Colunas   quarta-feira, 29 de março de 2017

7 grandes atores marcados por papéis estereotipados em Hollywood

Confira a lista de atores que ficaram marcados por papéis estereotipados no cinema, mas que na verdade têm grandes talentos.

Quando se trata do mundo profissional, não há nada mais triste do que ver grandes talentos serem desperdiçados. Ainda mais em Hollywood, onde popularidade e sucesso nem sempre estão ligados à trabalhos bem feitos. Muito pelo contrário. Dentro de uma indústria que objetifica seus atores e valoriza excessivamente seus dramas pessoais, criar uma filmografia diversificada e ao mesmo tempo respeitável, acaba ficando em segundo plano muitas vezes.

Com isto em mente, o Cinema com Rapadura decidiu homenagear grandes atores do cinema norte-americano que, por um motivo ou outro, acabam tendo dificuldade em sair da zona de conforto e estão presos a papéis estereotipados que “pagam as contas”. Confira os nomes:

Nicolas Cage

Não, não é uma piada. Pode até ser que, atualmente, o grande talento do ator seja estampar memes hilários pelas redes sociais, afinal, como defender ou justificar suas participações em filmes como “O Sacrifício”, “Presságio”, “Motoqueiro Fantasma” e “O Apocalipse”? É difícil acreditar, mas há quem ainda se lembre das grandes atuações deste que se tornou o maior “tiozão” de Hollywood na Internet.

Prova disto está na interpretação de Ben Sanderson, em “Despedida em Las Vegas”, pelo qual venceu o Oscar de Melhor Ator, em 1996. Há também “Adaptação”, de 2003, filme em que trabalhou com os renomados Spike Jonze (diretor) e Charlie Kaufman (roteirista), além de dividir a tela com Meryl Streep e Tilda Swinton. Por esta produção, ele recebeu sua segunda indicação ao Oscar. Outros filmes em que Nicolas Cage roubou a cena incluem: “Coração Selvagem”, de David Lynch, “A Outra Face”, de John Woo, e “Arizona Nunca Mais”, dos irmãos Coen.

Sandra Bullock

A eterna Miss Simpatia já estava em nossos corações muito antes de levar para casa o Oscar de Melhor Atriz, por “Um Sonho Possível”, em 2010. Desde então, a vida ficou mais fácil para Bullock, que em 2014, esteve novamente cotada para ganhar a cobiçada estatueta, pelo elogiado trabalho em “Gravidade”. Mas se o carisma de Bullock sempre foi indiscutível, o mesmo não pode se dizer sobre sua capacidade de escolha de bons papéis.

Filmes como “Amor à Segunda Vista”, “Forças do Destino” e “Enquanto Você Dormia” são bonitinhos, mas nos fizeram questionar se um dia ela chegaria lá. E mesmo com o prêmio máximo do cinema mundial no currículo, Bullock ainda dá sinais de que pode escorregar a qualquer momento e voltar aos velhos hábitos. Afinal, ela conseguiu aquilo que nenhum outro ator na história jamais alcançou: vencer o Oscar e o Framboesa de Ouro (este último por “Maluca Paixão”, uma péssima comédia romântica) no mesmo ano.

Tom Cruise

Tom Cruise é famoso por tantos motivos além da carreira como ator, que é até difícil decidir por onde começar. Seja por sua bela aparência, pelo estrelado casamento com Nicole Kidman, pelo surto apaixonado no programa de Oprah Winfrey quando começou a namorar Katie Holmes ou seja pela controversa devoção à Cientologia. Com tanta bagagem na vida pessoal, onde entram os filmes? Não há como negar que Cruise se tornou, ao longo dos anos, um dos maiores astros de filmes de ação de Hollywood. Mas, olhando sua filmografia, é possível encontrar alguns tesouros escondidos que o tiraram da zona de conforto e o colocam entre os grandes atores de sua geração.

As maiores provas da versatilidade como ator de Tom Cruise podem ser vistas em “Magnólia”, de Paul Thomas Anderson, “Trovão Tropical”, de Ben Stiller, “Jerry Maguire: A Grande Virada”, de Cameron Crowe, “Minority Report: A Nova Lei” e “Guerra dos Mundos”, ambos de Steven Spielberg, “Nascido em 4 de Julho”, de Oliver Stone, “De Olhos Bem Fechados”, de Stanley Kubrick e “Colateral”, de Michael Mann.

Angelina Jolie

Jolie é um daqueles clássicos casos de mulheres que ganharam fama por conta dos acontecimentos na vida pessoal e por conta disso, tiveram dificuldade em ser levadas a sério pela indústria. Por onde passou, Jolie sempre atraiu muita atenção. Logo no início, pelo casamento excêntrico com Billy Bob Thornton, seguida pelo conturbado início de relacionamento com Brad Pitt, envolvendo um triângulo amoroso com Jennifer Aniston. Isso sem falar dos debates incessantes sobre sua aparência.

Apesar de uma lista extensa em papéis desastrosos, principalmente em filmes de ação, em que parecia se apoiar mais em sua beleza do que em talento, Jolie aproveitou algumas poucas oportunidades para deixar seu recado e mostrar que pode, sim, brilhar nas telonas. E se existe uma grande performance na carreira de todo ator, na de Jolie, com certeza,  é o seu trabalho como Lisa em “Garota, Interrompida”, pelo qual ganhou o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante, no ano 2000. Quase uma década depois, ela voltou a receber boas críticas pela aclamada atuação em “A Troca”, de Clint Eastwood, quando foi novamente indicada ao Oscar. Recentemente, ela deixou a carreira como atriz um pouco de lado e se dedica mais à causas humanitárias e ao trabalho como diretora.

Jim Carrey

Jim Carrey está longe de ser considerado um ator ruim, mas, em Hollywood, para ser levado a sério, é preciso ir muito além de grandes papéis na comédia, como é o caso dele. Não é à toa que Carrey surpreendeu a todos quando entregou uma bela atuação dramática em “Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças”, de Michael Gondry, pela qual é aclamado até os dias de hoje. Outro exemplo da versatilidade de Carrey pode ser visto em “O Show de Truman”, de Peter Weir.

Mas para quem quiser ver o ator naquilo que ele faz de melhor, clássicos da comédia como “O Mentiroso”, “O Máscara”, “Todo Poderoso”, “O Mundo de Andy” e “Eu, Eu Mesmo e Irene” são indispensáveis.

Melissa McCarthy

Melissa McCarthy tem sido um fenômeno em Hollywood, nos últimos seis anos. Desde que interpretou Megan, em “Missão Madrinha de Casamento“, sua popularidade só aumenta e dois anos depois, foi da comédia para a ação, com o filme “As Bem Armadas“. Em 2016, participou do reboot de “Os Caça-Fantasmas“. Não importa o gênero, McCarthy faz sucesso estrondoso nas telonas. O problema é que, seja qual for o longa, o personagem dela é sempre o mesmo: a mulher audaciosa que gera humor sendo desbocada. O que, convenhamos, ela faz muito bem.

Por mais divertida que seja nos personagens caricatos que interpreta, McCarthy tem potencial para ir muito além, é só uma questão de receber um papel com mais camadas a se explorar. Afinal, quem não se lembra da adorável Sookie St. James, de “Gilmore Girls“? Sookie sim era uma personagem única e entusiástica, que nos fazia rir sem precisar reduzir o personagem a um estereótipo.

Liam Neeson

Liam Neeson é aquele cara que tem sido visto mais como um herói de ação do que como um ator sério. Com a série de filmes “Busca Implacável“, ele se tornou uma marca mundial no papel de homem injustiçado que, sozinho, apavora e vai atrás dos vilões. Assim, fica difícil lembrar que Neeson é responsável por grandes atuações na história do cinema. O próprio ator comentou, sobre seu recente papel no drama “Silêncio” (2016), de Martin Scorsese, que gostou de ter se distanciado um pouco de filmes bobos em que “se sai atirando em todo mundo”.

Para relembrar os tempos áureos de Neeson, basta pensar em Oskar Schindler, de “A Lista de Schindler“, Michael Collins, de “Michael Collins: O Preço da Liberdade” ou Alfred Kinsey, de “Kinsey: Vamos Falar de Sexo“. Pelo primeiro, ele recebeu uma indicação ao Oscar de melhor ator, em 1994.

Estes são apenas alguns exemplos de grandes astros que, embora excelentes atores, interpretam um mesmo tipo de papel com mais frequência do que gostaríamos, tornando-se produtos comerciais que nem sempre fazem jus às qualidades que possuem em termos de atuação. A lista, é claro, vai muito além, mas, para você, qual ator acabou se rendendo a diversos papéis estereotipados, mas merece todo o seu respeito?

Sarah Lyra
@sarahlyra

Compartilhe


Conteúdos Relacionados


  • Caio Henrique

    Sempre lembrarei do Nicholas Cage , de Con-air e da cena do Coelho ! Primeiro DVD que tive.

  • Fabiano Novaes Ferreira

    não tem ator que eu odeie mais do que o Jim Carey. não consigo ver ele na tela. E não o acho engraçado de nenhuma maneira.

    PS. a Melissa McCarthy chega perto kkk também é critério para eu não ver um filme.

  • Saulo Henrique

    Matéria bacana. Quando fizer um com ” atores que não aceitam ser coadjuvantes e só fazem o papel de mocinho” , coloque o Sr Will Smith. Haha
    Abraços.

    • Sauro

      Eu e minha namorada detestamos o James Franco e a Mila Kunis, mesmo com o cisne negro e o 127 horas sendo ótimos filmes, achamos esses dois terríveis.

      Tem uma filme ai que esqueci o nome, com o cara do The Office e a Tina Fey que começa muito bom, vai piorando, ai quando a gente viu POW: Apareceu na tela James Fracno &&& Mila Kunis ao mesmo tempo como um casal, desligamos na hora. Hahahah

      era essa minha história, abraços

      • Ana Louise

        Que pena, pois Uma Noite Fora de Série é muito bom, e eles aparecem bem pouco x)

  • Sauro

    Podia ter um podcast com esse tema e mais atores quem sabe?

  • Thais Mendonça

    Acho que faltou nessa lista atores como Jennifer Aniston (que já arriscou papéis mais dramáticos, mas se mantem na zona de conforto nos trabalhos de romance/comédia), Adam Sandler que assim como Nicolas Cage já teve filmes mais marcantes, mas ultimamente tem participado de umas produções horríveis. Apesar das comédias de sempre, ele já se destacou em Embriagado de amor e Reine Sobre Mim.