasse nas bilheterias. Ainda de acordo com o site, o impasse nas negociações entre os estúdios seria o controle criativo, já que a Marvel não estaria disposta a usar o universo criado nos filmes de Marc Webb. Andrew Garfield também ficaria de fora da nova versão. A ideia seria usar o personagem na adolescência, tirando o foco dos pares românticos e das histórias de origem.

As mensagens de Amy Pascal também revelaram que a executiva conversou com Joe e Anthony Russo, a dupla de irmãos que dirigiu “Capitão América 2” e vai comandar “Capitão América 3: Guerra Civil”. A ideia de Pascal seria ter a dupla também no comando de algum filme da franquia Homem-Aranha.

Outra informação sobre a relação da Sony com o Homem-Aranha é que, de acordo com o /Film, Pascal teria entrado em contato com Sam Raimi, buscando a ajuda do diretor da trilogia original de Peter Parker. Foi debatida a possibilidade de Raimi voltar como diretor ou produtor.

==

12 de dezembro (sexta-feira)
Sony planeja uma animação de Super Mario Bros.

Outra revelação nos e-mails hackeados é que a Sony quer fazer uma animação de Super Mario Bros., maior símbolo da empresa de games Nintendo.

Sou o pai orgulhoso do filme animado de Mario“, diz o produtor Avi Arad à chefe da Sony Pictures, Amy Pascal, em um email de 23 de outubro de 2014. Na mesma conversa, Arad encaminha imagens dele com o criador de Mario, Shigeru Miyamoto, e o CEO da Nintendo, Satoru Iwata.

O fato é que a Sony tem os direitos do personagem.

==

11 de dezembro (quinta-feira)
Crossover entre Anjos da Lei e Homens de Preto?

Segundo o The Hollywood Reporter, em e-mails vazados foi revelado que o estúdio estudava a possibilidade de um crossover entre as franquias “Anjos da Lei” e “Homens de Preto”. Jonah Hill, uma das estrelas de “Anjos da Lei”, e Amy Pascal, presidente da Sony, teriam discutido a ideia, apesar de não existir um roteiro ou uma aprovação para o filme.

As mensagens entre Hill e Pascal dizem que Will Smith e Tommy Lee Jones, de “Homens de Preto”, não estariam envolvidos no crossover. Steven Spielberg, produtor dos três longas da franquia, teria sido procurado, mas não houve uma resposta. O crossover expandiria o universo de “Anjos da Lei”, enquanto poderia servir de reboot para Homens de Preto, segundo a publicação.

==

11 de dezembro (quinta-feira)
Após vazamento por ataque hacker, presidente da Sony pede desculpas por e-mails polêmicos

A co-presidente da Sony Pictures Entertainment, Amy Pascal, emitiu um pedido de desculpas, devido à revelação de uma troca de e-mails vazados entre ela e o produtor Scott Rudin. O conteúdo das mensagens foi considerado insensível e polêmico.

O conteúdo dos meus e-mails para Scott eram insensíveis e inadequados, mas não são um reflexo preciso de quem eu sou. Embora se tratasse de uma comunicação privada, que foi roubada, eu aceito a responsabilidade total pelo que escrevi e peço desculpas a todos que se sentiram ofendidos“, escreveu Pascal.

A troca de e-mails, que fez parte de um divulgação massiva de documentos da Sony, após um ataque de hackers, discutia coisas como o interesse do presidente americano, Barack Obama, em filmes com elencos negros. Rudin sugeriu que o presidente poderia gostar especialmente do comediante negro Kevin Hart.

Será que ele gostaria de financiar alguns filmes?”, escreveu Rudin, referindo-se ao presidente. “Eu duvido. Eu devo perguntar a ele se gostou de Django?”, respondeu Rudin, citando outros filmes estrelados por americanos negros.

No começo da quinta-feira, Rudin emitiu seu próprio pedido de desculpas.

E-mails privados entre amigos e colegas, escritos às pressas e sem pensar muito, mesmo quando o conteúdo deles é para ser em tom de brincadeira, podem resultar em ofensa onde não havia a intenção“, disse ele. “Eu fiz uma série de observações que foram feitas apenas para serem engraçadas, mas na luz fria do dia, elas são de fato impensadas e insensíveis e não é engraçado para quem eu ofendi, eu estou profundamente arrependido, e lamento. Peço desculpas por qualquer dano que possa ter causado”, completou. As informações são do The Hollywood Reporter.

==

11 de dezembro (quinta-feira)
CEO da Sony ordenou que filme “A Entrevista” fosse atenuado

O presidente-executivo da Sony, Kazuo Hirai, determinou que o filme “A Entrevista” fosse deixado mais moderado depois que a Coreia do Norte o denunciou por exibir o assassinato do líder norte-coreano, segundo emails vazados. Segundo emails que compreendem um período desde agosto até outubro e foram obtidos pela Reuters, Hirai pediu à copresidente do Conselho da Sony Pictures Entertainment, Amy Pascal, que uma importante cena do filme fosse mudada. A cena em questão mostra Kim sendo atingido por um projétil de um tanque, o que faz com que sua cabeça exploda.

Pascal escreveu para Hirai dizendo que havia encontrado resistência dos criadores do filme, incluindo Seth Rogen, que escreveu e codirigiu o longa. Um representante da Sony disse à Reuters que Hirai raramente analisa cenas específicas em filmes.

A Coreia do Norte reclamou à Organização das Nações Unidas (ONU) em julho, acusando os Estados Unidos de patrocinar o terrorismo e cometer um ato de guerra ao permitir a produção do filme. Em conversa com Rogen, Amy Pascal disse que ela estava em uma posição difícil, pois Hirai pediu que fizesse mudanças no filme.

E esse não é qualquer um. Estou lidando é com o presidente do Conselho de toda a Sony Corporation“, disse Amy.

Rogen respondeu prometendo remover três de quatro marcas de queimadura do rosto de Kim, e reduzir o “cabelo em chamas” em 50 por cento. Mas ele disse não poder atender a todas as demandas.

A explosão da cabeça não pode ser mais disfarçada do que já está, pois honestamente acreditamos que se for mais disfarçada, ninguém conseguirá perceber que está explodindo e a piada não vai funcionar“, disse ele.

==

10 de dezembro (quarta-feira)
E-mails vazados revelam imbróglio por trás de “Jobs” e xingamentos a Angelina Jolie

Um vazamento de e-mails entre executivos da Sony Pictures revelou a problemática história por trás da cinebiografia sobre Steve Jobs, recentemente vendida para a concorrente Universal por US$ 30 milhões. A troca de mensagens, obtidas pelo site Gawker, também coloca no meio do fogo cruzado o nome de Angeline Jolie, que chega a ser chamada de “criança mimada”.

Nos e-mails, o produtor Scott Rudin tenta convencer a presidente da Sony, Amy Pascal, a cancelar um projeto de Angelina Jolie sobre a rainha Cleópatra. A conversa dá a entender que a atriz gostaria de delegar ao cineasta David Fincher a direção do filme. Na época, Fincher estava escalado para comandar a cinebiografia sobre o chefão da Apple e até Tom Cruise foi sugerido como possível intérprete do personagem.

É melhor você calar a Angie (Angelina Jolie) antes que ela dificulte o trabalho de David (Fincher) em ‘Jobs’“, pede Rudin a Rascal num e-mail datado de fevereiro deste ano. “Não há filme sobre a Cleópatra para ser feito (e como isso pode ser uma coisa ruim, considerando a insanidade e o ego mimado dessa mulher?). Eu tenho zero vontade de lidar com a indulgência de crianças mimadas“, acrescenta ele em outra mensagem.

Pascal chega a comparar a agressividade do produtor a “ameaças”, e a partir daí, durante vários meses, os dois passam a se desentender cada vez mais.

Tentei resolver as coisas com a Universal, mas, só para deixar claro, estou cansado de te defender, uma vez que você não merece sequer uma exalação de respiração“, dispara Rudin a Pascal, ainda segundo o “Gawker”.

Pascal, a presidente da Sony, sugere, então, o cancelamento da parceria entre a Sony e o produtor Rudin — um lucrativo acordo existente há mais de 30 anos que resultou em produções como “A Rede Social”.

==

10 de dezembro (quarta-feira)
Ataque contra a Sony Pictures deve custar US$ 100 milhões

O estúdio pode arcar com um prejuízo de dezenas de milhões de dólares gerado pelo grande ciberataque contra suas operações e que expôs dados sensíveis. A opinião é especialistas em segurança digital. A conta será menor, porém, que os US$ 171 milhões estimados pela Sony após a invasão da PlayStation Network em 2011, porque o ataque mais recente não parece ter envolvido dados de consumidores, afirmaram os especialistas.

Os principais custos gerados pelo ataque hacker incluem a investigação do ocorrido, manutenção ou substituição de computadores e medidas para bloquear futuras invasões contra os sistemas da companhia. A perda de produtividade durante a interrupção dos sistemas também deve ser somada à conta de custos.

Normalmente, as pessoas superam isso, mas isso tem um efeito de curto prazo“, disse Jim Lewis, membro sênior do Centro para Estudos Estratégicos e Internacionais, que estimou perdas de US$ 100 milhões de dólares para a Sony.

==

09 de dezembro (terça-feira)
The Pirate Bay e outros sites saem do ar

O The Pirate Bay, o maior site de Torrent da internet, saiu do ar. Não só ele, mas o EZTV (o maior agregador de Torrents de seriados) também ficou offline. Ao que tudo indica, aconteceu um ataque surpresa da polícia em um data center em Nacka, Estocolmo. O site estava se escondendo por trás das leis relativamente liberais da Suécia, mas isso não impediu a ação das autoridades. A polícia sueca confirmou ao TorrentFreak que alguns servidores foram apreendidos no âmbito de uma ampla operação envolvendo propriedade intelectual.

Aconteceu uma ofensiva em uma sala de servidores na Grande Estocolmo. Isto está ligado a violações de direitos autorais”, dizia um comunicado de Paul Pintér, coordenador nacional da polícia para defesa de propriedade intelectual.

Ao que tudo indica, a ação da polícia não está relacionada ao ataque a Sony, mas ao mesmo tempo que quase 40 Gigabytes começaram a ser vazados em sites de Torrents, alguma conexão foi sugerida pelos usuários da internet.

==

08 de dezembro (segunda-feira)
Hackers ameaçam funcionários da empresa

Os hackers responsáveis pelo ciberataque à Sony ameaçam agora os empregados da empresa, informou a edição digital da revista Variety. O autor, que afirma ser o líder do grupo Guardians of Peace, diz que seu objetivo é acabar com a existência da companhia. Na mensagem, ordena os trabalhadores a se opor às ações da Sony caso não queiram “sofrer danos“.

Se não o fizerem, não apenas vocês, mas também seus parentes estarão em perigo. Eliminar a Sony Pictures da face da Terra é um trabalho muito pequeno para o nosso grupo, que é uma organização mundial. O que fizemos até agora é uma pequena parte de nosso plano“, diz o e-mail.

Após o ataque de 24 de novembro, a informação também apareceu em plataformas como o BitTorrent, apesar dos esforços do estúdio para eliminar os dados da rede.

==

08 de dezembro (terça-feira)
Hackers mandam Sony não distribuir “A Entrevista”

Os hackers do grupo Guardians of Peace (GOP) fizeram pela primeira fez uma demanda ligada ao filme de comédia “A Entrevista“, que trata de um plano para o assassinato do líder norte-coreano Kim Jong-un.

Parem a distribuição do filme de terrorismo que pode acabar com a paz regional e causar guerra“, diz a nota do grupo publicada na segunda (8).

Um e-mail recebido pela Sony no dia 21 de novembro e que está em um novo pacote de dados vazados mostra que os hackers teriam exigido uma compensação financeira por “danos”.

A Sony sabe quais são as nossas demandas“, escreveram os hackers no comunicado, aparentemente em referência a essa ameaça.

A Coreia do Norte tem uma posição oficial crítica em relação ao filme “A Entrevista” e, por isso, há suspeitas de envolvimento norte-coreano no ataque à Sony desde o anúncio público da invasão. O país asiático nega qualquer envolvimento, mas considera a ação “justa”, segundo uma reportagem da BBC. O texto dos hackers diz ainda que eles desconhecem as supostas ameaças recebidas por funcionários da Sony durante o fim de semana.

A mensagem do GOP traz links para pacotes de dados sensíveis da Sony já divulgados pelo grupo e também um novo pacote contendo as caixas de e-mail de dois executivos da empresa, Amy Pascal e Steve Mosko. De acordo com uma reportagem da ComputerWorld, um e-mail presente na caixa de Amy contém uma ameaça de extorsão. A mensagem pede que a Sony pague uma quantia não especificada em dinheiro para “compensar danos”.

Pague pelos danos ou a Sony será completamente bombardeada“, diz a ameaça.

O e-mail, datado do dia 21 de novembro, não menciona o GOP e está assinado como “God’sApstls“. Esse nome foi identificado pela fabricante de antivírus Symantec dentro do Destover, o código de destruição usado pelos invasores. É a primeira vez que um registro público aponta a existência de qualquer demanda financeira por parte do grupo hacker.

==

07 de dezembro (domingo)
Coreia do Norte nega envolvimento

A Coreia do Norte disse que seus “apoiadores e simpatizantes” podem ter realizado o ataque, mas negou envolvimento do governo. Autoridades de Pyongyang (capital do país) vem descrevendo o filme “A Entrevista” como um “ato de terrorismo”. O filme deve ser lançado internacionalmente no período natalino.

Um artigo publicado pela agência de notícias estatal KCNA, citando fontes do principal órgão militar do país, diz que as sugestões de que o governo da Coreia do Norte está envolvido no ataque são apenas rumores. Investigadores envolvidos na apuração do caso teriam dito que ferramentas de ataques cibernéticos já realizados pela Coreia do Norte teriam sido usadas na ação contra a Sony.

==

05 de dezembro (sexta-feira)
Dados começam a ser vazados

Um pacote contendo mais de 40 Gigabytes de dados da Sony foi colocado na web por hackers que invadiram os sistemas da empresa na semana passada. O arquivo inclui uma pasta chamada “senhas” contendo várias senhas da empresa, o roteiro de um piloto escrito pelo criador de “Breaking Bad”, registros médicos de funcionários e informações sobre salários e vendas.

O site BuzzFeed realizou uma análise do pacote de informações, encaminhado a diversos veículos de imprensa pelos hackers. Os criminosos dizem ter em mãos pelo menos 100 Terabytes de dados da empresa e pretendem colocar tudo na web, mas ainda não sabem como distribuir um volume tão grande. As senhas encontradas no pacote dão acesso tanto a serviços internos da Sony como a sites como YouTube, Facebook, Twitter e MySpace. Dados de funcionários vazados incluem negociações de salário e detalhes sobre licenças médicas, bem como o número de segurança social, que funciona como um CPF nos Estados Unidos.

==

04 de dezembro (quinta-feira)
Coreia do Norte é a fonte do ataque?

Investigadores encontraram ligações do ataque com a Coreia do Norte. Foram achadas ferramentas de ataques eletrônicos similares às usadas pelo país em investidas anteriores contra a Coreia do Sul. O ataque iniciado em 24 de novembro aconteceu um mês antes da Sony lançar o filme “A Entrevista“, uma comédia com James Franco e Seth Rogen como dois jornalistas recrutados pela agência de inteligência norte-americana, a CIA, para assassinar o líder norte-coreano, Kim Jong Un (foto).

O governo de Pyongyang denunciou o filme como um “patrocínio sem disfarces de terrorismo, como também um ato de guerra“, em carta ao Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, em junho.

==

03 de dezembro (quarta-feira)
Sony ainda tenta se recuperar…

Alguns funcionários da unidade de entretenimento da Sony receberam novos computadores para substituir os que foram atacados com um vírus que rouba dados e incapacitou suas máquinas, segundo uma pessoa com conhecimento das operações da empresa. Em um comunicado enviado a funcionários, os chefes do estúdio de Hollywood, Michael Lynton e Amy Pascal, reconheceram que “uma grande quantidade de dados confidenciais da Sony Pictures Entertainment foi roubada pelos autores do ataque, incluindo informações pessoais e documentos de negócios“.

==

02 de dezembro (terça-feira)
FBI gera alerta para malware ‘destrutivo’

O FBI alertou empresas dos EUA de que hackers lançaram um ataque destrutivo com ajuda de um software malicioso, após uma invasão grave contra as redes dos estúdios da Sony. Especialistas em segurança de computadores afirmaram que o software descrito no alerta do FBI se parece com aquele que atingiu a Sony e que foi considerado como o primeiro grande ciberataque destrutivo promovido contra uma companhia em território norte-americano. Tais ataques têm sido lançados na Ásia e Oriente Médio, mas nenhum tinha sido reportado até agora nos Estados Unidos. O alerta do FBI não informou quantas companhias foram vítimas dos ataques destrutivos.

Eu acredito que um ciberataque coordenado com cargas destrutivas contra uma corporação nos EUA representa um evento marco. A geopolítica agora serve como prenúncio de ciberataques destrutivos”, disse Tom Kellermann, diretor de cibersegurança da produtora de software de proteção Trend Micro.

O alerta do FBI afirma que o malware sobreescreve todos os dados em discos rígidos de computadores, incluindo o registro de inicialização das máquinas, o que impede que os equipamentos sejam ligados.

Isso torna extremamente difícil e custoso, se não impossível, recuperar dados usando métodos padrão“, afirma o comunicado do FBI.

O FBI enviou o alerta após o ataque sem precedentes contra a Sony, que fez o email corporativo da companhia ficar fora do ar por uma semana e deixou outros sistemas danificados. Uma porta-voz da Sony informou que a companhia “restaurou um número de importantes serviços” e que está “trabalhando de perto com autoridades para investigar o assunto“.

==

01 de dezembro (segunda-feira)
Mandiant entra na jogada

A Sony contratou a Mandiant, uma empresa que ajuda vítimas de invasões a identificar a extensão de ataques, limpar redes e restaurar sistemas, para trabalhar no grande ataque eletrônico que derrubou os computadores do estúdio há uma semana. O FBI também está investigando o incidente. Técnicos estão conseguindo avanços nos reparos dos danos causados pelo ataque e esperavam ter os sistemas de email novamente online na segunda-feira (1º).

==

28 de novembro (sexta-feira)
Os dados começam a ser vazados

Na sexta-feira (28) estes filmes foram “vazados” na internet, sendo que alguns deles nem estrearem nos cinemas norte-americanos. São eles: “Corações de Ferro” (filme de guerra com o Brad Pitt), “Annie” (musical com Jamie Foxx, Quvenzhané Wallis e Cameron Diaz), “Para Sempre Alice” (drama com Julianne Moore e Kristen Stewart), “To Write Love On Her Arms” e “Mr. Turner”.

Segundo o site Torrent Freak, o filme do Brad Pitt foi um dos mais pirateados daquela semana: foi baixado mais de 1,2 milhão de vezes até meio dia de domingo (30).

O roubo de conteúdo da Sony Pictures Entertainment é um assunto criminal, e nós estamos trabalhando próximos às forças da lei às quais direcionamos esse assunto”, afirmou em comunicado um porta-voz da Sony ao site da revista Variety.

==

24 de novembro (segunda-feira)
Sony Pictures é hackeada

Na última semana de novembro um ataque hacker foi realizado por um grupo autointitulado Guardians of Peace (Guardiães da Paz) e deixou os sistemas do estúdio Sony Pictures desconectados. As telas dos computadores do estúdio exibiam uma caveira e a mensagem “Hacked by #GOP”. Durante a ação, porém, cópias para DVD de pelo menos cinco filmes foram feitas.

Jurandir Filho
@jurandirfilho

Compartilhe


Notícias Relacionadas


  • Diogo

    Universidade bematech com br no final do aviso!

  • Samuel

    Arre égua mah, tava doido pra ver o filme :/

  • Don Ramon

    Palhaçada gigante

  • Fim de um grande estúdio é exagero, mas esse ataque pode começar a mudar muita coisa não só na Sony, mas em todas as produtoras.
    Cancelar um lixo como “A Entrevista” não quer dizer muita coisa.

    • Michelle Araújo Silva

      Se o filme é um lixou ou não, é irrelevante. O que é relevante é uma nação ditatorial querer impor – sob ameaças de terrorismo – o que um país democrático deve passar ou não nas suas salas de cinemas.

      Se o ditador norte-coreano quer limitar os meios de comunicação e censurar a cultura no país, o problema é dele. Agora querer censurar a cultura em um país democrático que não é governado por ele é ultrapassar todos os limites do bom senso e do aceitável.

      Esse ato da Coreia do Norte abre um precedente abominável, onde qualquer país que não seja democrático se ache no direito de querer censurar qualquer filme que eles achem ofensivos em qualquer país sob ameaça de terrorismo.

  • Lucas

    O ministério do cinema adverte: Fazer filme de Maomé, ou agora desse bebezão gordo e mimado do Kim Jong Un, causa risco de explosão.

  • Luis Fernando Mendes

    Palhaçada mesmo…

  • Excelente trabalho reunindo esse material Juras. Obrigado !

  • Marcelo Abdul

    Trabalho fantástico Juras. Os norte coreanos venceram. Os americanos agora são pautados por ameaças e não tem o menor pudor de destruir a liberdade de expressão que eles tanto propagam em sua Constituição. A Sony foi covarde e o governo do Obama tomou fumo mais uma vez.

  • Arthur Henrique

    Mas já cancelaram o filme?

  • Que absurdo!!! Como disse o Carrel ‘Um triste dia para expressão criativa’!!!
    Pior disso tudo é ver um nação sucumbindo ao medo…

  • ciromessias

    O que reforça a ideia de que a Coréia do Norte deve ser temida sim, embora o ocidente conheça muito pouco sobre o país. Só acho que o hype que o filme vai alcançar agora, não vai demorar muito vai ser vazado também. #oremos

  • Keilla Teixeira

    Toda essa história sinistra daria uma puta filme. Ou documentário.

    Parabéns pro Juras pelo excelente trabalho reunindo todas essas infos.

  • Anna Carolina

    Excelente trabalho Juras!! Já estava perdida com tantos acontecimentos, ajudou a entender. 🙂
    Se vocês puderem, sugiro um rapaduracast sobre este tema, para debater/pontuar todos esses ataques, até onde isso pode chegar, quais os prejuízos, quem seriam os mais prejudicados, se a arte deve ficar “com medo” e não deve investir em produções polêmicas, se ainda há liberdade de expressão no cinema, e por aí vai!

  • Anderson Lima

    Por um lado, ridículo o cancelamento do filme.
    Por outro, dá para entender a preocupação dos norte americanos com possíveis ataques.
    Coréia do Norte – se realmente for a responsável por tudo isso – venceu dessa vez!

  • Vinicius Siviero

    Muito bom Juras, parabéns! Só seria melhor se tivesse um rapaduracast sobre isso.

    • Isaac

      Tava pensando exatamente isso, chama o Siqueira, Giggio, Erinaldo, PH e o Barretão (que trabalha na área e conhece todos os podres), daria um bom assunto.

    • miguel

      Tem muita coisa acontecendo ainda. Se fizesse um cast agora em pouco tempo já ia ficar datado.

    • Welyab Paula

      Um paradurazinha seria legal.

  • Vitor Urubatan

    Caraca estava acontecendo essa doideira e nem sabia.

    Ficaria mais espantado se fosse do estado islâmico.

  • leoleonardo85

    Lembro que em um rapaduracast o Barreto citou que a Sony Pictures era uma empresa grande demais para ser comprada.

    Vendo esse escândalo agora, tenho minhas duvidas se ela vai continuar existindo.

  • Bruno

    Levei muito tempo pra perceber que alinha do tempo está ao contrário…
    Tem que ir até o final pra ler?

    • A novidade tem que ficar em cima!

      • Bruno

        Sem problemas, voltei pra me atualizar.

  • Isaac Harrison

    A Sony vacilou legal, agora que eles cancelaram a estréia por essas ameaças,vai ter o precedente de poder ameaçar qualquer outro lançamento e ó, eles tomam no C*, se eu fosse da Sony eu liberava o filme na net de GRÁTIS, como resposta de um bom FODA-SE pra esses hackers.

  • miguel

    Orgulho Georginho Martin boladão.

  • Renan Tobias

    Cara… Ótimo artigo. Coloquei nos favoritos. Abraço.

  • Vinicius Marinho

    Olha, a $ony merece se estrepar mesmo, só ideias ruins, de grife $ony virou apenas mais uma, só se salva pela linha de video-games, de resto não presta para nada.

  • enio

    Eu acho que não passa de uma grande campanha. Não pasmem se no dia 25 este filme estiver em cartaz.

  • Brasílio da Silva

    Jurandir Filho você já viu o David Fincher falando mal do ator que vai estar no Star Wars 7,

    http://www.businessinsider.com/david-fincher-star-wars-adam-driver-sony-email-2014-12

  • Rodrigo

    Esses e-mails ofensivos comprovam o realismo do que foi retratado na série Entourage, dos bastidores da indústria Cinema/TV.

  • Francisco Franco

    Parabéns Sony, conseguiu um marketing tremendo para um filme lixo.

  • Guilherme

    Cara de filme no máximo meia-boca, como quase todos que já vi em que estava o Seth Rogen…
    Não estranharia se tanta polêmica não foi apenas mera tentativa de promover um filme, que não conta com elementos suficientes dentro dele para realizar essa tarefa.